Slides de gases narcóticos

2.685 visualizações

Publicada em

Segue slides relacionados com Gases Tóxicos, ressaltando em especial os Gases Narcóticos!

Publicada em: Saúde e medicina
1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.685
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
55
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Slides de gases narcóticos

  1. 1. GASESNARCÓTICOS  Classificação  Onde são encontrados  Prevenção dos acidentes  E.P.R’s
  2. 2. Classificação Os gases narcóticos constituem um grupo à parte gases e vapores considerados drogas voláteis e substâncias similares, abrangendo uma grande variedade de compostos – a maioria orgânicos – largamente utilizados nas indústrias e no domicílio, especialmente como solventes e combustíveis.
  3. 3. Irritantes primários. Os gases e vapores irritantes produzemSubgrupo A uma inflamação nos tecidos das vias respiratórias que pode levar ao edema pulmonar, derrame pleural e outras reações. Eles também podem causar manifestações como rinite, faringite e laringite, tosse e dor no peito que deve ser encarada como um sinal de agravamento e de alarme para prevenir exposições excessivas que podem afetar gravemente o aparelho respiratório. Outros irritantes agem sobre os brônquios originando bronquites ou broncopneumonia Anestésicos primários: substâncias que não produzem outroSubgrupo B efeito importante que não a anestesia, nem causam efeitos sistêmicos importantes pela exposição prolongada em concentrações subanestésicas: óxido nitroso, hidrocarbonetos da parafina, éteres, aldeídos, etc. Vapores anestésicos que produzem lesão orgânica:Subgrupo C hidrocarbonetos halogenados. Vapores anestésicos que lesam o sistema hematopoiético:Subgrupo D benzeno e seus homólogos. Vapores anestésicos que lesam o sistema nervoso central:Subgrupo E álcool metílico, dissulfeto de carbono e ésteres dos ácidos orgânicos. Drogas voláteis e substâncias similares nas quais a açãoSubgrupo F anestésica é obscurecida por outros e mais profundos efeitos sistêmicos, especialmente sobre a hemoglobina e sobre a
  4. 4. Materiais usados no nosso dia a diaem que são encontrados os inalantes mais comuns  Solventes voláteis: Colas, Solventes voláteis: Colas, Vernizes, esmaltes, tintas, removedores, líquidos corretivos, gasolina, tinta spray, fixador de cabelos, desodorantes...  Gases: gás de isqueiro, cozinha, geladeira...  Anestésicos: Lança perfume...
  5. 5. Fases: Primeira fase: a chamada fase de excitação. Segunda fase: a depressão do cérebro começa a predominar. Terceira fase: a depressão aprofunda-se com redução acentuada do estado de alerta. Quarta fase: depressão tardia, que pode chegar a inconsciência, queda de pressão, sonhos estranhos, podendo ainda a pessoa apresentar convulsões (ataques).
  6. 6. Alguns exemplos de Gases narcóticos Tricloroetileno: Ocorre na limpeza a seco, no desengorduramento de peças e maquinários, na indústria de borracha, na indústria de tintas, na extração de óleos e gorduras de produtos vegetais e animais, na indústria de calçados, nas fórmulas de adesivos, na indústria têxtil, na limpeza de filmes, material óptico e fotográfico, na indústria química, em mistura com outros solventes e ainda, utilizado como anestésico para fins cirúrgicos e obstétricos.
  7. 7. SINTOMAS Na intoxicação aguda ocorrem vertigens tonturas, fadiga, cefaléia, náuseas, vômitos, incoordenação psicomotora. Se a concentração de vapor for suficientemente elevada podem surgir efeitos narcóticos, indo até a inconsciência, convulsões, com a morte por parada cardíaca ou por parada respiratória.No quadro crônico surgem osefeitos locais sobre a pele, taiscomo queimaduras (podem sertambém num episódio agudo) edermatites, estas decaracterísticas específicas:lesões descamativas, secas, comfissuras.
  8. 8. O TRICLOROETILENO PODE SER ABSORVIDO POR: INGESTÃO ATRAVÉS DA PELE INALAÇÃO (SENDO ESTA A VIA MAIS IMPORTANTE)  APÓS A INALAÇÃO E ABSORÇÃO PELO SANGUE, O TRI É RAPIDAMENTE DECOMPOSTO EM SEU METABOLISMO, OS QUAIS PODEM SER DOSADOS NO SANGUE E NA URINA.
  9. 9. O melhor meio de prevenção dessesintomas e futurascomplicações sãoo uso dos E.P.Rs
  10. 10. Mais então o que são os E.P.Rs? Equipamento de Proteção Respiratória (EPR): Equipamento de Proteção Individual que visa à proteção do usuário contra a inalação de agentes nocivos à saúde.
  11. 11. EPRs
  12. 12. EPRsComo proceder para descartar o EPR?O EPR pode ser usado por mais de uma pessoa?Um EPR pode ser reutilizado?
  13. 13. Alguns EPRs
  14. 14. O que diz a NR 6?
  15. 15. Conclusão do grupo: Concluímos que os gases asfixiantes simples podem não ser tão perigosos, mas se tornam mortais quando substituem o oxigênio no nosso organismo. Já os gases narcóticos podem ter efeitos destrutivos no nosso organismo levando à morte em questão de pouco tempo.  COMO SEMPRE É BEM MELHOR PREVENIR OS ACIDENTES DO QUE REMEDIAR AS CONSEQUÊNCIAS.

×