Gripe comum,Suína &AviáriaAluno :Guilherme Edgar
MAS O QUE É UMAGRIPE?
A gripe é uma doença contagiosaresultante da infecção pelo vírusinfluenza. O vírus influenza infecta otacto respiratório (...
• Gênero da família Orthomyxoviridae, também conhecida como Myxovirus.Vírus de RNA fita simples – polaridade negativa.5 ti...
Influenzavirus AExistem dezesseis subtipos deNA(neuraminidase) e nove HA(hemaglutinina)atualmente conhecidos. Desses, seis...
Influenzavirus AComposição básica:-envelope;-glicoproteínas de superfície: hemaglutinina (HA) e neuraminidase (NA), queatu...
Replicação:Entrada do vírus na célula hospedeira:mecanismo de endocitose mediado por receptores(ligação da HA aos receptor...
Transmição• A transmissão de ambas as gripes ocorrem deforma muito semelhantes se tratando dehumanos para humanos.• A Grip...
SintomasOs três tipos de gripe tem sintomas muitosemelhantes, embora haja uma alteração de víruspara vírus na proporção, i...
Nova cepa encontrada em humanos?SIMNÃOPresente em animais?SIMOcorre transmissão humano-humano?SIMNÃOOcorre transmissãopara...
Epidemia de doença infecciosa que se espalha entre a população deuma grande região geográfica como, por exemplo, um contin...
O vírus H5N1 não ultrapassou a fase 3 (nãotransmissível entre humanos).Planejamento estratégico. Vigilância epidemiológica...
Vigilância. 1ª fase de defesa  capacidade de prevê-las. Agências internacionais responsáveis pelorastreamento do vírus: O...
Vacinas. Ameaça de pandemia impulso no financiamento depesquisas nessa área. Novas vacinas (maiscompatíveis com o vírus, ...
Medidas de contençãoDevido aos avanços na vigilância da doença e nasdrogas anti-virais, a OMS identifica um período noiníc...
Drogas anti-viraisMedicamentos anti-virais licenciados para profilaxia etratamento da gripe:. Bloqueadores de canais M2 o ...
Gripe comum, suina e aviaria
Gripe comum, suina e aviaria
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Gripe comum, suina e aviaria

2.692 visualizações

Publicada em

Se forem usar em algum trabalho não esqueçam dos meus créditos. Guilherme Edgar.

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.692
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
69
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Gripe comum, suina e aviaria

  1. 1. Gripe comum,Suína &AviáriaAluno :Guilherme Edgar
  2. 2. MAS O QUE É UMAGRIPE?
  3. 3. A gripe é uma doença contagiosaresultante da infecção pelo vírusinfluenza. O vírus influenza infecta otacto respiratório (nariz, garganta,pulmões, etc.) podendo atingirdiferentes espécies. Existe umavariação do vírus para cada espécie,isto é, o vírus que infectam as aves sóraramente infectam humanos. Noentanto, os vírus específicos de umaespécie podem sofrer uma mutaçãoque lhes confere capacidade deinfectar outra espécie.
  4. 4. • Gênero da família Orthomyxoviridae, também conhecida como Myxovirus.Vírus de RNA fita simples – polaridade negativa.5 tipos distintos:Influenzavirus A: capaz de infectar aves e mamíferos ;Influenzavirus B: capaz de infectar apenas humanos e focas;Influenzavirus C: capaz de infectar apenas humanos e porcos;Thogotovirus: transmitido por carrapatos;Isavirus: doença do “Salmão do Atlântico”.
  5. 5. Influenzavirus AExistem dezesseis subtipos deNA(neuraminidase) e nove HA(hemaglutinina)atualmente conhecidos. Desses, seis subtiposde HA (H1, H2, H3, H5, H7 e H9) e três de NA(N1, N2 e N7) foram identificadas em cepas dovírus da gripe humana causando infecção.A presença dessas glicoproteínas determina asub-tipagem dos vírus.
  6. 6. Influenzavirus AComposição básica:-envelope;-glicoproteínas de superfície: hemaglutinina (HA) e neuraminidase (NA), queatuam no reconhecimento e infecção da célula;-matriz: M1 (subjacente ao invólucro - confere rigidez) e M2 (canal de prótons);-ribonucleoproteínas: RNP (divididas em 4 tipos, a NP, a qual está ligada aoRNA e PB1, PB2 e PA, as quais constituem as polimerases virais P);-proteínas não estruturais: NS1, NS2 (relacionadas com replicação e expressãoviral).-8 fitas de ssRNA de tamanhos diferentes.
  7. 7. Replicação:Entrada do vírus na célula hospedeira:mecanismo de endocitose mediado por receptores(ligação da HA aos receptores da membrana plasmáticada célula).A replicação e transcrição necessárias à síntese doRNA dos vírus influenza ocorrem no núcleo da célulahospedeira.RNA viral  mRNAs  proteínas estruturais e não estruturaisNúcleo CitoplasmaOs viriões saem da célula hospedeira por um processode"budding” (brotamento).
  8. 8. Transmição• A transmissão de ambas as gripes ocorrem deforma muito semelhantes se tratando dehumanos para humanos.• A Gripe Suína é geralmente Transmitida parapessoas com interação frequente com essesanimais, ou comendo carne infectada mas orisco de pegar o vírus pela carne ébaixíssima.• O vírus da gripe aviaria também é pego aocontato com esses animais e não há infecçãopela carne.
  9. 9. SintomasOs três tipos de gripe tem sintomas muitosemelhantes, embora haja uma alteração de víruspara vírus na proporção, intensidade e força comque esses sintomas venham , os sintomas maisfrequentes são:• Dores musculares;• Febre;• Tosses;• Diarreia;• Vomitos;• Dor na garganta;• Podendo se agravar ocaso a uma pneumonia ouhemorragia pulmonar causando falta de ar;• Em alguns casos é tão grave q leva a morte dopaciente;
  10. 10. Nova cepa encontrada em humanos?SIMNÃOPresente em animais?SIMOcorre transmissão humano-humano?SIMNÃOOcorre transmissãopara humano?Pequenos focosFocos maiores, mas ainda localizadosPANDEMIA
  11. 11. Epidemia de doença infecciosa que se espalha entre a população deuma grande região geográfica como, por exemplo, um continente,ou mesmo o planeta.Pandemia de influenza  inicia-sequando uma das muitas variantes da influenzaque circulam entre animais selvagens oudomesticados, transforma-se numa forma quetambém infecta as pessoas (novo, agressivo ealtamente contagioso).O risco de uma nova pandemia levou aOMS a criar uma classificação em 6 fases paraavaliar a evolução do vírus influenza.Gripe asiática(1957)GripeEspanhola1918H1N1GripeAsiática1957H2N2Gripe deHong Kong1968H3N2
  12. 12. O vírus H5N1 não ultrapassou a fase 3 (nãotransmissível entre humanos).Planejamento estratégico. Vigilância epidemiológica. Desenvolvimento de vacinas. Medidas de contenção. Desenvolvimento de anti-virais
  13. 13. Vigilância. 1ª fase de defesa  capacidade de prevê-las. Agências internacionais responsáveis pelorastreamento do vírus: Organização Mundial da Saúde(OMS); A Organização Mundial de Saúde Animal(OMSA) e a Organização de Alimentação e Agricultura(FAO). Detecção precoce. Monitorar a disseminação de cada surto e aevolução das habilidades do vírus, que determinam afase do ciclo pandêmico em que o mundo está
  14. 14. Vacinas. Ameaça de pandemia impulso no financiamento depesquisas nessa área. Novas vacinas (maiscompatíveis com o vírus, eportanto, maior eficiência dosistema imunológico contraele). Novas tecnologias: vacinação em massa através deaerossóis e da água utilizada para consumo
  15. 15. Medidas de contençãoDevido aos avanços na vigilância da doença e nasdrogas anti-virais, a OMS identifica um período noinício da pandemia em que um vírus prestes a seespalhar pelo mundo pode ser contidoMedidas que possibilitam essacontenção:. eliminação de aves infectadas,.quarentena de humanos infectados,.uso de máscaras cirúrgicas,.durante o período de risco: evitarlocais com aglomeração de pessoas, nãocompartilhar alimentos e objetospessoais, lavar as mãos frequentemente,etc
  16. 16. Drogas anti-viraisMedicamentos anti-virais licenciados para profilaxia etratamento da gripe:. Bloqueadores de canais M2 o qual é canal de prótonsfundamental para a replicação (derivados do adamantane, altaresistência viral)-Amantadina-Rimantadina. Inibidores de Neuraminidase, que impedem a liberação dos vírusrecém-produzidos pela célula hospedeira (menor resistência):-Oseltamivir-Zanamivir. Anti-virais em desenvolvimento:-Novo inibidor da neuramidase (ex: Peramivir);-Classes de anti-virais com novos alvos moleculares (ex: inibidor daRNA polimerase).

×