Xvi Sieag Ufrj Claudio

586 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
586
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Xvi Sieag Ufrj Claudio

  1. 2. XVI SIEAG: “Parâmetros para a elaboração de um curso semi-presencial de inglês instrumental” A plataforma Moodle Considerações finais Contexto de pesquisa Sobre a pesquisa Fundamentação teórica Critérios adotados
  2. 3. <ul><li>Paradigma crítico (Freitas, 2003); </li></ul><ul><li>Instrumentos etnográficos de pesquisa (Erickson, 2001) ; </li></ul><ul><li>Pesquisa-ação crítica (Kemmis & Mctaggart, 1986; Zuber-Skerritt, 1996; Thiollent, 1998; Ferrance, 2000; Barbier, 2002; Morin, 2004). </li></ul><ul><li>Enfoque deste trabalho: </li></ul><ul><ul><li>Apresentar e discutir os parâmetros adotados na criação de um curso semi-presencial de inglês instrumental em uma escola pública federal no Rio de Janeiro, com uso da plataforma Moodle . A partir de recomendações da literatura, são tratadas questões relacionadas às práticas efetivamente adotadas no desenho do componente on-line deste curso. </li></ul></ul>XVI SIEAG: “Parâmetros para a elaboração de um curso semi-presencial de inglês instrumental”
  3. 4. <ul><li>Escola pública federal localizada na cidade de Duque de Caxias, Rio de Janeiro. </li></ul><ul><li>140 alunos do Ensino Médio: 2 turmas de 1º ano (61) e 2 turmas de 2º ano (79). </li></ul><ul><li>Encontros presenciais: 3 tempos semanais de 45 min (quartas e sextas-feiras). </li></ul><ul><li>Componente a distância (Plataforma Moodle). </li></ul><ul><li>Ensino-aprendizagem de inglês com foco na leitura instrumental (modelo sócio-interacional). </li></ul>XVI SIEAG: “Parâmetros para a elaboração de um curso semi-presencial de inglês instrumental”
  4. 5. <ul><li>CALL (Stevens, 1989; Warschauer, 1996, 2000, 2004; Warschauer e Haeley, 1998; Hanson-Smith, 2001, entre outros); </li></ul><ul><li>NTICs (Castells, 2003, 2006; Leffa, 2006; Paiva, 1999, 2007, 2008, entre outros); </li></ul><ul><li>AVA (Lévy, 1996; Maciel, 2002; Raabe & Vavassori, 2003; Silva, 2003, Moore & Kearsley, 2008); </li></ul><ul><li>OAs (Dunning, 2002; Koper, 2003; Sosteric e Hesemeier, 2003; McGreal, 2004; Leffa, 2006; Moore e Kearsley, 2008); </li></ul><ul><li>CAO (Bielacsyc & Collins, 1999; Palloff & Pratt, 1999; Cheng & Liou, 2000; Brown, 2001; Tavares, 2003); </li></ul><ul><li>Visão sócio-interacional de leitura (Fairclough, 1989; Nystrand & Wiemelt, 1991; Maybin & Moss, 1993; Hall, 1995; Moita Lopes, 1996; Grossmann, 1996; Orlandi, 2001, entre outros); </li></ul>XVI SIEAG: “Parâmetros para a elaboração de um curso semi-presencial de inglês instrumental”
  5. 6. Visualização: Modo Aluno XVI SIEAG: “Parâmetros para a elaboração de um curso semi-presencial de inglês instrumental”
  6. 7. Transparência Tecnológica XVI SIEAG: “Parâmetros para a elaboração de um curso semi-presencial de inglês instrumental”
  7. 8. Semana de Ambientação: Preenchimento do perfil de usuário XVI SIEAG: “Parâmetros para a elaboração de um curso semi-presencial de inglês instrumental”
  8. 9. Semana de ambientação: atividade quebra-gelo XVI SIEAG: “Parâmetros para a elaboração de um curso semi-presencial de inglês instrumental”
  9. 10. Netiqueta XVI SIEAG: “Parâmetros para a elaboração de um curso semi-presencial de inglês instrumental”
  10. 11. Ferramentas de Comunicação XVI SIEAG: “Parâmetros para a elaboração de um curso semi-presencial de inglês instrumental”
  11. 12. Instruções claras, acompanhadas de um exemplo XVI SIEAG: “Parâmetros para a elaboração de um curso semi-presencial de inglês instrumental”
  12. 13. Monitore a participação XVI SIEAG: “Parâmetros para a elaboração de um curso semi-presencial de inglês instrumental”
  13. 14. <ul><li>Use apenas a tecnologia que atenda aos objetivos da aprendizagem, mantendo-a o mais simples possível ; </li></ul><ul><li>Comece o curso com introduções , postagem de biografias e preenchimento de perfis ; </li></ul><ul><li>Proponha uma atividade quebra-gelo antes das atividades relacionadas à disciplina em si para que os participantes possam conhecer uns aos outros, contribuindo para o processo de formação de uma comunidade on-line; </li></ul><ul><li>Poste orientações para participação , incluindo uma netiqueta, ou seja, regras básicas que devem ser respeitadas durante o curso para que todos possam participar de forma respeitosa no ambiente on-line; </li></ul>XVI SIEAG: “Parâmetros para a elaboração de um curso semi-presencial de inglês instrumental”
  14. 15. <ul><li>Inclua uma área social no curso; </li></ul><ul><li>Incorpore várias ferramentas de comunicação ao curso para que elas possam facilitar a interação professor-aluno; </li></ul><ul><li>Modele o padrão de participação on-line a partir da natureza e freqüência de suas próprias mensagens; </li></ul><ul><li>Escreva, de forma clara e objetiva , as instruções para a realização de tarefas; </li></ul>XVI SIEAG: “Parâmetros para a elaboração de um curso semi-presencial de inglês instrumental”
  15. 16. <ul><li>Comunique aos participantes as expectativas de participação on-line e seja claro sobre as demandas de tempo , datas específicas de postagem e realização de tarefas; </li></ul><ul><li>Monitore a participação do aluno e investigue mudanças; </li></ul><ul><li>Acompanhe frequentemente , diariamente ou até mesmo várias vezes ao dia, dependendo do número de participantes no curso, o que acontece no AVA . </li></ul>XVI SIEAG: “Parâmetros para a elaboração de um curso semi-presencial de inglês instrumental”

×