Embriologia
Terceira Semana de Desenvolvimento <ul><li>Ocorre durante a semana que se segue a  ausência  do  primeiro  período menstru...
Gastrulação <ul><li>Processo formativo pelo qual as três camadas germinativas que são precursoras de todos os tecidos embr...
 
 
 
Linha Primitiva <ul><li>Primeiro sinal da gastrulação -> aparecimento da linha primitiva </li></ul><ul><li>Opacidade forma...
Linha Primitiva <ul><li>Assim que a linha primitiva surge, é possível identificar o eixo cefálico-caudal do embrião, as ex...
 
Linha Primitiva e Nó Primitivo  (Nó de Hansen)
Linha Primitiva <ul><li>Células abandonam sua superfície profunda e formam o mesênquima ->tecido formado por células froux...
 
 
Formação  do mesoderma intra-embrionário – 3ª semana
Formação  do Embrião Tridérmico  – 3ª semana
 
Mesoderma Intra-Embrionário <ul><li>Pouco depois do aparecimento da linha primitiva, células abandonam sua superfície prof...
Processo Notocordal <ul><li>Células mesenquimais provenientes do nó primitivo e da linha primitiva formam o processo notoc...
 
 
NOTOCORDA <ul><li>A notocorda define o eixo primitivo do embrião dando-lhe uma certa rigidez. </li></ul><ul><li>Serve de b...
Ectoderma neural Ectoderma da superfície Endoderma embrionário
Encéfalo em desenvolvimento Região cardiogênica  Intestino primitivo
 
Superfície escamosa das céls. ectodérmicas  e as  células colunares do tubo neural Estomodeu (cavidade oral primitiva) ,  ...
NEURULAÇÃO <ul><li>Processos envolvidos na formação da placa neural e pregas neurais e fechamento destas pregas para forma...
NEURULAÇÃO <ul><li>Placa neural:  espessamento na linha média do ectoderma embrionário, em posição cefálica ao nó primitiv...
 
NEURULAÇÃO <ul><li>O sulco neural é flanqueado pelas pregas neurais, que se juntam e se fundem para originarem o  tubo neu...
FORMAÇÃO DA CRISTA NEURAL <ul><li>Com a fusão das  pregas neurais  para formar o  tubo neural , células neuroectodérmicas ...
O Sistema Nervoso
FORMAÇÃO DA CRISTA NEURAL <ul><li>As células da crista neural dão origem a várias outras estruturas, como por exemplo, a r...
NEURULAÇÃO
 
 
Neurulação Tubo neural Notocorda Ectoderma
FORMAÇÃO DOS SOMITOS <ul><li>O  mesoderma  de cada lado da notocorda se  espessa  para formar as colunas longitudinais do ...
FORMAÇÃO DOS SOMITOS <ul><li>Os  somitos   são agregados compactos de células mesenquimais, de onde migram células que dar...
Formação do Celoma Intra-Embrionário <ul><li>O celoma intra-embrionário surge como espaços isolados no mesoderma lateral e...
Formação do Sangue e Vasos Sanguíneos <ul><li>Os  vasos sanguíneos  aparecem primeiro no saco vitelino em torno da alantói...
 
Desenvolvimento Embrionário
 
 
Desenvolvimento do Sistema Cardiovascular <ul><li>Ao final da  terceira semana , o coração está representado por um par de...
Desenvolvimento Inicial do S. Cardiovascular
 
TÉRMINO DA FORMAÇÃO DAS VILOSIDADES CORIÔNICAS <ul><li>As  vilosidades coriônicas primárias  tornam-se  vilosidades coriôn...
TÉRMINO DA FORMAÇÃO DAS VILOSIDADES CORIÔNICAS <ul><li>No fim da terceira semana, o sangue do embrião começa a fluir lenta...
 
CRESCIMENTO ANORMAL DO TROFOBLASTO <ul><li>Algumas vezes, o embrião morre e as vilosidades coriônicas não completam o seu ...
MOLA HIDATIFORME <ul><li>A mola hidatiforme é um crescimento tumoral do tecido da placenta ou das membranas. Uma mola hida...
MOLA HIDATIFORME
CORIOCARCINOMA <ul><li>METÁSTASE CEREBRAIS </li></ul>
 
Dobramento do Embrião <ul><li>Estabelecimento da forma do corpo -> dobramento do disco  trilaminar plano em embrião mais o...
Dobramento em Plano Mediano <ul><li>Dobramento ventral produz pregas cefálica e caudal -> alongamento cefálico e caudal no...
Prega Cefálica <ul><li>Encéfalo anterior cresce em direção cefálica, além da membrana bucofaríngea e coloca-se sobre o cor...
 
 
Prega Cefálica <ul><li>Intestino anterior: entre encéfalo e coração </li></ul><ul><li>Membrana bucofaríngea separa intesti...
Intestino anterior Intestino posterior
Prega Caudal <ul><li>Crescimento da parte distal do tubo neural -> primórdio da medula espinal </li></ul><ul><li>Eminência...
Intestino anterior Intestino posterior
 
Dobramento em Plano Horizontal <ul><li>Dobramento horizontal produz as pregas laterais direita e esquerda  </li></ul><ul><...
Dobramento em Plano Horizontal <ul><li>Pedículo do embrião -> cordão umblical </li></ul><ul><li>Fusão ventral das pregas l...
 
Intestino anterior Intestino posterior
Derivados das Camadas Germinativas <ul><li>ECTODERMA: SNC, SNP, epitélios sensoriais,os olhos, orelha e nariz; epiderme e ...
Derivados das Camadas Germinativas <ul><li>MESODERMA: conjuntivo, cartilagem, osso, músculos estriados e lisos, coração, v...
 
 
 
 
 
 
 
 
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

GastrulaçãO E NeurulaçãO

63.779 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia
3 comentários
12 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
63.779
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
986
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
927
Comentários
3
Gostaram
12
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

GastrulaçãO E NeurulaçãO

  1. 1. Embriologia
  2. 2. Terceira Semana de Desenvolvimento <ul><li>Ocorre durante a semana que se segue a ausência do primeiro período menstrual. </li></ul>
  3. 3. Gastrulação <ul><li>Processo formativo pelo qual as três camadas germinativas que são precursoras de todos os tecidos embrionário, e a orientação axial são estabelecidos </li></ul><ul><li>Disco embrionário bilaminar -> trilaminar </li></ul><ul><li>As células do epiblasto dão origem a todas as três camadas germinativas. </li></ul><ul><li>Embrião = gástrula </li></ul>
  4. 7. Linha Primitiva <ul><li>Primeiro sinal da gastrulação -> aparecimento da linha primitiva </li></ul><ul><li>Opacidade formada por faixa linear espessada do epiblasto. Caudalmente no plano mediano do aspecto dorsal do disco embrionário </li></ul><ul><li>Proliferação e migração das células do epiblasto para o plano mediano. </li></ul><ul><li>LP -> se alonga -> adição de células extremidade caudal </li></ul><ul><li>Extremidade cranial -> proliferação -> nó primitivo </li></ul>
  5. 8. Linha Primitiva <ul><li>Assim que a linha primitiva surge, é possível identificar o eixo cefálico-caudal do embrião, as extremidades cefálica e caudal, as superfícies dorsal e ventral e os lados direito e esquerdo. </li></ul><ul><li>LP ->sulco primitivo. NP ->fosseta primitiva </li></ul><ul><li>Sulco e fosseta = invaginação de células epiblásticas </li></ul>
  6. 10. Linha Primitiva e Nó Primitivo (Nó de Hansen)
  7. 11. Linha Primitiva <ul><li>Células abandonam sua superfície profunda e formam o mesênquima ->tecido formado por células frouxamente arranjadas suspensas em matriz gelatinosa </li></ul><ul><li>Parte do mesênquima forma o mesoderma embrionário </li></ul><ul><li>Céls. do epiblasto, NP e outras partes da LP -> deslocam hipoblasto -> endoderma embrionário </li></ul><ul><li>Epiblasto -> ectoderma embrionário </li></ul><ul><li>LP ->forma mesoderma até início 4ª semana </li></ul><ul><li>LP diminui de tamanho -> degenera </li></ul>
  8. 14. Formação do mesoderma intra-embrionário – 3ª semana
  9. 15. Formação do Embrião Tridérmico – 3ª semana
  10. 17. Mesoderma Intra-Embrionário <ul><li>Pouco depois do aparecimento da linha primitiva, células abandonam sua superfície profunda e formam o mesênquima. </li></ul><ul><li>O mesênquima forma os tecidos de sustentação do embrião, tais como a maior parte dos tecidos conjuntivos do corpo e a trama de tecido conjuntivo das glândulas. </li></ul>
  11. 18. Processo Notocordal <ul><li>Células mesenquimais provenientes do nó primitivo e da linha primitiva formam o processo notocordal: cordão mediano que se estende cefálicamente (a partir do nó primitivo) entre o ectoderma e o endoderma do embrião até placa pré-cordal </li></ul><ul><li>PN: oco, bastão. Adquire uma luz -> canal notocordal </li></ul><ul><li>PN vai do nó primitivo à placa precordal. Surgem aberturas no assoalho do canal notocordal que logo coalescem, deixando uma placa notocordal. A placa notocordal dobra-se para formar a notocorda. A notocorda forma o eixo primitivo do embrião em torno do qual se constituirá o esqueleto axial. </li></ul>
  12. 21. NOTOCORDA <ul><li>A notocorda define o eixo primitivo do embrião dando-lhe uma certa rigidez. </li></ul><ul><li>Serve de base para o desenvolvimento do esqueleto axial(ossos da cabeça e da coluna vertebral) </li></ul><ul><li>Indica o local dos futuros corpos vertebrais. </li></ul>
  13. 22. Ectoderma neural Ectoderma da superfície Endoderma embrionário
  14. 23. Encéfalo em desenvolvimento Região cardiogênica Intestino primitivo
  15. 25. Superfície escamosa das céls. ectodérmicas e as células colunares do tubo neural Estomodeu (cavidade oral primitiva) , Coração , porção intestinal anterior , porção intestinal posterior
  16. 26. NEURULAÇÃO <ul><li>Processos envolvidos na formação da placa neural e pregas neurais e fechamento destas pregas para formar o tubo neural </li></ul><ul><li>Embrião = nêurula </li></ul>
  17. 27. NEURULAÇÃO <ul><li>Placa neural: espessamento na linha média do ectoderma embrionário, em posição cefálica ao nó primitivo (acima da notocorda). </li></ul><ul><li>Placa neural é induzida a formar-se pelo desenvolvimento da notocorda e do mesênquima que lhe é adjacente </li></ul><ul><li>Um sulco neural, longitudinal, forma-se na placa neural . </li></ul>
  18. 29. NEURULAÇÃO <ul><li>O sulco neural é flanqueado pelas pregas neurais, que se juntam e se fundem para originarem o tubo neural . O desenvolvimento da placa neural e o seu dobramento para formar o tubo neural é chamado neurulação . </li></ul><ul><li>O tubo neural é o primórdio do sistema nervoso central. </li></ul>
  19. 30. FORMAÇÃO DA CRISTA NEURAL <ul><li>Com a fusão das pregas neurais para formar o tubo neural , células neuroectodérmicas migram dorsolateralmente para constituírem a crista neural, entre o ectoderma superficial e o tubo neural . </li></ul><ul><li>A crista neural logo se divide em duas massas que dão origem ao sistema nervoso periférico . </li></ul>
  20. 31. O Sistema Nervoso
  21. 32. FORMAÇÃO DA CRISTA NEURAL <ul><li>As células da crista neural dão origem a várias outras estruturas, como por exemplo, a retina. </li></ul>
  22. 33. NEURULAÇÃO
  23. 34.
  24. 37. Neurulação Tubo neural Notocorda Ectoderma
  25. 38. FORMAÇÃO DOS SOMITOS <ul><li>O mesoderma de cada lado da notocorda se espessa para formar as colunas longitudinais do mesoderma paraxial . A divisão dessas colunas mesodérmicas paraxiais em pares de somitos começa cefalicamente, no final da terceira semana. Cerca de 38 pares de somitos são formados durante o período somítico do desenvolvimento humano (20º ao 30º dia). </li></ul>
  26. 39. FORMAÇÃO DOS SOMITOS <ul><li>Os somitos são agregados compactos de células mesenquimais, de onde migram células que darão origem às vértebras, costelas e musculatura axial . </li></ul>
  27. 40.
  28. 41.
  29. 42.
  30. 43. Formação do Celoma Intra-Embrionário <ul><li>O celoma intra-embrionário surge como espaços isolados no mesoderma lateral e no mesoderma cardiogênico (formador do coração). Estes espaços celômicos coalescem em seguida para formarem uma cavidade única em forma de ferradura, que, no final, dará origem às cavidades corporais (ex: a cavidade peritoneal). </li></ul>
  31. 44.
  32. 45.
  33. 46.
  34. 47. Formação do Sangue e Vasos Sanguíneos <ul><li>Os vasos sanguíneos aparecem primeiro no saco vitelino em torno da alantóide e no córion. Desenvolvem-se no embrião pouco depois. Aparecem espaços no interior de agregados do mesênquima (ilhotas sanguíneas), que logo ficam forradas por endotélio derivado das células mesenquimais. Estes vasos primitivos unem-se a outros para constituírem um sistema cardiovascular primitivo. </li></ul>
  35. 48.
  36. 50. Desenvolvimento Embrionário
  37. 53. Desenvolvimento do Sistema Cardiovascular <ul><li>Ao final da terceira semana , o coração está representado por um par de tubos endocárdicos ligados aos vasos sanguíneos do embrião e das membranas extra-embrionárias (saco vitelino, cordão umbilical e saco coriônico), formando o sistema cardiovascular primitivo. </li></ul><ul><li>Neste período, o sangue circula e o coração começa a bater no 21º ou 22° dia( cinco semanas após o UPMN). O sistema cardiovascular é o primeiro sistema de órgãos a alcança r um estado funcional. </li></ul>
  38. 54. Desenvolvimento Inicial do S. Cardiovascular
  39. 56. TÉRMINO DA FORMAÇÃO DAS VILOSIDADES CORIÔNICAS <ul><li>As vilosidades coriônicas primárias tornam-se vilosidades coriônicas secundárias , ao adquirirem um eixo central do mesênquima. Antes do fim da terceira semana, ocorre a formação de capilares nas vilosidades, transformando-as em vilosidades coriônicas terciárias. </li></ul>
  40. 57. TÉRMINO DA FORMAÇÃO DAS VILOSIDADES CORIÔNICAS <ul><li>No fim da terceira semana, o sangue do embrião começa a fluir lentamente através dos capilares das vilosidades coriônicas. </li></ul><ul><li>O rápido desenvolvimento das vilosidades coriônicas durante a terceira semana aumenta muito a área da superfície do cório disponível para a troca de nutrientes e outras substâncias entre as circulações materna e embrionária. </li></ul>
  41. 59. CRESCIMENTO ANORMAL DO TROFOBLASTO <ul><li>Algumas vezes, o embrião morre e as vilosidades coriônicas não completam o seu desenvolvimento; isto é, elas não se tornam vascularizadas para formar as vilosidades terciárias . Estas vilosidades em degeneração formam intumescimentos císticos, conhecidos como molas hidatiformes , que se assemelham a cachos de uva. Estas molas produzem quantidades excessivas de hCG. De 3 a 5% das molas desenvolvem-se em lesões trofoblásticas malignas chamadas coriocarcinomas . Os coriocarcinomas podem se disseminar pela corrente sanguínea para vários locais, como pulmões, vagina, fígado, osso, intestino e encéfalo. </li></ul>
  42. 60. MOLA HIDATIFORME <ul><li>A mola hidatiforme é um crescimento tumoral do tecido da placenta ou das membranas. Uma mola hidatiforme pode desenvolver-se a partir de células que permanecem após um aborto espontâneo ou uma gravidez a termo </li></ul>
  43. 61. MOLA HIDATIFORME
  44. 62. CORIOCARCINOMA <ul><li>METÁSTASE CEREBRAIS </li></ul>
  45. 64. Dobramento do Embrião <ul><li>Estabelecimento da forma do corpo -> dobramento do disco trilaminar plano em embrião mais ou menos cilíndrico </li></ul><ul><li>Rápido crescimento do embrião -> dobramento em plano mediano e horizontal </li></ul><ul><li>Crescimento lateral não acompanha o comprimento. Porém acontecem simultaneamente </li></ul>
  46. 65. Dobramento em Plano Mediano <ul><li>Dobramento ventral produz pregas cefálica e caudal -> alongamento cefálico e caudal no embrião </li></ul>
  47. 66. Prega Cefálica <ul><li>Encéfalo anterior cresce em direção cefálica, além da membrana bucofaríngea e coloca-se sobre o coração em desenvolvimento </li></ul><ul><li>Septo transverso, coração primitivo, celoma pericárdico e membrana bucofaríngea se deslocam na superfície ventral do embrião </li></ul><ul><li>Dobramento longitudinal: parte do endoderma do saco vitelino é incorporado ao embrião -> intestino anterior (primórdio de faringe, esôfago, estômago, duodeno, fígado e pâncreas) </li></ul>
  48. 69. Prega Cefálica <ul><li>Intestino anterior: entre encéfalo e coração </li></ul><ul><li>Membrana bucofaríngea separa intestino anterior do estomodeu </li></ul><ul><li>P. Cefálica influencia formação do celoma embrionário -> primórdio das cavidades do corpo </li></ul><ul><li>Antes: celoma cavidade achatada, forma de fechadura </li></ul><ul><li>Depois celoma pericárdico localiza-se ventralmente ao coração e cefálico ao septo transverso. Celoma intra-embrionário comunica-se com o celoma extra-embrionário </li></ul>
  49. 70. Intestino anterior Intestino posterior
  50. 71. Prega Caudal <ul><li>Crescimento da parte distal do tubo neural -> primórdio da medula espinal </li></ul><ul><li>Eminência caudal se projeta sobre a membrana cloacal -> futura região do ânus </li></ul><ul><li>Parte da camada endodérmica é incorporada ao embrião->intestino posterior(primórdio cólon descendente) </li></ul><ul><li>Porção terminal do intestino posterior se dilata levemente -> forma cloaca ->primórdio da bexiga e reto </li></ul><ul><li>Antes: linha primitiva cranialmente a membrana cloacal </li></ul><ul><li>Depois: linha primitiva assume região caudal </li></ul><ul><li>Pedículo do embrião: prende-se a superfície ventral </li></ul><ul><li>Alantóide (divertículo do saco vitelino) incorporada ao embrião </li></ul>
  51. 72. Intestino anterior Intestino posterior
  52. 74. Dobramento em Plano Horizontal <ul><li>Dobramento horizontal produz as pregas laterais direita e esquerda </li></ul><ul><li>Resultado do rápido crescimento da medula e dos somitos </li></ul><ul><li>Primórdios da parede ventrolateral dobram-se -> embrião cilíndrico </li></ul><ul><li>Formação das paredes abdominais -> parte do endoderma é incorporado ao embrião->intestino médio (intestino delgado, ceco, apêndice,cólon ascendente e metade do transverso </li></ul><ul><li>Inicialmente:comunicação do IM com saco vitelino </li></ul><ul><li>Depois: comunicação reduzida -> pedículo vitelino </li></ul>
  53. 75. Dobramento em Plano Horizontal <ul><li>Pedículo do embrião -> cordão umblical </li></ul><ul><li>Fusão ventral das pregas laterais: redução da comunicação entre celoma intra e extra-embrionário </li></ul><ul><li>Expansão da cavidade amniótica -> oblitera parte do celoma extra-embrionário -> revestimento epitelial do cordão umbilical </li></ul>
  54. 77. Intestino anterior Intestino posterior
  55. 78. Derivados das Camadas Germinativas <ul><li>ECTODERMA: SNC, SNP, epitélios sensoriais,os olhos, orelha e nariz; epiderme e anexos; glândulas mamárias, hipófise, glândulas subcutâneas e esmalte dos dentes </li></ul><ul><li>CRISTA NEURAL: células dos gânglios espinais, do crânio e gânglios autônomos; células d abainha do SNP; células pigmentares da epiderme, medula da supra-renal e meninges </li></ul>
  56. 79. Derivados das Camadas Germinativas <ul><li>MESODERMA: conjuntivo, cartilagem, osso, músculos estriados e lisos, coração, vasos sanguíneos e linfáticos, rins, ovários, testículos, ductos genitais, membranas serosas que revestem cavidade do corpo, baço, córtex das supra-renais </li></ul><ul><li>ENDODERMA: revestimento epitelial dos tratos gastrointestinal e respiratório, parênquima das tonsilas, da tireóide e paratireóides, do timo, do fígado e do pâncreas, revestimento epitelial da bexiga e maior parte da uretra e revestimento epitelial da cavidade timpânica, antro do tímpano e tuba auditiva </li></ul>

×