SlideShare uma empresa Scribd logo
Teoria de Relações Humanas
Lembrando das variáveis de estudo da Teoria Geral das Organizações Tarefa Pessoas Estrutura Tecnologia Ambiente Organização
Cenário da Administração  Pré-TRH
Duas teorias Taylor (e: Gilbreth, Emerson, Ford) Fayol (e: Gulick, Urwick, Moonev) Administração Científica Teoria Clássica Ênfase nas tarefas Ênfase na estrutura Aumentar a eficiência da empresa através do aumento de eficiência em nível operacional Aumentar a eficiência através da forma e disposição dos órgãos componentes da organização e de suas inter-relações estruturais Abordagem Clássica da Administração
CRÍTICAS 1. Mecanicismo:  Tratou a organização como “um arranjo rígido e estático de peças”, como uma máquina, num sentido puramente mecânico, desprezando os aspectos humanos. 2. Superespecialização do operário:  Em busca da produtividade, indicava a especialização do operário, dividindo e subdividindo as tarefas, de forma a executá-las, de maneira padronizada, transformando o trabalhador num verdadeiro autômato. 3. Visão microscópica do homem:  Através de uma concepção negativista do homem (era preguiçoso, ineficiente etc.) e da constante busca por uma produtividade cada vez maior, Taylor esqueceu qualquer outro aspecto, tratando o trabalho do homem como um processo acessório da máquina. 4. Ausência de comprovação científica:  Em suas afirmativas, utilizou pouca pesquisa e experimentação científica; seu método é empírico e concreto, e os resultados apresentados são apenas evidentes, porém, sem nenhuma comprovação. 5. Abordagem incompleta da organização:  Abordou apenas os aspectos formais da organização, não considerando a organização informal e os aspectos humanos, ignorando a vida social interna, as interações, etc.
CRÍTICAS 6. Limitação no campo de aplicação:  Suas observações limitaram-se ao campo da produção (fábrica), não levando em consideração outros aspectos da empresa, como os financeiros, os comerciais, etc. 7. Abordagem prescritiva e normativa:  Caracterizada pela preocupação em prescrever princípios normativos que deveriam ser aplicados em determinadas circunstâncias, tratou “o como a empresa deveria funcionar” e não buscou explicar seu funcionamento. 8. Abordagem de sistema fechado:  Tratou apenas dos problemas internos, esquecendo a existência de influências externas, como o meio ambiente em que está situada a empresa, o sistema em vigor, etc. O pioneirismo de Taylor, sua dedicação e seu valor jamais poderão ser esquecidos. Através de sua obra, tivemos uma base inicial para chegarmos hoje a  uma administração rica em teorias , cientificamente apresentadas, vencendo os desafios sempre crescentes do mundo moderno.
Teoria das Relações Humanas Principal autor: Elton Mayo Ênfase:  O homem e seu grupo social, aspectos psicológicos e sociológicos
Origens e Cenário Necessidade de humanizar e democratizar a administração, inadequação de vários princípios da abordagem clássica; Desenvolvimento das Ciências Sociais: Psicologia e Sociologia, Psicologia Industrial; Crise de 1929: questionamento dos princípios administrativos e luta pela produtividade, democracia americana; Começa nos Estados Unidos em 1930 e é divulgada mundialmente depois da segunda guerra mundial.
A Experiência de Hawthorne (1927 - 1932) Cenário:  1927 - Wester Electric Company (fábrica de equipamentos e componentes telefônicos), bairro de Hawthorne, Chicago; Finalidade inicial:  determinar a relação entre a intensidade da iluminação e a eficiência dos operários, medida através da produção; Experiência sob a direção de Elton Mayo.
Conclusões da Experiência de Hawthorne O nível de produção é resultante da integração social; Comportamento social dos empregados; Recompensas e sanções sociais; Grupos informais; A importância das relações humanas; A importância do conteúdo do cargo; Ênfase nos aspectos emocionais.
Idéias defendidas pela Teoria das Relações Humanas: O trabalho é uma atividade tipicamente grupal:  produção sofre a influência do grupo de trabalho mais do que incentivos financeiros; O operário não reage como indivíduo isolado, mas como membro de um grupo social:  As mudanças tecnológicas e a abordagem mecanicista tentam romper essas relações sociais; A tarefa básica da Administração é formar uma elite capaz de compreender e de comunicar:  chefes democráticos, persuasivos e simpáticos com todos. Chefes que entendam a lógica dos trabalhadores. O ser humano é motivado essencialmente pela necessidade de “estar junto”, “ser reconhecido”:  Só alcança a eficiência considerando as necessidades sociais e psicológicas dos trabalhadores.
Conflito social na sociedade industrial: Para Elton Mayo, há um conflito social entre os interesses das empresas e os interesses dos trabalhadores; O conflito social é a destruição da própria sociedade, devendo ser  evitado  a qualquer custo. A empresa deve surgir como uma nova unidade social onde será estimulada a  cooperação  entre indivíduos. O trabalhador encontrará na empresa uma administração compreensiva e  paternal , capaz de satisfazer suas necessidades psicológicas e sociais.
A ORGANIZAÇÃO É COMPOSTA DE: 1.   Organização técnica = produtos, prédios, máquinas 2. Organização humana = organização social que tem como base os indivíduos e as relações entre as pessoas. A colaboração humana é alcançada mais pela estrutura informal do que formal: é um fenômeno social. A concepção de  homo economicus  não explica o comportamento humano. A fadiga não tem só causas orgânicas, mas subjetivas e psicológicas.
Novo vocabulário para a Teoria Administrativa Motivação Liderança Comunicação Dinâmica de grupo....
Decorrências da Teoria das Relações Humanas
Motivação Humana Necessidades ou motivos :  são forças conscientes ou inconscientes que levam o indivíduo a determinado comportamento. Motivação :  se refere ao comportamento que é causado por necessidade, dentro do indivíduo, e que é dirigido aos objetivos que podem satisfazer suas necessidades. Satisfeita uma necessidade, surge outra em seu lugar, e assim por diante, contínua e infinitamente. As necessidades motivam o comportamento humano dando-lhe direção e conteúdo...
 
1. Necessidades fisiológicas  -  ligadas à sobrevivência do indivíduo: alimentação, sono, segurança, satisfação sexual. Uma vez satisfeitas essas necessidades, são necessárias outras formas de estímulo à motivação do operário. 2. Necessidades psicológicas -  ajustamento e tranqüilidade social, necessidade de participação, calor humano, autoconfiança, afeição, amor, carinho. 3. Necessidades de auto-realização -  necessidades mais elevadas, que se referem ao fato de cada pessoa realizar o seu potencial e estar em constante auto-desenvolvimento. Necessidades humanas básicas:
Moral e Atitude Fanatismo Euforia Atitudes positivas Satisfação Otimismo Cooperação Coesão Colaboração Aceitação dos objetivos Boa vontade Identificação Atitudes negativas Insatisfação Pessimismo Oposição Negação Má vontade Resistência Dispersão Diaforia (mal estar) Agressão Moral Elevado Moral Baixo MORAL:  decorrência do estado  motivacional provocado pela satisfação  ou não satisfação das  necessidades individuais
Ciclo Motivacional Equilíbrio Estímulo ou Incentivo Necessidade Tensão Comportamento ou Ação Satisfação A motivação no sentido psicológico, é a tensão persistente que leva o indivíduo a alguma forma de comportamento visando a satisfação de uma ou mais determinadas necessidades
Frustração e Compensação Equilíbrio Estímulo ou Incentivo Necessidade Tensão Comportamento ou Ação BARREIRA Frustração leva à desorganização do comportamento, agressividade, ansiedade, aflição, doenças, alienação, apatia.
Motivação Desejo Receio Meta Apesar de variarem as necessidades e os valores sociais de indivíduo para indivíduo, produzindo diferentes padrões de comportamento, o processo que dinamiza o comportamento é semelhante.
Componentes da motivação IMPULSO OBJETIVO Processo interno que incita à ação. Influenciado pelo ambiente externo. Efeito redutor ou saciante. Após ser suficientemente atingido, o motivo deixa de orientar o comportamento.
Motivação humana é cíclica Satisfação de algumas necessidades é temporal e passageira. É um processo contínuo de resolução de problemas e satisfação de necessidades a medida que surgem. Necessidade/tensão Frustração Compensação Resolução
Liderança Liderança é a influência interpessoal exercida numa situação e dirigida por meio do processo de comunicação humana à consecução de um ou mais objetivos específicos. Formal e Informal Líder como meio de alcançar os objetivos grupais TEORIAS SOBRE LIDERANÇA: Teoria de traços de personalidade Teoria sobre estilos de liderança Teoria situacionais de liderança
Teorias sobre Liderança Teoria de traços de personalidade  - Características marcantes de personalidade possuídas pelo líder. Teorias sobre estilos de liderança  - Maneiras e estilos de se comportar adotadas por líder. Teorias situacionais sobre liderança -  Adequação do comportamento do líder às circunstâncias da situação.
Organização Informal Surge da interação social na empresa - usos e costumes, tradições, normas sociais. CARACTERÍSTICAS: Relação de coesão ou de antagonismo (simpatia/antipatia) Status (posição social e prestígio - formal ou não) Colaboração espontânea (deve ser aplicado a favor da empresa) Possibilidade de oposição à organização formal Padrões de relação e atitudes (que vem dos grupos informais) Mudança de níveis e alterações dos grupos informais A organização informal transcende a organização formal Padrões de desempenho nos grupos informais (em função do ajustamento social)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Teoria das Relações Humanas
Teoria das Relações HumanasTeoria das Relações Humanas
Teoria das Relações Humanas
Governo do Estado de São Paulo
 
05. Teoria das Relações Humanas
05. Teoria das Relações Humanas05. Teoria das Relações Humanas
05. Teoria das Relações Humanas
Debora Miceli
 
Teoria das relações humanas e comportamental
Teoria das relações humanas e comportamentalTeoria das relações humanas e comportamental
Teoria das relações humanas e comportamental
Thales Guimaraes
 
Teoria das Relações Humanas
Teoria das Relações HumanasTeoria das Relações Humanas
Teoria das Relações Humanas
Mara Izidoro
 
A Escola das Relações Humanas
A Escola das Relações HumanasA Escola das Relações Humanas
A Escola das Relações Humanas
henrique42
 
Enfoque Comportamental
Enfoque ComportamentalEnfoque Comportamental
Enfoque Comportamental
guestbeeeda
 
Teoria Das RelaçõEs Humanas.Ppt Aula Vera
Teoria Das RelaçõEs Humanas.Ppt Aula VeraTeoria Das RelaçõEs Humanas.Ppt Aula Vera
Teoria Das RelaçõEs Humanas.Ppt Aula Vera
edgarklein
 
03. Debora Miceli - Imagens da Organização: A organização como organismo
03. Debora Miceli - Imagens da Organização: A organização como organismo03. Debora Miceli - Imagens da Organização: A organização como organismo
03. Debora Miceli - Imagens da Organização: A organização como organismo
Debora Miceli
 
Aula7
Aula7Aula7
Revisão bibliográfica: Teoria das Relações Humanas
Revisão bibliográfica: Teoria das Relações HumanasRevisão bibliográfica: Teoria das Relações Humanas
Revisão bibliográfica: Teoria das Relações Humanas
Peterson Danda
 
Teoria Comportamental
Teoria ComportamentalTeoria Comportamental
Teoria Comportamental
admetz01
 
Aula 5 abordagem comportamental
Aula 5   abordagem comportamentalAula 5   abordagem comportamental
Aula 5 abordagem comportamental
Prof. Leonardo Rocha
 
Abordagem das Relações Humanas
Abordagem das Relações HumanasAbordagem das Relações Humanas
Abordagem das Relações Humanas
George Maia
 
Aula 5 - Teoria das Relações Humanas
Aula 5  - Teoria das Relações HumanasAula 5  - Teoria das Relações Humanas
Aula 5 - Teoria das Relações Humanas
Prof. Leonardo Rocha
 
Teoria comportamentaldaadministração
Teoria comportamentaldaadministraçãoTeoria comportamentaldaadministração
Teoria comportamentaldaadministração
carlossono
 
Aula8
Aula8Aula8
Teoria estruturalista 2012_01
Teoria estruturalista 2012_01Teoria estruturalista 2012_01
Teoria estruturalista 2012_01
Milton Henrique do Couto Neto
 
Teoria comportamental da administração
Teoria comportamental da administraçãoTeoria comportamental da administração
Teoria comportamental da administração
angelaadan
 
Mapa Mental Teoria das Relações Humanas
Mapa Mental Teoria das Relações HumanasMapa Mental Teoria das Relações Humanas
Mapa Mental Teoria das Relações Humanas
Danilo Mota
 
Modelo Comportamental
Modelo ComportamentalModelo Comportamental
Modelo Comportamental
guest06f340
 

Mais procurados (20)

Teoria das Relações Humanas
Teoria das Relações HumanasTeoria das Relações Humanas
Teoria das Relações Humanas
 
05. Teoria das Relações Humanas
05. Teoria das Relações Humanas05. Teoria das Relações Humanas
05. Teoria das Relações Humanas
 
Teoria das relações humanas e comportamental
Teoria das relações humanas e comportamentalTeoria das relações humanas e comportamental
Teoria das relações humanas e comportamental
 
Teoria das Relações Humanas
Teoria das Relações HumanasTeoria das Relações Humanas
Teoria das Relações Humanas
 
A Escola das Relações Humanas
A Escola das Relações HumanasA Escola das Relações Humanas
A Escola das Relações Humanas
 
Enfoque Comportamental
Enfoque ComportamentalEnfoque Comportamental
Enfoque Comportamental
 
Teoria Das RelaçõEs Humanas.Ppt Aula Vera
Teoria Das RelaçõEs Humanas.Ppt Aula VeraTeoria Das RelaçõEs Humanas.Ppt Aula Vera
Teoria Das RelaçõEs Humanas.Ppt Aula Vera
 
03. Debora Miceli - Imagens da Organização: A organização como organismo
03. Debora Miceli - Imagens da Organização: A organização como organismo03. Debora Miceli - Imagens da Organização: A organização como organismo
03. Debora Miceli - Imagens da Organização: A organização como organismo
 
Aula7
Aula7Aula7
Aula7
 
Revisão bibliográfica: Teoria das Relações Humanas
Revisão bibliográfica: Teoria das Relações HumanasRevisão bibliográfica: Teoria das Relações Humanas
Revisão bibliográfica: Teoria das Relações Humanas
 
Teoria Comportamental
Teoria ComportamentalTeoria Comportamental
Teoria Comportamental
 
Aula 5 abordagem comportamental
Aula 5   abordagem comportamentalAula 5   abordagem comportamental
Aula 5 abordagem comportamental
 
Abordagem das Relações Humanas
Abordagem das Relações HumanasAbordagem das Relações Humanas
Abordagem das Relações Humanas
 
Aula 5 - Teoria das Relações Humanas
Aula 5  - Teoria das Relações HumanasAula 5  - Teoria das Relações Humanas
Aula 5 - Teoria das Relações Humanas
 
Teoria comportamentaldaadministração
Teoria comportamentaldaadministraçãoTeoria comportamentaldaadministração
Teoria comportamentaldaadministração
 
Aula8
Aula8Aula8
Aula8
 
Teoria estruturalista 2012_01
Teoria estruturalista 2012_01Teoria estruturalista 2012_01
Teoria estruturalista 2012_01
 
Teoria comportamental da administração
Teoria comportamental da administraçãoTeoria comportamental da administração
Teoria comportamental da administração
 
Mapa Mental Teoria das Relações Humanas
Mapa Mental Teoria das Relações HumanasMapa Mental Teoria das Relações Humanas
Mapa Mental Teoria das Relações Humanas
 
Modelo Comportamental
Modelo ComportamentalModelo Comportamental
Modelo Comportamental
 

Destaque

Apresentação de psicologia oganizacional (motivação intrínseca)
Apresentação de psicologia oganizacional (motivação intrínseca)Apresentação de psicologia oganizacional (motivação intrínseca)
Apresentação de psicologia oganizacional (motivação intrínseca)
Rafaela Sampaio
 
A Psicologia Das Seis Necessidades Humanas
A Psicologia Das Seis Necessidades HumanasA Psicologia Das Seis Necessidades Humanas
A Psicologia Das Seis Necessidades Humanas
Sebastião Gazolla Jr
 
Fs006
Fs006Fs006
[Segmedtrab] a empresa como parte da sociedade a empresa como parte da sociedade
[Segmedtrab] a empresa como parte da sociedade a empresa como parte da sociedade[Segmedtrab] a empresa como parte da sociedade a empresa como parte da sociedade
[Segmedtrab] a empresa como parte da sociedade a empresa como parte da sociedade
Nilton Goulart
 
Psicologia da educação
Psicologia da educaçãoPsicologia da educação
Psicologia da educação
Jose Arnaldo Silva
 
Erich Fromm
 Erich Fromm Erich Fromm
Erich Fromm
Roberta Maia
 
O que motiva voce
O que motiva voceO que motiva voce
O que motiva voce
Kátia Rumbelsperger
 
4 escola de relacoes humanas
4   escola de relacoes humanas4   escola de relacoes humanas
4 escola de relacoes humanas
Isabella Couto Reis
 
Psicologia e Motivação
 Psicologia e Motivação Psicologia e Motivação
Psicologia e Motivação
weronicasdj
 
A Psicologia das 6 Necessidades Humanas de Anthony Robbins
A Psicologia das 6 Necessidades Humanas de Anthony RobbinsA Psicologia das 6 Necessidades Humanas de Anthony Robbins
A Psicologia das 6 Necessidades Humanas de Anthony Robbins
FocusLife
 
Trabalho de psicologia motivação
Trabalho de psicologia motivaçãoTrabalho de psicologia motivação
Trabalho de psicologia motivação
enfanhanguera
 
Sistema de Organização e Gestão escolar
Sistema de Organização e Gestão escolarSistema de Organização e Gestão escolar
Sistema de Organização e Gestão escolar
Sonia Garrido
 
Teorias da Motivação
Teorias da MotivaçãoTeorias da Motivação
Teorias da Motivação
Cursos Profissionalizantes
 
Motivação - Processos Psicológicos Básicos
Motivação - Processos Psicológicos BásicosMotivação - Processos Psicológicos Básicos
Motivação - Processos Psicológicos Básicos
Deisiane Cazaroto
 
Saúde mental e trabalho
Saúde mental e trabalhoSaúde mental e trabalho
Saúde mental e trabalho
Oficina Psicologia
 
Apresentação do tema motivação da equipe
Apresentação do tema motivação da equipeApresentação do tema motivação da equipe
Apresentação do tema motivação da equipe
Denisia Teixeira
 
Motivação..
Motivação..Motivação..
Motivação..
bia_chersoni
 
Palestra motivacional
Palestra motivacionalPalestra motivacional
Palestra motivacional
Fernando Lima
 
Palestra motivação em vendas
Palestra motivação em vendasPalestra motivação em vendas
Palestra motivação em vendas
Alessandro Lunardon
 
How to Become a Thought Leader in Your Niche
How to Become a Thought Leader in Your NicheHow to Become a Thought Leader in Your Niche
How to Become a Thought Leader in Your Niche
Leslie Samuel
 

Destaque (20)

Apresentação de psicologia oganizacional (motivação intrínseca)
Apresentação de psicologia oganizacional (motivação intrínseca)Apresentação de psicologia oganizacional (motivação intrínseca)
Apresentação de psicologia oganizacional (motivação intrínseca)
 
A Psicologia Das Seis Necessidades Humanas
A Psicologia Das Seis Necessidades HumanasA Psicologia Das Seis Necessidades Humanas
A Psicologia Das Seis Necessidades Humanas
 
Fs006
Fs006Fs006
Fs006
 
[Segmedtrab] a empresa como parte da sociedade a empresa como parte da sociedade
[Segmedtrab] a empresa como parte da sociedade a empresa como parte da sociedade[Segmedtrab] a empresa como parte da sociedade a empresa como parte da sociedade
[Segmedtrab] a empresa como parte da sociedade a empresa como parte da sociedade
 
Psicologia da educação
Psicologia da educaçãoPsicologia da educação
Psicologia da educação
 
Erich Fromm
 Erich Fromm Erich Fromm
Erich Fromm
 
O que motiva voce
O que motiva voceO que motiva voce
O que motiva voce
 
4 escola de relacoes humanas
4   escola de relacoes humanas4   escola de relacoes humanas
4 escola de relacoes humanas
 
Psicologia e Motivação
 Psicologia e Motivação Psicologia e Motivação
Psicologia e Motivação
 
A Psicologia das 6 Necessidades Humanas de Anthony Robbins
A Psicologia das 6 Necessidades Humanas de Anthony RobbinsA Psicologia das 6 Necessidades Humanas de Anthony Robbins
A Psicologia das 6 Necessidades Humanas de Anthony Robbins
 
Trabalho de psicologia motivação
Trabalho de psicologia motivaçãoTrabalho de psicologia motivação
Trabalho de psicologia motivação
 
Sistema de Organização e Gestão escolar
Sistema de Organização e Gestão escolarSistema de Organização e Gestão escolar
Sistema de Organização e Gestão escolar
 
Teorias da Motivação
Teorias da MotivaçãoTeorias da Motivação
Teorias da Motivação
 
Motivação - Processos Psicológicos Básicos
Motivação - Processos Psicológicos BásicosMotivação - Processos Psicológicos Básicos
Motivação - Processos Psicológicos Básicos
 
Saúde mental e trabalho
Saúde mental e trabalhoSaúde mental e trabalho
Saúde mental e trabalho
 
Apresentação do tema motivação da equipe
Apresentação do tema motivação da equipeApresentação do tema motivação da equipe
Apresentação do tema motivação da equipe
 
Motivação..
Motivação..Motivação..
Motivação..
 
Palestra motivacional
Palestra motivacionalPalestra motivacional
Palestra motivacional
 
Palestra motivação em vendas
Palestra motivação em vendasPalestra motivação em vendas
Palestra motivação em vendas
 
How to Become a Thought Leader in Your Niche
How to Become a Thought Leader in Your NicheHow to Become a Thought Leader in Your Niche
How to Become a Thought Leader in Your Niche
 

Semelhante a Teoriade relaeshumanas

Aula 05 e 06 - Organização do trabalho e administração
Aula 05 e 06 - Organização do trabalho e administraçãoAula 05 e 06 - Organização do trabalho e administração
Aula 05 e 06 - Organização do trabalho e administração
Adriely Negrine Azevedo
 
AULA 08.pdf
AULA 08.pdfAULA 08.pdf
AULA 08.pdf
RosineiaSantos8
 
Aula10
Aula10Aula10
Seminário apresentação tga
Seminário apresentação tgaSeminário apresentação tga
Seminário apresentação tga
ramalho01
 
Modelo comportamental2733
Modelo comportamental2733Modelo comportamental2733
Modelo comportamental2733
Antonio Diniz
 
Teorias da Gestão
Teorias da GestãoTeorias da Gestão
Teorias da Gestão
Maria Simões
 
Aula 03 - Teorias Humanísticas Gestão de Pessoas.pdf
Aula 03 - Teorias Humanísticas Gestão de Pessoas.pdfAula 03 - Teorias Humanísticas Gestão de Pessoas.pdf
Aula 03 - Teorias Humanísticas Gestão de Pessoas.pdf
vitoraugustomb
 
segunda aula gestao
 segunda aula gestao  segunda aula gestao
segunda aula gestao
guest680ed0
 
AULA 08 - TURMAS FUND ADM 27 09 2019.ppt
AULA 08 - TURMAS FUND ADM 27 09 2019.pptAULA 08 - TURMAS FUND ADM 27 09 2019.ppt
AULA 08 - TURMAS FUND ADM 27 09 2019.ppt
RosineiaSantos8
 
Resumo introdução a TGA
Resumo introdução a TGAResumo introdução a TGA
Resumo introdução a TGA
Mario Costa
 
3042176.ppt
3042176.ppt3042176.ppt
3042176.ppt
NetoMelo12
 
TGA e o Comportamento Organizacional - Adm. Alexandre Rolim
TGA e o Comportamento Organizacional - Adm. Alexandre RolimTGA e o Comportamento Organizacional - Adm. Alexandre Rolim
TGA e o Comportamento Organizacional - Adm. Alexandre Rolim
CRA - MG
 
TGA - Aula de Teoria Comportamental uma Sintese
TGA - Aula de Teoria Comportamental uma SinteseTGA - Aula de Teoria Comportamental uma Sintese
TGA - Aula de Teoria Comportamental uma Sintese
Pedro Luis Moraes
 
Aula 2 adminis
Aula 2 adminisAula 2 adminis
Aula 2 adminis
Marluce Filipe
 
Visão Humanística do Administrador Escolar
Visão Humanística do Administrador EscolarVisão Humanística do Administrador Escolar
Visão Humanística do Administrador Escolar
Danielle Souza
 
Teoria comportamental administracao
Teoria comportamental administracaoTeoria comportamental administracao
Teoria comportamental administracao
Leon Pires
 
Aula11
Aula11Aula11
Adm ms 2012
Adm ms 2012Adm ms 2012
Adm ms 2012
Ismael Costa
 
Capítulo 1 O QUE É COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL
Capítulo 1 O QUE É COMPORTAMENTO ORGANIZACIONALCapítulo 1 O QUE É COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL
Capítulo 1 O QUE É COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL
MauricioPaniza1
 
MotivaçãO
MotivaçãOMotivaçãO
MotivaçãO
Aldo Pereira Costa
 

Semelhante a Teoriade relaeshumanas (20)

Aula 05 e 06 - Organização do trabalho e administração
Aula 05 e 06 - Organização do trabalho e administraçãoAula 05 e 06 - Organização do trabalho e administração
Aula 05 e 06 - Organização do trabalho e administração
 
AULA 08.pdf
AULA 08.pdfAULA 08.pdf
AULA 08.pdf
 
Aula10
Aula10Aula10
Aula10
 
Seminário apresentação tga
Seminário apresentação tgaSeminário apresentação tga
Seminário apresentação tga
 
Modelo comportamental2733
Modelo comportamental2733Modelo comportamental2733
Modelo comportamental2733
 
Teorias da Gestão
Teorias da GestãoTeorias da Gestão
Teorias da Gestão
 
Aula 03 - Teorias Humanísticas Gestão de Pessoas.pdf
Aula 03 - Teorias Humanísticas Gestão de Pessoas.pdfAula 03 - Teorias Humanísticas Gestão de Pessoas.pdf
Aula 03 - Teorias Humanísticas Gestão de Pessoas.pdf
 
segunda aula gestao
 segunda aula gestao  segunda aula gestao
segunda aula gestao
 
AULA 08 - TURMAS FUND ADM 27 09 2019.ppt
AULA 08 - TURMAS FUND ADM 27 09 2019.pptAULA 08 - TURMAS FUND ADM 27 09 2019.ppt
AULA 08 - TURMAS FUND ADM 27 09 2019.ppt
 
Resumo introdução a TGA
Resumo introdução a TGAResumo introdução a TGA
Resumo introdução a TGA
 
3042176.ppt
3042176.ppt3042176.ppt
3042176.ppt
 
TGA e o Comportamento Organizacional - Adm. Alexandre Rolim
TGA e o Comportamento Organizacional - Adm. Alexandre RolimTGA e o Comportamento Organizacional - Adm. Alexandre Rolim
TGA e o Comportamento Organizacional - Adm. Alexandre Rolim
 
TGA - Aula de Teoria Comportamental uma Sintese
TGA - Aula de Teoria Comportamental uma SinteseTGA - Aula de Teoria Comportamental uma Sintese
TGA - Aula de Teoria Comportamental uma Sintese
 
Aula 2 adminis
Aula 2 adminisAula 2 adminis
Aula 2 adminis
 
Visão Humanística do Administrador Escolar
Visão Humanística do Administrador EscolarVisão Humanística do Administrador Escolar
Visão Humanística do Administrador Escolar
 
Teoria comportamental administracao
Teoria comportamental administracaoTeoria comportamental administracao
Teoria comportamental administracao
 
Aula11
Aula11Aula11
Aula11
 
Adm ms 2012
Adm ms 2012Adm ms 2012
Adm ms 2012
 
Capítulo 1 O QUE É COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL
Capítulo 1 O QUE É COMPORTAMENTO ORGANIZACIONALCapítulo 1 O QUE É COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL
Capítulo 1 O QUE É COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL
 
MotivaçãO
MotivaçãOMotivaçãO
MotivaçãO
 

Teoriade relaeshumanas

  • 2. Lembrando das variáveis de estudo da Teoria Geral das Organizações Tarefa Pessoas Estrutura Tecnologia Ambiente Organização
  • 4. Duas teorias Taylor (e: Gilbreth, Emerson, Ford) Fayol (e: Gulick, Urwick, Moonev) Administração Científica Teoria Clássica Ênfase nas tarefas Ênfase na estrutura Aumentar a eficiência da empresa através do aumento de eficiência em nível operacional Aumentar a eficiência através da forma e disposição dos órgãos componentes da organização e de suas inter-relações estruturais Abordagem Clássica da Administração
  • 5. CRÍTICAS 1. Mecanicismo: Tratou a organização como “um arranjo rígido e estático de peças”, como uma máquina, num sentido puramente mecânico, desprezando os aspectos humanos. 2. Superespecialização do operário: Em busca da produtividade, indicava a especialização do operário, dividindo e subdividindo as tarefas, de forma a executá-las, de maneira padronizada, transformando o trabalhador num verdadeiro autômato. 3. Visão microscópica do homem: Através de uma concepção negativista do homem (era preguiçoso, ineficiente etc.) e da constante busca por uma produtividade cada vez maior, Taylor esqueceu qualquer outro aspecto, tratando o trabalho do homem como um processo acessório da máquina. 4. Ausência de comprovação científica: Em suas afirmativas, utilizou pouca pesquisa e experimentação científica; seu método é empírico e concreto, e os resultados apresentados são apenas evidentes, porém, sem nenhuma comprovação. 5. Abordagem incompleta da organização: Abordou apenas os aspectos formais da organização, não considerando a organização informal e os aspectos humanos, ignorando a vida social interna, as interações, etc.
  • 6. CRÍTICAS 6. Limitação no campo de aplicação: Suas observações limitaram-se ao campo da produção (fábrica), não levando em consideração outros aspectos da empresa, como os financeiros, os comerciais, etc. 7. Abordagem prescritiva e normativa: Caracterizada pela preocupação em prescrever princípios normativos que deveriam ser aplicados em determinadas circunstâncias, tratou “o como a empresa deveria funcionar” e não buscou explicar seu funcionamento. 8. Abordagem de sistema fechado: Tratou apenas dos problemas internos, esquecendo a existência de influências externas, como o meio ambiente em que está situada a empresa, o sistema em vigor, etc. O pioneirismo de Taylor, sua dedicação e seu valor jamais poderão ser esquecidos. Através de sua obra, tivemos uma base inicial para chegarmos hoje a uma administração rica em teorias , cientificamente apresentadas, vencendo os desafios sempre crescentes do mundo moderno.
  • 7. Teoria das Relações Humanas Principal autor: Elton Mayo Ênfase: O homem e seu grupo social, aspectos psicológicos e sociológicos
  • 8. Origens e Cenário Necessidade de humanizar e democratizar a administração, inadequação de vários princípios da abordagem clássica; Desenvolvimento das Ciências Sociais: Psicologia e Sociologia, Psicologia Industrial; Crise de 1929: questionamento dos princípios administrativos e luta pela produtividade, democracia americana; Começa nos Estados Unidos em 1930 e é divulgada mundialmente depois da segunda guerra mundial.
  • 9. A Experiência de Hawthorne (1927 - 1932) Cenário: 1927 - Wester Electric Company (fábrica de equipamentos e componentes telefônicos), bairro de Hawthorne, Chicago; Finalidade inicial: determinar a relação entre a intensidade da iluminação e a eficiência dos operários, medida através da produção; Experiência sob a direção de Elton Mayo.
  • 10. Conclusões da Experiência de Hawthorne O nível de produção é resultante da integração social; Comportamento social dos empregados; Recompensas e sanções sociais; Grupos informais; A importância das relações humanas; A importância do conteúdo do cargo; Ênfase nos aspectos emocionais.
  • 11. Idéias defendidas pela Teoria das Relações Humanas: O trabalho é uma atividade tipicamente grupal: produção sofre a influência do grupo de trabalho mais do que incentivos financeiros; O operário não reage como indivíduo isolado, mas como membro de um grupo social: As mudanças tecnológicas e a abordagem mecanicista tentam romper essas relações sociais; A tarefa básica da Administração é formar uma elite capaz de compreender e de comunicar: chefes democráticos, persuasivos e simpáticos com todos. Chefes que entendam a lógica dos trabalhadores. O ser humano é motivado essencialmente pela necessidade de “estar junto”, “ser reconhecido”: Só alcança a eficiência considerando as necessidades sociais e psicológicas dos trabalhadores.
  • 12. Conflito social na sociedade industrial: Para Elton Mayo, há um conflito social entre os interesses das empresas e os interesses dos trabalhadores; O conflito social é a destruição da própria sociedade, devendo ser evitado a qualquer custo. A empresa deve surgir como uma nova unidade social onde será estimulada a cooperação entre indivíduos. O trabalhador encontrará na empresa uma administração compreensiva e paternal , capaz de satisfazer suas necessidades psicológicas e sociais.
  • 13. A ORGANIZAÇÃO É COMPOSTA DE: 1. Organização técnica = produtos, prédios, máquinas 2. Organização humana = organização social que tem como base os indivíduos e as relações entre as pessoas. A colaboração humana é alcançada mais pela estrutura informal do que formal: é um fenômeno social. A concepção de homo economicus não explica o comportamento humano. A fadiga não tem só causas orgânicas, mas subjetivas e psicológicas.
  • 14. Novo vocabulário para a Teoria Administrativa Motivação Liderança Comunicação Dinâmica de grupo....
  • 15. Decorrências da Teoria das Relações Humanas
  • 16. Motivação Humana Necessidades ou motivos : são forças conscientes ou inconscientes que levam o indivíduo a determinado comportamento. Motivação : se refere ao comportamento que é causado por necessidade, dentro do indivíduo, e que é dirigido aos objetivos que podem satisfazer suas necessidades. Satisfeita uma necessidade, surge outra em seu lugar, e assim por diante, contínua e infinitamente. As necessidades motivam o comportamento humano dando-lhe direção e conteúdo...
  • 17.  
  • 18. 1. Necessidades fisiológicas - ligadas à sobrevivência do indivíduo: alimentação, sono, segurança, satisfação sexual. Uma vez satisfeitas essas necessidades, são necessárias outras formas de estímulo à motivação do operário. 2. Necessidades psicológicas - ajustamento e tranqüilidade social, necessidade de participação, calor humano, autoconfiança, afeição, amor, carinho. 3. Necessidades de auto-realização - necessidades mais elevadas, que se referem ao fato de cada pessoa realizar o seu potencial e estar em constante auto-desenvolvimento. Necessidades humanas básicas:
  • 19. Moral e Atitude Fanatismo Euforia Atitudes positivas Satisfação Otimismo Cooperação Coesão Colaboração Aceitação dos objetivos Boa vontade Identificação Atitudes negativas Insatisfação Pessimismo Oposição Negação Má vontade Resistência Dispersão Diaforia (mal estar) Agressão Moral Elevado Moral Baixo MORAL: decorrência do estado motivacional provocado pela satisfação ou não satisfação das necessidades individuais
  • 20. Ciclo Motivacional Equilíbrio Estímulo ou Incentivo Necessidade Tensão Comportamento ou Ação Satisfação A motivação no sentido psicológico, é a tensão persistente que leva o indivíduo a alguma forma de comportamento visando a satisfação de uma ou mais determinadas necessidades
  • 21. Frustração e Compensação Equilíbrio Estímulo ou Incentivo Necessidade Tensão Comportamento ou Ação BARREIRA Frustração leva à desorganização do comportamento, agressividade, ansiedade, aflição, doenças, alienação, apatia.
  • 22. Motivação Desejo Receio Meta Apesar de variarem as necessidades e os valores sociais de indivíduo para indivíduo, produzindo diferentes padrões de comportamento, o processo que dinamiza o comportamento é semelhante.
  • 23. Componentes da motivação IMPULSO OBJETIVO Processo interno que incita à ação. Influenciado pelo ambiente externo. Efeito redutor ou saciante. Após ser suficientemente atingido, o motivo deixa de orientar o comportamento.
  • 24. Motivação humana é cíclica Satisfação de algumas necessidades é temporal e passageira. É um processo contínuo de resolução de problemas e satisfação de necessidades a medida que surgem. Necessidade/tensão Frustração Compensação Resolução
  • 25. Liderança Liderança é a influência interpessoal exercida numa situação e dirigida por meio do processo de comunicação humana à consecução de um ou mais objetivos específicos. Formal e Informal Líder como meio de alcançar os objetivos grupais TEORIAS SOBRE LIDERANÇA: Teoria de traços de personalidade Teoria sobre estilos de liderança Teoria situacionais de liderança
  • 26. Teorias sobre Liderança Teoria de traços de personalidade - Características marcantes de personalidade possuídas pelo líder. Teorias sobre estilos de liderança - Maneiras e estilos de se comportar adotadas por líder. Teorias situacionais sobre liderança - Adequação do comportamento do líder às circunstâncias da situação.
  • 27. Organização Informal Surge da interação social na empresa - usos e costumes, tradições, normas sociais. CARACTERÍSTICAS: Relação de coesão ou de antagonismo (simpatia/antipatia) Status (posição social e prestígio - formal ou não) Colaboração espontânea (deve ser aplicado a favor da empresa) Possibilidade de oposição à organização formal Padrões de relação e atitudes (que vem dos grupos informais) Mudança de níveis e alterações dos grupos informais A organização informal transcende a organização formal Padrões de desempenho nos grupos informais (em função do ajustamento social)