Apresentaca CEGAL 2013

298 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
298
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentaca CEGAL 2013

  1. 1. III Coloquio de Estudios de Género en América Latina Proyecto Estudiantil O Ingresso na Universidade de São Paulo – uma abordagem de gênero Haydée Svab Escola Politécnica da Universidade de São Paulo
  2. 2. Objetivos - traçar um panorama do interesse de estudantes por áreas de conhecimento, de acordo com gênero, na Universidade de São Paulo entre os anos de 2008 e 2012 - verificar se há desbalanceamento entre as áreas do conhecimento O Ingresso na Universidade de São Paulo – uma abordagem de gênero
  3. 3. Metodologia - escolha da Universidade → Universidade de São Paulo (USP) - consolidação em tabelas dos dados de cursos/carreiras agrupados em exatas, biológicas e humanidades, conforme critério da própria fundação que promove o ingresso na USP - análise de dados à luz de bibliografia O Ingresso na Universidade de São Paulo – uma abordagem de gênero
  4. 4. Educação Superior no Brasil O Ingresso na Universidade de São Paulo – uma abordagem de gênero
  5. 5. Educação Superior no Brasil Evolução da participação de matrículas em cursos de graduação (presencial e à distância) por sexo – Brasil O Ingresso na Universidade de São Paulo – uma abordagem de gênero
  6. 6. Educação Superior no Brasil Evolução da participação de concluintes em cursos de graduação (presencial e à distância) por sexo – Brasil O Ingresso na Universidade de São Paulo – uma abordagem de gênero
  7. 7. Universidade de São Paulo – USP ingresso - inscrições Tabela 1 – Percentuais médios de inscrições por áreas – período 2008-2012 Áreas Sexo 2008 2009 2010 2011 2012 F 74% 67% 67% 66% 68% Biológicas M 25% 23% 24% 23% 23% F 35% 36% 36% 36% 38% Exatas M 64% 63% 64% 64% 62% F 57% 58% 57% 58% 58% Humanidades M 41% 41% 43% 42% 42% O Ingresso na Universidade de São Paulo – uma abordagem de gênero
  8. 8. Universidade de São Paulo – USP ingresso - inscrições O Ingresso na Universidade de São Paulo – uma abordagem de gênero
  9. 9. Universidade de São Paulo – USP ingresso - inscrições O Ingresso na Universidade de São Paulo – uma abordagem de gênero
  10. 10. Universidade de São Paulo – USP ingresso - matrículas Tabela 4 - Percentuais médios de matrículas por área – período 2008-2012 Áreas 2008 2009 2010 2011 2012 F 68% 61% 63% 62% 63% Biológicas M 31% 30% 28% 27% 28% F 29% 28% 32% 32% 32% Exatas M 70% 71% 68% 68% 68% F 49% 50% 52% 52% 51% Humanidades M 50% 49% 48% 48% 49% O Ingresso na Universidade de São Paulo – uma abordagem de gênero
  11. 11. Universidade de São Paulo – USP ingresso - matrículas O Ingresso na Universidade de São Paulo – uma abordagem de gênero
  12. 12. Universidade de São Paulo – USP ingresso - matrículas O Ingresso na Universidade de São Paulo – uma abordagem de gênero
  13. 13. Análise dos Dados ingresso: inscrições x matrículas O Ingresso na Universidade de São Paulo – uma abordagem de gênero
  14. 14. Análise dos Dados desigualdade entre áreas do conhecimento - cursos om predominância do gênero masculino: apenas cursos de exatas - cursos com predominância do gênero feminino: majoritariamente cursos de biológicas, com alguma presença de alguns das humanidades (por exemplo, pedagogia ou artes cênicas) O Ingresso na Universidade de São Paulo – uma abordagem de gênero
  15. 15. Áreas STEM (sciences, technology, engineering and maths) - reconhecimento do governo brasileiro sobre a necessidade de investimento na formação de recursos humano - taxa de formados em 2008 no Brasil: de 2% a 3% - taxa de formados em Europa e China: mais de 15% - programa Ciência Sem Fronteiras (Ministério da Educação) O Ingresso na Universidade de São Paulo – uma abordagem de gênero
  16. 16. Áreas STEM (sciences, technology, engineering and maths) Há barreiras para envolvimento de mulheres de 3 naturezas: - sociais e ambientais que moldam os interesses das meninas - o ambiente da faculdade - o preconceito, mesmo que inconsciente O Ingresso na Universidade de São Paulo – uma abordagem de gênero
  17. 17. Na Universidade de São Paulo - Constatação: entre o momento da inscrição e o da matrícula, em todas áreas, há queda do percentual feminino - não há ações institucionais que discutam / abordem a divisão sexual existente em seus cursos O Ingresso na Universidade de São Paulo – uma abordagem de gênero
  18. 18. Na Universidade de São Paulo Recomendações: i) adotar processo seletivo com objetivos claros e transparentes no que tange tanto a conteúdo quanto a habilidades e competências; ii) estreitamento de relações com outros níveis de ensino tendo em vista promover a igualdade de gêneros e a desconstrução de preconceitos; O Ingresso na Universidade de São Paulo – uma abordagem de gênero
  19. 19. Na Universidade de São Paulo Recomendações: iii) promoção de debates acerca do tema dentro e fora do espaço universitário; iv) estabelecimento de programas de mentoring para que haja algum tipo de suporte aos(às) estudantes que, do gênero feminino ou masculino, são especialmente sensíveis quando são minorias. O Ingresso na Universidade de São Paulo – uma abordagem de gênero
  20. 20. OBRIGADA! Haydée Svab hsvab@hsvab.eng.br PoliGen – Grupo de Estudos de Gênero site: http://poligen.polignu.org/ Facebook: https://www.facebook.com/poligenUSP E-mail de contato: poligen@polignu.org O Ingresso na Universidade de São Paulo – uma abordagem de gênero

×