SOCIEDADE EDUCACIONAL DE SANTA CATARINA      INSTITUTO SUPERIOR TUPY – IST  TECNOLOGIA EM PROCESSOS GERENCIAIS        TÍTU...
NOME 01 – Número da MatriculaNOME 02 – Número da MatriculaNOME 03 – Número da Matricula   TÍTULO DO TRABALHO             P...
SUMÁRIOSOCIEDADE EDUCACIONAL DE SANTA CATARINA...............................................................................
1. INTRODUÇÃO   A introdução poderá ser feita num texto corrido, sem separação em tópicos,utilizando no máximo duas página...
pesquisa que será realizada para atingir o objetivo geral. Descrevem-se como os   dados foram coletados e como foram feita...
Ex: Ou seja, ela implica um juízo valorativo que expressa qualidade do objeto,obrigando, conseqüentemente, a um posicionam...
CONSIDERAÇÕES FINAISFaz-se uma recapitulação concisa do assunto;Fala-se sobre a importância de ter elaborado o projeto/pla...
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS (Sugestões)SILVA, José Oliveira da. Custos e orçamentos. Apostila EAD Tupy, Joinville, 2009.104...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Resumo e orientaã‡ã•es para projeto integrador[1]

1.281 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.281
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Resumo e orientaã‡ã•es para projeto integrador[1]

  1. 1. SOCIEDADE EDUCACIONAL DE SANTA CATARINA INSTITUTO SUPERIOR TUPY – IST TECNOLOGIA EM PROCESSOS GERENCIAIS TÍTULO DO TRABALHO Cidade/ Estado Mês/Ano
  2. 2. NOME 01 – Número da MatriculaNOME 02 – Número da MatriculaNOME 03 – Número da Matricula TÍTULO DO TRABALHO Projeto Integrador de Manufatura, orientado pela Profª. Kátia Cristina Reimer Siedschlag, do Curso de Tecnologia em Processos Gerenciais, submetido ao Instituto Superior Tupy, para obtenção de nota final na disciplina de Projeto Integrador de Manufatura. Cidade/Etado Mês/Ano
  3. 3. SUMÁRIOSOCIEDADE EDUCACIONAL DE SANTA CATARINA................................................................................3 Projeto Integrador de Manufatura, orientado pela Profª. Kátia Cristina Reimer Siedschlag, do Curso de Tecnologia em Processos Gerenciais, submetido ao Instituto Superior Tupy, para obtenção de nota final na disciplina de Projeto Integrador de Manufatura.........................................................................................................................4ANEXOS........................................................................................................................
  4. 4. 1. INTRODUÇÃO A introdução poderá ser feita num texto corrido, sem separação em tópicos,utilizando no máximo duas páginas no trabalho. A linguagem deverá ser clara,precisa, objetiva. Os verbos, impessoais.Neste item você deverá introduzir o leitor e instigá-lo a ler seu trabalho. Observealgumas dicas abaixo: Na INTRODUÇÃO, apresentam-se: - Primeiramente, o tema escolhido - que consiste na explicitação do assunto a ser pesquisado. - Em seguida, apresenta-se o problema da pesquisa. Este é o momento em que se define com precisão o enfoque do assunto (é o recorte do tema). O problema pode ser formulado tanto interrogativamente, como afirmativamente, desde que sejam explicitados os elementos da questão a ser estudada. - Logo a seguir, estabelecem-se os objetivos do trabalho. Os objetivos, também denominados propósitos do estudo, dividem se em gerais e específicos: - geral: determina o que se pretende realizar para obter resposta ao problema proposto, de um ponto de vista geral. Neste caso, utilizam-se verbos abrangentes como “avaliar”, “analisar”, “investigar” etc. O objetivo geral deve ser amplo e passível de ser desmembrado em objetivos específicos. - específicos: determinam os aspectos a serem estudados, necessários ao alcance do objetivo geral. Definem aquilo que pode ser cobrado no final do trabalho. São objetivos intermediários e instrumentais que, num âmbito mais concreto, permitem atingir o objetivo geral. Eles devem ser de caráter operacional como “identificar”, “medir”, “verificar”, etc - Após definidos os objetivos, apresenta-se a justificativa. Deve ser respondida a questão: “Por que se pretende realizar a pesquisa?” Nessa apresentação, o pesquisador pode demonstrar a relevância da pesquisa em relação ao contexto social atual, por exemplo. Ou seja, este item caracteriza-se como defensor da necessidade de se efetivar o estudo. - Para fechar a introdução, apresenta-se a metodologia da pesquisa. O pesquisador deverá definir o caminho a seguir na elaboração de seu estudo. Deverá responder à pergunta: como realizarei a pesquisa? Define-se o tipo de
  5. 5. pesquisa que será realizada para atingir o objetivo geral. Descrevem-se como os dados foram coletados e como foram feitas as análises dos dados.2. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA O embasamento teórico refere-se ao conjunto de conhecimentos já existentesacerca de determinado assunto, reunidos nas inúmeras obras produzidas. Narevisão bibliográfica, deve-se ler muito com a intenção de colher e armazenarinformações e idéias que irão contribuir para uma reflexão sobre o tema abordado.É o momento de registrar tudo o que é relevante. O que outros autores escreveram pode servir para elucidar as investigações.De acordo com Luckesi e colaboradores (1984, p. 185), “não se trata, porém, deum simples repetir o que os outros disseram, mas sim de usar inteligente ecriticamente as conclusões de outros, no sentido de novos passos, novasproposições, novos encaminhamentos, novas sínteses”.COMO INSERIR O PENSAMENTO DE OUTROS AUTORES: 1. ATRAVÉS DO DISCURSO DIRETO É a reprodução integral e literal da fala do autor consultado. Ex: Hoje a avaliação, conforme define Luckesi (1996, p. 33), "é como umjulgamento de valor sobre manifestações relevantes da realidade, tendo em vistauma tomada de decisão". Ou seja, ela implica um juízo valorativo que expressaqualidade do objeto, obrigando, conseqüentemente, a um posicionamento efetivosobre o mesmo. 2. ATRAVÉS DO DISCURSO INDIRETO Trata-se da transcrição livre do texto do autor consultado. É feita através doprocesso de parafraseamento: reescrever em outras palavras as idéias centrais deum texto (mantendo-se os mesmos sentidos).
  6. 6. Ex: Ou seja, ela implica um juízo valorativo que expressa qualidade do objeto,obrigando, conseqüentemente, a um posicionamento efetivo sobre o mesmo. Para introduzir a fala de outros autores, são usados os verbos discendi(verbos de dizer). Alguns exemplos de verbos discendi: dizer, declarar, afirmar, propor, sugerir, considerar, chamar a atenção, advogar,assegurar, discorrer, distinguir, elucidar, esclarecer, reiterar, relacionar, rever. 3. DESENVOLVIMENTO O desenvolvimento é a parte principal do texto, onde é feita a exposiçãoordenada e pormenorizada do assunto. Divide-se em seções e subseções, as quaisvariam em função da abordagem do tema e do método.OBSERVAÇAO: A interdisciplinaridade deverá ficar evidente, na articulação doconteúdo.O que é interdisciplinaridade?É a maneira como os conteúdos do módulo são articulados na escrita do texto. É omodo como os conteúdos teóricos se integram, são explorados no desenvolvimentodo texto.
  7. 7. CONSIDERAÇÕES FINAISFaz-se uma recapitulação concisa do assunto;Fala-se sobre a importância de ter elaborado o projeto/plano;Apresentam-se as conclusões referentes aos objetivos;Fornecem-se evidências da solução do problema obtidas através do trabalho.
  8. 8. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS (Sugestões)SILVA, José Oliveira da. Custos e orçamentos. Apostila EAD Tupy, Joinville, 2009.104p.LEÃO, Nildo Silva. Custos e orçamentos na prestação de serviços. São Paulo:Nobel, 2004.CHIAVENATO, Idalberto. Iniciação ao planejamento e controle da produção.NEW YORK: McGraw-Hill, 1990. xi,TUBINO, Dalvio Ferrari. Manual de planejamento e controle da produção. 2.ed.SÃO PAULO: Atlas, 2000.LUSTOSA, Leonardo Junqueira; MESQUITA, Marco Aurélio de; QUELHAS, OsvaldoLuiz Gonçalves; OLIVEIRA, Rodrigo Jorge de. PLANEJAMENTO e controle daprodução. RIO DE JANEIRO: Elsevier, 2008.FERNANDES, Flavio Cesar Faria; GODINHO FILHO, Moacir. Planejamento econtrole da produção. SÃO PAULO: Atlas, 2010.TUBINO, Dalvio Ferrari. Planejamento e controle da produção. SÃO PAULO:Atlas, c2007.

×