Seminario Pauta

3.469 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.469
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
20
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
112
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Seminario Pauta

  1. 1. Felipe Campos Gabriel Simoes Iohana Medeiros Lucas Albuquerque Naiana Carolina Patrick Silva Talyta Almeida
  2. 3. O que é <ul><li>Objetivo principal: Planejamento </li></ul><ul><li>“ Planejamento de uma edição ou parte da edição (nas redações estruturadas por editorias – de cidade, política, economia etc.), com a listagem dos fatos a serem cobertos no noticiário e dos assuntos a serem abordados em reportagens, além de eventuais indicações logísticas e técnicas: ângulo de interesse, dimensão pretendida da matéria, recursos disponíveis para o trabalho, sugestões de fontes etc.” Nilson Lage. </li></ul>
  3. 4. Histórico <ul><li>Surgimento ligado ao processo de industrialização dos jornais. </li></ul>
  4. 5. As fases do jornalismo no Brasil <ul><li>Pautas externas; </li></ul><ul><li>Pautas mistas; </li></ul><ul><li>Pautas internas </li></ul>
  5. 6. Um olhar sobre a pauta <ul><li>A pauta trás uma referência diária da angulação e do conteúdo das informações veiculadas. </li></ul>
  6. 7. A pauta como navegador <ul><li>As pautas passam por um processo de alienação. Apesar de os jornalistas continuarem pilotando o veículo, o navegador é externo. </li></ul>
  7. 8. Por que os jornais são tão parecidos? <ul><li>A elaboração da informação jornalista é praticamente industrial, despersonalizada. </li></ul>
  8. 9. Interesses corporativos <ul><li>Invasão cada vez maior nas redações </li></ul>
  9. 10. A pauta como etapa inicial da produção de notícias <ul><li>A inversão do processo </li></ul><ul><li>Ex.: o webjornal </li></ul>
  10. 11. Perdem importância: <ul><li>A autoria; </li></ul><ul><li>A checagem da veracidade; </li></ul><ul><li>A qualidade. </li></ul>
  11. 12. Como é feita <ul><li>A figura do pauteiro </li></ul><ul><li>Pré-pauta </li></ul><ul><li>Roteiro </li></ul>
  12. 13. Classificação de pautas <ul><li>Pauta boa; </li></ul><ul><li>Pauta da normalidade; </li></ul><ul><li>Pauta pendente; </li></ul>
  13. 14. Pautas por meio <ul><li>Pauta de Jornal </li></ul><ul><li>Pauta de Revista </li></ul><ul><li>Pauta de TV </li></ul><ul><li>Pauta de Rádio </li></ul><ul><li>Pauta de Agência </li></ul><ul><li>Pauta de Internet </li></ul>
  14. 15. Pauta de Impresso <ul><li>Deve ser detalhada, indicar fontes e as formas de apuração . </li></ul>
  15. 16. Pauta de Impresso <ul><li>Pré-pauta do Correio Brasiliense </li></ul>
  16. 17. Pauta de Revista <ul><ul><li>Requer um detalhamento maior que a pauta de jornal </li></ul></ul><ul><ul><li>Deve ser mais aprofundada e evitar o que já foi dito pelos jornais </li></ul></ul>
  17. 18. Pauta de TV <ul><li>Preocupa-se com imagens, cores e movimento. </li></ul><ul><li>A notícia deve ser fácil de documentar através de imagens. </li></ul>
  18. 19. Pauta de Rádio <ul><ul><li>Muitas emissoras limitam-se a listar os assuntos do dia, mas as que preparam a pauta utilizam texto, música e efeito sonoro. </li></ul></ul><ul><ul><li>Ênfase na fala do entrevistado. </li></ul></ul>
  19. 20. Pauta de Agência <ul><ul><li>Fornece aos clientes uma prévia dos assuntos que serão reportagem no dia </li></ul></ul>
  20. 21. Pauta de Internet <ul><ul><li>Objetiva e direta. </li></ul></ul><ul><ul><li>Enumera ações que devem ser executadas para se realizar a matéria </li></ul></ul><ul><ul><li>Constam nela o endereço de outras páginas que possam auxiliar na confecção da matéria. </li></ul></ul>
  21. 22. Pautas por ocasião <ul><li>Pauta do dia </li></ul><ul><li>Pauta do Reporter </li></ul><ul><li>Pauta de Cobertura </li></ul><ul><li>Pautão </li></ul><ul><li>Pautas especiais </li></ul><ul><li>Pauta recomendada </li></ul>
  22. 23. Pauta do dia <ul><ul><li>Consolidação das pré-pautas </li></ul></ul><ul><ul><li>Orienta os repórteres </li></ul></ul>
  23. 24. Pauta do Repórter <ul><ul><li>Guia pessoal para orientação da apuração e redação da matéria. </li></ul></ul>
  24. 25. Pauta de cobertura <ul><ul><li>Utilizada para grandes assuntos ou eventos programados </li></ul></ul>
  25. 26. Pautão <ul><ul><li>Quando o editor-chefe faz ajustes nas pautas das editorias </li></ul></ul><ul><ul><li>Pode também ser feita por toda a equipe, com assuntos para várias edições. </li></ul></ul>
  26. 27. Pautas Especiais <ul><ul><li>Exigem mais tempo para a sua realização </li></ul></ul>
  27. 28. Pauta recomendada
  28. 29. Pauta da Lupa <ul><ul><li>Deve obedecer o template! </li></ul></ul><ul><ul><li>Uma boa pauta pode ter até 15 páginas. </li></ul></ul>
  29. 31. Para uma captação eficiente <ul><li>Uma pauta completa e organizada </li></ul><ul><li>Prévia programação do roteiro (horário da entrevista, local para fotografia, encontro com fonte...) </li></ul><ul><li>Definição do enfoque no assunto </li></ul><ul><li>Um “plano de captação” </li></ul><ul><li>A importância do networking </li></ul><ul><li>Organizar uma lista de contatos (telefone, email) </li></ul>
  30. 32. Tipos de captação de informações <ul><li>Entrevista </li></ul><ul><ul><li>Pode ser usada como forma de captação de informações </li></ul></ul><ul><li>Observação </li></ul><ul><ul><li>Visão global sobre o universo do fato isolado </li></ul></ul><ul><ul><li>A “objetividade reducionista” </li></ul></ul><ul><li>Documentação </li></ul><ul><ul><li>Não basta ter material informativo </li></ul></ul><ul><ul><li>A informação abundante </li></ul></ul>
  31. 33. Na medida em que não é desmentida, uma notícia circulará como provável. Jean Baudrilard
  32. 34. Versões em jogo <ul><li>O desafio do repórter é encontrar evidências soterradas em camadas de versões </li></ul><ul><li>Cuidado com a verificação de informações </li></ul><ul><li>O jornalista tem que apurar cada contradição entre as fontes </li></ul><ul><li>Cada afirmação, de cada linha, só deve ser mantida depois de respaldada </li></ul>
  33. 35. Incerteza e solidez <ul><li>Visão plural de cada fenômeno </li></ul><ul><ul><li>O nível de incerteza X a necessidade de solidez; </li></ul></ul><ul><li>O jornalista deve buscar uma única verdade, mas com espírito aberto para não cegar diante de uma evidência contrária. </li></ul><ul><li>Honestidade na apuração, rigor na verificação e desconfiança diante de toda fonte de informação </li></ul>
  34. 36. Método de apuração <ul><li>Não há consenso profissional acerca de um método </li></ul><ul><li>Em geral são informais e localizados, raramente transmitidos por editores ou faculdades </li></ul><ul><li>Processo impreciso </li></ul>
  35. 37. Planejar antes de tudo <ul><li>Investigar é caro, demanda tempo e esforço </li></ul><ul><li>Não cair na tentação das ofertas fast-food </li></ul><ul><li>Triangular dados de fontes, para confirmar sua veracidade </li></ul>
  36. 38. Disciplina de verificação <ul><li>Criar antídotos para a incerteza de base que caracteriza o jornalismo </li></ul><ul><li>Três momentos para testar a disciplina de verificação: </li></ul><ul><ul><li>No planejamento da apuração </li></ul></ul><ul><ul><li>Na revisão do material apurado </li></ul></ul><ul><ul><li>Na revisão das informações editadas </li></ul></ul>
  37. 39. Passos da investigação Jornalística <ul><li>Fase 1: Elaboração da pauta </li></ul><ul><ul><li>Pista inicial + sondagem inicial + preparação da pauta </li></ul></ul><ul><li>Fase 2: Pré-produção </li></ul><ul><ul><li>Análise das fontes + sequência de abordagem </li></ul></ul><ul><li>Fase 3: Produção </li></ul><ul><ul><li>Confrontação de informações + Checagem </li></ul></ul><ul><li>Fase 4: Pós-produção </li></ul><ul><ul><li>Redação + produção visual + reserva de documentação </li></ul></ul>

×