O Protocolo de Quito se
  constitui de um tratado
     internacional com
compromissos mais rígidos
para a redução da emiss...
O Protocolo de Quioto
  estabeleceu metas para a
redução da emissão de gases
poluentes que intensificam o
  aquecimento gl...
A ratificação do Protocolo de
 Quioto pelos países do mundo
  esbarrou na necessidade de
   mudanças na sua matriz
energét...
Discutido e negociado em Quioto,
  no Japão em 1997, foi aberto
 para assinaturas em março de
 1998 e ratificado em março ...
O protocolo propõe um calendário
pelo qual os países desenvolvidos
   têm a obrigação de reduzir a
 emissão de gases polue...
A redução das emissões
deverá acontecer em várias
 atividades econômicas. O
protocolo estimula os países
 signatários a co...
Reformar os setores de
 energia e transporte;
Promover o uso de fontes
energéticas renováveis;
Proteger florestas e outros...
Eliminar mecanismos
  financeiros e de mercado
  inapropriados aos fins da
         Convenção;
 Limitar as emissões de met...
Clique em “ESC” para sair.
A.Apres.Educ.Amb.Prot.Quioto
A.Apres.Educ.Amb.Prot.Quioto
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A.Apres.Educ.Amb.Prot.Quioto

1.760 visualizações

Publicada em

Resumo sobre o protocolo de quioto.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.760
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
51
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A.Apres.Educ.Amb.Prot.Quioto

  1. 1. O Protocolo de Quito se constitui de um tratado internacional com compromissos mais rígidos para a redução da emissão dos gases que provocam o aquecimento global.
  2. 2. O Protocolo de Quioto estabeleceu metas para a redução da emissão de gases poluentes que intensificam o aquecimento global, com destaque para o CO2 [dióxido de carbono].
  3. 3. A ratificação do Protocolo de Quioto pelos países do mundo esbarrou na necessidade de mudanças na sua matriz energética. Os eleveados custos recairiam, principalmente, sobre os países desenvolvidos.
  4. 4. Discutido e negociado em Quioto, no Japão em 1997, foi aberto para assinaturas em março de 1998 e ratificado em março de 1999. Oficialmente, entrou em vigor em fevereiro de 2005, depois que a Rússia o ratificou em novembro de 2004.
  5. 5. O protocolo propõe um calendário pelo qual os países desenvolvidos têm a obrigação de reduzir a emissão de gases poluentes em, pelo menos 5,2%, em relação aos níveis de 1990, no período entre 2008 e 2012, também chamado de primeiro período de compromissos.
  6. 6. A redução das emissões deverá acontecer em várias atividades econômicas. O protocolo estimula os países signatários a cooperarem entre si, através de algumas ações básicas:
  7. 7. Reformar os setores de energia e transporte; Promover o uso de fontes energéticas renováveis; Proteger florestas e outros sumidouros de carbono;
  8. 8. Eliminar mecanismos financeiros e de mercado inapropriados aos fins da Convenção; Limitar as emissões de metano no gerenciamento de resíduos e dos sistemas energéticos.
  9. 9. Clique em “ESC” para sair.

×