R e m b r a n d t H a r m e n s z o o n v a n R ijn
                                V id a e o b r a (1606 – 1669)

      ...
A Re s s urre ição de
Láz aro,
c. 1630
Em 1631, aos 25 anos,
Rem  brandt instala-se em Am    esterdão.
Aloja-se em casa do negociante de arte
Uylenburgh (tio da ...
Um ano depois, recebe um encom
                                 a        enda,
para um retrato de grupo, do cirurgião Nico...
Em 1634, Rem  brandt casa-se
            com Saskia van Uylenburgh. Têm um
            filho, Rum bertus, que m  orre dois...
No ano de 1635, Rem    brandt trabalhou nos
quadros S ans ão Ame açando o S og ro, Ganime de s
nas Garras da Ág uia e O S ...
Em 1636, o pintor holandês inicia-se no com         ércio de arte e com  eça um colecção
                                 ...
Re mbrandt e S as kia na Ce na
do Filho Pródig o no Borde l,
cerca de 1635
cerca de 1638




                        No espaço de três
                anos, Rem    brandt tem duas
                f...
A fam Tripp que era a m
             ilia                 ais
rica de Am   esterdão, encom  edou a
Rem  brandt, diversos r...
Titus, quarto filho do casal e
o único a sobreviver até à idade
adulta, nasce a 1641. Um ano
depois      m orre      Saski...
A Ronda da Noite ,
             1642
A R o n d a d a N o it e ,   1642




                                                        A Ronda da Noite é o quadro ...
O nom do quadro (A Ronda da
               e
Noite ), hoje fam iliar por todo o m undo,
não corresponde à realidade, pois ...
Rem  brandt evita um com
                           a    posição estática e form representando um acção
                  ...
A composição aparentemente
desordenada está regida segundo
eixos:

•    Eixo horizontal – Determ   ina a
m ancha de person...
Capitão Frans Banning Cocq:
Capitão da com panhia e figura central que articula os
eixos do quadro, com a m indica a ordem...
Tenente Willem van Ruytenburch:
Tenente da com  panhia é ele que recebe a ordem de
preparar a com panhia para a form  ação...
Amenina:
Talvez a m m
           ais isteriosa do quadro. Está vestida de
am arelo vivo e porta no cinto um galinha atada
...
Influenciado (em   bora indirectamente)
por Caravaggio, Rem       brandt cria fortes
contrastes de cor e luz.

       Os c...
Re trato de Andrie s de
                                                                                        Grae ff,
 ...
A m  orte de Saskia e A Ronda da
Noite assinalam assim um novo ponto de
                 ,     ,
partida na vida de Rembra...
A Moe da de Ce m Florins ,
             cerca de 1648
Cinco anos após a
separação de Rem   brandt com
Geertghe o artista e Hendrickje
têm um filha, Cornelia.
       a

      Ne...
Rem  brandt é considerado
insolvente em 1656.

       Para conseguir pagar aos
credores e soldar as suas dividas,
o pintor...
Nesta altura recebe tam  bém um encom
                                        a        enda para
um parede da Câm
   a    ...
O m     ecenas António
       Ruffo,        que    já    havia
       encom   endado a Rem      brandt
       Aris tóte le...
A Noiv a Judia,
          1665
Em 1663 Hendrickje m orre e
cinco anos depois Titus. Rembrandt
fica apenas por m um ano.
                 ais

       O gr...
A u t o -R e t r a t o s
1627
21 anos
1628
22 anos
1629
23 anos
1629
23 anos
1629
23 anos
1629
23 anos
1630
24 anos
1630
24 anos
1631
25 anos
1631
25 anos
1632
26 anos
1634
28 anos
1634
28 anos
1634
28 anos
1634
28 anos
1636
30 anos
1639
33 anos
1640
34 anos




Ticiano
1641
35 anos
1632
36 anos
1648
42 anos
1652
46 anos
1657
51 anos
1658
52 anos
1659
53 anos
1659
53 anos
1659
53 anos
1660
54 anos
1660
54 anos
1661
55 anos
1661
55 anos
1668
62 anos
1669
63 anos
1669
63 anos
Fig ura de Ve lho,
             1645
Trabalho elaborado por
Cláudia Nunes e Joana
Coelho
Rembrandt
Rembrandt
Rembrandt
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Rembrandt

3.951 visualizações

Publicada em

Trabalho elaborado por Cláudia Nunes e Joana Coelho

Publicada em: Educação, Diversão e humor

Rembrandt

  1. 1. R e m b r a n d t H a r m e n s z o o n v a n R ijn V id a e o b r a (1606 – 1669) Em adolescente abandona os estudos na Faculdade de Filosofia da Universidade de Leiden (terra natal) para ser aprendiz de Jacob Isaacsz van Sw anenburgh, um pintor form ado em Itália, junto do qual ficou dois anos. M os seis as m eses que passou a seguir em Am esterdão, no estúdio do pintor histórico Pieter Lastm an, exerceram sobre ele um influência m a uito m ais decisiva. Em 1625, Rem brandt regressa a Leiden e dedica-se à pintura de quadros históricos e a estudos de fisionom que, por sua vez, deram ias lugar a num erosos auto-retratos. Nesta altura, executa, também gravuras a buril e água forte. , O Artis ta no s e u Es túdio, Ainda em Leiden, o pintor tom contacto a 1626-28 com o m ecenas m ais influente de toda a Holanda, Constantijn Huygens. Graças a esta relação, as encom endas afluem originando os , prim eiros êxitos, com o, por exem plo, A Re s s urre ição de Láz aro.
  2. 2. A Re s s urre ição de Láz aro, c. 1630
  3. 3. Em 1631, aos 25 anos, Rem brandt instala-se em Am esterdão. Aloja-se em casa do negociante de arte Uylenburgh (tio da sua futura esposa) e ganha rapidam ente fam com retratista a o dos burgueses de Am esterdão. Re trato de Nic olae s Ruts , 1631
  4. 4. Um ano depois, recebe um encom a enda, para um retrato de grupo, do cirurgião Nicolaes Tulp, que acaba nesse mesm ano. o A Lição de Anatomia do Doutor Tulp, 1632
  5. 5. Em 1634, Rem brandt casa-se com Saskia van Uylenburgh. Têm um filho, Rum bertus, que m orre dois m eses m tarde. ais S as kia, 1633 “Foi de s e nhado s e g undo a minha mulhe r, quando e la tinha v inte e um anos , no te rce iro dia após o nos s o noiv ado – a oito de Junho de 1633”
  6. 6. No ano de 1635, Rem brandt trabalhou nos quadros S ans ão Ame açando o S og ro, Ganime de s nas Garras da Ág uia e O S acrifício de Is aac. S ans ão Ame aç ando o S og ro, Ganime de s nas Garras da O S acrifício de Is aac, 1635 Ág uia, 1635 1635
  7. 7. Em 1636, o pintor holandês inicia-se no com ércio de arte e com eça um colecção a enciclopédica de objectos exóticos, científicos e históricos , de anim e plantas. ais Pinta O Fe s tim de Baltas ar, S ans ão Ce g o pe los Filis te us e, nos anos que se seguem um , a série de retratos de Saskia. Entre eles, o retrato duplo O Filho Pródig o no Borde l. O Fe s tim de Baltas ar, S ans ão Ce g o pe los Filis te us , cerca de 1635 1636
  8. 8. Re mbrandt e S as kia na Ce na do Filho Pródig o no Borde l, cerca de 1635
  9. 9. cerca de 1638 No espaço de três anos, Rem brandt tem duas filhas, m as, assim com o Rum bertus, estas morrem em tenra idade. O artista com eça a pintar e a gravar paisagens. cerca de 1638 cerca de 1638
  10. 10. A fam Tripp que era a m ilia ais rica de Am esterdão, encom edou a Rem brandt, diversos retratos, entre eles O Re trato de Maria Tripp, e m 1639. Re trato de Maria Tripp, 1639
  11. 11. Titus, quarto filho do casal e o único a sobreviver até à idade adulta, nasce a 1641. Um ano depois m orre Saskia de tuberculose, o que provoca em Rem brandt um profundo abalo. Neste ano ele acaba um quadro à m uito começado. Este retrato de Saskia, ao contrário de todos os outros, é o único que não am ostra a sorrir. É então, em 1642, que Rem brandt assiste ao seu primeiro fracasso, A Ronda da Noite . S as kia, 1642
  12. 12. A Ronda da Noite , 1642
  13. 13. A R o n d a d a N o it e , 1642 A Ronda da Noite é o quadro m ais fam oso de Rem brandt. Este retrato de grupo pintado em 1642 é da guarda civil de Am esterdão comandada pelo Capitão Frans Banning Cocq e pelo Tenente W illem van Ruytenburch. A pintura retrata o m ento em que a om A Ronda da Noite , 1642 Com panhia se preparava para sair e Óleo sobre tela, 363 x 437 cm percorrer a cidade na sua m issão de Am esterdão, Rijksm useum vigilantes da ordem .
  14. 14. O nom do quadro (A Ronda da e Noite ), hoje fam iliar por todo o m undo, não corresponde à realidade, pois a cena não se passa de noite. Esta interpretação é devido ao escurecim ento provocado pelo verniz e pela acum ulação de sujidade ao longo dos anos. O restauro e a lim peza feitos no século XX revelaram um cena diurna. a Assim o nom original, em , e bora não se tenha a certeza, foi provavelm ente A Companhia Militar do Capitão Frans Banning Cocq e o Te ne nte W ille m v an Ruy te nburch, pois foi e s ta a ins crição e ncontrada num e s boço pre paratório. Foi encomendado com retrato da o guarda cívica por um em a presa de m ercadores de vestuário e milicianos em part-tim que incluía os cidadãos m e, ais importantes de Amesterdão. A pintura deveria ser exibida no Salão Nobre da Guarda Cívica, o Kloveniersdoelen.
  15. 15. Rem brandt evita um com a posição estática e form representando um acção al, a m do estilo Barroco. Os cânones estáticos dos retratos de grupo apenas exprim ais iam rotina e convencionalism im o, possibilitando a expressão pessoal e dramática. Ao contrário dos quadros com a mesm tem a ática, nos quais a disposição das figuras segue um ordem hierárquica precisa, no quadro A Ronda da Noite o pintor a baseou a colocação das personagens meramente por razões plásticas.
  16. 16. A composição aparentemente desordenada está regida segundo eixos: • Eixo horizontal – Determ ina a m ancha de personagens que serve de apoio às duas figuras principais, que estão em prim eiro plano. As personagens que constituem o grupo central estão iluminadas destacando-se com o foco do quadro. o • Eixo Vertical – Determina a posição do personagem principal que por sua vez faz com que a cena seja centrada.
  17. 17. Capitão Frans Banning Cocq: Capitão da com panhia e figura central que articula os eixos do quadro, com a m indica a ordem ao ão tenente e afasta o espectador incluindo-o na cena. Está vestido com a cor negra da classe governante.
  18. 18. Tenente Willem van Ruytenburch: Tenente da com panhia é ele que recebe a ordem de preparar a com panhia para a form ação. Rem brandt realça-o pondo no seu uniform num tom am e arelo dando a ideia de estar iluminado por um raio de sol.
  19. 19. Amenina: Talvez a m m ais isteriosa do quadro. Está vestida de am arelo vivo e porta no cinto um galinha atada a pelas patas. Está destacada por um foco de luz. Uma suposição é que ela seria transportadora para um banquete, outra é que a guarda exercitava tiro ao alvo e que a galinha seria um dos alvos.
  20. 20. Influenciado (em bora indirectamente) por Caravaggio, Rem brandt cria fortes contrastes de cor e luz. Os clarões da luz, m agistralm ente dispostos, e algum som as bras intensificam ainda m ais a impressão de um cena ao a vivo, com por exem o plo a som bra da m ão estendida do capitão na farda do tenente. O procedim ento sugere a vivacidade do m ento, m cria tam om as bém a ilusão de que a cena, tal com se apresenta, poderia, à o m esm acontecer fora do quadro. a,
  21. 21. Re trato de Andrie s de Grae ff, 1639 Os m bros da guarda pagaram pela encom em enda, alguns m ais, outros menos, de acordo com o lugar que ocupariam no quadro. Porém Rem , brandt não os pintou com desejado. Alguns m bros ficaram escondidos o em por sobreposição ou m esm na som o bra. Os indivíduos cujos retratos foram assim desfavorecidos m ostraram o seu desagrado. Om ecenas Andries de Graeff encontrava-se descontente e insatisfeito com o trabalho de Rem brandt, recusando-se a pagar.
  22. 22. A m orte de Saskia e A Ronda da Noite assinalam assim um novo ponto de , , partida na vida de Rembrandt. Para o ajudar a cuidar do filho, Geertghe Dircx e posteriormente Hendrickje Stoffels instalam-se em sua casa. O pintor, por volta de 1648, acaba a sua gravura m ais célebre: A Moe da de Ce m Florins . S us ana e os Anciãos , 1647 Para pintar S us ana e os Anciãos , Geertghe serviu de m odelo a Rembrandt.
  23. 23. A Moe da de Ce m Florins , cerca de 1648
  24. 24. Cinco anos após a separação de Rem brandt com Geertghe o artista e Hendrickje têm um filha, Cornelia. a Nesse m esm ano, em o 1654, Rembrandt pinta o retrato m conhecido de Hendrickje. ais He ndric kje Banhando-s e num Rio, 1654
  25. 25. Rem brandt é considerado insolvente em 1656. Para conseguir pagar aos credores e soldar as suas dividas, o pintor tem de vender todos os seus bens, incluindo a casa, e a sua colecção de desenhos e gravuras é leiloada. Em 1660, Titus e Hendrickje m ontam um negócio de arte e empregam Rembrandt. Este recebe encom endas todos os dias, com o retrato de o Os S índic os do Gré mio de Te c idos , c onc luido e m 1662. Os S índicos do Gré mio de Te cidos , 1662
  26. 26. Nesta altura recebe tam bém um encom a enda para um parede da Câm a ara M unicipal, que seria a chave do seu regresso. Acabou por ser a sua desgraça. A Conjura de Claudius Civ ilis , cerca de 1661-62
  27. 27. O m ecenas António Ruffo, que já havia encom endado a Rem brandt Aris tóte le s e o Bus to de Home ro em 1653, com pra em 1661 Ale xandre , O Grande e encom enda um retrato de Hom ero. Em 1665, o pintor holandês trabalha em A Noiv a Judia. Aris tóte le s e o Bus to de Home ro, 1653
  28. 28. A Noiv a Judia, 1665
  29. 29. Em 1663 Hendrickje m orre e cinco anos depois Titus. Rembrandt fica apenas por m um ano. ais O grande pintor holandês, m orre em 1669, com 63 anos, falido e na m iséria Auto-Re trato, 1661
  30. 30. A u t o -R e t r a t o s
  31. 31. 1627 21 anos
  32. 32. 1628 22 anos
  33. 33. 1629 23 anos
  34. 34. 1629 23 anos
  35. 35. 1629 23 anos
  36. 36. 1629 23 anos
  37. 37. 1630 24 anos
  38. 38. 1630 24 anos
  39. 39. 1631 25 anos
  40. 40. 1631 25 anos
  41. 41. 1632 26 anos
  42. 42. 1634 28 anos
  43. 43. 1634 28 anos
  44. 44. 1634 28 anos
  45. 45. 1634 28 anos
  46. 46. 1636 30 anos
  47. 47. 1639 33 anos
  48. 48. 1640 34 anos Ticiano
  49. 49. 1641 35 anos
  50. 50. 1632 36 anos
  51. 51. 1648 42 anos
  52. 52. 1652 46 anos
  53. 53. 1657 51 anos
  54. 54. 1658 52 anos
  55. 55. 1659 53 anos
  56. 56. 1659 53 anos
  57. 57. 1659 53 anos
  58. 58. 1660 54 anos
  59. 59. 1660 54 anos
  60. 60. 1661 55 anos
  61. 61. 1661 55 anos
  62. 62. 1668 62 anos
  63. 63. 1669 63 anos
  64. 64. 1669 63 anos
  65. 65. Fig ura de Ve lho, 1645
  66. 66. Trabalho elaborado por Cláudia Nunes e Joana Coelho

×