Inflação - OutubroNota                     Por Bruno Prado                          Economista
INFLAÇÃO – OUTUBRO           Dia 11 de novembro, o Banco Central do Brasil divulgou em nota nacional a evolução doíndice d...
Os custos com habitação também sofreram redução de 0,71% para 0,62% influenciadospelo aluguel (0,92% para 0,80%), energia ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Nota inflação out

14.921 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
14.921
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Nota inflação out

  1. 1. Inflação - OutubroNota Por Bruno Prado Economista
  2. 2. INFLAÇÃO – OUTUBRO Dia 11 de novembro, o Banco Central do Brasil divulgou em nota nacional a evolução doíndice de inflação corrente no período. O IPCA – índice de preços ao consumidor amplo é o maisutilizado índice para medição da evolução de preços no Brasil. O IPCA teve alta de 0,43% 1no mêsde outubro sofrendo uma leve redução em comparação ao mês anterior que foi de 0,53%, umaredução de 0,10 pontos percentual. Quando comparamos o índice considerando os últimos 12meses, o índice de inflação ficou em 6,97% ante 7,31% de setembro2. Inflação Inflação 0,53 0,43 0,37 Agosto Setembro Outubro Os alimentos tiveram peso positivo na inflação (0,56%), porém em um ritmo menor doque o do mês de setembro que ficou em 0,64%. Os principais itens que influenciaram adiminuição no preço dos alimentos foram o leite (2,47% para 0,05%), o feijão carioca (6,14% para-1,88%) e o frango inteiro (2,94% para -0,05%). Claro que houve itens que sofreram aumento nospreços como o café moído (3,02%) e o óleo de soja (2,12%), porém foram em um nível muitomenor quando comparados com o mês de setembro. Os transportes sofreram variação parecida com os alimentos, chegando a 0,48% emoutubro sendo influenciados pela variação no preço das passagens aéreas (23,45% para 14,26%),preços dos combustíveis (0,69% para 0,10%), conserto de automóveis (1,23% para 0,60%) e valorde carros usados (0,51% para -0,15%) e novos (0,18% para -0,09%).1 Fonte: IBGE – “Indicadores IBGE. Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor - out/2011”2 Fonte: IBGE – “Indicadores IBGE. Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor - set/2011”
  3. 3. Os custos com habitação também sofreram redução de 0,71% para 0,62% influenciadospelo aluguel (0,92% para 0,80%), energia elétrica (0,55% para 0,40%), taxa de água e esgoto(1,19% para 0,86%) e gás de botijão (1,36% para 0,10%).3 Projeções para a Economia Portanto os índices de inflação começam a refletir o cenário atual da economia, vítimatanto das medidas macropudenciais tomadas final do ano passado e começo desse ano, comotambém pelo fato de haver uma redução generalizada no ritmo da economia mundial resultadode uma crise que pode ou não acontecer. O governo brasileiro apostou que haveria realmenteuma diminuição na atividade econômica e tudo indica que caminhamos para isso. Contudo, ainjeção de capital na economia com a chegada do décimo terceiro pode estimular a economia emantê-la aquecida. A Poupador Consultoria ainda aposta em um índice de 6,38% a 6,77% para ainflação desse ano.3 Fonte: IBGE – “Indicadores IBGE. Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor - out/2011”

×