Gripe Virus H5 N1[1]

1.119 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina, Tecnologia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.119
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
22
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Gripe Virus H5 N1[1]

  1. 2. Pandemia
  2. 3. PANDEMIA PREPARAÇÃO PARA A EMERGÊNCIA NAS EMPRESAS Formação CVP 7 FEV 2007
  3. 4. RESPONSABILIDADES: Individual / CVP / Ministério da Saúde Planificar Evitar Gerir Empresas Indivíduos CVP Prevenção Triagem Informação Quarentena Apoio domiciliário Ministério da Saúde Evolução da Pandemia
  4. 5. Gripe das Aves Epidemia Pandemia Endemia ≠
  5. 6. Gripe das Aves Infecção pelo Vírus Influenza A (H5N1) Resumo histórico O sindroma originado pelos vírus influenza tem sido referenciado: <ul><li>Século XX 3 grandes pandemias, todas originadas por animais (suínos em 1918 e aves em 1957 e 1968) </li></ul>A mais devastadora foi a “ gripe espanhola ”, devida ao vírus Influenza A(H1N1) , que matou entre 30 a 40 milhões de pessoas entre 1918 e 1920. As pandemias de 1957 ( gripe asiática ) e de 1968 ( gripe de Hong Kong ) mataram mais de 4 milhões de pessoas, sobretudo crianças e idosos; a 1ª foi devida ao subtipo A(H2N2) e a 2ª aos subtipos A(H3N3) e A(H1N1). <ul><li>412 A.C Hipócrates 1ª Referência </li></ul><ul><li>1580 1ª descrição completa de uma pandemia gripal </li></ul>
  6. 7. Vírus da Gripe Situação actual Em 1931, Richard Shope isolou pela 1ª vez o vírus da gripe nos porcos Em 1933, foi descrito o 1º vírus humano (Smith, Andrewes e Laidlaw), denominado vírus A Em 1940 foi descoberto o vírus B e em 1947 o vírus C
  7. 8. Vírus da Gripe Situação actual A etiologia viral da gripe é hoje em dia aceite sem qualquer dúvida…. … .O bacilo descoberto por Pfüger, em 1890 em doentes falecidos numa epidemia de gripe…tratava-se de um bacilo Gram(-), conhecido hoje como Haemophilus Influenza
  8. 9. Vírus da Gripe Estrutura dos vírus da gripe Os vírus: <ul><li>Não têm núcleo </li></ul><ul><li>Só têm um único ácido nucleico…ou DNA ou RNA </li></ul><ul><li>Replicam-se por “parasitismo” </li></ul>… Os vírus A e B contêm cada um oito segmentos de ARN e o vírus C contem sete. Os vírus da gripe são vírus ARN…
  9. 10. Vírus da Gripe Estrutura dos vírus da gripe O vírus A divide-se em sub-tipos de acordo com as glicoproteínas de superfície: <ul><li>Hemaglutinina ( H ) – permite a “colagem” do vírus à célula, responsàvel pela sua virulência…tem função antigénica. </li></ul><ul><li>Neuraminidase ( N )-” desfaz” a colagem às células dos vírus replicados, permitindo a sua libertação para o exterior </li></ul>É contra a neuraminidase que são dirigidos nos principais tratamentos anti-virais específicos.
  10. 11. Vírus da Gripe Estrutura dos vírus da gripe Na gripe de tipo A existem 16 tipos de hemaglutininas e 9 de neuramindases … os sub-tipos possíveis serão pois 9 x 16 = 144 !! Só um pequeno nº tinha sido detectado no homem: <ul><li>A ( H1N1 ) </li></ul><ul><li>A ( H2N2 ) </li></ul><ul><li>A ( H3N2 ) </li></ul>Nos últimos anos foram descobertos novos sub-tipos entre as doenças humanas: <ul><li>A ( H5N1 ) </li></ul><ul><li>A ( H7N7 ) </li></ul><ul><li>A ( H9N2 ) </li></ul>
  11. 12. Vírus da Gripe Estrutura dos vírus da gripe Os vírus B e C são quase exclusivamente humanos. Os vírus A são essencialmente aviários e só uma minoria afecta os mamíferos
  12. 13. Vírus da Gripe Estrutura dos vírus da gripe Os vírus da gripe subsistem ao frio. São destruídos a + 56 graus C durante 3 horas e a + 63 graus C durante 30 minutos… … uma cozedura a + 70 graus será pois eficaz!! … o perigo de contaminação desaparece desde que a carne seja cozinhada
  13. 14. Gripe das Aves Virus Influenza Alterações da composição antigénica e genética Profundas Menores Shift Drift
  14. 15. Gripe das Aves Infecção pelo Vírus Influenza A (H5N1) Situação actual Em 1997, numa criança de 3 anos com problemas respiratórios de rápido agravamento, foi isolado um vírus A do sub-tipo H5… … melhor caracterizado definiu-se como o H5N1 Este vírus era bastante comum entre as aves (“impossível infectar humanos”!); era conhecido desde 1961 como hóspede inofensivo da andorinha do mar Este caso eclodiu ao mesmo tempo que uma epidemia devastadora e mortal se observava sobre os frangos
  15. 16. Gripe das Aves Infecção pelo Vírus Influenza A (H5N1) Situação actual No total foram infectadas 18 pessoas com 6 mortes. Após intensas medidas de saúde pública… … Sucesso??!!. … 5 anos de silêncio
  16. 17. Gripe das Aves Infecção pelo Vírus Influenza A (H5N1) Situação actual Em 2003…regressou na península da Indochina ( Vietname, Laos, Cambodja e Tailândia) estendendo-se depois a outros países asiáticos. Além das dezenas de milhões de aves que foram exterminadas, o vírus atacou outras espécies animais…(felinos, porcos e… … o homem De 2003 a 2005 morreram cerca de 100 pessoas, com infecção confirmada pelo H5N1
  17. 18. Gripe das Aves Infecção pelo Vírus Influenza A (H5N1) Situação actual Em 2005….. “ Ponto de viragem” O vírus só tinha infectado aves domésticas e aves selvagens sedentárias, mas agora propagava-se a várias espécies migratórias. Aves migratórias Globalização Eficaz vector de propagação
  18. 19. Gripe das Aves Infecção pelo Vírus Influenza A (H5N1) Os vírus da gripe estão em constante mutação: <ul><li>Por deriva genética (erros de codificação) </li></ul><ul><li>Por combinação…. o “misturador “ ideal intermédio será o porco, dado possuir células receptoras que podem estar infectadas com vírus humanos e aviários. </li></ul>
  19. 20. Gripe das Aves Infecção pelo Vírus Influenza A (H5N1) Pandemia : sinais (factores) de inquietação: <ul><li>Até início de Abril 2006….7 países da Europa Ocidental confirmaram a presença do H5N1 em aves selvagens </li></ul><ul><li>Nos 3 últimos meses 30 novos países registaram infecção em aves, tanto selvagens como domésticas. </li></ul><ul><li>A rapidez da difusão através de diferentes continentes </li></ul>
  20. 21. Gripe das Aves Infecção pelo Vírus Influenza A (H5N1) Tratamento <ul><li>Preventivo </li></ul><ul><li>Vacinação </li></ul><ul><li>Antivirais </li></ul><ul><li>Medidas de protecção </li></ul><ul><li>Medidas de quarentena </li></ul><ul><li>Curativo </li></ul><ul><li>Antivirais </li></ul><ul><li>Medicação sintomática </li></ul>Em caso de pandemia gripal, ou até só numa ameaça, devem ser encarados outros meios
  21. 22. Gripe das Aves Infecção pelo Vírus Influenza A (H5N1) Situação actual Antes do 1º caso em humanos, só havia referência ao H5N1 em diferentes espécies de aves ( e daí a designação) incluindo galinhas e patos / gansos. Os patos e gansos seriam os principais reservatórios do vírus e as galinhas infectadas morriam rapidamente.
  22. 23. Contaminação ≠ Infecção
  23. 24. <ul><li>São recorrentes </li></ul><ul><li>São imprevisíveis na sua evolução </li></ul><ul><li>Podem ser responsáveis por graves problemas de saúde pública </li></ul><ul><li>Podem causar sérias perturbações no campo social, económico e de segurança </li></ul>INFORMAÇÃO GERAL As pandemias:
  24. 25. INFORMAÇÃO GERAL Pandemias Propagação: <ul><li>Via aérea ou através de gotículas que contêm o vírus, provenientes de tosse e / ou espirro, e que podem ser inaladas por outras pessoas </li></ul><ul><li>Pelas mãos, tocando nos olhos, nariz ou boca </li></ul><ul><li>Nos objectos o vírus pode sobreviver 2 dias </li></ul>
  25. 26. Pandemias INFORMAÇÃO GERAL Virulência : <ul><li>Percentagem de doentes na população: 20 – 50 % </li></ul><ul><li>Difusão global: 3 meses </li></ul><ul><li>Disponibilidade da vacina: 4 a 6 meses </li></ul><ul><li>Tratamento: provavelmente não suficiente e não eficiente </li></ul>
  26. 27. PANDEMIA: UMA EMERGÊNCIA ? <ul><li>Impacto: Global </li></ul><ul><li>Não aparece de improviso, mas dura no tempo: Vagas </li></ul><ul><li>Efeitos sobretudo nos RH que podem falhar por causa de : </li></ul><ul><li>Doença </li></ul><ul><li>Assistir familiares e crianças se as escolas fecharem </li></ul><ul><li>Quarentena voluntária ou obrigatória </li></ul><ul><li>Serviço voluntário </li></ul><ul><li>Pânico </li></ul><ul><li>Áreas de Serviços mais em risco : Hospitais, Escolas </li></ul><ul><li>Impacto económico / social mais problemático : empresas fornecedoras de serviços básicos : energia, água, distribuição de alimentos, comunicações, transportes </li></ul>
  27. 28. Período Fases Objectivos fundamentais de saúde pública INTER PANDÉMICO Fase 1 Não estão identificados novos sub-tipos do vírus da gripe em humanos. Um sub-tipo de vírus da gripe que já causou infecção em humanos pode estar em circulação entre animais, mas o risco de infecção ou doença humana é baixo Reforçar os planos de contingência para a gripe pandémica e a sua implementação, quer a nível global, regional, nacional e sub-nacional. Fase 2 Não estão identificados novos sub-tipos do vírus da gripe. No entanto, existe um sub-tipo do vírus da gripe em circulação em animais que apresenta um elevado risco de infecção humana. Controlar as epizootias. Minimizar o risco de transmissão aos seres humanos através da rápida detecção e declaração de situações de potencial transmissão. ALERTA PANDÉMICO Fase 3 Existe infecção humana com um novo sub-tipo do vírus,mas não foi detectada transmissão pessoa-pessoa ou, no máximo, houve situações raras de transmissão para contactos próximos Assegurar a rápida caracterização do novo sub-tipo do vírus. Minimizar a transmissão. Detectar atempadamente casos esporádicos. Declarar e responder a casos adcionais. Fase 4 Existem um ou mais pequenos ‘clusters’ / surtos com transmissão pessoa-pessoa limitada, no entanto a disseminação do vírus é completamente localizada, indicando que o vírus ainda não está bem localizado ao hospedeiro humano. Conter o novo vírus em focos limitados ou retardar a sua disseminação de forma a evitar, se possível, a pandemia e a ganhar tempo para a implementação de medidas de preparação / prevenção. Incluindo o desenvolvimento de vacinas. Fase 5 Existem clusters / surtos de maiores dimensões, mas a transmissão pessoa-pessoa ainda é localizada, indicando que o vírus está a adaptar-se gradualmente ao hospedeiro humano, contudo ainda não atingiu um nível de transmissão considerado eficaz (substancial risco pandémico ) Reforçar as acções de contenção ou retardamento da disseminação do vírus, de forma a evitar, se possível, a pandemia e a ganhar tempo para a implementação de medidas de resposta. PANDÉMICO Fase 6 A pandemia está instalada: existe um risco aumentado e mantido de transmissão na população em geral Minimizar o impacto da pandemia
  28. 29. <ul><li>20-60% da população impossibilitada de trabalhar durante 2 - 4 semanas no pico da pandemia </li></ul><ul><li>Mortalidade significativa </li></ul><ul><li>Quebra nos serviços essenciais: saúde, polícia, bombeiros, tráfico aéreo, transportes, administração </li></ul><ul><li>Falta de abastecimentos </li></ul><ul><li>Falta de suporte dos serviços essenciais </li></ul><ul><li>Falta em serviços de subcontratados </li></ul><ul><li>Solicitações de serviços aumentam (telecom, internet) outras diminuem: viagens, turismo, desporto, laser </li></ul>Infecção simultânea de ambos os vírus Novas estirpes de vírus. Poucos humanos têm imunidade natural Pode ocorrer transmissão de pessoa para pessoa Consequências possíveis (Quando se inicia a transmissão entre humanos)— fase 4 da OMS
  29. 30. Riscos para 2006 Pandemias Terrorismo internacional Riscos a curto prazo 2 Consequências 4 Riscos a curto prazo 4 Consequências 1 Riscos 1---baixo 2---moderado 10% 3---alto 4---muito alto > 20% consequências , severidade 1---baixa …<100 vidas ;impacto GDP <0,2% 2---moderada 3---alta 4---muito alta…>1 M de vidas; perdas 1000 milhões de Euros; impacto GDP- 1,5% Estudo World Economic Forum, Merril Lynch e Swiss Re
  30. 31. ?
  31. 32. Riscos (para o negócio) “ Uma vez emergindo, uma pandemia gripal tornar-se-á, como risco único, a maior das ameaças para a continuidade do negócio e durará para cima de 18 meses” Harvard business review “ Uma pandemia é fundamentalmnente diferente de outros riscos mais tradicionais” A recuperação é mais difícil… … .é um acontecimento global … … e muitas cidades podem ser infectadas quase simultâneamente
  32. 33. A fase 3 da OMS é o ponto no qual as empresas deveriam desenvolver planos de mitigação de risco…. Riscos (para o negócio) Harvard business review … testando-os em cenários virtuais e realizando exercícios, que deverão ser regularmente actualizados Na fase 4 da OMS , o tempo de planeamento passou, dado que qualquer plano necessita de estar já implementado Pela altura da fase 5 da OMS , já é demasiadamente tarde para iniciar planeamento…. É tempo de execução estratégica intensa
  33. 34. Método de Apresentação 3 Fases principais: 1-Planificar: ( fases 1 a 3 do plano de preparação da OMS)— o vírus ainda não se transmite eficazmente, trata-se ainda de uma epizotia 2-Evitar a contaminação ( fases 4 a 5 do plano de preparação da OMS)— o vírus transmite-se eficazmente, 3-Gerir ( fases 5 a 6 do plano de preparação da OMS)— o vírus transmite-se muito eficazmente, Em cada uma estas fases… 2 objectivos: Limitar a propagação Manutenção dos serviços essenciais Em cada uma estas fases… factores essenciais: Comunicação Controle Responsabilidade Não se trata de uma lista de “receitas” mas sim de pontos que o gestor pode considerar de modo a preparar a empresa para uma emergência
  34. 35. ATENÇÃO O vírus evolui e alguns dados aqui apresentados podem modificar-se no tempo É importante estar constantemente informado
  35. 36. Impacto da Pandemia na Sociedade Civil em função do GRAU de organização e da INTENSIDADE da gripe Fraca intensidade Forte intensidade Com Organização ( planificação, gestão) Sem Organização (Planificação, gestão) Alarme Perturbação Caos Perturbação Grave
  36. 37. Absentismo Continuidade Informação Contágio Controle Responsabilidade Fase 3 Fase 4 Planificação
  37. 38. chave !... Planificar Prevenir Gerir O plano de contingência Medidas a adoptar durante a pandemia
  38. 39. Planificação
  39. 40. 1) PLANIFICAR / travar o contágio Prever medidas para diminuir o contágio <ul><li>Nomear: </li></ul>Responsável de referência… Gestor(s) de gripe Grupo de crise…Direcção, RH, Gestor (s) de gripe, médico <ul><li>Prever: </li></ul>Modalidades comunicação à distância Pessoal dispensável Barreiras e outras modalidades para manter distância c/ clientes <ul><li>Constituir reservas: </li></ul>Material de limpeza Material de protecção pessoal Medicamentos <ul><li>Realizar exercícios, testes: </li></ul>Higiene pessoal Limpeza do local de trabalho
  40. 41. 1) PLANIFICAR / travar o contágio Na planificação a comunicação é fundamental <ul><li>Preparar comunicação : </li></ul><ul><li>Higiene </li></ul><ul><li>Sintomas </li></ul><ul><li>Formulários </li></ul><ul><li>Cartazes directivos </li></ul><ul><li>Informar regularmente: </li></ul><ul><li>Evolução da pandemia </li></ul><ul><li>Plano de contingência </li></ul><ul><li>Plano de sucessão </li></ul><ul><li>Procedimentos administrativos relativos a ausências </li></ul>
  41. 42. NOTIFICAÇÃO DO VIRUS INFLUENZA É fundamental limitar o contágio: NÃO VENHA AO TRABALHO SE TIVER: <ul><li>Constipação, arrepios de frio e febre (temperatura > 38ºC) </li></ul><ul><li>Dores musculares </li></ul><ul><li>Dores de garganta </li></ul><ul><li>Tosse seca </li></ul><ul><li>Dificuldade respiratória </li></ul><ul><li>Espirros </li></ul><ul><li>Congestão nasal ou pingo no nariz </li></ul><ul><li>Mal estar geral e falta de forças </li></ul>Se tiver alguns dos sintomas acima descritos, por favor fique em casa e espere que esteja totalmente recuperado antes de voltar para o trabalho Se começar a sentir-se doente no local de trabalho, NÂO SAIA dessa área Ligue para o Gestor da Gripe:----------------------- Ext.................
  42. 43. 1) PLANIFICAR / manter actividade <ul><li>Preparar : </li></ul><ul><li>Medidas para preservar pessoal essencial (..trabalho em casa..!?!) </li></ul><ul><li>Formação para substituição </li></ul><ul><li>Meios de comunicação à distância </li></ul><ul><li>Reservas </li></ul><ul><li>Dispensar : </li></ul><ul><li>Pessoal não essencial </li></ul><ul><li>Estimar : </li></ul><ul><li>Nível de absentismo máximo ainda compatível com a actividade </li></ul><ul><li>Procurar reservas : </li></ul><ul><li>Voluntários, pensionistas </li></ul>
  43. 44. Evitar
  44. 45. 2) Evitar a contaminação / travar o contágio <ul><li>Informar pessoal sobre nova fase, e respectivas medidas para evitar contágio e pânico </li></ul><ul><li>Proibir entrada de pessoas com sintomas </li></ul><ul><li>Evitar viagens ao estrangeiro </li></ul><ul><li>Apresentar medidas de higiene e directivas… afixar cartazes </li></ul><ul><li>Identificar medidas para evitar contactos com clientes e fornecedores… e entre funcionários </li></ul><ul><li>Verificar as necessidades : </li></ul><ul><li>Material de limpeza </li></ul><ul><li>Material de protecção individual </li></ul><ul><li>Ventilação </li></ul><ul><li>Com base nas informações do Min Saúde / OMS… dar formação básica sobre auto-diagnóstico </li></ul>
  45. 46. TENHO GRIPE <ul><li>Sintomas da gripe e do resfriado </li></ul>
  46. 47. Qual a diferença entre a GRIPE e uma CONSTIPAÇÃO comum? Sintomas Gripe Constipação comum Febre Normal, 38-40ºC e dura cerca de 3 a 4 dias Raro Dor de Cabeça Normal e pode ser muito forte Raro Dores Musculares Normal e podem ser muito fortes Raro Fadiga e Fraqueza Normal, e pode durar cerca de 2, 3 semanas ou mais após uma doença aguda Verifica-se algumas vezes, mas moderado Fadiga debilitadora Normal mas os primeiros sintomas podem ser muito fortes Raro Náuseas, Vómitos e diarreia Em crianças com idade < 5 anos Raro Olhos Inflamados Raro Normal Congestão nasal, pingo no nariz Raro Normal Espirros Raro Habitual Dores de garganta Habitual Habitual Pressão no peito Habitual e pode ser muito forte Verifica-se algumas vezes mas é moderado Complicações Deficiência respiratória, pode levar a uma situação crónica, pode por em risco a vida Congestão ou otites Fatalidades Bem conhecidas Não existem relatos Prevenção Vacina da gripe, lavar as mãos frequentemente, tapar a boca quando se tosse Lavar frequentemente as mãos e tapar a boca quando se tosse
  47. 48. Máscaras: <ul><li>O pessoal de saúde recebe formação específica para a sua utilização; </li></ul><ul><li>O uso de máscara pode contribuir para um conforto psicológico; </li></ul><ul><li>O perigo das máscaras: utilização durante muito tempo e o seu constante manuseamento; </li></ul><ul><li>Recomenda-se a utilização de máscaras quando se está em contacto com outras pessoas e em espaços fechados. </li></ul>
  48. 49. Máscaras Qual o tipo de máscaras que devem ser utilizadas? Existem 2 tipos de máscaras (de uso vulgar) MÁSCARAS CIRÚRGICAS MÁSCARAS REPIRATÓRIAS Servem para evitar a projecção de secreções das vias aéreas superiores ou de saliva que podem conter agentes infecciosos transmissíveis. Protege somente quem as usa contra os agentes infecciosos transmissíveis através de gotículas. Estas máscaras não protegem contra os agentes infecciosos transmitidos por via aérea. Servem para proteger somente quem as usa contra a inalação de agentes infecciosos transmissíveis por via aérea. Podem dificultar a respiração; têm de estar classificadas com as normas… FFP1 / 2 / 3 ou EN 149
  49. 50. Como utilizar: <ul><ul><ul><ul><ul><li>Ajustar a máscara à boca e ao nariz </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Uma vez colocada não mexer na máscara </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Lavar as mãos depois de tirar a máscara </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Deitar fora a máscara usada em local apropriado </li></ul></ul></ul></ul></ul>Máscaras Como usar correctamente as máscaras? Verificar na embalagem se as máscaras têm a marca CE
  50. 51. 2) Evitar a contaminação / manter actividades <ul><li>Os transportes aéreos e marítimos podem ser interrompidos </li></ul><ul><li>Os fornecimentos podem diminuir </li></ul><ul><li>Aumento de pedidos de produtos essenciais..e diminuição de outros (não essenciais ou de lazer) </li></ul><ul><li>Verificar se as reservas em pessoal são suficientes </li></ul><ul><li>Pessoal não essencial pode ser dispensável </li></ul><ul><li>Fomentar tanto quanto, e se possível, o trabalho produzido em casa </li></ul><ul><li>Verificar comunicações com clientes, fornecedores e empregados </li></ul>
  51. 52. Gerir
  52. 53. 3) Gerir / travar contágio <ul><li>Proibir acesso aos doentes / pessoas com sintomas </li></ul><ul><li>Praticar una higiene pessoal eficiente </li></ul><ul><li>Aumentar a distância …. (1 metro)… tele – working , barreiras, utilizar comunicações </li></ul><ul><li>Providenciar máscaras, luvas etc.. </li></ul><ul><li>Gerir o pânico: informar </li></ul><ul><li>Fechar as portas do local de trabalho </li></ul><ul><li>Ventilação… verificar a limpeza </li></ul><ul><li>Empregados vindos de zonas de contágio devem manter-se em quarentena </li></ul>Utilizar as escadas em vez do elevador para reduzir contágio
  53. 54. Higiene pessoal <ul><li>Lavar as mãos é um acto importante </li></ul><ul><li>para se proteger </li></ul>
  54. 55. Meios de Protecção contra doenças respiratórias <ul><li>Lavar as mãos é um gesto importante que pode fazer para se proteger </li></ul><ul><li>Cobrir o nariz e a boca quando espirra ou tosse </li></ul><ul><li>Utilizar um lenço de papel e deitá-lo no lixo </li></ul><ul><li>Lavar sempre as mãos depois de espirrar, tossir, ou utilizar um lenço </li></ul><ul><li>Manter as mãos longe da boca, nariz e olhos </li></ul><ul><li>Evitar o contacto com pessoas em risco: crianças ou doentes crónicos que tenham deficiência na imunidade até que os sintomas da gripe tenham sido ultrapassados </li></ul><ul><li>Evitar o contacto com pessoas que tenham sintomas semelhantes aos da gripe </li></ul><ul><li>Pedir às pessoas que usem um lenço para cobrirem o nariz e a boca quando estiverem a tossir ou a espirrar. Devem lavar imediatamente as mãos </li></ul>
  55. 56. 1. Retirar os objectos pessoais. Molhar as mãos com água quente. 2. Adicionar sabão na palma da mão. 3. Esfregar as mãos até criar espuma. 4. Esfregar bem por forma a cobrir toda a mão e entre os dedos. 5. Lavar os nós dos dedos, costas das mãos e os dedos. 7. Esfregar bem a cabeça dos dedos na palma da mão para limpar as unhas. 8. Passar bem por água quente. 9. Secar com um toalhete descartável e utilizá-lo para fechar a torneira. 6. Limpar bem entre o polegar e o indicador. Lavar as mãos com água e sabão O tempo mínimo de lavagem é de 20 seg
  56. 57. <ul><li>Retirar os objectos pessoais. Aplicar gel suficiente na palma da mão. </li></ul>2.Esfregar bem as mãos. 3. Esfregar bem entre e à volta dos dedos. 4. Cobrir bem as mãos e os dedos com o gel. 5. Esfregar as costas da mão e os dedos. Esfregue cada um dos polegares. 6. Esfregar a cabeça dos dedos na palma da mão oposta. Lavar as mãos com gel à base de álcool 7.Continue a esfregar até as mãos estarem secas A quantidade suficiente de gel varia de produto para.produto. Produto suficiente para manter as mãos húmidas por 15 segundos . Não utilizar estes produtos com água Não utilizar toalhetes para secar as mãos
  57. 58. 3) GERIR / manter a actividade essencial <ul><li>Evitar contacto </li></ul><ul><li>Evitar viagens desnecessárias </li></ul><ul><li>Fomentar trabalho em casa </li></ul><ul><li>Turnos, sem contacto entre eles; ventilar </li></ul><ul><li>Evitar os transportes públicos </li></ul><ul><li>Fazer as refeições isoladamente </li></ul><ul><li>Reuniões só e se, estritamente necessárias </li></ul><ul><li>Instituir sistemas de encomenda a fornecedores e de aprovisionamento a clientes por telefone, Internet etc… </li></ul><ul><li>Não promover reuniões de muitas pessoas dentro e fora das empresas </li></ul>
  58. 59. Gerir/ Que fazer quando há sintomas? <ul><li>O Gestor da gripe deve evitar o contacto com pessoas com sintomas: avaliação por telefone, conforme checklist </li></ul><ul><li>Ir para casa e / ou, centros de triagem, segundo indicações do Ministério da Saúde </li></ul><ul><li>Evitar transportes públicos </li></ul><ul><li>Anti-viral : nas 1ªs 24 horas: </li></ul><ul><li>Notificar </li></ul><ul><li>Limpar o local de trabalho </li></ul><ul><li>Listar os contactos </li></ul><ul><li>Avisar os contactos </li></ul><ul><li>Utilizar a máscara: pessoas com sintomas e os que estiveram ou estão em contacto </li></ul><ul><li>Acompanhar a evolução do doente em casa </li></ul>
  59. 60. Gestor de Gripe / Que fazer após a detecção de sintomas? <ul><li>Entregar ao doente tratamento anti-viral?...(de reserva existente?) </li></ul><ul><li>Contactar estrutura prevista pelas autoridades de saúde... </li></ul>Deverá também informar-se sobre: <ul><li>Plano de contingência local relativamente à resposta em situações de marcado aumento do nº de doentes </li></ul><ul><li>Medidas existentes para permitir o, tanto quanto possível, normal funcionamento de serviços públicos essenciais </li></ul><ul><li>Medidas existentes para garantir o funcionamento normal </li></ul><ul><li>( abastecimentos, distribuição etc…) </li></ul>
  60. 61. Grelha para detectar e gerir os casos da gripe Processo <ul><li>O Gestor da gripe recebe uma chamada de uma pessoa que suspeita ter gripe </li></ul><ul><li>Não visitar o paciente – gerir o processo através do telefone </li></ul><ul><li>Seguir o fluxograma abaixo discriminado </li></ul><ul><li>Pergunte se tem alguns dos seguintes sintomas: </li></ul><ul><li>Febre alta </li></ul><ul><li>Dor de cabeça </li></ul><ul><li>Fadiga ou cansaço </li></ul><ul><li>Dor de garganta, tosse, dificuldade respiratória, desconforto no peito </li></ul><ul><li>Dores musculares </li></ul><ul><li>Se esteve recentemente no estrangeiro </li></ul><ul><li>Se esteve em contacto com alguém com gripe </li></ul>Não tem sintomas <ul><li>Improvável ser a gripe </li></ul><ul><li>Tranquilize </li></ul><ul><li>Avise para telefonar novamente se estiver com dúvidas </li></ul>O paciente deve ser considerado como um possível caso de gripe <ul><li>Preencha o formulário de notificação ao telefone </li></ul><ul><li>Peça os nomes das pessoas que trabalham a uma distância <= 1 metro ou que estiveram em contacto por mais de 60 minutos </li></ul><ul><li>Informe onde podem encontrar máscaras e peça para irem para casa imediatamente </li></ul><ul><li>Peça para ir a casa, quarentena, centros de triagem, centros de saúde(?) </li></ul><ul><li>Informe todos os que constam na lista dos que estiveram em contacto com a pessoa com o vírus </li></ul><ul><li>Informe que devem ir para casa até receberem mais informações </li></ul>Providenciar a desinfecção do local de trabalho da pessoa contaminada Sim, dois ou mais dos sintomas acima descritos
  61. 62. Formulário de notificação: Suspeita de gripe no trabalho
  62. 63. LISTA DE CONTACTOS É possível que uma pessoa seja fonte de contágio mesmo antes de os sintomas se manifestarem… … e sê-lo-á, seguramente, depois Atenção!! As crianças podem ser contagiantes , depois de os sintomas desaparecerem, num período de tempo mais longo que os adultos
  63. 64. A evolução do vírus da gripe pode alterar o conceito de “contacto”. Os Gestores devem consultar os sites do Ministério da Saúde e da CVP para actualização de conceitos e aconselhamentos a seguir em caso de pandemia A OMS define actualmente “ contactos da pandemia ” todos os que tiveram fisicamente em contacto com a pessoa infectada (distância inferior a um metro), nos 4 dias após o desenvolvimento dos sintomas. Estão também incluídos os familiares, amigos e colegas de trabalho (se em contacto directo ou confinados ao mesmo espaço físico). Lista de Contactos Guardar esta lista e dar ao Médico de Família Pessoas que tiveram em contacto com a pessoa infectada, após o aparecimento de sintomas Nome Email Telefone Morada 1. 2. 3. 4. 5 6. 7. 8. 9.
  64. 65. ISOLAMENTO EM CASA O isolamento em casa (não ir à rua, não ir ao trabalho ao trabalho, escola ou qualquer local público) pode ser obrigatório ou voluntário para proteger a Saúde Pública <ul><li>Enquanto permanecer em casa o doente deve estar isolado e manter uma distância mínima de 1 metro dos outros membros da família </li></ul><ul><li>O vírus é contagioso nas 1ªs 24 horas anteriores ao aparecimento dos sintomas e até 5 dias após o seu desaparecimento </li></ul><ul><li>O doente deve ficar no quarto com a porta fechada </li></ul><ul><li>Ventilar o quarto com frequência </li></ul>
  65. 66. ISOLAMENTO EM CASA <ul><li>Utilização de máscaras nos doentes e nos que lhes prestam assistência </li></ul><ul><li>Todas as superfícies duras ou objectos manuseados pelo doente devem ser bem lavadas com sabão ou lixívia </li></ul><ul><li>Desencoraje qualquer tipo d visitas; utilize o apoio médico pelo telefone ou o call center da Direcção Geral de saúde </li></ul>
  66. 67. ISOLAMENTO EM CASA <ul><li>Todas as pessoas que habitam a casa, incluindo o próprio doente, devem lavar as mãos correcta e frequentemente </li></ul><ul><li>Manter os objectos de higiene pessoal afastados do resto da família </li></ul><ul><li>Separar a roupa e a loiça do doente e lavar com água quente e detergente </li></ul><ul><li>Os membros da família saudáveis devem permanecer em casa pelo menos até 3 dias após o desaparecimento dos sintomas gripais do doente </li></ul>
  67. 68. PAPEL DA CVP <ul><li>Rede de informação para gestores de gripe </li></ul><ul><li>Informação ao público, empresas e autarquias que a CVP tem acesso </li></ul><ul><li>Informação e apoio a comunidades de riscos </li></ul><ul><li>Reforçar os serviços essenciais: transporte de doentes </li></ul><ul><li>Mobilizar voluntários que tenham ligação com a CVP </li></ul><ul><li>Concluir pré-acordos de crise outras entidades </li></ul><ul><li>Apoiar a triagem nas fronteiras no quadro de acordos com as autoridades responsáveis </li></ul><ul><li>Apoiar, na medida das suas possibilidades, a quarentena de prevenção e de cura </li></ul><ul><li>Apoiar o serviço de auto-diagnóstico por telefone </li></ul>
  68. 69. Casos particulares Merecem particular atenção por poderem ser úteis em caso de emergência <ul><li>Telecomunicações: Acordo entre operadoras, linha preferencial: é provável que numa pandemia de gripe as comunicações sejam particularmente solicitadas e é essencial que funcionem eficazmente </li></ul><ul><li>Distribuição de alimentos: Evitar, o mais possível, o contacto </li></ul><ul><li>Transportes: Lugares preferenciais de contágio … estudar alternativas </li></ul>
  69. 70. Exemplo da Nova Zelândia Plano de saúde para uma pandemia no local de trabalho
  70. 71. <ul><li>Âmbito e objectivos do plano </li></ul><ul><li>O objectivo principal do plano é gerir o impacto da pandemia nas empresas (clientes e fornecedores) e entre os trabalhadores, através de duas estratégicas principais: </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>1)  Restrição da doença reduzindo a propagação da gripe no local de trabalho e </li></ul><ul><li>2)  Manutenção dos serviços essenciais se a sua restrição não for possível </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Este plano irá dar orientação nas seguintes áreas: </li></ul><ul><li>1)       Comunicação </li></ul><ul><ul><li>a)  Às empresas nos contactos externos e internos tendo em conta as várias fases da pandemia </li></ul></ul><ul><ul><li>b)  Comunicações relativas à sobrevivência da própria actividade da empresa (clientes/fornecedores) </li></ul></ul><ul><ul><li>c)  Aos empregados </li></ul></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>2)      Restrição nas Actividades </li></ul><ul><ul><li>a)   Reduzindo o risco das pessoas infectadas dentro das empresas </li></ul></ul><ul><ul><li>b)   Distanciamento social </li></ul></ul><ul><ul><li>c)   Limpeza </li></ul></ul><ul><ul><li>d)   Gestão do pânico </li></ul></ul><ul><ul><li>e)   Gestão dos casos no trabalho </li></ul></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>3)       Para Viajantes </li></ul><ul><ul><li>a)   Consultores de viagens </li></ul></ul><ul><ul><li>b)   Recomendações para viajar </li></ul></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>4)       Tratamento </li></ul><ul><ul><li>a)   Anti-virais </li></ul></ul><ul><ul><li>b)    Vacinas </li></ul></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>5)       Manutenção dos serviços essenciais </li></ul><ul><ul><li>a)   Identificação do núcleo duro do pessoal e as suas capacidades </li></ul></ul><ul><ul><li>b)   Plano estratégico para o absentismo </li></ul></ul><ul><ul><li>c)   Comunicação </li></ul></ul><ul><ul><li>d)   Gestão de conhecimento </li></ul></ul><ul><ul><li>e)   Plano a curto, médio e longo prazo  </li></ul></ul>Plano de saúde para o local de trabalho em caso de Pandemia
  71. 72. Plano de saúde para o local de trabalho em caso de Pandemia <ul><li>Âmbito e objectivos do plano </li></ul><ul><li>O objectivo principal do plano é gerir o impacto da pandemia nas empresas (clientes e fornecedores) e entre os trabalhadores, através de duas estratégicas principais: </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>1)  Restrição da doença reduzindo a propagação da gripe no local de trabalho </li></ul><ul><li>e </li></ul><ul><li>2)  Manutenção dos serviços essenciais se a sua restrição não for possível </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Este plano irá dar orientação nas seguintes áreas: </li></ul><ul><li>1)       Comunicação </li></ul><ul><ul><li>a)  Às empresas nos contactos externos e internos tendo em conta as várias fases da pandemia </li></ul></ul><ul><ul><li>b)  Comunicações relativas à sobrevivência da própria actividade da empresa (clientes/fornecedores) </li></ul></ul><ul><ul><li>c)  Aos empregados </li></ul></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>2)      Restrição nas Actividades </li></ul><ul><ul><li>a)   Reduzindo o risco das pessoas infectadas dentro das empresas </li></ul></ul><ul><ul><li>b)   Distanciamento social </li></ul></ul><ul><ul><li>c)   Limpeza </li></ul></ul><ul><ul><li>d)   Gestão do pânico </li></ul></ul><ul><ul><li>e)   Gestão dos casos no trabalho </li></ul></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>3)       Para Viajantes </li></ul><ul><ul><li>a)   Consultores de viagens </li></ul></ul><ul><ul><li>b)   Recomendações para viajar </li></ul></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>4)       Tratamento </li></ul><ul><ul><li>a)   Anti-virais </li></ul></ul><ul><ul><li>b)    Vacinas </li></ul></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>5)       Manutenção dos serviços essenciais </li></ul><ul><ul><li>a)   Identificação do núcleo duro do pessoal e as suas capacidades </li></ul></ul><ul><ul><li>b)   Plano estratégico para o absentismo </li></ul></ul><ul><ul><li>c)   Comunicação </li></ul></ul><ul><ul><li>d)   Gestão de conhecimento </li></ul></ul><ul><ul><li>e)   Plano a curto, médio e longo prazo  </li></ul></ul>
  72. 73. Plano de saúde para o local de trabalho em caso de Pandemia <ul><li>Âmbito e objectivos do plano </li></ul><ul><li>O objectivo principal do plano é gerir o impacto da pandemia nas empresas (clientes e fornecedores) e entre os trabalhadores, através de duas estratégicas principais: </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>1)  Restrição da doença reduzindo a propagação da gripe no local de trabalho e </li></ul><ul><li>2)  Manutenção dos serviços essenciais se a sua restrição não for possível </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Este plano irá dar orientação nas seguintes áreas: </li></ul><ul><li>1)   Comunicação </li></ul><ul><ul><li>a)  Às empresas nos contactos externos e internos tendo em conta as várias fases da pandemia </li></ul></ul><ul><ul><li>b)  Comunicações relativas à sobrevivência da própria actividade da empresa (clientes/fornecedores) </li></ul></ul><ul><ul><li>c)  Aos empregados </li></ul></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>2)      Restrição nas Actividades </li></ul><ul><ul><li>a)   Reduzindo o risco das pessoas infectadas dentro das empresas </li></ul></ul><ul><ul><li>b)   Distanciamento social </li></ul></ul><ul><ul><li>c)   Limpeza </li></ul></ul><ul><ul><li>d)   Gestão do pânico </li></ul></ul><ul><ul><li>e)   Gestão dos casos no trabalho </li></ul></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>3)       Para Viajantes </li></ul><ul><ul><li>a)   Consultores de viagens </li></ul></ul><ul><ul><li>b)   Recomendações para viajar </li></ul></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>4)       Tratamento </li></ul><ul><ul><li>a)   Anti-virais </li></ul></ul><ul><ul><li>b)    Vacinas </li></ul></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>5)       Manutenção dos serviços essenciais </li></ul><ul><ul><li>a)   Identificação do núcleo duro do pessoal e as suas capacidades </li></ul></ul><ul><ul><li>b)   Plano estratégico para o absentismo </li></ul></ul><ul><ul><li>c)   Comunicação </li></ul></ul><ul><ul><li>d)   Gestão de conhecimento </li></ul></ul><ul><ul><li>e)   Plano a curto, médio e longo prazo  </li></ul></ul>
  73. 74. Plano de saúde para o local de trabalho em caso de Pandemia <ul><li>Âmbito e objectivos do plano </li></ul><ul><li>O objectivo principal do plano é gerir o impacto da pandemia nas empresas (clientes e fornecedores) e entre os trabalhadores, através de duas estratégicas principais: </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>1)  Restrição da doença reduzindo a propagação da gripe no local de trabalho e </li></ul><ul><li>2)  Manutenção dos serviços essenciais se a sua restrição não for possível </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Este plano irá dar orientação nas seguintes áreas: </li></ul><ul><li>1)       Comunicação </li></ul><ul><ul><li>a)  Às empresas nos contactos externos e internos tendo em conta as várias fases da pandemia </li></ul></ul><ul><ul><li>b)  Comunicações relativas à sobrevivência da própria actividade da empresa (clientes/fornecedores) </li></ul></ul><ul><ul><li>c)  Aos empregados </li></ul></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>2)   Restrição nas Actividades </li></ul><ul><ul><li>a)   Reduzindo o risco das pessoas infectadas dentro das empresas </li></ul></ul><ul><ul><li>b)   Distanciamento social </li></ul></ul><ul><ul><li>c)   Limpeza </li></ul></ul><ul><ul><li>d)   Gestão do pânico </li></ul></ul><ul><ul><li>e)   Gestão dos casos no trabalho </li></ul></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>3)       Para Viajantes </li></ul><ul><ul><li>a)   Consultores de viagens </li></ul></ul><ul><ul><li>b)   Recomendações para viajar </li></ul></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>4)       Tratamento </li></ul><ul><ul><li>a)   Anti-virais </li></ul></ul><ul><ul><li>b)    Vacinas </li></ul></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>5)       Manutenção dos serviços essenciais </li></ul><ul><ul><li>a)   Identificação do núcleo duro do pessoal e as suas capacidades </li></ul></ul><ul><ul><li>b)   Plano estratégico para o absentismo </li></ul></ul><ul><ul><li>c)   Comunicação </li></ul></ul><ul><ul><li>d)   Gestão de conhecimento </li></ul></ul><ul><ul><li>e)   Plano a curto, médio e longo prazo  </li></ul></ul>
  74. 75. Plano de saúde para o local de trabalho em caso de Pandemia <ul><li>Âmbito e objectivos do plano </li></ul><ul><li>O objectivo principal do plano é gerir o impacto da pandemia nas empresas (clientes e fornecedores) e entre os trabalhadores, através de duas estratégicas principais: </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>1)  Restrição da doença reduzindo a propagação da gripe no local de trabalho e </li></ul><ul><li>2)  Manutenção dos serviços essenciais se a sua restrição não for possível </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Este plano irá dar orientação nas seguintes áreas: </li></ul><ul><li>1)       Comunicação </li></ul><ul><ul><li>a)  Às empresas nos contactos externos e internos tendo em conta as várias fases da pandemia </li></ul></ul><ul><ul><li>b)  Comunicações relativas à sobrevivência da própria actividade da empresa (clientes/fornecedores) </li></ul></ul><ul><ul><li>c)  Aos empregados </li></ul></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>2)      Restrição nas Actividades </li></ul><ul><ul><li>a)   Reduzindo o risco das pessoas infectadas dentro das empresas </li></ul></ul><ul><ul><li>b)   Distanciamento social </li></ul></ul><ul><ul><li>c)   Limpeza </li></ul></ul><ul><ul><li>d)   Gestão do pânico </li></ul></ul><ul><ul><li>e)   Gestão dos casos no trabalho </li></ul></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>3)   Para Viajantes </li></ul><ul><ul><li>a)   Consultores de viagens </li></ul></ul><ul><ul><li>b)   Recomendações para viajar </li></ul></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>4)       Tratamento </li></ul><ul><ul><li>a)   Anti-virais </li></ul></ul><ul><ul><li>b)    Vacinas </li></ul></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>5)       Manutenção dos serviços essenciais </li></ul><ul><ul><li>a)   Identificação do núcleo duro do pessoal e as suas capacidades </li></ul></ul><ul><ul><li>b)   Plano estratégico para o absentismo </li></ul></ul><ul><ul><li>c)   Comunicação </li></ul></ul><ul><ul><li>d)   Gestão de conhecimento </li></ul></ul><ul><ul><li>e)   Plano a curto, médio e longo prazo  </li></ul></ul>
  75. 76. Plano de saúde para o local de trabalho em caso de Pandemia <ul><li>Âmbito e objectivos do plano </li></ul><ul><li>O objectivo principal do plano é gerir o impacto da pandemia nas empresas (clientes e fornecedores) e entre os trabalhadores, através de duas estratégicas principais: </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>1)  Restrição da doença reduzindo a propagação da gripe no local de trabalho e </li></ul><ul><li>2)  Manutenção dos serviços essenciais se a sua restrição não for possível </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Este plano irá dar orientação nas seguintes áreas: </li></ul><ul><li>1)       Comunicação </li></ul><ul><ul><li>a)  Às empresas nos contactos externos e internos tendo em conta as várias fases da pandemia </li></ul></ul><ul><ul><li>b)  Comunicações relativas à sobrevivência da própria actividade da empresa (clientes/fornecedores) </li></ul></ul><ul><ul><li>c)  Aos empregados </li></ul></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>2)      Restrição nas Actividades </li></ul><ul><ul><li>a)   Reduzindo o risco das pessoas infectadas dentro das empresas </li></ul></ul><ul><ul><li>b)   Distanciamento social </li></ul></ul><ul><ul><li>c)   Limpeza </li></ul></ul><ul><ul><li>d)   Gestão do pânico </li></ul></ul><ul><ul><li>e)   Gestão dos casos no trabalho </li></ul></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>3)       Para Viajantes </li></ul><ul><ul><li>a)   Consultores de viagens </li></ul></ul><ul><ul><li>b)   Recomendações para viajar </li></ul></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>4)       Tratamento </li></ul><ul><ul><li>a)   Anti-virais </li></ul></ul><ul><ul><li>b)    Vacinas </li></ul></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>5)       Manutenção dos serviços essenciais </li></ul><ul><ul><li>a)   Identificação do núcleo duro do pessoal e as suas capacidades </li></ul></ul><ul><ul><li>b)   Plano estratégico para o absentismo </li></ul></ul><ul><ul><li>c)   Comunicação </li></ul></ul><ul><ul><li>d)   Gestão de conhecimento </li></ul></ul><ul><ul><li>e)   Plano a curto, médio e longo prazo  </li></ul></ul>
  76. 77. Plano de saúde para o local de trabalho em caso de Pandemia <ul><li>Âmbito e objectivos do plano </li></ul><ul><li>O objectivo principal do plano é gerir o impacto da pandemia nas empresas (clientes e fornecedores) e entre os trabalhadores, através de duas estratégicas principais: </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>1)  Restrição da doença reduzindo a propagação da gripe no local de trabalho e </li></ul><ul><li>2)  Manutenção dos serviços essenciais se a sua restrição não for possível </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Este plano irá dar orientação nas seguintes áreas: </li></ul><ul><li>1)       Comunicação </li></ul><ul><ul><li>a)  Às empresas nos contactos externos e internos tendo em conta as várias fases da pandemia </li></ul></ul><ul><ul><li>b)  Comunicações relativas à sobrevivência da própria actividade da empresa (clientes/fornecedores) </li></ul></ul><ul><ul><li>c)  Aos empregados </li></ul></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>2)      Restrição nas Actividades </li></ul><ul><ul><li>a)   Reduzindo o risco das pessoas infectadas dentro das empresas </li></ul></ul><ul><ul><li>b)   Distanciamento social </li></ul></ul><ul><ul><li>c)   Limpeza </li></ul></ul><ul><ul><li>d)   Gestão do pânico </li></ul></ul><ul><ul><li>e)   Gestão dos casos no trabalho </li></ul></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>3)       Para Viajantes </li></ul><ul><ul><li>a)   Consultores de viagens </li></ul></ul><ul><ul><li>b)   Recomendações para viajar </li></ul></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>4)       Tratamento </li></ul><ul><ul><li>a)   Anti-virais </li></ul></ul><ul><ul><li>b)    Vacinas </li></ul></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>5)   Manutenção dos serviços essenciais </li></ul><ul><ul><li>a)   Identificação do núcleo duro do pessoal e as suas capacidades </li></ul></ul><ul><ul><li>b)   Plano estratégico para o absentismo </li></ul></ul><ul><ul><li>c)   Comunicação </li></ul></ul><ul><ul><li>d)   Gestão de conhecimento </li></ul></ul><ul><ul><li>e)   Plano a curto, médio e longo prazo  </li></ul></ul>
  77. 81. Para saber mais consulte: <ul><li>Site OMS - www.who.org </li></ul><ul><li>Site Ministério da Saúde - w ww.dgsaude.pt </li></ul><ul><li>Site CVP – www.cruzvermelha.pt </li></ul>

×