Tema III - Estrutura e dinâmica da Geosfera<br />Métodos para o estudo do interior da geosfera<br />16.1<br />
Situação problema<br />As ilhas vulcânicas do arquipélago açoriano situam--se num enquadramento tectónico muito particular...
3<br />
A geodinâmica associada ao arquipélago dos Açores está condicionada pela junção tripla entre as placas litosféricas Norte-...
O Rifte da Terceira, uma zona de expansão oceânica perpendicular à Dorsal Médio-Oceânica, passa pela ilha Graciosa, pela i...
O Rifte da Terceira faz parte de um limite tectónico mais amplo - a fronteira entre as placas Euroasiática e Africana - de...
O limite entre estas duas placas é complexo<br />7<br />
Por sua vez, a Dorsal Médio-Atlântica é cortada por diversas falhas activas.<br />8<br />
Dado o seu enquadramento geotectónico, a região dos Açores apresenta importante actividade vulcânica e sísmica <br />9<br />
10<br />
Os Açores situam-se num quadro tectónico original, que confere a essas ilhas uma geodinâmica muito activa, nomeadamente no...
Os geólogos consideram que o vulcanismo açoriano poderá não estar associado à dorsal médio-Atlântica, mas às falhas que de...
Métodos para o estudo do interior da geosfera<br />13<br />
14<br />
Métodos directos<br />Exploração de jazidas minerais em minas e escavações<br />Observação e estudo directo da superfície ...
Métodos directos<br />Permitem recolher informações sobre o interior da Terra.<br />No entanto estas informações limitam-s...
17<br />
Métodos directos<br />Permite-nos concluir acerca da existência de dobras ou de falhas, qual o tipo de rocha e respectiva ...
Métodos directos<br />permitem retirar colunas de rochas relativas a milhões de anos de história da Terra. <br />Conseguim...
20<br />
Península de Kola, <br />   12 023 m; <br />Pacífico central, 2000m sob fundo oceânico a -3000m de profundidade.  <br />21...
Métodos directos<br />Permite atingir maior profundidade<br />Tarolos de sondagem<br />Sondagens<br />22<br />
23<br />
Métodos directos<br />Os furos de sondagem para exploração petrolífera que ultrapassam os 1700 m de profundidade designam-...
As sondagens não podem atingir profundidades elevadas devido a razões técnicas e financeiras.<br />25<br />
26<br />
Perfurar a Terra até aos 7 mil metros - Expedição ChikyuHakken<br />27<br />
A temperatura e a pressão aumentam com a profundidade e os materiais utilizados teriam que conseguir resistir a estas cond...
Métodos directos<br />Fornece-nos importantes informações sobre o interior da Terra, até cerca de 150Km de profundidade.<b...
Métodos directos<br />Um vulcão não nos fornece apenas a lava como fonte de estudo, mas também fragmentos da chaminé e da ...
31<br />
Tectónica de placas<br />Nos limites convergentes de placas, as forças de compressão, actuando durante dezenas de milhões ...
Ofiólito<br />Sequência rochosa típica de crusta oceânica. Um ofiolito apresenta da base para o topo, a seguinte sucessão:...
Os ofiólitos ocorrem à superfície por acção dos processos tectónicos de obducção, podendo ser encontrados afloramentos ofi...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

16.1 Métodos Directos

2.532 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.532
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
42
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

16.1 Métodos Directos

  1. 1. Tema III - Estrutura e dinâmica da Geosfera<br />Métodos para o estudo do interior da geosfera<br />16.1<br />
  2. 2. Situação problema<br />As ilhas vulcânicas do arquipélago açoriano situam--se num enquadramento tectónico muito particular –a Junção Tripla dos Açores<br />2<br />
  3. 3. 3<br />
  4. 4. A geodinâmica associada ao arquipélago dos Açores está condicionada pela junção tripla entre as placas litosféricas Norte-americana, Euroasiática e Africana<br />4<br />
  5. 5. O Rifte da Terceira, uma zona de expansão oceânica perpendicular à Dorsal Médio-Oceânica, passa pela ilha Graciosa, pela ilha Terceira e pela parte ocidental da ilha de São Miguel.<br />5<br />
  6. 6. O Rifte da Terceira faz parte de um limite tectónico mais amplo - a fronteira entre as placas Euroasiática e Africana - designado Falha Açores-Gibraltar.<br />6<br />
  7. 7. O limite entre estas duas placas é complexo<br />7<br />
  8. 8. Por sua vez, a Dorsal Médio-Atlântica é cortada por diversas falhas activas.<br />8<br />
  9. 9. Dado o seu enquadramento geotectónico, a região dos Açores apresenta importante actividade vulcânica e sísmica <br />9<br />
  10. 10. 10<br />
  11. 11. Os Açores situam-se num quadro tectónico original, que confere a essas ilhas uma geodinâmica muito activa, nomeadamente no que se refere ao vulcanismo e à sismicidade. <br />Não parece haver uma estrutura tectónica única e bem definida entre a placa Euro-asiática e a placa Africana na região dos Açores, mas antes uma larga faixa de acomodação das tensões entre estas duas placas.<br />11<br />
  12. 12. Os geólogos consideram que o vulcanismo açoriano poderá não estar associado à dorsal médio-Atlântica, mas às falhas que delimitam a microplaca. <br />O magma ascenderá por estas falhas compondo aparelhos vulcânicos, que são inicialmente submarinos, podendo formar ilhas quando o volume de material emitido é elevado. <br />12<br />
  13. 13. Métodos para o estudo do interior da geosfera<br />13<br />
  14. 14. 14<br />
  15. 15. Métodos directos<br />Exploração de jazidas minerais em minas e escavações<br />Observação e estudo directo da superfície visível<br />Métodos directos<br />Sondagens<br />Magmas e xenólitos<br />15<br />
  16. 16. Métodos directos<br />Permitem recolher informações sobre o interior da Terra.<br />No entanto estas informações limitam-se apenas a alguns metros de profundidade<br />A exploração de jazidas minerais em minas<br />16<br />
  17. 17. 17<br />
  18. 18. Métodos directos<br />Permite-nos concluir acerca da existência de dobras ou de falhas, qual o tipo de rocha e respectiva idade.<br />Estas observações limitam-se a poucos metros de profundidade.<br />Observação directa da superfície terrestre<br />18<br />
  19. 19. Métodos directos<br />permitem retirar colunas de rochas relativas a milhões de anos de história da Terra. <br />Conseguimos determinar qual a rocha e a sua idade;<br />A presença ou ausência de falhas e dobras.<br />Sondagens<br />19<br />
  20. 20. 20<br />
  21. 21. Península de Kola, <br /> 12 023 m; <br />Pacífico central, 2000m sob fundo oceânico a -3000m de profundidade. <br />21<br />
  22. 22. Métodos directos<br />Permite atingir maior profundidade<br />Tarolos de sondagem<br />Sondagens<br />22<br />
  23. 23. 23<br />
  24. 24. Métodos directos<br />Os furos de sondagem para exploração petrolífera que ultrapassam os 1700 m de profundidade designam-se furos profundos.<br />Furos de sondagem<br />24<br />
  25. 25. As sondagens não podem atingir profundidades elevadas devido a razões técnicas e financeiras.<br />25<br />
  26. 26. 26<br />
  27. 27. Perfurar a Terra até aos 7 mil metros - Expedição ChikyuHakken<br />27<br />
  28. 28. A temperatura e a pressão aumentam com a profundidade e os materiais utilizados teriam que conseguir resistir a estas condições.<br />http://www.jamstec.go.jp/chikyu/eng/ChikyuImages/science.html<br />28<br />
  29. 29. Métodos directos<br />Fornece-nos importantes informações sobre o interior da Terra, até cerca de 150Km de profundidade.<br />Um vulcão quando entra em actividade lança para o exterior materiais que se encontram no interior da Terra.<br />A análise desses materiais permite-nos conhecer a composição da parte superior da crosta terrestre.<br />Actividade vulcânica<br />29<br />
  30. 30. Métodos directos<br />Um vulcão não nos fornece apenas a lava como fonte de estudo, mas também fragmentos da chaminé e da câmara magmática - xenólitos<br />Actividade vulcânica<br />Xenólitos<br />30<br />
  31. 31. 31<br />
  32. 32. Tectónica de placas<br />Nos limites convergentes de placas, as forças de compressão, actuando durante dezenas de milhões de anos, são capazes de criar deformações da litosfera tão intensas, que vestígios de um fundo oceânico podem surgir no alto de uma montanha, a milhares de metros de altitude<br />32<br />
  33. 33. Ofiólito<br />Sequência rochosa típica de crusta oceânica. Um ofiolito apresenta da base para o topo, a seguinte sucessão:<br />a) rochas residuais, normalmente peridotitos.b) cumulados de rochas ultramáficas e máficas (peridotitos, piroxenitos e gabros, respectivamente).c) diques verticais (sheeted diques).d) rochas vulcânicas basálticas, que tendem a apresentar estrutura em lavas em almofada (pillow lavas).e) rochas sedimentares pelágicas, tais como, calcários, entre outros.<br />33<br />
  34. 34. Os ofiólitos ocorrem à superfície por acção dos processos tectónicos de obducção, podendo ser encontrados afloramentos ofiolíticos a grandes altitudes, fazendo parte de cadeias montanhosas. <br />34<br />

×