Projeto 100% Negro

8.469 visualizações

Publicada em

Projeto 100% negro

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.469
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
326
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
50
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Projeto 100% Negro

  1. 1. Sala de Leitura : Projeto 100% Negro Valorizando e difundindo a cultura afro-brasileira
  2. 2. Justificativa <ul><li>A sala de leitura, um espaço que de certa forma, serve de mediação e apoio ao trabalho dos demais professores da escola, desenvolveu o referido projeto, com a intenção de tecer uma grande teia de informações em relação à cultura afro-brasileira, propondo aos alunos do C IV- 8º um trabalho investigativo pautado em pesquisa de campo e bibliográfica possibilitando aos mesmos, construir seus próprios conhecimentos, sendo capazes, de superarem os possíveis desafios durante o processo de aprendizagem. Além disso os demais alunos da escola puderam participar de outras atividades também ligadas ao projeto. Tal iniciativa vai também ao encontro da lei 10.639, de 9 de janeiro de 2003 que torna obrigatório nos estabelecimentos de ensino fundamental e médio, oficiais e particulares o ensino sobre a História e Cultura Afro-Brasileira. O projeto foi socializado com a comunidade interna e externa da escola, no dia 20 de novembro de 2008 no dia Nacional da Consciência Negra. </li></ul>
  3. 3. Objetivo Geral <ul><li>Trazer para dentro da escola a discursão sobre a cultura afro-brasileira, valorizando a mesma como forma de banir o preconceito e a discriminação em relação ao negro. </li></ul>
  4. 4. Objetivos específicos <ul><li>Desenvolver a sociabilidade dos alunos, visando à troca de informações e o respeito à opinião do outro; </li></ul><ul><li>Estimular o pensamento crítico, através da leitura de vários textos que aborde a referida temática; </li></ul><ul><li>Compreender a realidade do negro no decorrer da história até a atualidade; </li></ul><ul><li>Produzir textos que abordem o tema em questão. </li></ul>
  5. 5. Metodologia <ul><li>A partir do tema proposto foi realizada inicialmente pesquisa bibliográfica na sala de leitura da escola, visita ao Conselho do Negro da Secretaria Municipal de Educação e Cultura - SEMEC; produções de relatório, concurso da melhor poesia, concurso do melhor rap que abordou a questão do negro, escolha do casal beleza negra da escola Nestor Nonato de Lima, entre outras atividades a exemplo, da oficina de tranças rastafari e da apresentação do grupo “Cauí” e de capoeira. Ressalta-se que todas as ações realizadas durante o projeto foram socializadas no dia 20 de novembro Dia Nacional da Consciência Negra, sendo o evento aberto a comunidade externa. </li></ul>
  6. 6. Avaliação <ul><li>A avaliação aconteceu no decorrer do projeto e foi observado nos alunos a motivação, sensibilidade, autonomia, senso crítico, a auto-estima, participação, além do desenvolvimento do cognitivo em relação à temática abordada . </li></ul>
  7. 7. Recursos didáticos <ul><li>Livros; </li></ul><ul><li>TV; </li></ul><ul><li>DVD; </li></ul><ul><li>papéis variados (cartolina, 40 KL, crepom etc...); </li></ul><ul><li>câmara digital; </li></ul><ul><li>revistas; </li></ul><ul><li>caneta piloto; </li></ul><ul><li>pincel atômico; </li></ul><ul><li>cola; </li></ul><ul><li>tesoura entre outros. </li></ul>
  8. 8. Referência bibliográfica <ul><li>Cadernos outros 500 - Sugestão para trabalho com grupos sobre a questão da raça negra, indígena, gênero e criança e adolescente; </li></ul><ul><li>Diretrizes Curriculares Nacionais para a educação das relações ético-raciais e para o ensino de história e cultura Afro-Brasileira e Africana; </li></ul><ul><li>Borges, Edson - Racismo, preconceito e intolerância - Edson Borges, Carlos Alberto Medeiros, Jacques d´Adesky; coordenação Wanderley Loconte. – São Paulo: Atual, 2002. _ (Espaço & debate); </li></ul><ul><li>Saberes e fazeres. V.1: modos de ver/ coordenação do projeto Ana Paula Brandão. - Rio de Janeiro: Fundação Roberto Marinho, 2006. 116p: il. Color – (A cor da cultura). </li></ul>
  9. 9. Registros fotográficos <ul><li>Painel produzido pela professora de artes </li></ul>
  10. 10. Conselho do Negro <ul><li>Os alunos do C IV 8º ano ficaram atentos durante a fala de um dos representantes do Conselho do Negro </li></ul>
  11. 11. Relatório dos alunos <ul><li>Alguns relatórios dos alunos do C IV – 8º ano </li></ul>
  12. 12. Livros da sala de leitura <ul><li>Exposição de alguns livros utilizados durante o projeto </li></ul>
  13. 13. Poesias <ul><li>Algumas poesia produzidas pelos alunos </li></ul>
  14. 14. Comidas típicas <ul><li>Algumas pessoas saborearam as delícias da culinária africana </li></ul>
  15. 15. Oficina de trança <ul><li>As próprias alunas da escola organizaram a oficina </li></ul>
  16. 16. Grupo “Cauí” <ul><li>As alunas dançaram ao som da música “Mama África” </li></ul>
  17. 17. Participação de grupos artísticos <ul><li>Grupo de percussão do EMAÚS </li></ul>
  18. 18. Capoeira <ul><li>Alunos da escola jogando capoeira </li></ul>
  19. 19. Grupo de hip-rop da escola <ul><li>O talento de nossos alunos e a valorização do ritmo afro </li></ul>
  20. 20. Grupo de Hip-rop da nossa comunidade <ul><li>Integrantes do grupo da comunidade fizeram uma apresentação na escola </li></ul>
  21. 21. O despertar da poesia <ul><li>Timóteo, nosso poeta mirim, mostrou seu talento </li></ul>
  22. 22. A beleza negra <ul><li>Márcia e Yan foi o casal escolhido para representar a beleza negra da escola Nestor Nonato de Lima </li></ul>
  23. 23. A comunidade externa prestigiou o projeto 100% Negro <ul><li>Os projetos da sala de leitura rompem os muros da escola </li></ul>
  24. 24. Novos horizontes <ul><li>A melhor recompensa de ser professora em uma escola pública é a partir de iniciativas iguais a esta, mesmo diante de inúmeras dificuldades, proporcionar aos alunos a descoberta de novos horizontes. </li></ul><ul><li>Leonor Alves </li></ul>

×