Enfoque Comportamental

39.582 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Negócios
1 comentário
12 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
39.582
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
287
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
915
Comentários
1
Gostaram
12
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Enfoque Comportamental

  1. 1. ENFOQUE COMPORTAMENTAL DA ADMINISTRAÇÃO
  2. 2. Introdução Teve origem como um desdobramento da Teoria das Relações Humanas e como uma tentativa de consolidar o enfoque das relações humanas nas teorias das organizações.
  3. 3. Período Histórico e Direcionamento da Abordagem Foi desenvolvido entre as décadas de 40 e 60 , sendo adotada uma orientação mais psicológica, com foco no ajustamento pessoal do trabalhador na organização e nos efeitos dos relacionamentos intragrupais e estilos de liderança .
  4. 4. Principais Personagens <ul><li>Kurt Lewin; </li></ul><ul><li>Herbert Simon; </li></ul><ul><li>Abraham Maslow; </li></ul><ul><li>Clayton Alderfer; </li></ul><ul><li>Frederick Herzberg; </li></ul><ul><li>David McClelland; </li></ul>
  5. 5. Kurt Lewin Os estudos de Lewin constituíram a passagem das relações humanas para um novo movimento dedicado à administração e à psicologia industrial na década de 60. Lewin conduziu experimentos de grupo para medir a atmosfera da liderança (autocrática, liberal e democrática) e outros assuntos de interesse.
  6. 6. Kurt Lewin O núcleo central da teoria de Lewin é o estudo de pequenos grupos, enfatizando coesão grupal, padrões grupais, motivação, participação, processo decisório, produtividade, tensões, estilos de liderança etc. O grupo é composto de um número restrito de pessoas (geralmente menos de sete), que gozam de livre interação durante um período razoavelmente longo de tempo.
  7. 7. Kurt Lewin Determinantes para a formação dos grupos: interação entre membros; proximidade entre as pessoas; interesses comuns; tamanho (cinco como o número mais adequado); comunicação. Uma vez formados, esses grupos se estruturam, controlam o comportamento dos seus participantes, tendem a resistir a mudanças e produzem líderes.
  8. 8. Herbert Simon Simon destaca o conceito de “homem satisfatório”, que queria significar que o objetivo da administração não deve ser “maximizar” ou “otimizar” a atividade, e sim, alcançar a condição que “satisfaça”. Dessa forma, Simon refuta pressuposto da racionalidade que baseia as teorias nos campos da economia, da teoria dos jogos e do processo decisório estatístico.
  9. 9. O Estudo da Motivação Motivação é “alguma força direcionada dentro dos indivíduos, pela qual eles tentam alcançar a meta, a fim de preencher uma necessidade ou expectativa”. As pessoas tem seu comportamento determinado pelo que as motiva. Seu desempenho é um produto de dois fatores: nível de habilidade e motivação. Desempenho = f (habilidade x motivação)
  10. 10. O Modelo Básico de Motivação
  11. 11. Necessidades e Expectativas no Trabalho As necessidades e expectativas podem ser caracterizadas de vários modos, desde divisões simples em motivos psicológicos e motivos sociais, ou em motivação intrínseca e extrínseca. As motivações intrínsecas estão relacionadas às recompensas psicológicas, geralmente determinadas pelas ações e comportamentos individuais dos gerentes.
  12. 12. Necessidades e Expectativas no Trabalho As motivações extrínsecas estão relacionadas às recompensas materiais, geralmente determinadas pela alta direção e que podem estar fora do controle individual dos gerentes.
  13. 13. O Ciclo da Motivação
  14. 14. A Frustração do Indivíduo Frustração é o sentimento que se desenvolve no indivíduo quantas vezes ele não consegue alcançar seus objetivos ou satisfazer necessidades estabelecidas.
  15. 15. Os Elementos da Frustração
  16. 16. Teorias da Motivação Abraham Maslow; Clayton Alderfer; Frederick Herzberg; David McClelland; Principais Personagens
  17. 17. Teorias da Motivação MASLOW Teoria da Hierarquia das Necessidades
  18. 18. Maslow Estabeleceu que os indivíduos se comportam no sentido de suprir as suas necessidades mais imediatas, que se priorizam na seguinte escala:
  19. 19. Maslow
  20. 20. Teorias da Motivação ALDERFER Teoria ERC
  21. 21. Alderfer Alderfer estabeleceu apenas três níveis de necessidades de motivação para os funcionários, no que denominou teoria ERC: Necessidades de existência (E) : o desejo de bem-estar fisiológico e material; Necessidades de relacionamento (R) : o desejo de satisfação das relações interpessoais; Necessidades de crescimento (C) : o desejo de crescimento continuado e desenvolvimento pessoal.
  22. 22. Teorias da Motivação HERZBERG Teoria dos fatores Higiênicos e Motivacionais
  23. 23. Herzberg Fatores de Higiene : são fatores relacionados com as condições do ambiente, não produzem nenhum crescimento nas respostas do trabalhador, mas evitam perda de desempenho, causada por restrição do trabalho; Fatores de Motivação : se relacionam ao conteúdo do cargo e provocam satisfação nas pessoas com o seu trabalho, sendo necessários para manter a satisfação e alto desempenho no cargo.
  24. 24. Herzberg
  25. 25. Comparação entre Maslow e Herzberg
  26. 26. Teorias da Motivação McCLELLAND Teoria X e Y
  27. 27. McClelland Para McClelland existem certas necessidades que são aprendidas e socialmente adquiridas, assim que o indivíduo interage com o ambiente. São elas: Necessidades de realização : necessidade de desafio para a realização pessoal e para o sucesso em situações competitivas. Necessidades de afiliação : necessidade de estabelecer relacionamentos pessoais próximos, de evitar conflito e estabelecer fortes amizades.
  28. 28. McClelland Necessidades de poder : desejo de influenciar ou controlar outros, ser responsável por outros e ter autoridade sobre outros.
  29. 29. Comparação entre as teorias motivacionais

×