Relevo
A grande diversidade de paisagens que encontramos em toda a superfície terrestre,
caracteriza-se também pelo RELEVO...
A - Montanha - formas de relevo muito elevadas.
B e E - Planalto - terrenos quase planos a grande ou média altitude
(entre...
Planalto
Pirenéus
Vale do Rio Douro Planície Alentejana
Continente Cadeia
Montanhosa
Maior Montanha Planícies
Importantes
Ásia Himalaias Monte Everest 8
850 m
Siberiana
África At...
DINÂMICA DAS
FORMAS DE RELEVO
Processo de erosão
- O desgaste, é a fragmentação das rochas;
- O transporte, é o movimento dos materiais erodidos;
- A se...
Agentes erosivos
• Temperatura
• Vento
• Seres vivos
• Águas subterrâneas
• Glaciares
• Rios
• Mar
DINÂMICA DAS BACIAS
HIDROGRÁFICAS
As águas que se precipitam sobre o solo
PODEM SER:1- De carácter temporário - designam-se de torrentes, que só existem
em ...
Um rio caracteriza-se pelo:
* seu comprimento
* caudal – volume de água que passa numa secção
do rio durante uma unidade d...
Podemos identificar três leitos em função do caudal que o rio transporta.
Leito de estiagem - corresponde ao leito por
ond...
Os rios estão organizados em Redes Hidrográficas, que é o
conjunto de cursos de água constituído por um rio principal,
afl...
Bacia Hidrográfica
Rede Hidrográfica
Os rios modelam a paisagem criado formas de
relevo muito diferentes na superfície que
atravessam.
No seu percurso, desde a...
O curso de um rio, desde a nascente, até ao momento em
que a sua água se mistura com a água do mar, pode ser
comparado à h...
Curso Superior
Forte declive – água desloca-se
a grande velocidade.
Acção de desgaste.
Vales estreitos e profundos com
a f...
Na fase de maturidade, no curso médio, o declive
do terreno não é tão acentuado, o desgaste faz-se
na horizontal alargando...
Curso Médio
Declive mais suave.
Acção de transporte.
Vale em forma de um “V”
mais aberto.
Na fase de velhice, no curso inferior, o rio perde
velocidade e dá-se a deposição dos materiais
(aluviões) que o rio trans...
Curso Inferior
Declive fraco
Acção de acumulação
Vale geralmente largo e com
margens baixas.
Quais são os elementos topográficos associados a uma bacia hidrográfica?
Meio natural 2
Meio natural 2
Meio natural 2
Meio natural 2
Meio natural 2
Meio natural 2
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Meio natural 2

532 visualizações

Publicada em

Formas de Relevo

Publicada em: Meio ambiente
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
532
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Meio natural 2

  1. 1. Relevo A grande diversidade de paisagens que encontramos em toda a superfície terrestre, caracteriza-se também pelo RELEVO. O que é o RELEVO? O relevo é o conjunto das irregularidades que a superfície terrestre apresenta. Um dos elementos que nos permite caracterizar o relevo, é a ALTITUDE . Esta é entendida como a distância em metros, medida na vertical, entre o nível médio das águas do mar e um dado lugar (lugar A). Conforme a posição do lugar em relação ao nível médio das águias do mar, assim a altitude também pode ser negativa, isto é, quando os lugares se localizam abaixo do nível médio das águas do mar (lugares B e C). À medida, na vertical, entre o nível médio das águas do mar e um dado lugar submerso chama-se profundidade (lugar C) .
  2. 2. A - Montanha - formas de relevo muito elevadas. B e E - Planalto - terrenos quase planos a grande ou média altitude (entre 200 a 1000 metros) C - Encosta ou Vertente - direcção da inclinação do relevo. D - Vale - zona baixa, alongada entre montanhas. F - Planície - áreas planas e a baixa altitude (inferior a 200 metros) Vamos recordar as formas de relevo...
  3. 3. Planalto Pirenéus Vale do Rio Douro Planície Alentejana
  4. 4. Continente Cadeia Montanhosa Maior Montanha Planícies Importantes Ásia Himalaias Monte Everest 8 850 m Siberiana África Atlas Monte Kilimanjaro 5 895 m Rio Nilo/ Rio Congo América do Norte Montanhas Rochosas Monte McKinley 6 194 m Central Norte Americana América do Sul Andes Monte Aconcágua 6 960 m Bacia do Amazonas Oceânia Grande Cordilheira Divisória Monte Kosciusko 2 230 m Bacia do Murray- Darling Antárctida Montes Transantárticos Monte Vinson 5 140 m - À escala Mundial...
  5. 5. DINÂMICA DAS FORMAS DE RELEVO
  6. 6. Processo de erosão - O desgaste, é a fragmentação das rochas; - O transporte, é o movimento dos materiais erodidos; - A sedimentação, é o depósito dos materiais erodidos e transportados. Fases do processo de erosão:
  7. 7. Agentes erosivos • Temperatura • Vento • Seres vivos • Águas subterrâneas • Glaciares • Rios • Mar
  8. 8. DINÂMICA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS
  9. 9. As águas que se precipitam sobre o solo PODEM SER:1- De carácter temporário - designam-se de torrentes, que só existem em ocasiões em que chove, secando noutras épocas. São cursos de água de montanha, rápidos e irregulares, constituídos: a) Bacia de recepção – recebe as águas da chuva. b) Canal de escoamento – onde as águas atingem muita velocidade e recebem muitos materiais. c) Cone de dejecção – depósito de materiais na base da montanha. 2- De carácter permanente - os rios e ribeiros correm em canais que eles próprios escavam (vales). Nascem nas montanhas (nascente), e juntam-se a outros cursos de água, formando uma rede organizada de água doce – Rede hidrográfica. Vão desaguar no mar – foz.
  10. 10. Um rio caracteriza-se pelo: * seu comprimento * caudal – volume de água que passa numa secção do rio durante uma unidade de tempo * regime hidrológico – variação do caudal ao longo do ano. Depende das precipitações: níveis baixos leito de estiagem (seca); níveis mais elevados – leito de inundação (cheia) * bacia hidrográfica - área cujas águas confluem para a mesma rede hidrográfica (área por onde circulam os rios)
  11. 11. Podemos identificar três leitos em função do caudal que o rio transporta. Leito de estiagem - corresponde ao leito por onde corre um curso de água durante os períodos de estiagem (de seca). Nalgumas regiões, o rio chega mesmo a secar. Leito normal - como o próprio nome indica corresponde ao leito normal do rio. Leito de inundação ou de cheia - nos períodos de chuvas intensas, por vezes, as águas sobem e transbordam as margens do leito normal.
  12. 12. Os rios estão organizados em Redes Hidrográficas, que é o conjunto de cursos de água constituído por um rio principal, afluentes e subafluentes (tributários) A rede hidrográfica, por sua vez drena uma Bacia Hidrográfica, que compreende toda a área drenada pelo rio principal e seus tributários (afluentes e subafluentes).
  13. 13. Bacia Hidrográfica Rede Hidrográfica
  14. 14. Os rios modelam a paisagem criado formas de relevo muito diferentes na superfície que atravessam. No seu percurso, desde a nascente até à foz, o rio desenvolve um trabalho de desgaste dos terrenos por onde passa, de transporte dos materiais arrancados e de acumulação desses materiais, em planícies aluviais. Este processo designa-se de EROSÃO FLUVIAL. Elementos topográficos de uma rede hidrográfica
  15. 15. O curso de um rio, desde a nascente, até ao momento em que a sua água se mistura com a água do mar, pode ser comparado à história de uma vida, dividindo-se em três fases: juventude, maturidade e velhice. Na fase inicial ou de juventude, no curso superior, os rios correm geralmente entre montanhas, o declive dos terrenos é acentuado e a força das águas é muito significativa. Assim, o desgaste na vertical é acentuado e os vales apresentam vertentes abruptas: são os vales em V fechado.
  16. 16. Curso Superior Forte declive – água desloca-se a grande velocidade. Acção de desgaste. Vales estreitos e profundos com a forma de um “V” fechado.
  17. 17. Na fase de maturidade, no curso médio, o declive do terreno não é tão acentuado, o desgaste faz-se na horizontal alargando o leito do rio, forma-se vales mais abertos: são os vales em V abertos.
  18. 18. Curso Médio Declive mais suave. Acção de transporte. Vale em forma de um “V” mais aberto.
  19. 19. Na fase de velhice, no curso inferior, o rio perde velocidade e dá-se a deposição dos materiais (aluviões) que o rio transportou durante o seu percurso, forma-se vales em caleira aluvial, de fundo largo e plano.
  20. 20. Curso Inferior Declive fraco Acção de acumulação Vale geralmente largo e com margens baixas.
  21. 21. Quais são os elementos topográficos associados a uma bacia hidrográfica?

×