Cimento Portland Arq

18.380 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Negócios
1 comentário
1 gostou
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
18.380
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
106
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
334
Comentários
1
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cimento Portland Arq

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO I CIMENTO PORTLAND Prof. Fábio Henrique de Melo Ribeiro, MSc. Eng. Civil e Eng. Seg. Trab.
  2. 2. COMPOSIÇÃO QUIMICA Embora o cimento Portland seja formado essencialmente de vários compostos de cálcio, os resultados das análises químicas de rotina são expressos em termos de óxidos dos elementos presentes.
  3. 3. COMPOSIÇÃO QUIMICA ÓXIDOS ABREVIAÇÃO COMPOSTOS ABREVIAÇÃO CaO C 3Cao.SiO2 C3S SiO2 S 2CaO.SiO2 C2S Al2O3 A 3CaO.Al2O3 C3A Fe2O3 F 4CaO.Al2O3.Fe2O3 C4AF MgO M 4CaO.3Al2O3.SO3 C4A3S SO3 S 3CaO.2SiO2.3H2O C3S2H3 H2O H CaSO4.2H2O CSH2
  4. 4. COMPOSIÇÃO QUIMICA ÓXIDOS CIMENTOS 1 CIMENTOS 2 CIMENTOS 3 S 21,1 21,1 21,1 A 6,2 5,2 4,2 F 2,9 3,9 4,9 C 65,0 65,0 65,0 S 2,0 2,0 2,0 Outros 2,8 2,8 2,8
  5. 5. Tipos de cimento Portland usualmente utilizados e normalizados pela ABNT DESIGNAÇÃO SIGLA CLASSE Cimento portland CPI 25,32,40 comum Cimento portland CPI S 25,32,40 comum com adições Cimento portland CP II E 25,32.40 composto com escória Cimento portland CP II F 25,32.40 composto com filler Cimento portland CPII Z 25,32,40 composto com pozolana Cimento portland de CP III 25,32,40 alto forno Cimento portland CP IV 25,32 pozolânico Cimento portland de alta CPV ----- resistência
  6. 6. Tipos de cimento Portland usualmente utilizados e normalizados pela ABNT
  7. 7. Tipos de cimento Portland usualmente utilizados e normalizados pela ABNT
  8. 8. Tipos de cimento Portland usualmente utilizados e normalizados pela ABNT
  9. 9. Tipos de cimento Portland usualmente utilizados e normalizados pela ABNT
  10. 10. COMPOSIÇÃO DOS CIMENTOS PORTLAND ( % ) COMPOSTOS CIMENTO1 CIMENTOS 2 CIMENTOS 3 C3S 53,7 58,0 62,3 C2S CS 19,9 16,2 12,5 C3A 11,4 7,1 2,8 C4AF 8,8 11,9 14,9
  11. 11. Finura Além da composição, a finura do cimento influencia a sua relação com a água. Geralmente, quanto mais fino o cimento, mais rápido ele reagirá. Para uma dada composição, a taxa de reatividade e, portanto, o desenvolvimento da resistência, pode ser alimentado através de uma moagem mais fina, porém o custo da moagem e o calor liberado estabelecem alguns limites de finura. Para a finalidade de controle da qualidade do cimento, a finura pode ser determinada como o resíduo em peneira padrão como a malha # 200 e a 375. Considera-se que as partículas maiores que 45 µm são difíceis de hidratar e as maiores que 75µm não hidratam completamente.
  12. 12. MECANISMOS DE HIDRATAÇÃO Dissolução - precipitação Hidratação no estado sólido Hidratação dos Aluminatos Etringita – C6AS3H32 – pega e resistência inicial Tipos de pega Pega Normal (2 a 3 hs) Pega Moderada (1 a 2 hs – etringita) Pega rápida (45 min) Pega instantânea (pouca gipsita) Falsa Pega (enrijecimento prematuro – poucos min.) Hidratação dos Silicatos Silicatos de cálcio hidratado C – S – H C3S – cimento ARI
  13. 13. ENSAIOS PARA O CIMENTO Ensaio de composição química Ensaio de Finura Consistência da Pasta Normal Tempo de Pega Expansibilidade Resistência

×