SlideShare uma empresa Scribd logo

A Biblioteca como centro de aprendizagem

Apresentação usada em sessão de trabalho

1 de 26
A BIBLIOTECA COMO CENTRO DE
APRENDIZAGEM
Reflexões

AE Tábua
08 de Fevereiro de 2012
Helena Duque – CIBE RBE
 Para reflexão…

Da imprescindibilidade da vivência na
cultura digital.
Da mudança dos tempos à mudança
das vontades e das práticas na(s)
Biblioteca(s).
Aprender com e na Biblioteca Escolar.



                   O papel da biblioteca como centro de aprendizagem
EVOLUÇÃO DE UM PROJETO INTEGRADO




                                   Helena Duque - CIBE RBE
BIBLIOTECA COMO CENTRO DE APRENDIZAGEM
   Modos de aprendizagem dinâmica                                                   Biblioteca escolar
                                                                                      como centro de
                  versus                                                                  recursos
             ensino expositivo




                                                                                                          Helena Duque - CIBE RBE
                                                                                       Biblioteca
   Ensino-aprendizagem num ambiente rico                                               escolar
     em recursos baseado na construção do
                conhecimento                                                           centro de
                                                                                     aprendizagem.


                                                 Helena Duque - CIBE RBE
papel da biblioteca como centro de aprendizagem



     Para a diversificação e diferenciação das
     metodologias, técnicas e meios utilizados.


     Para um desenvolvimento do currículo
     efectivamente baseado em
     conhecimentos e competências.


     Para o enriquecimento dos modos de
     organização do ensino e modalidades de
     trabalho com alunos e outros docentes.



                   O papel da biblioteca como centro de aprendizagem
EVOLUÇÃO DE UM PROJETO INTEGRADO
   Palavras Chave




                                   Helena Duque - CIBE RBE

Recomendados

Minha tabela
Minha tabelaMinha tabela
Minha tabelaeb23am
 
Tabela Matriz Isabel 2
Tabela Matriz Isabel 2Tabela Matriz Isabel 2
Tabela Matriz Isabel 2isabelflosa
 
Tabela 1 sessão 1
Tabela 1 sessão 1Tabela 1 sessão 1
Tabela 1 sessão 1apaneves
 
Tabela Matriz Novo Curso
Tabela Matriz   Novo CursoTabela Matriz   Novo Curso
Tabela Matriz Novo Cursoluinog
 
Plano%20 de%20actividades%202010 2011%20-%20para%20integrar%20informação[2]
Plano%20 de%20actividades%202010 2011%20-%20para%20integrar%20informação[2]Plano%20 de%20actividades%202010 2011%20-%20para%20integrar%20informação[2]
Plano%20 de%20actividades%202010 2011%20-%20para%20integrar%20informação[2]bibliotecaesla
 
Análise SWOT BIblioteca Jaime Cortesão
Análise SWOT BIblioteca Jaime CortesãoAnálise SWOT BIblioteca Jaime Cortesão
Análise SWOT BIblioteca Jaime CortesãoLuisa Lamas
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

AnáLise Swot Be LivrolâNdia09
AnáLise Swot Be LivrolâNdia09AnáLise Swot Be LivrolâNdia09
AnáLise Swot Be LivrolâNdia09MLamas09
 
PAA BiBlioteca da Escolar para o ano lectivo 2010/2011
PAA BiBlioteca da Escolar para o ano lectivo 2010/2011PAA BiBlioteca da Escolar para o ano lectivo 2010/2011
PAA BiBlioteca da Escolar para o ano lectivo 2010/2011Carlos Lima
 
A biblioteca escolar. Desafios e oportunidades no contexto da mudança
A biblioteca escolar. Desafios e oportunidades no contexto da mudançaA biblioteca escolar. Desafios e oportunidades no contexto da mudança
A biblioteca escolar. Desafios e oportunidades no contexto da mudançaIsabel Martins
 
Práticas e modelos A.A. das BE - DREN - T8
Práticas e modelos A.A. das BE - DREN - T8Práticas e modelos A.A. das BE - DREN - T8
Práticas e modelos A.A. das BE - DREN - T8anabraga
 
Directrizes da UNESCO/IFLA 02
Directrizes da UNESCO/IFLA 02Directrizes da UNESCO/IFLA 02
Directrizes da UNESCO/IFLA 02FilipaNeves
 
Tabela Matriz Novo Curso
Tabela Matriz   Novo CursoTabela Matriz   Novo Curso
Tabela Matriz Novo Cursobibliotecasalir
 
Joao Reis Sessao 7 Forum1 Avaliativo Descritivo
Joao Reis Sessao 7 Forum1 Avaliativo DescritivoJoao Reis Sessao 7 Forum1 Avaliativo Descritivo
Joao Reis Sessao 7 Forum1 Avaliativo DescritivoJoão Alves Dos Reis
 
Plano de Acção 2009-2013
Plano de Acção 2009-2013Plano de Acção 2009-2013
Plano de Acção 2009-2013antoniogranjo
 
ProjectOa Ler+
ProjectOa Ler+ProjectOa Ler+
ProjectOa Ler+majoro
 
Plano De AcçãO Be D Carlos I
Plano De AcçãO Be D Carlos IPlano De AcçãO Be D Carlos I
Plano De AcçãO Be D Carlos ICristina Calado
 
Tabela Matriz 2009 Original
Tabela Matriz 2009  OriginalTabela Matriz 2009  Original
Tabela Matriz 2009 OriginalNoemiaMaria
 

Mais procurados (19)

AnáLise Swot Be LivrolâNdia09
AnáLise Swot Be LivrolâNdia09AnáLise Swot Be LivrolâNdia09
AnáLise Swot Be LivrolâNdia09
 
PAA BiBlioteca da Escolar para o ano lectivo 2010/2011
PAA BiBlioteca da Escolar para o ano lectivo 2010/2011PAA BiBlioteca da Escolar para o ano lectivo 2010/2011
PAA BiBlioteca da Escolar para o ano lectivo 2010/2011
 
A biblioteca escolar. Desafios e oportunidades no contexto da mudança
A biblioteca escolar. Desafios e oportunidades no contexto da mudançaA biblioteca escolar. Desafios e oportunidades no contexto da mudança
A biblioteca escolar. Desafios e oportunidades no contexto da mudança
 
Práticas e modelos A.A. das BE - DREN - T8
Práticas e modelos A.A. das BE - DREN - T8Práticas e modelos A.A. das BE - DREN - T8
Práticas e modelos A.A. das BE - DREN - T8
 
PAA_BEM 09 10
PAA_BEM 09 10PAA_BEM 09 10
PAA_BEM 09 10
 
Directrizes da UNESCO/IFLA 02
Directrizes da UNESCO/IFLA 02Directrizes da UNESCO/IFLA 02
Directrizes da UNESCO/IFLA 02
 
Tabela Matriz
Tabela MatrizTabela Matriz
Tabela Matriz
 
Tabela Matriz Susana
Tabela Matriz SusanaTabela Matriz Susana
Tabela Matriz Susana
 
Tabela Isabel Trabucho 2 Nov
Tabela Isabel Trabucho 2 NovTabela Isabel Trabucho 2 Nov
Tabela Isabel Trabucho 2 Nov
 
Tabela Matriz Novo Curso
Tabela Matriz   Novo CursoTabela Matriz   Novo Curso
Tabela Matriz Novo Curso
 
Joao Reis Sessao 7 Forum1 Avaliativo Descritivo
Joao Reis Sessao 7 Forum1 Avaliativo DescritivoJoao Reis Sessao 7 Forum1 Avaliativo Descritivo
Joao Reis Sessao 7 Forum1 Avaliativo Descritivo
 
Plano de Acção 2009-2013
Plano de Acção 2009-2013Plano de Acção 2009-2013
Plano de Acção 2009-2013
 
Plano de accao_2009-2013
Plano de accao_2009-2013Plano de accao_2009-2013
Plano de accao_2009-2013
 
Paa 2010 2011
Paa 2010 2011Paa 2010 2011
Paa 2010 2011
 
Joao Reis SessãO 1 Tabela Matriz
Joao Reis SessãO  1 Tabela MatrizJoao Reis SessãO  1 Tabela Matriz
Joao Reis SessãO 1 Tabela Matriz
 
ProjectOa Ler+
ProjectOa Ler+ProjectOa Ler+
ProjectOa Ler+
 
Actividades teip beca's
Actividades teip beca'sActividades teip beca's
Actividades teip beca's
 
Plano De AcçãO Be D Carlos I
Plano De AcçãO Be D Carlos IPlano De AcçãO Be D Carlos I
Plano De AcçãO Be D Carlos I
 
Tabela Matriz 2009 Original
Tabela Matriz 2009  OriginalTabela Matriz 2009  Original
Tabela Matriz 2009 Original
 

Destaque

Techo Scient Manufacturing Company, New Delhi, Material Testing Equipment
Techo Scient Manufacturing Company, New Delhi, Material Testing EquipmentTecho Scient Manufacturing Company, New Delhi, Material Testing Equipment
Techo Scient Manufacturing Company, New Delhi, Material Testing EquipmentIndiaMART InterMESH Limited
 
Soltar a língua - as bibliotecas escolares e a aprendizagem da língua
Soltar a língua - as bibliotecas escolares e a aprendizagem da línguaSoltar a língua - as bibliotecas escolares e a aprendizagem da língua
Soltar a língua - as bibliotecas escolares e a aprendizagem da línguaMinistério da Educação
 
A viabilidade dos Instrumentos de Avaliação
A viabilidade dos Instrumentos de Avaliação A viabilidade dos Instrumentos de Avaliação
A viabilidade dos Instrumentos de Avaliação marcelopinheiro2012
 
Tutorial E-poster IV CIOCE
Tutorial E-poster IV CIOCETutorial E-poster IV CIOCE
Tutorial E-poster IV CIOCEemilsondentista
 
Avaliação da aprendizagem escolar um ato amoroso
Avaliação da aprendizagem escolar  um ato amorosoAvaliação da aprendizagem escolar  um ato amoroso
Avaliação da aprendizagem escolar um ato amorosoDanilo Raniery
 
avaliação da aprendizagem Escolar: um ato amoroso
avaliação da aprendizagem Escolar: um ato amorosoavaliação da aprendizagem Escolar: um ato amoroso
avaliação da aprendizagem Escolar: um ato amorosoMailton Fernandes
 
TéCnicas E Instrumentos De AvaliaçãO
TéCnicas E Instrumentos De AvaliaçãOTéCnicas E Instrumentos De AvaliaçãO
TéCnicas E Instrumentos De AvaliaçãOMessias Matusse
 
Avaliação tipos e funções 2
Avaliação tipos e funções 2Avaliação tipos e funções 2
Avaliação tipos e funções 2SimoneHelenDrumond
 
PNAIC - Avaliação
PNAIC - AvaliaçãoPNAIC - Avaliação
PNAIC - AvaliaçãoElieneDias
 
INSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
INSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃOINSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
INSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃOEdlauva Santos
 
A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...
A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...
A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...SlideShare
 

Destaque (12)

Techo Scient Manufacturing Company, New Delhi, Material Testing Equipment
Techo Scient Manufacturing Company, New Delhi, Material Testing EquipmentTecho Scient Manufacturing Company, New Delhi, Material Testing Equipment
Techo Scient Manufacturing Company, New Delhi, Material Testing Equipment
 
Soltar a língua - as bibliotecas escolares e a aprendizagem da língua
Soltar a língua - as bibliotecas escolares e a aprendizagem da línguaSoltar a língua - as bibliotecas escolares e a aprendizagem da língua
Soltar a língua - as bibliotecas escolares e a aprendizagem da língua
 
A viabilidade dos Instrumentos de Avaliação
A viabilidade dos Instrumentos de Avaliação A viabilidade dos Instrumentos de Avaliação
A viabilidade dos Instrumentos de Avaliação
 
Tutorial E-poster IV CIOCE
Tutorial E-poster IV CIOCETutorial E-poster IV CIOCE
Tutorial E-poster IV CIOCE
 
OrientaçõEs Do Painel
OrientaçõEs  Do PainelOrientaçõEs  Do Painel
OrientaçõEs Do Painel
 
Avaliação da aprendizagem escolar um ato amoroso
Avaliação da aprendizagem escolar  um ato amorosoAvaliação da aprendizagem escolar  um ato amoroso
Avaliação da aprendizagem escolar um ato amoroso
 
avaliação da aprendizagem Escolar: um ato amoroso
avaliação da aprendizagem Escolar: um ato amorosoavaliação da aprendizagem Escolar: um ato amoroso
avaliação da aprendizagem Escolar: um ato amoroso
 
TéCnicas E Instrumentos De AvaliaçãO
TéCnicas E Instrumentos De AvaliaçãOTéCnicas E Instrumentos De AvaliaçãO
TéCnicas E Instrumentos De AvaliaçãO
 
Avaliação tipos e funções 2
Avaliação tipos e funções 2Avaliação tipos e funções 2
Avaliação tipos e funções 2
 
PNAIC - Avaliação
PNAIC - AvaliaçãoPNAIC - Avaliação
PNAIC - Avaliação
 
INSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
INSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃOINSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
INSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
 
A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...
A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...
A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...
 

Semelhante a A Biblioteca como centro de aprendizagem

Plano acçao biblioteca_castelo
Plano acçao biblioteca_casteloPlano acçao biblioteca_castelo
Plano acçao biblioteca_casteloTeresa Gonçalves
 
Biblioteca escolar – recurso e contexto de aprendizagem - Salreu 28 de outubr...
Biblioteca escolar – recurso e contexto de aprendizagem - Salreu 28 de outubr...Biblioteca escolar – recurso e contexto de aprendizagem - Salreu 28 de outubr...
Biblioteca escolar – recurso e contexto de aprendizagem - Salreu 28 de outubr...Isabel Nina
 
Biblioteca Escolar - Contexto e recurso de aprendizagem
Biblioteca Escolar - Contexto e recurso de aprendizagemBiblioteca Escolar - Contexto e recurso de aprendizagem
Biblioteca Escolar - Contexto e recurso de aprendizagemIsabel Nina
 
Integrar a Be nas práticas docentes
Integrar a Be nas práticas docentesIntegrar a Be nas práticas docentes
Integrar a Be nas práticas docentesguestf7964d2
 
Recursos Educativos Digitais
Recursos Educativos Digitais Recursos Educativos Digitais
Recursos Educativos Digitais anamariabpalma
 
Recursos Educativos Digitais
Recursos Educativos DigitaisRecursos Educativos Digitais
Recursos Educativos Digitaisanamariabpalma
 
Slaide do projeto formação pela escola
Slaide  do projeto formação pela escolaSlaide  do projeto formação pela escola
Slaide do projeto formação pela escolaterezinhasobrinho
 
Slaide do projeto formação pela escola
Slaide  do projeto formação pela escolaSlaide  do projeto formação pela escola
Slaide do projeto formação pela escolaterezinhasobrinho
 
Nelida nabais trabalho_1_forum_2[1]
Nelida nabais trabalho_1_forum_2[1]Nelida nabais trabalho_1_forum_2[1]
Nelida nabais trabalho_1_forum_2[1]nelidavbn
 
FóRum 2 HéLia Pereira
FóRum 2   HéLia PereiraFóRum 2   HéLia Pereira
FóRum 2 HéLia PereiraHélia Jacob
 
Tabela matriz sessao1_alexandra_lopes
Tabela matriz sessao1_alexandra_lopesTabela matriz sessao1_alexandra_lopes
Tabela matriz sessao1_alexandra_lopesalexandranuneslopes
 

Semelhante a A Biblioteca como centro de aprendizagem (20)

Plano de atividades da biblioteca
Plano de atividades da bibliotecaPlano de atividades da biblioteca
Plano de atividades da biblioteca
 
Grelha paa be
Grelha paa beGrelha paa be
Grelha paa be
 
Plano acçao biblioteca_castelo
Plano acçao biblioteca_casteloPlano acçao biblioteca_castelo
Plano acçao biblioteca_castelo
 
Biblioteca escolar – recurso e contexto de aprendizagem - Salreu 28 de outubr...
Biblioteca escolar – recurso e contexto de aprendizagem - Salreu 28 de outubr...Biblioteca escolar – recurso e contexto de aprendizagem - Salreu 28 de outubr...
Biblioteca escolar – recurso e contexto de aprendizagem - Salreu 28 de outubr...
 
Slides mary seminário
Slides mary seminárioSlides mary seminário
Slides mary seminário
 
Sessão 1
Sessão 1Sessão 1
Sessão 1
 
Trabalho 3
Trabalho 3Trabalho 3
Trabalho 3
 
Tabela[1] nnn
Tabela[1] nnnTabela[1] nnn
Tabela[1] nnn
 
Biblioteca Escolar - Contexto e recurso de aprendizagem
Biblioteca Escolar - Contexto e recurso de aprendizagemBiblioteca Escolar - Contexto e recurso de aprendizagem
Biblioteca Escolar - Contexto e recurso de aprendizagem
 
Integrar a Be nas práticas docentes
Integrar a Be nas práticas docentesIntegrar a Be nas práticas docentes
Integrar a Be nas práticas docentes
 
Recursos Educativos Digitais
Recursos Educativos Digitais Recursos Educativos Digitais
Recursos Educativos Digitais
 
Recursos Educativos Digitais
Recursos Educativos DigitaisRecursos Educativos Digitais
Recursos Educativos Digitais
 
Slaide do projeto formação pela escola
Slaide  do projeto formação pela escolaSlaide  do projeto formação pela escola
Slaide do projeto formação pela escola
 
Slaide do projeto formação pela escola
Slaide  do projeto formação pela escolaSlaide  do projeto formação pela escola
Slaide do projeto formação pela escola
 
Nelida nabais trabalho_1_forum_2[1]
Nelida nabais trabalho_1_forum_2[1]Nelida nabais trabalho_1_forum_2[1]
Nelida nabais trabalho_1_forum_2[1]
 
FóRum 2 HéLia Pereira
FóRum 2   HéLia PereiraFóRum 2   HéLia Pereira
FóRum 2 HéLia Pereira
 
Projeto 2
Projeto 2Projeto 2
Projeto 2
 
Paa be cre
Paa be crePaa be cre
Paa be cre
 
Boletim nº 1
Boletim nº 1Boletim nº 1
Boletim nº 1
 
Tabela matriz sessao1_alexandra_lopes
Tabela matriz sessao1_alexandra_lopesTabela matriz sessao1_alexandra_lopes
Tabela matriz sessao1_alexandra_lopes
 

Mais de Ministério da Educação

Mais de Ministério da Educação (13)

Breve tutorial Educaplay
Breve tutorial EducaplayBreve tutorial Educaplay
Breve tutorial Educaplay
 
Educaplay geral
Educaplay geralEducaplay geral
Educaplay geral
 
Biblioteca(s) - Trilhando caminhos.com ciência (S)
Biblioteca(s) - Trilhando caminhos.com ciência (S)Biblioteca(s) - Trilhando caminhos.com ciência (S)
Biblioteca(s) - Trilhando caminhos.com ciência (S)
 
2017 18 informacoes_cibe_rbe_setembro
2017 18 informacoes_cibe_rbe_setembro2017 18 informacoes_cibe_rbe_setembro
2017 18 informacoes_cibe_rbe_setembro
 
Informacoes CIBE_rbe novembro_2015
Informacoes CIBE_rbe novembro_2015Informacoes CIBE_rbe novembro_2015
Informacoes CIBE_rbe novembro_2015
 
Bibliotecas Escolares - Orientacoes cibe outubro_2015
Bibliotecas Escolares - Orientacoes cibe outubro_2015Bibliotecas Escolares - Orientacoes cibe outubro_2015
Bibliotecas Escolares - Orientacoes cibe outubro_2015
 
Doc1 calendário projetos_15-16
Doc1 calendário projetos_15-16Doc1 calendário projetos_15-16
Doc1 calendário projetos_15-16
 
2015 marco reuniao_interconcelhia_final_final
2015 marco reuniao_interconcelhia_final_final2015 marco reuniao_interconcelhia_final_final
2015 marco reuniao_interconcelhia_final_final
 
2014 15 avaliacao-be_final
2014 15 avaliacao-be_final2014 15 avaliacao-be_final
2014 15 avaliacao-be_final
 
2013 14 prioridades-rbe_bibliotecas
2013 14 prioridades-rbe_bibliotecas2013 14 prioridades-rbe_bibliotecas
2013 14 prioridades-rbe_bibliotecas
 
Conhecer cidade
Conhecer cidadeConhecer cidade
Conhecer cidade
 
Escolas voluntariado leitura_sintese_janeiro2013
Escolas voluntariado  leitura_sintese_janeiro2013Escolas voluntariado  leitura_sintese_janeiro2013
Escolas voluntariado leitura_sintese_janeiro2013
 
O papel da Escola e da BE no contexto da sociedade da informação
O papel da Escola e da BE no contexto da sociedade da informaçãoO papel da Escola e da BE no contexto da sociedade da informação
O papel da Escola e da BE no contexto da sociedade da informação
 

Último

Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...azulassessoriaacadem3
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...azulassessoriaacadem3
 
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...apoioacademicoead
 
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdfkelvindasilvadiasw
 
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...manoelaarmani
 
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoTrovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoPaula Meyer Piagentini
 
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaQuiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaCentro Jacques Delors
 
Cuidados Essenciais para um Cachorro Feliz e Saudável-e-book-sc.pdf
Cuidados Essenciais para um Cachorro Feliz e Saudável-e-book-sc.pdfCuidados Essenciais para um Cachorro Feliz e Saudável-e-book-sc.pdf
Cuidados Essenciais para um Cachorro Feliz e Saudável-e-book-sc.pdfsuplementocultural1
 
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...manoelaarmani
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...excellenceeducaciona
 
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...manoelaarmani
 
CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...
CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...
CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...excellenceeducaciona
 
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Mary Alvarenga
 
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfddddddddddddddddddddddddddddddddddddRenandantas16
 
Planejamento do 1º semestre de Ciências 2024 9º ano.pdf
Planejamento do 1º semestre  de Ciências 2024 9º ano.pdfPlanejamento do 1º semestre  de Ciências 2024 9º ano.pdf
Planejamento do 1º semestre de Ciências 2024 9º ano.pdfJanielleCristina1
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...azulassessoriaacadem3
 
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...azulassessoriaacadem3
 
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdfkelvindasilvadiasw
 

Último (20)

Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
 
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
 
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
 
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
 
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoTrovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
 
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaQuiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
 
Cuidados Essenciais para um Cachorro Feliz e Saudável-e-book-sc.pdf
Cuidados Essenciais para um Cachorro Feliz e Saudável-e-book-sc.pdfCuidados Essenciais para um Cachorro Feliz e Saudável-e-book-sc.pdf
Cuidados Essenciais para um Cachorro Feliz e Saudável-e-book-sc.pdf
 
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
 
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptxSlides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
 
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
 
CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...
CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...
CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...
 
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
 
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
 
Planejamento do 1º semestre de Ciências 2024 9º ano.pdf
Planejamento do 1º semestre  de Ciências 2024 9º ano.pdfPlanejamento do 1º semestre  de Ciências 2024 9º ano.pdf
Planejamento do 1º semestre de Ciências 2024 9º ano.pdf
 
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docxGABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
 
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
 
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
 

A Biblioteca como centro de aprendizagem

  • 1. A BIBLIOTECA COMO CENTRO DE APRENDIZAGEM Reflexões AE Tábua 08 de Fevereiro de 2012 Helena Duque – CIBE RBE
  • 2.  Para reflexão… Da imprescindibilidade da vivência na cultura digital. Da mudança dos tempos à mudança das vontades e das práticas na(s) Biblioteca(s). Aprender com e na Biblioteca Escolar. O papel da biblioteca como centro de aprendizagem
  • 3. EVOLUÇÃO DE UM PROJETO INTEGRADO Helena Duque - CIBE RBE
  • 4. BIBLIOTECA COMO CENTRO DE APRENDIZAGEM  Modos de aprendizagem dinâmica Biblioteca escolar como centro de versus recursos  ensino expositivo Helena Duque - CIBE RBE Biblioteca  Ensino-aprendizagem num ambiente rico escolar em recursos baseado na construção do conhecimento centro de aprendizagem. Helena Duque - CIBE RBE
  • 5. papel da biblioteca como centro de aprendizagem Para a diversificação e diferenciação das metodologias, técnicas e meios utilizados. Para um desenvolvimento do currículo efectivamente baseado em conhecimentos e competências. Para o enriquecimento dos modos de organização do ensino e modalidades de trabalho com alunos e outros docentes. O papel da biblioteca como centro de aprendizagem
  • 6. EVOLUÇÃO DE UM PROJETO INTEGRADO  Palavras Chave Helena Duque - CIBE RBE
  • 7. papel da biblioteca como centro de aprendizagem "Quando se entra ● Marginal numa biblioteca, nunca se sai igual. Lá dentro está o mundo todo. Quando se vê o mundo todo, fica-se diferente.“ ● Complementar in Colecção de Postais RBE  Integrada Helena Duque - CIBE RBE
  • 8. EVOLUÇÃO DE UM PROJETO INTEGRADO organizar para usar a biblioteca conheço as zonas funcionais; conheço a forma como os materiais estão organizados; conheço as normas de funcionamento da biblioteca. Consigo aceder e interpretar o catálogo O papel da biblioteca como centro de aprendizagem O papel da biblioteca como centro de aprendizagem: organizar para usar
  • 9. Helena Duque - CIBE RBE  organizar para usar a biblioteca
  • 10. EVOLUÇÃO DE UM PROJETO INTEGRADO apoio ao desenvolvimento curricular Conheço os projetos que se desenvolvem em articulação com a BM/AECS planifico o recurso ao material livro ou não livro para abordagem de conteúdos; incentivo o trabalho de pesquisa na biblioteca; ensino a usar os recursos documentais de uma forma progressiva e integrados nos conteúdos programáticos. O papel da biblioteca como centro de aprendizagem
  • 11. apoio ao desenvolvimento curricular  Folheto de Pais Nas redes  Formação de utilizadores (O semáforo ) sociais Marcadores de livros EVOLUÇÃO DE UM PROJETO INTEGRADO   Mediação da leitura:  O livro negro das cores Helena Duque - CIBE RBE  A galinha ruiva  O alfabeto dos bichos  Totó 2 vezes totó  ….  Outras atividades  MALAS DOS AUTORES DO MÊS  dia da alimentação com uma mesa temática  dia das bruxas, o outono e o São Martinho com esta mesa tritemática  Natal e o inverno com as leituras desta estação:  …. Helena Duque - CIBE RBE
  • 12. apoio ao desenvolvimento curricular -  Incluir os recursos da biblioteca escolar nos Sugestões projetos curriculares de turma;  verificar se os recursos existentes respondem Sugestões às necessidades do currículo; EVOLUÇÃO DE UM PROJETO INTEGRADO  construir sugestões de trabalho em torno do tratamento de diferentes conteúdos; Helena Duque - CIBE RBE  identificar na planificação a articulação com a BE e, sempre que possível, sugestões bibliográficas e outros recursos para que todos tenham conhecimento;  explorar os diferentes contexto digitais de aprendizagem, associando-os ao uso do computador;  planificar o trabalho de pesquisa com o professor bibliotecário e/ou em articulação com a Técnica da BM.  …. Helena Duque - CIBE RBE
  • 13. organizar para usar a biblioteca Ano Lectivo 2ª-feira 3ªfeira 4ª-feira 5ªfeira 6ªfeira 20../20.. 09h - 10h Turma J2 É importante definir 30m Turma J1 Turma J2 Turma J4 (4.º Ano) um horário de 10h30m- Utilização Utilização autónoma da BE J.I. 1//J.I. 2 1 ocupação da 10h 50m autónoma da BE biblioteca. Exemplo 10h 50 m - Turma J1 Turma J2 Turma J4 Turma J2 12h 00m (4.º Ano) Utilização autónoma da BE 13h 30m As requisições têm  14h Turma J3 Turma J Empréstimo 2 Empréstimo 2 Turma J4 Domiciliário Domiciliário (3.º/4.º Ano) muita importância 30m como actividade 14h 30m Utilização autónoma da BE motivadora da leitura, -14h 45m pelo que cada docente Turma J (2.º deve garantir essa 14h45m - Empréstimo 2 Empréstimo 2 Ano) Turma J3 Turma J 15h 30m Domiciliário Domiciliário oportunidade aos Turma J3 (1.ª Ano) alunos. 15h30m - Utilização autónoma da BE 16h 30m
  • 14. apoio ao desenvolvimento curricular - exemplo  Projeto: “Aprender a aprender com as TIC no Processo de 1ºciclo” planificação Exploração do recurso “A Biblioteca de Livros digitais” Actividade Contexto Publico Alvo Recursos Materiais Temática/conteúdos/áreas curriculares Objectivos/competências estratégias de (utilização em contexto de sala de aula/Biblioteca ensino-aprendizagem Escolar) Avaliação dos alunos Leitura em Voz alta Constrangimentos Leitura partilhada …. Helena Duque - CIBE RBE
  • 15. apoio ao desenvolvimento curricular - exemplo Do processo de planificação…. Exploração da Biblioteca de Livros Digitais do Actividade Exploração da história e de Leitura:no desafio “Os livros da Malta” Plano Nacional participação Contexto Articulação curricular: BE, LP, TIC/literacia da informação, Formação cívica Publico Alvo Alunos do 3º ano Temática/conteúdos/áreas *** curriculares Objetivos/competências **** estratégias de 1. A apresentação do livro “A princesa malcriada” - 15 minutos; ensino-aprendizagem 2. Exploração oral da história (dialogar sobre a “postura e modos da princesa malcriada”);Turma do 3ºano • • O trabalho a desenvolver é a apresentação do livro “A Princesa • • Contextualização - Público – alvo • • Malcriada” da turma, no desafio “Os livros 3. Registo e participação on-line,disponível na Biblioteca Digital e a escrita coletiva de uma história, em suporte digital. • • - Quando, porquê, durante quanto tempo? da Malta” (o convite•• aparece emdo livroturma,da história)ecrã,45àajuda do Os alunos, apresentação no finalé projetado emescolar, assistem minutos; grupo que na biblioteca grande - com desafio : escrever uma históriada actividade, terá conhecida ousegue-se depois uma • • parte coletiva, a duração de 15 minutos; inventada, videoprojector. A apresentação do livro “A princesa malcriada”, primeira sobre princesas. Cada criança irá escreverdesafio “Os livros da Malta” (oregisto e • • no computadorconvite pequena exploração oral da história; a terceira parte consiste no participação on-line, da turma, no uma frase da história e os•• colegasnoacompanham titular de turma dará continuidade visionando no ecrã. aparece final da história). Esta última parte terá a duração de 45 minutos. Na sala de aula, a professora A atividade é feita on-line trabalho. • ao e depois haverá a possibilidade de as crianças visualizarem o seu trabalho e o de outros colegas que • Contextualização publicados no separador “Livros da Malta” no Biblioteca estão • - Público – alvoDigital.de aula, a professora titular de turma dará continuidade 4. Na sala Helena Duque - CIBE RBE
  • 16. Temática/conteúdos/áre *** as curriculares Língua Portuguesa: • Oralidade • Expressão escrita • Leitura TIC /Literacias da Informação e Comunicação • Processamento de texto (Word) • Registo on-line num portal ou site • Consulta da página e navegação na Internet Formação Cívica • Viver em Sociedade • Respeitar os outros • Educação e boas maneiras Helena Duque - CIBE RBE
  • 17. **** Objetivos/competências TIC e Literacias da Informação • Utilizar as potencialidades das TIC (Tecnologias de Informação e • Comunicação) no uso da Língua Portuguesa; • Dotar os utilizadores de competências para usufruir dos serviços e ferramentas de pesquisa disponibilizados na Internet e outros ambientes digitais, por exemplo blogue da BE; • Capacitar os utilizadores para a navegação na Internet; • Conhecer e utilizar as funcionalidades mais básicas do programa Word (processamento texto). Formação Cívica • Reconhecer a importância e necessidade da utilização das regras da boa convivência em sociedade. Helena Duque - CIBE RBE
  • 18. apoio ao desenvolvimento curricular - exemplo Projeto: Promoção das literacias Processo de planificação Actividade “Programa de desenvolvimento de Literacias da Informação, Tecnológica e Contexto Digital (com atividades sequenciais Publico Alvo planificadas) Recursos Materiais Cronograma Temática/conteúdos/áreas curriculares Objectivos/competências • OBJETIVO de uma ATIVIDADE – estratégias de Desenvolver competências que ensino-aprendizagem permitam aos utilizadores criar e gerir a Avaliação dos alunos sua conta de correio eletrónico - gmail Constrangimentos
  • 19. CONTEXTOS DE LEITURA… OUTRAS FORMAS DE LER…NOVAS VIAGENS … leitura em ambientes digitais (exemplo dos livros digitais e……………….)  Instituto Camões Portugal  Casa da Leitura – FCG  http://www.casadaleitura.org/  Catalivros  http://www.catalivros.org/  Serviço de Apoio à Leitura (SAL)  http://sal.iplb.pt/  História do dia, com histórias escritas por António Torrado http://www.historiadodia.pt Helena Duque - CIBE RBE
  • 20. HTTP://RBTB.CM-TABUA.PT/  Uma Biblioteca web 2.00 Helena Duque - CIBE RBE http://coisasdebiblioteca.blogspot.com/ http://pegadadepapel.wordpress.com/
  • 21. Pois… aprender configura outras situações de aprendizagem…. Helena Duque - CIBE RBE
  • 22. O QUE NOS DIZEM AS ORIENTAÇÕES…. Orientações oficial…
  • 23. papel da biblioteca como centro de aprendizagem  Gestão das Bibliotecas – orientações RBE
  • 24. 1º passo – encontrar um rosto 2º passo – entender o sentido 3º passo – descobrir o caminho …. O papel da biblioteca como centro de aprendizagem
  • 25. papel da biblioteca como centro de aprendizagem BIBLIOTECA ESCOLAR (OPORTUNIDADE)DE APRENDIZAGEM Os espaços de leitura, dentro e fora da sala de aula, com particular relevância para a biblioteca escolar devem ser utilizados como lugares onde se vivem experiências gratificantes de contacto com os livros e com a leitura.(Programas de Português do Helena Duque - CIBE RBE Ensino Básico, 2009: 64). O trabalho em sala de aula beneficiará grandemente de uma relação estreita com a biblioteca escolar, devendo esta possibilitar o acesso a uma variedade alargada de recursos que permitam apoiar e concretizar, de forma mais eficaz, o trabalho a realizar, por professores e alunos, no que respeita ao desenvolvimento das competências e dos desempenhos descritos para o ciclo O recurso à biblioteca escolar, tanto em articulação com o trabalho da sala de aula como livremente utilizada pelos alunos, integra-se numa prática inclusiva, que fomenta a autonomia e a disponibilidade para a aprendizagem ao longo da vida. Pretende-se criar condições para o desenvolvimento amplo das diferentes competências, em particular da leitura em diferentes suportes e da literacia da informação. (Programas de Português do Ensino Básico, 2009: 152).
  • 26. Helena Duque - CIBE RBE SEMPRE IMAGINEI QUE O PARAÍSO SERÁ UMA ESPÉCIE DE BIBLIOTECA. JORGE LUÍS BORGES/KLAAS VERPLANCKE BOAS LEITURAS….