11.1 FormaçãO Do Sistema Solar

5.939 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.939
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
890
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

11.1 FormaçãO Do Sistema Solar

  1. 1. Tema II – A Terra um planeta muito especial<br />Formação do Sistema Solar<br />1<br />11<br />
  2. 2. O futuro da Terra<br />Situação problema<br />2<br />
  3. 3. - Teoria nebular reformulada<br />Provável origem do Sol e dos planetas <br />3<br />
  4. 4. Sistema Solar<br />É constituído pelo Sol e por todos os corpos que gravitam em torno dele:<br />Planetas<br />Asteróides <br />Cometas<br />Do sistema solar fazem parte 9 planetas principais, cerca de 60 satélites naturais, centenas de cometas e vários milhares de asteróides.<br />4<br />
  5. 5. Sol<br />Faz parte de uma galáxia – Via Láctea, que possui centenas de milhares de milhão de estrelas.<br />Com um raio de cerca de 700 000 Km, é uma estrela muito modesta, quer pelo seu tamanho, quer pelo brilho.<br />Ocupa uma posição excêntrica num dos braços da espiral, sendo a sua distância ao centro da galáxia cerca de 27 000 anos-luz.<br />Em cada segundo são convertidos 710 milhões de toneladas de H em 705 milhões de toneladas de He, sendo os restantes convertidos em energia, como por exemplo a luz e o calor.<br />5<br />
  6. 6. Teoria nebular<br />Segundo esta teoria, no enorme espaço que separa as diferentes estrelas da nossa galáxia existia uma nébula formada por gases e poeira muito difusa, que seria o ponto de partida para a génese do sistema solar.<br />6<br />
  7. 7. Evolução da nébula solar<br />A nébula ter-se-ia contraído devido a forças de atracção gravítica entre as diferentes partículas que a constituíam.<br />7<br />
  8. 8. A contracção da nébula proto-solar provocaria o aumento da sua velocidade de rotação.<br />8<br />
  9. 9. Lentamente a nébula teria começado a arrefecer e a adquirir a forma de disco muito achatado, em torno de uma massa de gás densa e luminosa em posição central, que seria o proto-sol.<br />9<br />
  10. 10. 10<br />
  11. 11. Durante o arrefecimento do disco nebular, ocorreria a condensação dos materiais em grãos sólidos, mas não de um modo uniforme. <br />As regiões situadas na periferia, em contacto com o espaço intersideral, arrefeciam mais rapidamente que as próximas da estrela em formação.<br />11<br />
  12. 12. A cada temperatura corresponde a condensação de um tipo de material com determinada composição química, o que leva a uma zonação mineralógica de acordo com a distância ao Sol.<br />12<br />
  13. 13. No disco achatado, a força de gravidade provocaria a aglutinação de poeiras constituídas por diferentes minerais que formariam pequenos corpos chamados planetesimais, com um diâmetro de cerca de 100 m. <br />13<br />
  14. 14. Os maiores desses corpos atraíam os mais pequenos, verificando-se a colisão e o aumento progressivo das dimensões, o que levou à formação de planetesimais com alguns quilómetros.<br />14<br />
  15. 15. Todo este processo designado acreção, desencadeou um bombardeamento cada vez maior, formando os protoplanetas.<br />15<br />
  16. 16. Finalmente os protoplanetas por acreção de novos materiais, teriam dado origem aos planetas.<br />Acreção de partículas sólidas<br />16<br />
  17. 17. Acreção nos planetas rochosos<br />17<br />
  18. 18. 18<br />
  19. 19. 19<br />
  20. 20. Planetas telúricos<br />Os planetas que se formaram a temperaturas mais elevadas, os que se encontram mais próximos do Sol, são essencialmente constituídos por materiais refractários, isto é, materiais de ponto de fusão mais alto.<br />20<br />
  21. 21. 21<br />
  22. 22. Planetas telúricos<br />Assim, Mercúrio, Vénus, Terra e Marte, são pequenos e rochosos, formados essencialmente por ferro e silicatos, possuindo atmosferas pouco densas, destituídas de hidrogénio.<br />22<br />
  23. 23. Planetas gigantes<br />Os planetas longínquos, que condensaram a temperaturas mais baixas, são ricos em substâncias voláteis.<br />23<br />
  24. 24. <ul><li>Júpiter e Saturno são suficientemente grandes para reterem, por força gravítica, materiais pouco densos da nébula solar primitiva, como o hidrogénio e o hélio.
  25. 25. Estes planetas são pobres em metais e silicatos.</li></ul>24<br />
  26. 26. A existência de uma zonação química, de acordo com a distância ao Sol, conferiu o carácter químico próprio e a composição original de cada planeta.<br />25<br />
  27. 27. A teoria nebular é coerente com grande parte dos factos observados, como:<br />Uma idade idêntica para todos os corpos do sistema solar.<br />Regularidade das órbitas planetárias que são órbitas elipsóides, quase circulares:<br />Todas as órbitas são quase complanares, formando um disco, com algumas excepções, como por ex a órbita de Plutão;<br />Todos os planetas têm movimentos de rotação no mesmo sentido, excepto Vénus e Urano;<br />A densidade dos planetas mais próximos do Sol é superior à dos planetas mais afastados, o que está de acordo com a posição em que se formaram numa nébula em rotação.<br />26<br />
  28. 28. Existem dados que não estão completamente clarificados<br />Baixa velocidade de rotação do Sol;<br />Movimento de rotação em sentido oposto de Vénus e Urano, relativamente aos outros planetas.<br />27<br />

×