Presidente da BAMIN recebe
título de cidadão baiano
O presidente da Bahia Mineração - BAMIM, José Francisco Viveiros, é o
...
é uma prerrogativa da Assembleia para celebrar grandes ações e homens de
grande exemplo que ajudam na construção de uma so...
feitos, pelo início da produção de ferro no chamado Quadrilátero Ferrífero, em
Minas Gerias. Assumiu a presidência da BAMI...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Presidente da Bamin recebe título de cidadão baiano

405 visualizações

Publicada em

Publicada em: Notícias e política
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
405
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Presidente da Bamin recebe título de cidadão baiano

  1. 1. Presidente da BAMIN recebe título de cidadão baiano O presidente da Bahia Mineração - BAMIM, José Francisco Viveiros, é o mais novo cidadão baiano. Ele recebeu o título, concedido pela Assembleia Legislativa, na noite do último dia 20 de março das mãos dos deputados Ivana Bastos, Cacá Leão, Ângela Souza, Alan Sanchez e Maria Del Carmem. “Este título me deixa mais animado e mais comprometido com o projeto, não que faltassem animação e comprometimento, mas essa manifestação de carinho me leva a ficar mais e mais dedicado à luta para levar, por meio da mineração, o desenvolvimento socioeconômico e ambiental para o sertão e para o sul baianos”, discursou Viveiros. O Projeto da BAMIN vai produzir e beneficiar minério de ferro em uma mina localizada nos municípios de Caetité e Pindaí (sertão), transportar esta produção pela Ferrovia da Integração Oeste – Leste (Fiol) até um Terminal de Uso Privativo (TUP) construído no futuro complexo Porto Sul, em Ilhéus (Sul da Bahia). Revolução - O título de cidadão baiano foi uma proposição da deputada Ivana Bastos, presidente da comissão Especial da Fiol da Assembleia Legislativa da Bahia. Em seu discurso a parlamentar destacou que a BAMIN está inserida nas duas obras de maior importância para a logística do estado, Fiol e Porto Sul, que, quando prontas, vão revolucionar a economia baiana, levando o desenvolvimento a todo o interior do estado. Ressaltou também os números e as perspectivas da companhia e do impacto que ela vai gerar no estado e nos municípios, o que vai resultar na mudança de perfil das economias locais e regionais. Em seu discurso, Ivana Bastos ressaltou ainda o papel decisivo de Viveiros na operação da BAMIN e disse que a cessão de título de cidadão baiano
  2. 2. é uma prerrogativa da Assembleia para celebrar grandes ações e homens de grande exemplo que ajudam na construção de uma sociedade melhor. “A BAMIN tem uma importância extraordinária para a Bahia. É uma obra que ultrapassa a fronteira estadual. O trabalho de qualificação profissional da empresa desenvolve o ser humano de forma integral e vai resultar no aproveitamento desta mão de obra para a construção e operação do Projeto Pedra de Ferro”, disse. Depoimentos - Mesmo em fase pré-operacional, a BAMIN já executa muitos projetos sociais, a exemplo do Mina de Talentos – reconhecido pela Associação Baiana de recursos Humanos como o maior programa de qualificação profissional dos últimos dez anos na Bahia – e do Transformar, que gera emprego e renda a associações comunitárias reunidas em grupos produtivos. Durante a cerimônia da entrega do título, beneficiados por estes projetos deram seu depoimento sobre a importância da BAMIN na vida deles e de suas comunidades. “Nossa associação estava à beira da falência e o trabalho social BAMIN foi a luz no fim do túnel. Hoje temos dois grupos, o de artesanato e o de mel. E mesmo com a seca produzimos e vendemos o mel. Quando a seca acabar nossa produtividade vai aumentar”, contou Germínio Barbosa, de Caetité. “O Projeto Transformar trouxe muita felicidade para Ilhéus. Sem o apoio da BAMIN não íamos conseguir montar as minifábricas de frutas desidratadas e barra de cacau hoje distribuídas para todo o Brasil São mais de cem famílias no nossa associação, 28 delas fazem parte do grupo produtivo”, relatou Ailton Bevenuto, de Ilhéus, que disse ainda que quando uma empresa como a BAMIN acredita na comunidade, aumenta a autoestima das pessoas. “Eu mesmo nem sabia falar. Agora, voltei a estudar para melhorar de vida”, disse emocionado. A solenidade foi marcada pela presença de muitas autoridades. Além dos parlamentares já citados, estavam presentes o presidente da Assembleia, Marcelo Nilo, os deputados federais Daniel Almeida e Geraldo Simões, e o desembargador do Tribunal de Justiça da Bahia, Roberto Frank. José Francisco Viveiros é carioca de nascimento e possui mais de 40 anos de experiência no setor de mineração, sendo responsável, entre outros
  3. 3. feitos, pelo início da produção de ferro no chamado Quadrilátero Ferrífero, em Minas Gerias. Assumiu a presidência da BAMIN em 2011 e deu novo impulso ao projeto da mineradora, que por isso está apta a iniciar a produção mesmo sem a conclusão das obras da Fiol e do Porto Sul. No pico de produção, a BAMIN vai extrair e beneficiar 20 milhões de toneladas por ano e levar a Bahia a ser o terceiro maior estado produtor de minério de ferro do Brasil. O Projeto Pedra e Ferro significa um investimento de US$ 3 bilhões, uma das maiores inversões privadas previstas para a Bahia nesta década. O empreendimento vai gerar 6,6 mil empregos diretos e trazer vários benefícios, como a atração de empresas fornecedoras, o aumento de receita municipal e estadual e projetos sociais e ambientais que resultam na melhoria das condições de vida da população. Como um dos resultados deste trabalho, a mineradora recebeu no ano passado o selo verde, concedido pelo Ministério do Meio Ambiente para empresas que desenvolvem projetos que demonstram seu comprometimento com a questão ambiental e com políticas de sustentabilidade. O projeto a qual se refere é o Pedra de Ferro. Por meio dele a BAMIN vai produzir e beneficiar minério de ferro em uma mina localizada nos municípios de Caetité e Pindaí (sertão), transportar esta produção pela Ferrovia da Integração Oeste – Leste (Fiol) até um Terminal de Uso Privativo (TUP) construído no futuro complexo Porto Sul, em Ilhéus (Sul da Bahia). BAMIN – Assessoria de Imprensa Flávio Oliveira (MTBa – 1864) Cel: + 55 71 8202 5593 E-mail: imprensa@enrc.com.br

×