SlideShare uma empresa Scribd logo
Planejamento  Familiar Por: Cristina Oliveira de Freitas
Direitos Sexuais e Reprodutivos O que são direitos sexuais e direitos humanos? São diretos já reconhecidos em leis nacionais e documentos internacionais.
Direitos Reprodutivos Direito das pessoas de decidirem, de forma livre e responsável, se querem ou não ter filhos, quantos filhos desejam ter e que momento de suas vidas. Direito a informações, meios, métodos e técnicas para ter ou não ter filhos. Direito de exercer a sexualidade e a reprodução livre de discriminação, imposição e violência.
Direitos Sexuais Direito de viver e expressar livremente a sexualidade sem violência, discriminações e imposições e com o respeito pleno pelo corpo. Direito de escolher a(o) parceiro(a) sexual. Direito a viver a sexualidade independente de estado civil, idade, ou condição física. Direito de escolher se quer ou não ter relação sexual. Direito de expressar livremente sua orientação sexual: heterossexualidade, homossexualidade, bissexualidade, entre outras.

Recomendado para você

Apresentação curso planejamento fliar
Apresentação curso planejamento fliarApresentação curso planejamento fliar
Apresentação curso planejamento fliar

O documento discute direitos sexuais e reprodutivos, incluindo o direito de decidir sobre ter ou não filhos, métodos contraceptivos, planejamento familiar e dados sobre laqueadura e vasectomia no Brasil entre 2003-2009.

 
por tvf
Planeamento familiar
Planeamento familiarPlaneamento familiar
Planeamento familiar

O documento discute planejamento familiar, incluindo o que é, seus objetivos, métodos contraceptivos como a pílula e preservativos, e como funcionam. Planejamento familiar visa garantir acesso à informação e métodos contraceptivos seguros para que as pessoas possam ter uma sexualidade saudável e decidir sobre gravidez.

Apresentação metodos anticoncepcionais
Apresentação metodos anticoncepcionaisApresentação metodos anticoncepcionais
Apresentação metodos anticoncepcionais

Este documento descreve os principais métodos anticoncepcionais, incluindo camisinha, pílula, diafragma, DIU, método Billings e coito interrompido. Ele explica como cada método funciona para prevenir a gravidez e ressalta a importância da responsabilidade compartilhada entre casais na escolha do método.

Direitos Sexuais Direito de ter relação sexual independente da reprodução. Direito ao sexo seguro para prevenção da gravidez indesejada e de DST/HIV/AIDS. Direito a serviços de saúde que garantam a privacidade, sigilo e atendimento de qualidade e sem discriminação. Direito à informação e à educação sexual e reprodutiva.
O que é Planejamento Familiar É um conjunto de ações em que são oferecidos todos os recursos, tanto para auxiliar a ter filhos, ou seja, recursos para concepção, quanto para prevenir uma gravidez indesejada, ou seja, recursos para anticoncepção. Esses recursos devem cientificamente aceitos e não colocar em risco a vida e a  saúde das pessoas, com garantia da liberdade de escolha.
O que é Planejamento Familiar O planejamento familiar é um direito sexual e reprodutivo e assegura a livre decisão da pessoa sobre ter ou não ter filhos. Não pode haver imposição sobre o uso dos métodos anticoncepcionais ou sobre o numero de filhos. O planejamento familiar é um direito das pessoas assegurado na Constituição Federal e na Lei nº 9.263, de 12 de janeiro de 1996, que regulamenta o planejamento familiar, e deve ser garantido pelo governo.
A responsabilidade dos homens em relação à saúde reprodutiva Na sociedade em que vivemos, as questões relacionadas à   anticoncepção são tradicionalmente vistas como de responsabilidade exclusivas das mulheres . Entretanto ninguém, faz filho sozinho. Para o pleno desenvolvimento de homens e mulheres, é importante a construção de parcerias igualitária, baseadas no respeito entre os parceiros e em responsabilidades compartilhadas.

Recomendado para você

Saúde da mulher
Saúde da mulherSaúde da mulher
Saúde da mulher

O documento discute objetivos e diretrizes da Política Nacional de Saúde da Mulher no Brasil, incluindo a promoção da saúde feminina, redução da morbidade e mortalidade e ampliação do acesso à saúde. Também descreve vários métodos de planejamento familiar como anticoncepcionais hormonais, barreira, comportamentais e definitivos.

Métodos contraceptivos(barreiras)
Métodos contraceptivos(barreiras)Métodos contraceptivos(barreiras)
Métodos contraceptivos(barreiras)

Este documento discute vários métodos contraceptivos de barreira como preservativos masculinos e femininos, diafragmas e dispositivos intra-uterinos. Ele explica o que cada método é, como funciona e suas vantagens e desvantagens. O documento foi elaborado por quatro estudantes como um projeto escolar para aprender mais sobre opções contraceptivas.

Planejamento familiar
Planejamento familiarPlanejamento familiar
Planejamento familiar

O documento discute vários métodos de planejamento familiar e contracepção, incluindo preservativos, pílula, DIU, laqueadura de trompas, vasectomia e a importância do conhecimento do corpo e ciclo menstrual para mulheres.

A responsabilidade dos homens em relação à saúde reprodutiva Portanto, é fundamental o envolvimento dos homens com relação a paternidade responsável, à prevenção de gestação não desejadas ou de auto risco, à prevenção das doenças sexualmente transmissíveis, dividindo também com as mulheres as responsabilidades com relação à criação dos filhos e à vida doméstica.
Os direitos sexuais e os direitos reprodutivos de adolescentes e jovens.  Os(as) adolescentes e os (as) jovens têm o direto de ter acesso a informações e educação em saúde sexual e saúde reprodutiva e de ter acesso a meios e métodos que auxiliem a evita uma gravidez não planejada e a prevenir-se contra doenças sexualmente transmissíveis, respeitado-se a sua liberdade de escolha.
Os direitos sexuais e os direitos reprodutivos de adolescentes e jovens.  A primeira relação sexual está acontecendo cada vez mais cedo. É muito importante que adolescentes e jovens estejam informados sobre sexo seguro, incentivando-se o uso da camisinha masculina ou feminina em todas as relações sexuais. Os serviços de saúde devem garantir atendimento aos(às) adolescentes e aos(às) jovens, antes mesmo do inicio de sua atividades sexual e reprodutiva, para ajuda-los a lidarem com a sua sexualidade de forma positiva e responsável, incentivando comportamento d prevenção e de auto cuidado.
Conhecendo o corpo da mulher e do homem É importante que homens e mulheres conheçam o funcionamento do seu corpo.

Recomendado para você

ApresentaçãO SaúDe Da Mulher
ApresentaçãO SaúDe Da MulherApresentaçãO SaúDe Da Mulher
ApresentaçãO SaúDe Da Mulher

O documento resume a situação atual da Estratégia de Saúde da Família em uma prefeitura, com 41% de cobertura populacional e 100% na zona rural. Detalha as 26 equipes, 19 unidades de saúde da família e 167 agentes comunitários de saúde. Também descreve os serviços oferecidos às mulheres, como pré-natal, puerpério, planejamento familiar e rastreamento de câncer, além de estatísticas sobre a produção das equipes nos anos de 2008 e 2009.

Paism slider
Paism sliderPaism slider
Paism slider

O documento descreve a evolução histórica das políticas de saúde da mulher no Brasil, desde os programas dos anos 30 até as políticas atuais. Também aborda os principais programas e ações relacionadas à saúde da mulher, como o PAISM, pré-natal, puerpério, câncer de mama e colo de útero, e violência.

paismsaude da mulher
Saúde da Mulher
Saúde da MulherSaúde da Mulher
Saúde da Mulher

Este documento discute a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher (PNAISM) no Brasil. Ele descreve os objetivos da PNAISM de promover os direitos e a saúde das mulheres brasileiras, reduzir a morbidade e mortalidade femininas, e ampliar o acesso a cuidados de saúde de qualidade. Também discute temas como prevenção e tratamento do câncer de mama e colo do útero, saúde da mulher durante a menopausa, violência contra mulheres, e a importância de um modelo

saúde da mulher
Conhecendo o corpo da mulher e do homem Esse conhecimento os auxilia no controle da sua capacidade reprodutiva e ajuda a entender melhor como agem os métodos anticoncepcionais, de modo que possam planejar a gravidez, quando ela for desejada. Além disso, o conhecimento do corpo também ajuda a compreender e a realizar cuidados para evitar doenças sexualmente transmissíveis e outra doenças que possam afeta a saúde sexual e a saúde reprodutiva.
O corpo da mulher Genitais externas da mulher        A  vulva  é a abertura externa dos órgãos genitais da mulher, composta por grandes lábios, abertura da  vagina, abertura da uretra, clitóris, e monte de Vênus.
O corpo da mulher Genitais externas da mulher        A parte do  clitóris  visível na vulva é a glande do clitóris, uma saliência carnuda que enrijece e aumenta de tamanho quando a mulher esta excitada, proporcionado prazer para a mulher. Ao  monte de vênus  parece uma “almofada”  coberta de pêlos.
O corpo da mulher Genitais externas da mulher        O  períneo  é a parte localizada entre a abertura da vagina e o ânus. Os  seios  também fazem parte dos órgão sexuais e reprodutivos da mulher, tendo duas funções: produzem leite durante a amamentação e proporcionam prazer sexual à mulher quando são estimulados.

Recomendado para você

Contracepção: métodos que apoiam o planejamento reprodutivo
Contracepção: métodos que apoiam o planejamento reprodutivoContracepção: métodos que apoiam o planejamento reprodutivo
Contracepção: métodos que apoiam o planejamento reprodutivo

O documento discute métodos contraceptivos disponíveis para apoiar o planejamento reprodutivo, descrevendo características e critérios de elegibilidade de métodos de barreira, contracepção de longa duração reversível, anticoncepcionais e contracepção definitiva. O objetivo é apresentar as opções para que cada mulher possa escolher o método que melhor se adapte às suas necessidades e condição de saúde.

atencao basicaatencao primariaatenção às mulheres
Aborto
AbortoAborto
Aborto

O documento discute os diferentes tipos de aborto, incluindo aborto espontâneo, aborto provocado e seus métodos. O aborto provocado no Brasil é considerado crime, exceto para salvar a vida da mãe ou em casos de estupro. Os principais métodos de aborto provocado discutidos são o aborto químico, aspiração, dilatação e curetagem, e solução salina hipertônica, cada um com seus riscos potenciais.

Planejamento Familiar - Saude da Mulher (Caroline Gomes - Enfermagem 2014.1)
Planejamento Familiar - Saude da Mulher (Caroline Gomes - Enfermagem 2014.1)Planejamento Familiar - Saude da Mulher (Caroline Gomes - Enfermagem 2014.1)
Planejamento Familiar - Saude da Mulher (Caroline Gomes - Enfermagem 2014.1)

O documento discute o planejamento familiar no Brasil, abordando seu histórico, aspectos éticos e legais, e diferentes métodos anticoncepcionais. É destacado o direito ao planejamento familiar garantido pela Constituição e as atividades de educação, aconselhamento e assistência clínica desenvolvidas no planejamento familiar no Sistema Único de Saúde. Diferentes métodos comportamentais, de barreira e hormonais são explicados em detalhe.

O corpo da mulher Genitais internos da mulher        A  vagina   é um local muscular elástico que vai da vulva até o colo do útero. A vagina se contrai  e relaxa conforme a vontade da mulher. A mulher pode aprender exercícios para fortalecer e melhorar o controle sobre a musculatura  da vagina e, dessa forma, aumenta o seu prazer sexual. É o local por onde o pênis penetra na relação sexual, por onde sai o sangue menstrual e por onde passa o bebê no parto normal.
O corpo da mulher Genitais internos da mulher        O  hímen  é uma pele fina  e elástica que cobre parcialmente a entrada da vagina e que geralmente se rompe na primeira relação sexual. Algumas mulheres possuem hímen complacente, que é mais resistente e flexível e que não se rompe na relação sexual.
O corpo da mulher Genitais internos da mulher        Os  ovários  são dois, têm forma arredondada e tamanho aproximado ao de um ovo de codorna. Estão localizados um de cada lado do útero. As funções dos ovários são: 1-  Guardar e amadurecer os óvulos, que são as  células reprodutoras feniminas; 2-  Produzir os hormônios femininos o estrogênio e a progesterona.
O corpo da mulher Genitais internos da mulher        O  útero  tem a forma de abacate de cabeça para baixo e o tamanho aproximado ao de uma mão fechada. É o local onde o feto se desenvolve durante a gravidez. A parte mais larga é o corpo do útero e a mais estreita é o colo do útero. O colo do útero fica no final do útero e tem um pequeno orifício, por onde penetram os espermatozóides e por onde sai o sangue menstrual. Durante o parto normal, o colo do útero se dilata para deixar passar o bebê.

Recomendado para você

Planeamento familiar
Planeamento familiarPlaneamento familiar
Planeamento familiar

Este documento discute métodos de planeamento familiar responsável, incluindo métodos naturais, artificiais, de barreira, de intervenção e cirúrgicos. Ele também aborda a importância da educação sexual e da responsabilidade no relacionamento e na tomada de decisão sobre a vida sexual e a família.

Saude da mulher
Saude da mulherSaude da mulher
Saude da mulher

O documento discute a atenção integral à saúde da mulher no Brasil, com foco no planejamento familiar e métodos contraceptivos. Ele descreve a importância de promover os direitos da saúde feminina, reduzir a morbidade e mortalidade, e ampliar o acesso aos serviços de saúde da mulher. Além disso, explica vários métodos contraceptivos como pílula, DIU, laqueadura e vasectomia, enfatizando a educação, escolha voluntária e proteção contra DSTs.

saude da mulher
A Importância do Pré-Natal
A Importância do Pré-NatalA Importância do Pré-Natal
A Importância do Pré-Natal

O documento descreve a importância do pré-natal para garantir uma gravidez saudável e parto sem riscos, monitorando o desenvolvimento do feto e identificando possíveis problemas por meio de consultas, exames, vacinas, orientações sobre alimentação e atividades físicas. O pré-natal deve começar antes dos 3 meses de gravidez, com pelo menos 6 consultas ao longo dos trimestres.

pré-natalsaúde da mulher; cuidados na gravidez
O corpo da mulher Genitais internos da mulher        O útero tem duas camadas: a de fora é o miométrio e a camada interna é o endométrio.
O corpo do homem Genitais externos do homem       A  bolsa escrota l tem a forma de um saco de pele e esta localizada abaixo do pênis. A bolsa escrotal tem a função de proteger os testículos e também de manter a sua temperatura adequada. Por isso, no calor, a bolsa escrotal fica mais baixa e solta e, quando o tempo está mais frio, a bolsa encolhe e os testículos ficam mais juntos do corpo.
O corpo do homem Genitais externos do homem       O  pênis  tem duas partes: o corpo e a glande. A glande é a cabeça do pênis e é recoberta por uma pele chamada de prepúcio. A uretra passa por dentro do pênis.
O corpo do homem Genitais externos do homem       O pênis desempenha duas funções: a função urinária, que é liberar a urina que vem da bexiga, e a função sexual e reprodutiva, que é a penetração e a ejaculação do esperma.

Recomendado para você

Planeamento familiar e métodos contracetivos
Planeamento familiar e métodos contracetivosPlaneamento familiar e métodos contracetivos
Planeamento familiar e métodos contracetivos

O documento fornece informações sobre métodos contraceptivos, incluindo seus tipos (reversíveis e definitivos), como funcionam, níveis de eficácia e como acessá-los. É descrito o que ocorre nas consultas de planejamento familiar e quais os objetivos do planejamento familiar.

Saude da mulher1
Saude da mulher1Saude da mulher1
Saude da mulher1

O Programa de Assistência Integral à Saúde da Mulher (PAISM), tem por objetivo promover a assistência integral à saúde da mulher, com vistas à redução da morbimortalidade deste grupo populacional.

PLANEJAMENTO FAMILIAR AULA.ppt
PLANEJAMENTO FAMILIAR AULA.pptPLANEJAMENTO FAMILIAR AULA.ppt
PLANEJAMENTO FAMILIAR AULA.ppt

O documento discute o planejamento familiar, explicando-o como um conjunto de ações para auxiliar a ter ou prevenir filhos de forma científica e voluntária. Também aborda a importância de conhecer o corpo masculino e feminino para entender a reprodução e usar anticoncepcionais de forma eficaz. Finalmente, explica métodos específicos como a temperatura basal e observação do muco cervical.

O corpo do homem Genitais internos do homem       Os  testículos  são  em numero de dois e ficam dentro da bolsa escrotal. São responsáveis pela produção e armazenamento dos espermatozóides, que são as células reprodutoras masculinas que compõem o esperma e pela produção da testosterona, que é o hormônio masculino. Após a ejaculação, os espermatozóides se dirigem para as trompas uterinas. Os espermatozóides podem sobreviver por ate cinco dias dentro dos genitais internos da mulher.
O corpo do homem Genitais internos do homem       O  epidídimo  é um canal onde os espermatozóides ficam armazenados e amadurecem após serem produzidos pelos testículos. Os  canais deferentes  são dois tubos que partem dos testículos e sobem para o abdome. São os canais que os espermatozóides percorrem, desde os testículos até a vesícula seminal. Abaixo da bexiga, os canais deferentes provenientes de cada testículo se juntam em um único tubo, o ducto ejaculador, que desemboca na uretra.
O corpo do homem Genitais internos do homem       As  vesículas seminais  são duas glândulas localizadas abaixo da bexiga, cuja função é produzir o liquido seminal, que é um liquido para nutrir os espermatozóides e que vai compor o esperma.
O corpo do homem Genitais internos do homem       A  próstata  é uma glândula localizada entre as vesículas seminais e abaixo da bexiga. Sua função é produzir o liquido prostático que, junto com o liquido seminal, com o liquido do canal deferente e com o liquido das glândulas bulbouretrais vai compor o esperma.

Recomendado para você

Manualdesexualidade
ManualdesexualidadeManualdesexualidade
Manualdesexualidade

Este documento fornece informações sobre sexualidade humana, incluindo órgãos sexuais masculinos e femininos, hormônios sexuais, resposta sexual e atividade sexual em idosos. Ele também discute contraceptivos, comportamentos sexuais e sexualidade em números. O documento destina-se a fornecer informações essenciais sobre sexualidade para fins educacionais.

A adolescência, fase de novas descobertas
A adolescência, fase de novas descobertas A adolescência, fase de novas descobertas
A adolescência, fase de novas descobertas

A partir do dia 01 de novembro até o dia 29 do mês vigente estarão desenvolvendo aulas criativas para ministrarem o conteúdo com respaldo teórico, bíblico, cientifico através de: Slides sobre o assunto preparado pelas professoras responsáveis pela disciplina; Desafios de perguntas e respostas; Palestras com três convidados capacitados para falarem do assunto com os alunos nos dias 21, 22 e 23 de novembro em cada turma; Jogos de Márcia Ferreira Ação psicopedagógica na sala de aula: uma questão de inclusão - São Paulo: Paulus, 2001. (Pedagogia e educação) No dia 29 de novembro será o Encerramento no Auditório da Casa da Criança Alegre das 12h45min as 17h00min com a presença de toda Equipe responsável pelo trabalho, os palestrantes, pais e outros convidados, terá apresentações dos materiais publicados no blog, teatro com os alunos, dinâmica com premiações e no final um saboroso lanche oferecido pela Equipe Escolar. Desde já queremos deixar sua presença confirmada.

#educação #adolescencia
Sexualidade humana i_
Sexualidade humana i_Sexualidade humana i_
Sexualidade humana i_

Este documento discute a sexualidade humana. Aborda tópicos como: 1) A sexualidade envolve o corpo todo, não apenas órgãos genitais. 2) A sexualidade humana é fonte de prazer, comunicação e bem-estar, diferentemente de outros animais onde se resume à procriação. 3) A puberdade traz transformações físicas e emocionais que marcam a passagem para a idade adulta.

O corpo do homem Genitais internos do homem       A  uretra  é o canal que sai da bexiga e passa por dentro do pênis. Sua função é eliminar a urina que vem da bexiga e eliminar o esperma durante a ejaculação. No momento da ejaculação, um músculo localizado próximo da bexiga fecha a passagem da urina, por isso nunca sai urina e esperma ao mesmo tempo.
O corpo do homem Genitais internos do homem       As  glândulas bulbouretais  localizam-se de cada lado da uretra, nas proximidades da origem da uretra, e produzem uma secreção que vai fazer parte do esperma.
Como se engravida? Ciclo menstrual  é o tempo que vai do primeiro dia de uma menstruação ate o dia que antecede a menstruação seguinte.  Em geral, 28 dias, mas sua duração varia de mulher para mulher e, numa mesma mulher, ao longo da vida reprodutiva. Doença, mudanças de ritmo de trabalho, alterações emocionais podem alterar o ciclo menstrual. A cada ciclo menstrual, ocorre a ovulação.
Como se engravida? Ovulação : para o espermatozóide encontrar-se com o óvulo, é preciso que a mulher tenha ovulado. A ovulação é o fenômeno da liberação do óvulo pelo ovário, isso ocorre, geralmente uma vez por mês, a cada ciclo menstrual. Portanto, a mulher não é fértil durante todo o ciclo menstrual, só é fértil no período da ovulação.

Recomendado para você

Sexualidade - puberdade - reprodução humana - métodos contraceptivos - dst
Sexualidade -  puberdade - reprodução humana - métodos contraceptivos - dstSexualidade -  puberdade - reprodução humana - métodos contraceptivos - dst
Sexualidade - puberdade - reprodução humana - métodos contraceptivos - dst

O documento discute vários tópicos relacionados à sexualidade humana, incluindo desenvolvimento da puberdade, anatomia dos órgãos sexuais masculinos e femininos, relações sexuais, concepção, gravidez e parto. Aborda também métodos contraceptivos e algumas infecções sexualmente transmissíveis.

puberdadedstsexualidade
Projeto vale sonhar
Projeto vale sonharProjeto vale sonhar
Projeto vale sonhar

O documento discute educação sexual, incluindo anatomia reprodutiva masculina e feminina, puberdade, menstruação, ovulação, espermatogênese, gravidez na adolescência, métodos contraceptivos e doenças sexualmente transmissíveis.

Projeto vale sonhar
Projeto vale sonharProjeto vale sonhar
Projeto vale sonhar

O documento apresenta informações sobre educação sexual, incluindo: 1) a puberdade e os aparelhos reprodutores masculino e feminino; 2) a menstruação, ovulação e espermatogênese; 3) métodos contraceptivos como a pílula, DIU e camisinha; 4) gravidez na adolescência. O texto aborda esses tópicos de forma didática visando a educação e conscientização dos leitores.

Como se engravida? Menstruação : o óvulo liberado vive, mais ou menos, 24h. se não ocorrer a fecundação nesse tempo, o óvulo é reabsorvido pelo organismo. Por sua vez, o espermatozóide, após a ejaculação, pode viver ate cinco dias nos genitais internos da mulher.
Como se engravida? A cada ciclo menstrual, o útero prepara-se para receber o óvulo fecundado. Quando não acontece a fecundação, a camada interna do endométrio, desprende-se, ocorrendo a menstruação. Por isso, um dos sinais de gravidez é a falta de menstruação.
Como se engravida? Fecundação : na relação sexual , após a ejaculação, o esperma masculino é depositado na vagina. O esperma contem espermatozóides, que são as células reprodutoras masculinas. Os espermatozóides movimentam-se rápido pelo canal da vagina, penetram no útero e dirige-se às trompas uterinas. Se, na trompa, o espermatozóide encontra-se com o óvulo, ocorre a fecundação. O óvulo fecundado dirige-se ao útero, onde se aninha, dando inicio à gravidez.
Como se engravida?

Recomendado para você

Projeto vale sonhar
Projeto vale sonharProjeto vale sonhar
Projeto vale sonhar

O documento apresenta informações sobre educação sexual, incluindo: 1) a anatomia e fisiologia dos aparelhos reprodutores masculino e feminino; 2) processos como menstruação, ovulação e espermatogênese; 3) métodos contraceptivos como preservativos, pílula e DIU. O texto aborda tópicos como puberdade, gravidez na adolescência e doenças sexualmente transmissíveis.

A reprodução humana (3)
A reprodução humana (3)A reprodução humana (3)
A reprodução humana (3)

O documento discute a reprodução humana, explicando que envolve os sistemas reprodutores masculino e feminino. Descreve que o sistema feminino inclui os ovários, trompas de Falópio e útero, enquanto o masculino inclui testículos, pênis e outros órgãos. Também explica que a puberdade traz mudanças físicas que preparam o corpo para a reprodução.

Puberdade e Adolescência
Puberdade e AdolescênciaPuberdade e Adolescência
Puberdade e Adolescência

O documento discute os processos de puberdade e adolescência. Define puberdade como o período de amadurecimento biológico que capacita o corpo para a reprodução, enquanto a adolescência é um período mais amplo de mudanças físicas, psicológicas e comportamentais entre 10-19 anos. Descreve as mudanças físicas típicas da puberdade em meninas e meninos, como o crescimento dos seios, pelos e órgãos genitais.

Doenças Sexualmente Transmissíveis O que são DSTs? São doenças sexualmente transmissíveis, que são passadas nas relações sexuais com pessoas que estejam com essas doenças. São DSTs a gonorréia, a sífilis, a clamídia, o herpes genital, a hepatite B, o condiloma, a tricomoníase, o HIV/AIDS, entre outras.
Doenças Sexualmente Transmissíveis Como saber se você esta com alguma DST? As DSTs podem se manifestar por meio de corrimentos, irritação, feridas, caroços ou verrugas nos órgãos genitais. Podem causar coceiras, dor na relação sexual, dor embaixo do umbigo. Mas,as vezes não apresentam sintomas ou sinais externos, ou seja, visíveis por fora, e isso é comum ocorrer com mulheres. Entretanto, mesmo nessa situação, a doença pode ser passada para  o parceiro.
Doenças Sexualmente Transmissíveis Quais os problemas que as DSTs podem causar? Quando não tratadas, podem trazer conseqüências graves. Podem por exemplo, causar problemas que comprometem a capacidade de ter filhos no futuro, ou seja, que provoquem infertilidade. Existem doenças que podem predispor ao câncer de colo de útero ou pênis. Alem disso, algumas DSTs como a sífilis, a hepatite B e o HIV, podem ser transmitiras para o bebê durante a gravidez, trazendo graves problemas para a criança, ou mesmo podendo provocar o aborto.
Doenças Sexualmente Transmissíveis Como deve ser o Tratamento? Se você suspeitar que esta com alguma DST, a primeira coisa a fazer é evitar relações sexuais e procurar imediatamente um serviço de saúde. Não faça tratamento por conta própria, procure um serviço de saúde logo que surgirem os primeiro sintomas. Assim, o tratamento será eficaz.

Recomendado para você

Resumo sistema reprodutor
Resumo sistema reprodutor Resumo sistema reprodutor
Resumo sistema reprodutor

O documento descreve as mudanças físicas e hormonais que ocorrem durante a puberdade nos corpos masculinos e femininos, incluindo o crescimento dos órgãos genitais. Também explica as funções dos principais órgãos do sistema reprodutor masculino e feminino e como ocorre a fecundação. Por fim, aborda a menstruação, métodos contraceptivos e a primeira e última menstruação da vida da mulher.

Educação sexual para todos
Educação sexual para todosEducação sexual para todos
Educação sexual para todos

Trabalho de pesquisa sobre Educação Sexual não só para os jovens, como também para a terceira idade, doentes de cancro, deficiente físicos, grávidas, etc.

orientação sexualsexo e deficiente físicosexo e gravidez
O que acontece com o seu corpo
O que acontece com o seu corpoO que acontece com o seu corpo
O que acontece com o seu corpo

O documento descreve as principais mudanças físicas e hormonais que ocorrem durante a adolescência masculina e feminina, incluindo o desenvolvimento dos órgãos genitais e as funções do ciclo menstrual.

Doenças Sexualmente Transmissíveis O que é HIV? É o vírus causador da AIDS, doença que compromete o sistema de defesa do organismo, provocando a perda da proteção do organismo contra as doenças, por isso a pessoa pode desenvolver vários tipos de infecções e/ou câncer.
Doenças Sexualmente Transmissíveis O que é HIV? A pessoa com HIV pode ficar muitos anos com o vírus sem desenvolver a doença AIDS. Isso ocorre porque o vírus vai se multiplicando lentamente. No entanto, mesmo nessa situação, por ser portador do HIV, a pessoa pode transmitir o vírus para outra pessoa.
Doenças Sexualmente Transmissíveis O HIV pode ser transmitido: 1- Através da relação sexual vaginal, anal ou oral, com uma pessoa contaminada; 2- Através de transfusão de sangue ou contato com sangue contaminado; 3-  Pode ser transmitido da mãe contaminada para o filho durante a gestação, parto ou através da amamentação.
Doenças Sexualmente Transmissíveis Qualquer pessoa pode se contaminar com o HIV. Por isso é importante se prevenir usando camisinha em todas as relações sexuais

Recomendado para você

Sistema reprodutor
Sistema reprodutorSistema reprodutor
Sistema reprodutor

O documento descreve o sistema reprodutor feminino, incluindo os órgãos ovários, tubas uterinas, útero, vagina, vulva e mamas. Ele também explica o ciclo menstrual em três fases - menstrual, proliferativa e secretora - e menciona o método da tabelinha para planejamento familiar.

aparelho reprodutor feminino
Educaosexualparatodos 120507091742-phpapp02
Educaosexualparatodos 120507091742-phpapp02Educaosexualparatodos 120507091742-phpapp02
Educaosexualparatodos 120507091742-phpapp02

O documento fornece informações sobre educação sexual, incluindo sistemas reprodutores masculino e feminino, orientações sexuais, métodos contraceptivos e doenças sexualmente transmissíveis. Aborda tópicos como anatomia reprodutiva, contracepção hormonal e de barreira, e orientações como heterossexualidade, bissexualidade e homossexualidade.

Sistema Reprodutor
Sistema ReprodutorSistema Reprodutor
Sistema Reprodutor

Os principais órgãos reprodutores masculinos são os testículos, que produzem esperma, e o pênis. Os principais órgãos femininos são os ovários, que produzem óvulos, o útero, onde o feto se desenvolve, e a vagina. A puberdade traz mudanças físicas e emocionais tanto para rapazes como raparigas.

masculinofemininosistema reprodutor
Fique Sabendo! Milhares de pessoas desconhecem que são portadoras do HIV. Por isso, é importante fazer o teste, pois, quanto mais cedo for feito o diagnostico, maior a possibilidade de controlar o desenvolvimento da doença, AIDS. A realização desse teste no pré-natal é muito importante, pois mães portadoras podem diminuir a possibilidade de terem filhos com HIV, se receberem tratamento adequado durante o pré-natal e o parto.
Fique Sabendo! O único método de se prevenir contra DSTs e a gravidez é a camisinha.
Falando sobre Anticoncepcionais O que são métodos anticoncepcionais?   São maneiras, medicamentos,  objetos e cirurgias usados pelas pessoas para evitar a gravidez. Existem métodos femininos e masculinos. Podem ser reversíveis,  aqueles que a pessoa volta a Ter a capacidade de engravidar após parar de usá-los. Também podem ser irreversíveis, como a laqueadura  de trompas e a vasectomia.
Falando sobre Anticoncepcionais Como escolher o método anticoncepcional?   A escolha dever ser livre e informada. Não existe um método melhor que o outro, cada um tem vantagens e desvantagens. Assim como também não existe um método 100% eficaz, todos tem sua probabilidade de falha.

Recomendado para você

Reprodução
ReproduçãoReprodução
Reprodução

O documento discute a reprodução humana, desde a puberdade até o parto. Explica que a puberdade prepara o corpo para a maturidade sexual e a capacidade de ter filhos, e que a adolescência é o período entre a puberdade e a vida adulta. Também descreve os sistemas reprodutores masculino e feminino, a menstruação, a fecundação, o desenvolvimento intrauterino e o parto.

Bases morfofisiológicas da reprodução
Bases morfofisiológicas da reprodução  Bases morfofisiológicas da reprodução
Bases morfofisiológicas da reprodução

O documento discute a reprodução humana, explicando que ocorre através da reprodução sexuada envolvendo dois indivíduos de sexos opostos. Descreve os processos de puberdade e como levam ao desenvolvimento dos caracteres sexuais secundários e capacidade reprodutiva. Também aborda a formação dos gâmetas masculinos (espermatozoides) e femininos (ovócitos).

Desenvolvimento da sexualidade
Desenvolvimento da sexualidadeDesenvolvimento da sexualidade
Desenvolvimento da sexualidade

O documento discute o desenvolvimento sexual humano durante a puberdade, descrevendo as mudanças físicas e hormonais que ocorrem nos rapazes e raparigas. Detalha as transformações nos órgãos genitais masculinos e femininos e como as hormonas, como a testosterona e os estrogênios, impulsionam essas mudanças.

Falando sobre Anticoncepcionais Pílulas anticoncepcionais São feitas de  hormônios produzidos pelos  ovários, o estrogênio e a progesterona.  Agem impedindo a ovulação, ou dificultando a passagem do espermatozóide para dentro do útero. Existe dois tipos de pílulas, as pílulas combinadas ( contém estrogênio + progesterona ) e as minipílulas (que contém só progesterona )
Falando sobre Anticoncepcionais Pílulas anticoncepcionais A pílula deve ser tomada todos os dias no mesmo horário.  A capacidade de engravidar da mulher retorna logo após ela Ter parado de tomar a pílula.
Falando sobre Anticoncepcionais Injeções anticoncepcionais São feitas de dois hormônios parecidos com os hormônios produzidos pelos ovários o estrogênio e a progesterona. Agem impedindo a ovulação. Também dificultando a passagem dos espermatozóides para o interior do útero.  Existem dois tipos de injeção anticoncepcional: a mensal e a trimestral.
Falando sobre  Anticoncepcionais Injeções anticoncepcionais OBS:  com a injeção trimestral, pode haver um atraso no retorno da fertilidade da mulher. Em média, quatro meses após o término do efeito da injeção. A injeção trimestral pode ser usada durante a amamentação. Nesse caso,  uso deve ser iniciado seis semanas após o parto.

Recomendado para você

Reprodução humana e crescimento
Reprodução humana e crescimentoReprodução humana e crescimento
Reprodução humana e crescimento

Este documento descreve os caracteres sexuais primários e secundários que distinguem meninos e meninas, o processo da puberdade e as transformações que ocorrem no corpo masculino e feminino, e os sistemas reprodutores masculino e feminino.

Falando sobre  Anticoncepcionais Camisinha Masculina A camisinha funciona como uma barreira. O esperma ejaculado pelo homem fica retido na camisinha. A camisinha é eficaz para proteger da gravidez e de DST/HIV/AIDS quando usada em todas as relações sexuais,  antes de ter o contato do pênis com a vagina, com o ânus ou com a boca.
Falando sobre Anticoncepcionais
Falando sobre Anticoncepcionais Cuidados com a camisinha: Guardar em local seco e fresco. Não expor ao sol e ao calor. Não abrir a camisinha com os dentes, unha ou tesoura, a embalagem já vem picotada. Não usar lubrificantes oleosos, como vaselina ou manteiga. Não usar duas camisinhas a o mesmo tempo. Verificar o prazo de validade. Verificar se a embalagem não esta furada.
Fique Sabendo! As camisinhas masculina e feminina são os únicos métodos que oferecem dupla proteção: protegem contra DST/HIV/AIDS e a gravidez.

Recomendado para você

Falando sobre Anticoncepcionais Camisinha Feminina Tem as mesmas vantagens da camisinha masculina. Pode ser colocada na vagina imediatamente antes da penetração ou até oito horas antes da relação sexual.
Falando sobre Anticoncepcionais
Falando sobre  Anticoncepcionais Diafragma É uma capa flexível de borracha ou de silicone, com uma borda em forma de anel, que é colocada na Vagina para cobrir o colo do útero. Evita a gravidez impedindo a entrada dos espermatozóides dentro do útero.   Pode ser usado com espermicida ou não.
Falando sobre Anticoncepcionais Diafragma Pode ser colocado na vagina minutos ou horas antes da relação sexual. Só deve ser retirado de seis a oito horas após a última ralação, é o tempo suficiente para que os espermatozóides que ficaram na vagina morram.  Após utilizar deve ser lavado com água e sabão neutro, secar e guardar, no estojo.

Recomendado para você

Falando sobre Anticoncepcionais
Falando sobre  Anticoncepcionais Espermicida É uma substância química que recobre a vagina e o colo do útero, impedindo a penetração dos espermatozóides no útero, imobilizando-os ou destruindo-os. Pode ser usado sozinho ou combinado com o diafragma. É eficaz  por  um período de uma hora após a aplicação.
Falando sobre Anticoncepcionais Dispositivo Intra-uterino (DIU) É um pequeno objeto de plástico, que pode ser recoberto de cobre ou conter hormônio, colocado no interior do útero para evitar a gravidez.
Falando sobre Anticoncepcionais Dispositivo Intra-uterino (DIU) O  DIU não provoca aborto , porque atua antes da fecundação. O DIU recoberto com cobre age impedindo  ou matando os espermatozóides com o óvulo.  A fertilidade da mulher, ou seja, a sua capacidade de engravidar, retorna logo após a retirada do DIU.

Recomendado para você

Falando sobre Anticoncepcionais Dispositivo Intra-uterino (DIU) O modelo de DIU Tcu380 A dura dez anos após a sua colocação no útero, mas pode ser retirado a qualquer momento. O DIU pode apresentar aumento do sangramento  menstrual e aumento na duração da menstruação ou apresentar cólicas.
Falando sobre Anticoncepcionais Tabela É método que se baseia na observação de vários ciclos menstruais, para determinar o período fértil do ciclo menstrual da mulher. A eficácia da tabela depende de seu uso correto e da cooperação de ambos os parceiros. A eficácia será maior se o casal não tiver relação sexual com penetração vaginal no período fértil.
Falando sobre Anticoncepcionais Tabela A tabela requer disciplina, conhecimento do funcionamento do corpo e observação atenta.   A tabela é individual, cada mulher tem que fazer a sua.
Falando sobre Anticoncepcionais

Recomendado para você

Falando sobre Anticoncepcionais Muco Cervical Este método baseia-se na determinação do período do fértil pela auto-observação das mudanças do muco cervical e da sensação de umidade na vagina ao longo do ciclo menstrual.
Falando sobre Anticoncepcionais Muco Cervical Este método requer disciplina, conhecimento do funcionamento do corpo e observação atenta. O muco cervical é uma secreção produzida no colo do útero pela ação dos hormônios femininos, que umedece a vagina e, às vezes, aparece na calcinha.
Falando sobre  Anticoncepcionais Muco Cervical Após a menstruação, algumas mulheres têm um período seco, que não tem muco.  Depois, surge um  muco esbranquiçado e pegajoso, que se quebre quando esticado. À medida que se aproxima o dia da ovulação, esse muco vai ficando parecido com a clara de ovo,  elástico transparente e escorregadio e a vagina vai ficando mais úmida.
Falando sobre  Anticoncepcionais Temperatura basal  Esta método baseia-se nas alterações que os hormônios femininos provocam na temperatura do corpo ao longo do ciclo menstrual. Antes da ovulação, a temperatura basal é um pouco mais baixa e permanece assim a’te a ovulação. Quando acontece a ovulação, a temperatura sobe alguns décimos de grau e permanece assim até a chegada da próxima menstruação.

Recomendado para você

Falando sobre Anticoncepcionais Temperatura basal  Para usar este método, a partir do primeiro dia da menstruação, a mulher deve medir a temperatura do corpo pela manhã, antes de levantar, deve anotar a temperaturas num gráfico. O casal que deseja engravidar deve evitar as relações sexuais com penetração  vaginal no período de quatro a cinco dias antes da data prevista da ovulação até o quarto dia da temperatura alta.
Falando sobre Anticoncepcionais Sintotérmico Esta baseado na combinação dos métodos da tabela, do muco cervical, da temperatura basal e na observação de sinais e sintomas que indicam o período fértil da mulher. Os sinais e sintomas que indicam o período fértil são: dor ou aumento no abdome, sensação de peso ou inchaço nas mamas, mudanças no humor e no desejo sexual, aumento de peso  e do apetite.
Falando sobre Anticoncepcionais Sintotérmico O casal que não deseja engravidar deve evitar relações sexuais com penetração vaginal nos dias férteis determinados pela tabela, pelo muco cervical, pela elevação da temperatura basal e pelo aparecimento dos sinais e sintomas que indicam a período fértil.
Falando sobre Anticoncepcionais Ligadura das Trompas É uma cirurgia simples realizada na mulher para evitar a gravidez. É um método considerado permanente ou irreversível. A ligadura de trompas, mesmo sendo uma operação simples, tem riscos e pode apresentar problemas como qualquer outra cirurgia.

Recomendado para você

Falando sobre Anticoncepcionais Ligadura das Trompas A Lei do planejamento familiar só permite realizar a ligadura de trompas e a vasectomia voluntárias nas seguintes condições:
Falando sobre Anticoncepcionais Ligadura das Trompas 1-  Em homens e mulheres com capacidade civil plena e maiores de 25 anos de idade, ou pelo menos com dois filhos vivos, desde que observado o prazo mínimo de 60 dias entre a manifestação da vontade e o ato cirúrgico. 2-  Nos casos em que há risco de vida para a mulher ou riscos para a saúde da mulher ou do futuro bebê.
Falando sobre Anticoncepcionais
Fique Sabendo! A Lei do Planejamento Familiar proíbe a realização da ligadura de trompas durante o período de parto ou aborto, exceto nos casos de comprovada necessidade. Esses momentos não são os mais adequados para a realização dessa cirurgia.

Recomendado para você

Falando sobre Anticoncepcionais Vasectomia É uma cirurgia simples, segura e rápida. É um método irreversível. O efeito da vasectomia não é imediato, só será considerada segura quando o exame realizado no esperma, o espermograma, mostrar que não existem mais espermatozóides no esperma ejaculado.
Falando sobre Anticoncepcionais

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

ContracepçãO Geral
ContracepçãO   GeralContracepçãO   Geral
ContracepçãO Geral
Andrea A. Ferreira
 
Planejamento Reprodutivo: o que há de novo e além do planejamento familiar?
Planejamento Reprodutivo: o que há de novo e além do planejamento familiar?Planejamento Reprodutivo: o que há de novo e além do planejamento familiar?
Planejamento Reprodutivo: o que há de novo e além do planejamento familiar?
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Programa de Orientação sobre Anticoncepção - Planejamento Familiar
Programa de Orientação sobre Anticoncepção - Planejamento FamiliarPrograma de Orientação sobre Anticoncepção - Planejamento Familiar
Programa de Orientação sobre Anticoncepção - Planejamento Familiar
Professor Robson
 
Apresentação curso planejamento fliar
Apresentação curso planejamento fliarApresentação curso planejamento fliar
Apresentação curso planejamento fliar
tvf
 
Planeamento familiar
Planeamento familiarPlaneamento familiar
Apresentação metodos anticoncepcionais
Apresentação metodos anticoncepcionaisApresentação metodos anticoncepcionais
Apresentação metodos anticoncepcionais
joao11batista
 
Saúde da mulher
Saúde da mulherSaúde da mulher
Saúde da mulher
Michelle Santos
 
Métodos contraceptivos(barreiras)
Métodos contraceptivos(barreiras)Métodos contraceptivos(barreiras)
Métodos contraceptivos(barreiras)
ap3bmachado
 
Planejamento familiar
Planejamento familiarPlanejamento familiar
Planejamento familiar
WAGNER OLIVEIRA
 
ApresentaçãO SaúDe Da Mulher
ApresentaçãO SaúDe Da MulherApresentaçãO SaúDe Da Mulher
ApresentaçãO SaúDe Da Mulher
Tania Fonseca
 
Paism slider
Paism sliderPaism slider
Paism slider
Dessa Reis
 
Saúde da Mulher
Saúde da MulherSaúde da Mulher
Saúde da Mulher
Neto Pontes
 
Contracepção: métodos que apoiam o planejamento reprodutivo
Contracepção: métodos que apoiam o planejamento reprodutivoContracepção: métodos que apoiam o planejamento reprodutivo
Contracepção: métodos que apoiam o planejamento reprodutivo
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
Adila Trubat
 
Planejamento Familiar - Saude da Mulher (Caroline Gomes - Enfermagem 2014.1)
Planejamento Familiar - Saude da Mulher (Caroline Gomes - Enfermagem 2014.1)Planejamento Familiar - Saude da Mulher (Caroline Gomes - Enfermagem 2014.1)
Planejamento Familiar - Saude da Mulher (Caroline Gomes - Enfermagem 2014.1)
Caroline Gomes
 
Planeamento familiar
Planeamento familiarPlaneamento familiar
Planeamento familiar
Zaara Miranda
 
Saude da mulher
Saude da mulherSaude da mulher
Saude da mulher
TesisMaster
 
A Importância do Pré-Natal
A Importância do Pré-NatalA Importância do Pré-Natal
A Importância do Pré-Natal
UEA - Universidade do Estado do Amazonas
 
Planeamento familiar e métodos contracetivos
Planeamento familiar e métodos contracetivosPlaneamento familiar e métodos contracetivos
Planeamento familiar e métodos contracetivos
BESL
 
Saude da mulher1
Saude da mulher1Saude da mulher1
Saude da mulher1
luzienne moraes
 

Mais procurados (20)

ContracepçãO Geral
ContracepçãO   GeralContracepçãO   Geral
ContracepçãO Geral
 
Planejamento Reprodutivo: o que há de novo e além do planejamento familiar?
Planejamento Reprodutivo: o que há de novo e além do planejamento familiar?Planejamento Reprodutivo: o que há de novo e além do planejamento familiar?
Planejamento Reprodutivo: o que há de novo e além do planejamento familiar?
 
Programa de Orientação sobre Anticoncepção - Planejamento Familiar
Programa de Orientação sobre Anticoncepção - Planejamento FamiliarPrograma de Orientação sobre Anticoncepção - Planejamento Familiar
Programa de Orientação sobre Anticoncepção - Planejamento Familiar
 
Apresentação curso planejamento fliar
Apresentação curso planejamento fliarApresentação curso planejamento fliar
Apresentação curso planejamento fliar
 
Planeamento familiar
Planeamento familiarPlaneamento familiar
Planeamento familiar
 
Apresentação metodos anticoncepcionais
Apresentação metodos anticoncepcionaisApresentação metodos anticoncepcionais
Apresentação metodos anticoncepcionais
 
Saúde da mulher
Saúde da mulherSaúde da mulher
Saúde da mulher
 
Métodos contraceptivos(barreiras)
Métodos contraceptivos(barreiras)Métodos contraceptivos(barreiras)
Métodos contraceptivos(barreiras)
 
Planejamento familiar
Planejamento familiarPlanejamento familiar
Planejamento familiar
 
ApresentaçãO SaúDe Da Mulher
ApresentaçãO SaúDe Da MulherApresentaçãO SaúDe Da Mulher
ApresentaçãO SaúDe Da Mulher
 
Paism slider
Paism sliderPaism slider
Paism slider
 
Saúde da Mulher
Saúde da MulherSaúde da Mulher
Saúde da Mulher
 
Contracepção: métodos que apoiam o planejamento reprodutivo
Contracepção: métodos que apoiam o planejamento reprodutivoContracepção: métodos que apoiam o planejamento reprodutivo
Contracepção: métodos que apoiam o planejamento reprodutivo
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
 
Planejamento Familiar - Saude da Mulher (Caroline Gomes - Enfermagem 2014.1)
Planejamento Familiar - Saude da Mulher (Caroline Gomes - Enfermagem 2014.1)Planejamento Familiar - Saude da Mulher (Caroline Gomes - Enfermagem 2014.1)
Planejamento Familiar - Saude da Mulher (Caroline Gomes - Enfermagem 2014.1)
 
Planeamento familiar
Planeamento familiarPlaneamento familiar
Planeamento familiar
 
Saude da mulher
Saude da mulherSaude da mulher
Saude da mulher
 
A Importância do Pré-Natal
A Importância do Pré-NatalA Importância do Pré-Natal
A Importância do Pré-Natal
 
Planeamento familiar e métodos contracetivos
Planeamento familiar e métodos contracetivosPlaneamento familiar e métodos contracetivos
Planeamento familiar e métodos contracetivos
 
Saude da mulher1
Saude da mulher1Saude da mulher1
Saude da mulher1
 

Semelhante a Planejamento Familiar

PLANEJAMENTO FAMILIAR AULA.ppt
PLANEJAMENTO FAMILIAR AULA.pptPLANEJAMENTO FAMILIAR AULA.ppt
PLANEJAMENTO FAMILIAR AULA.ppt
Josy Farias
 
Manualdesexualidade
ManualdesexualidadeManualdesexualidade
Manualdesexualidade
Inês Polme
 
A adolescência, fase de novas descobertas
A adolescência, fase de novas descobertas A adolescência, fase de novas descobertas
A adolescência, fase de novas descobertas
Elizangela Mendonça Martins
 
Sexualidade humana i_
Sexualidade humana i_Sexualidade humana i_
Sexualidade humana i_
Thamires Morais
 
Sexualidade - puberdade - reprodução humana - métodos contraceptivos - dst
Sexualidade -  puberdade - reprodução humana - métodos contraceptivos - dstSexualidade -  puberdade - reprodução humana - métodos contraceptivos - dst
Sexualidade - puberdade - reprodução humana - métodos contraceptivos - dst
Ana Beatriz Cargnin
 
Projeto vale sonhar
Projeto vale sonharProjeto vale sonhar
Projeto vale sonhar
santhdalcin
 
Projeto vale sonhar
Projeto vale sonharProjeto vale sonhar
Projeto vale sonhar
santhdalcin
 
Projeto vale sonhar
Projeto vale sonharProjeto vale sonhar
Projeto vale sonhar
santhdalcin
 
A reprodução humana (3)
A reprodução humana (3)A reprodução humana (3)
A reprodução humana (3)
Carla Gomes
 
Puberdade e Adolescência
Puberdade e AdolescênciaPuberdade e Adolescência
Puberdade e Adolescência
lucikd
 
Resumo sistema reprodutor
Resumo sistema reprodutor Resumo sistema reprodutor
Resumo sistema reprodutor
ladyacp
 
Educação sexual para todos
Educação sexual para todosEducação sexual para todos
Educação sexual para todos
Marina Ferreira
 
O que acontece com o seu corpo
O que acontece com o seu corpoO que acontece com o seu corpo
O que acontece com o seu corpo
VaMartins
 
Sistema reprodutor
Sistema reprodutorSistema reprodutor
Sistema reprodutor
rafa2507
 
Educaosexualparatodos 120507091742-phpapp02
Educaosexualparatodos 120507091742-phpapp02Educaosexualparatodos 120507091742-phpapp02
Educaosexualparatodos 120507091742-phpapp02
Pelo Siro
 
Sistema Reprodutor
Sistema ReprodutorSistema Reprodutor
Sistema Reprodutor
dudabastos8
 
Reprodução
ReproduçãoReprodução
Reprodução
Zé Luís
 
Bases morfofisiológicas da reprodução
Bases morfofisiológicas da reprodução  Bases morfofisiológicas da reprodução
Bases morfofisiológicas da reprodução
Gaby Veloso
 
Desenvolvimento da sexualidade
Desenvolvimento da sexualidadeDesenvolvimento da sexualidade
Desenvolvimento da sexualidade
5feugeniocastro
 
Reprodução humana e crescimento
Reprodução humana e crescimentoReprodução humana e crescimento
Reprodução humana e crescimento
5eeugeiocastro
 

Semelhante a Planejamento Familiar (20)

PLANEJAMENTO FAMILIAR AULA.ppt
PLANEJAMENTO FAMILIAR AULA.pptPLANEJAMENTO FAMILIAR AULA.ppt
PLANEJAMENTO FAMILIAR AULA.ppt
 
Manualdesexualidade
ManualdesexualidadeManualdesexualidade
Manualdesexualidade
 
A adolescência, fase de novas descobertas
A adolescência, fase de novas descobertas A adolescência, fase de novas descobertas
A adolescência, fase de novas descobertas
 
Sexualidade humana i_
Sexualidade humana i_Sexualidade humana i_
Sexualidade humana i_
 
Sexualidade - puberdade - reprodução humana - métodos contraceptivos - dst
Sexualidade -  puberdade - reprodução humana - métodos contraceptivos - dstSexualidade -  puberdade - reprodução humana - métodos contraceptivos - dst
Sexualidade - puberdade - reprodução humana - métodos contraceptivos - dst
 
Projeto vale sonhar
Projeto vale sonharProjeto vale sonhar
Projeto vale sonhar
 
Projeto vale sonhar
Projeto vale sonharProjeto vale sonhar
Projeto vale sonhar
 
Projeto vale sonhar
Projeto vale sonharProjeto vale sonhar
Projeto vale sonhar
 
A reprodução humana (3)
A reprodução humana (3)A reprodução humana (3)
A reprodução humana (3)
 
Puberdade e Adolescência
Puberdade e AdolescênciaPuberdade e Adolescência
Puberdade e Adolescência
 
Resumo sistema reprodutor
Resumo sistema reprodutor Resumo sistema reprodutor
Resumo sistema reprodutor
 
Educação sexual para todos
Educação sexual para todosEducação sexual para todos
Educação sexual para todos
 
O que acontece com o seu corpo
O que acontece com o seu corpoO que acontece com o seu corpo
O que acontece com o seu corpo
 
Sistema reprodutor
Sistema reprodutorSistema reprodutor
Sistema reprodutor
 
Educaosexualparatodos 120507091742-phpapp02
Educaosexualparatodos 120507091742-phpapp02Educaosexualparatodos 120507091742-phpapp02
Educaosexualparatodos 120507091742-phpapp02
 
Sistema Reprodutor
Sistema ReprodutorSistema Reprodutor
Sistema Reprodutor
 
Reprodução
ReproduçãoReprodução
Reprodução
 
Bases morfofisiológicas da reprodução
Bases morfofisiológicas da reprodução  Bases morfofisiológicas da reprodução
Bases morfofisiológicas da reprodução
 
Desenvolvimento da sexualidade
Desenvolvimento da sexualidadeDesenvolvimento da sexualidade
Desenvolvimento da sexualidade
 
Reprodução humana e crescimento
Reprodução humana e crescimentoReprodução humana e crescimento
Reprodução humana e crescimento
 

Planejamento Familiar

  • 1. Planejamento Familiar Por: Cristina Oliveira de Freitas
  • 2. Direitos Sexuais e Reprodutivos O que são direitos sexuais e direitos humanos? São diretos já reconhecidos em leis nacionais e documentos internacionais.
  • 3. Direitos Reprodutivos Direito das pessoas de decidirem, de forma livre e responsável, se querem ou não ter filhos, quantos filhos desejam ter e que momento de suas vidas. Direito a informações, meios, métodos e técnicas para ter ou não ter filhos. Direito de exercer a sexualidade e a reprodução livre de discriminação, imposição e violência.
  • 4. Direitos Sexuais Direito de viver e expressar livremente a sexualidade sem violência, discriminações e imposições e com o respeito pleno pelo corpo. Direito de escolher a(o) parceiro(a) sexual. Direito a viver a sexualidade independente de estado civil, idade, ou condição física. Direito de escolher se quer ou não ter relação sexual. Direito de expressar livremente sua orientação sexual: heterossexualidade, homossexualidade, bissexualidade, entre outras.
  • 5. Direitos Sexuais Direito de ter relação sexual independente da reprodução. Direito ao sexo seguro para prevenção da gravidez indesejada e de DST/HIV/AIDS. Direito a serviços de saúde que garantam a privacidade, sigilo e atendimento de qualidade e sem discriminação. Direito à informação e à educação sexual e reprodutiva.
  • 6. O que é Planejamento Familiar É um conjunto de ações em que são oferecidos todos os recursos, tanto para auxiliar a ter filhos, ou seja, recursos para concepção, quanto para prevenir uma gravidez indesejada, ou seja, recursos para anticoncepção. Esses recursos devem cientificamente aceitos e não colocar em risco a vida e a saúde das pessoas, com garantia da liberdade de escolha.
  • 7. O que é Planejamento Familiar O planejamento familiar é um direito sexual e reprodutivo e assegura a livre decisão da pessoa sobre ter ou não ter filhos. Não pode haver imposição sobre o uso dos métodos anticoncepcionais ou sobre o numero de filhos. O planejamento familiar é um direito das pessoas assegurado na Constituição Federal e na Lei nº 9.263, de 12 de janeiro de 1996, que regulamenta o planejamento familiar, e deve ser garantido pelo governo.
  • 8. A responsabilidade dos homens em relação à saúde reprodutiva Na sociedade em que vivemos, as questões relacionadas à anticoncepção são tradicionalmente vistas como de responsabilidade exclusivas das mulheres . Entretanto ninguém, faz filho sozinho. Para o pleno desenvolvimento de homens e mulheres, é importante a construção de parcerias igualitária, baseadas no respeito entre os parceiros e em responsabilidades compartilhadas.
  • 9. A responsabilidade dos homens em relação à saúde reprodutiva Portanto, é fundamental o envolvimento dos homens com relação a paternidade responsável, à prevenção de gestação não desejadas ou de auto risco, à prevenção das doenças sexualmente transmissíveis, dividindo também com as mulheres as responsabilidades com relação à criação dos filhos e à vida doméstica.
  • 10. Os direitos sexuais e os direitos reprodutivos de adolescentes e jovens. Os(as) adolescentes e os (as) jovens têm o direto de ter acesso a informações e educação em saúde sexual e saúde reprodutiva e de ter acesso a meios e métodos que auxiliem a evita uma gravidez não planejada e a prevenir-se contra doenças sexualmente transmissíveis, respeitado-se a sua liberdade de escolha.
  • 11. Os direitos sexuais e os direitos reprodutivos de adolescentes e jovens. A primeira relação sexual está acontecendo cada vez mais cedo. É muito importante que adolescentes e jovens estejam informados sobre sexo seguro, incentivando-se o uso da camisinha masculina ou feminina em todas as relações sexuais. Os serviços de saúde devem garantir atendimento aos(às) adolescentes e aos(às) jovens, antes mesmo do inicio de sua atividades sexual e reprodutiva, para ajuda-los a lidarem com a sua sexualidade de forma positiva e responsável, incentivando comportamento d prevenção e de auto cuidado.
  • 12. Conhecendo o corpo da mulher e do homem É importante que homens e mulheres conheçam o funcionamento do seu corpo.
  • 13. Conhecendo o corpo da mulher e do homem Esse conhecimento os auxilia no controle da sua capacidade reprodutiva e ajuda a entender melhor como agem os métodos anticoncepcionais, de modo que possam planejar a gravidez, quando ela for desejada. Além disso, o conhecimento do corpo também ajuda a compreender e a realizar cuidados para evitar doenças sexualmente transmissíveis e outra doenças que possam afeta a saúde sexual e a saúde reprodutiva.
  • 14. O corpo da mulher Genitais externas da mulher        A vulva é a abertura externa dos órgãos genitais da mulher, composta por grandes lábios, abertura da vagina, abertura da uretra, clitóris, e monte de Vênus.
  • 15. O corpo da mulher Genitais externas da mulher        A parte do clitóris visível na vulva é a glande do clitóris, uma saliência carnuda que enrijece e aumenta de tamanho quando a mulher esta excitada, proporcionado prazer para a mulher. Ao monte de vênus parece uma “almofada” coberta de pêlos.
  • 16. O corpo da mulher Genitais externas da mulher        O períneo é a parte localizada entre a abertura da vagina e o ânus. Os seios também fazem parte dos órgão sexuais e reprodutivos da mulher, tendo duas funções: produzem leite durante a amamentação e proporcionam prazer sexual à mulher quando são estimulados.
  • 17. O corpo da mulher Genitais internos da mulher        A vagina é um local muscular elástico que vai da vulva até o colo do útero. A vagina se contrai e relaxa conforme a vontade da mulher. A mulher pode aprender exercícios para fortalecer e melhorar o controle sobre a musculatura da vagina e, dessa forma, aumenta o seu prazer sexual. É o local por onde o pênis penetra na relação sexual, por onde sai o sangue menstrual e por onde passa o bebê no parto normal.
  • 18. O corpo da mulher Genitais internos da mulher        O hímen é uma pele fina e elástica que cobre parcialmente a entrada da vagina e que geralmente se rompe na primeira relação sexual. Algumas mulheres possuem hímen complacente, que é mais resistente e flexível e que não se rompe na relação sexual.
  • 19. O corpo da mulher Genitais internos da mulher        Os ovários são dois, têm forma arredondada e tamanho aproximado ao de um ovo de codorna. Estão localizados um de cada lado do útero. As funções dos ovários são: 1- Guardar e amadurecer os óvulos, que são as células reprodutoras feniminas; 2- Produzir os hormônios femininos o estrogênio e a progesterona.
  • 20. O corpo da mulher Genitais internos da mulher        O útero tem a forma de abacate de cabeça para baixo e o tamanho aproximado ao de uma mão fechada. É o local onde o feto se desenvolve durante a gravidez. A parte mais larga é o corpo do útero e a mais estreita é o colo do útero. O colo do útero fica no final do útero e tem um pequeno orifício, por onde penetram os espermatozóides e por onde sai o sangue menstrual. Durante o parto normal, o colo do útero se dilata para deixar passar o bebê.
  • 21. O corpo da mulher Genitais internos da mulher        O útero tem duas camadas: a de fora é o miométrio e a camada interna é o endométrio.
  • 22. O corpo do homem Genitais externos do homem       A bolsa escrota l tem a forma de um saco de pele e esta localizada abaixo do pênis. A bolsa escrotal tem a função de proteger os testículos e também de manter a sua temperatura adequada. Por isso, no calor, a bolsa escrotal fica mais baixa e solta e, quando o tempo está mais frio, a bolsa encolhe e os testículos ficam mais juntos do corpo.
  • 23. O corpo do homem Genitais externos do homem       O pênis tem duas partes: o corpo e a glande. A glande é a cabeça do pênis e é recoberta por uma pele chamada de prepúcio. A uretra passa por dentro do pênis.
  • 24. O corpo do homem Genitais externos do homem       O pênis desempenha duas funções: a função urinária, que é liberar a urina que vem da bexiga, e a função sexual e reprodutiva, que é a penetração e a ejaculação do esperma.
  • 25. O corpo do homem Genitais internos do homem       Os testículos são em numero de dois e ficam dentro da bolsa escrotal. São responsáveis pela produção e armazenamento dos espermatozóides, que são as células reprodutoras masculinas que compõem o esperma e pela produção da testosterona, que é o hormônio masculino. Após a ejaculação, os espermatozóides se dirigem para as trompas uterinas. Os espermatozóides podem sobreviver por ate cinco dias dentro dos genitais internos da mulher.
  • 26. O corpo do homem Genitais internos do homem       O epidídimo é um canal onde os espermatozóides ficam armazenados e amadurecem após serem produzidos pelos testículos. Os canais deferentes são dois tubos que partem dos testículos e sobem para o abdome. São os canais que os espermatozóides percorrem, desde os testículos até a vesícula seminal. Abaixo da bexiga, os canais deferentes provenientes de cada testículo se juntam em um único tubo, o ducto ejaculador, que desemboca na uretra.
  • 27. O corpo do homem Genitais internos do homem       As vesículas seminais são duas glândulas localizadas abaixo da bexiga, cuja função é produzir o liquido seminal, que é um liquido para nutrir os espermatozóides e que vai compor o esperma.
  • 28. O corpo do homem Genitais internos do homem       A próstata é uma glândula localizada entre as vesículas seminais e abaixo da bexiga. Sua função é produzir o liquido prostático que, junto com o liquido seminal, com o liquido do canal deferente e com o liquido das glândulas bulbouretrais vai compor o esperma.
  • 29. O corpo do homem Genitais internos do homem       A uretra é o canal que sai da bexiga e passa por dentro do pênis. Sua função é eliminar a urina que vem da bexiga e eliminar o esperma durante a ejaculação. No momento da ejaculação, um músculo localizado próximo da bexiga fecha a passagem da urina, por isso nunca sai urina e esperma ao mesmo tempo.
  • 30. O corpo do homem Genitais internos do homem       As glândulas bulbouretais localizam-se de cada lado da uretra, nas proximidades da origem da uretra, e produzem uma secreção que vai fazer parte do esperma.
  • 31. Como se engravida? Ciclo menstrual é o tempo que vai do primeiro dia de uma menstruação ate o dia que antecede a menstruação seguinte. Em geral, 28 dias, mas sua duração varia de mulher para mulher e, numa mesma mulher, ao longo da vida reprodutiva. Doença, mudanças de ritmo de trabalho, alterações emocionais podem alterar o ciclo menstrual. A cada ciclo menstrual, ocorre a ovulação.
  • 32. Como se engravida? Ovulação : para o espermatozóide encontrar-se com o óvulo, é preciso que a mulher tenha ovulado. A ovulação é o fenômeno da liberação do óvulo pelo ovário, isso ocorre, geralmente uma vez por mês, a cada ciclo menstrual. Portanto, a mulher não é fértil durante todo o ciclo menstrual, só é fértil no período da ovulação.
  • 33. Como se engravida? Menstruação : o óvulo liberado vive, mais ou menos, 24h. se não ocorrer a fecundação nesse tempo, o óvulo é reabsorvido pelo organismo. Por sua vez, o espermatozóide, após a ejaculação, pode viver ate cinco dias nos genitais internos da mulher.
  • 34. Como se engravida? A cada ciclo menstrual, o útero prepara-se para receber o óvulo fecundado. Quando não acontece a fecundação, a camada interna do endométrio, desprende-se, ocorrendo a menstruação. Por isso, um dos sinais de gravidez é a falta de menstruação.
  • 35. Como se engravida? Fecundação : na relação sexual , após a ejaculação, o esperma masculino é depositado na vagina. O esperma contem espermatozóides, que são as células reprodutoras masculinas. Os espermatozóides movimentam-se rápido pelo canal da vagina, penetram no útero e dirige-se às trompas uterinas. Se, na trompa, o espermatozóide encontra-se com o óvulo, ocorre a fecundação. O óvulo fecundado dirige-se ao útero, onde se aninha, dando inicio à gravidez.
  • 37. Doenças Sexualmente Transmissíveis O que são DSTs? São doenças sexualmente transmissíveis, que são passadas nas relações sexuais com pessoas que estejam com essas doenças. São DSTs a gonorréia, a sífilis, a clamídia, o herpes genital, a hepatite B, o condiloma, a tricomoníase, o HIV/AIDS, entre outras.
  • 38. Doenças Sexualmente Transmissíveis Como saber se você esta com alguma DST? As DSTs podem se manifestar por meio de corrimentos, irritação, feridas, caroços ou verrugas nos órgãos genitais. Podem causar coceiras, dor na relação sexual, dor embaixo do umbigo. Mas,as vezes não apresentam sintomas ou sinais externos, ou seja, visíveis por fora, e isso é comum ocorrer com mulheres. Entretanto, mesmo nessa situação, a doença pode ser passada para o parceiro.
  • 39. Doenças Sexualmente Transmissíveis Quais os problemas que as DSTs podem causar? Quando não tratadas, podem trazer conseqüências graves. Podem por exemplo, causar problemas que comprometem a capacidade de ter filhos no futuro, ou seja, que provoquem infertilidade. Existem doenças que podem predispor ao câncer de colo de útero ou pênis. Alem disso, algumas DSTs como a sífilis, a hepatite B e o HIV, podem ser transmitiras para o bebê durante a gravidez, trazendo graves problemas para a criança, ou mesmo podendo provocar o aborto.
  • 40. Doenças Sexualmente Transmissíveis Como deve ser o Tratamento? Se você suspeitar que esta com alguma DST, a primeira coisa a fazer é evitar relações sexuais e procurar imediatamente um serviço de saúde. Não faça tratamento por conta própria, procure um serviço de saúde logo que surgirem os primeiro sintomas. Assim, o tratamento será eficaz.
  • 41. Doenças Sexualmente Transmissíveis O que é HIV? É o vírus causador da AIDS, doença que compromete o sistema de defesa do organismo, provocando a perda da proteção do organismo contra as doenças, por isso a pessoa pode desenvolver vários tipos de infecções e/ou câncer.
  • 42. Doenças Sexualmente Transmissíveis O que é HIV? A pessoa com HIV pode ficar muitos anos com o vírus sem desenvolver a doença AIDS. Isso ocorre porque o vírus vai se multiplicando lentamente. No entanto, mesmo nessa situação, por ser portador do HIV, a pessoa pode transmitir o vírus para outra pessoa.
  • 43. Doenças Sexualmente Transmissíveis O HIV pode ser transmitido: 1- Através da relação sexual vaginal, anal ou oral, com uma pessoa contaminada; 2- Através de transfusão de sangue ou contato com sangue contaminado; 3- Pode ser transmitido da mãe contaminada para o filho durante a gestação, parto ou através da amamentação.
  • 44. Doenças Sexualmente Transmissíveis Qualquer pessoa pode se contaminar com o HIV. Por isso é importante se prevenir usando camisinha em todas as relações sexuais
  • 45. Fique Sabendo! Milhares de pessoas desconhecem que são portadoras do HIV. Por isso, é importante fazer o teste, pois, quanto mais cedo for feito o diagnostico, maior a possibilidade de controlar o desenvolvimento da doença, AIDS. A realização desse teste no pré-natal é muito importante, pois mães portadoras podem diminuir a possibilidade de terem filhos com HIV, se receberem tratamento adequado durante o pré-natal e o parto.
  • 46. Fique Sabendo! O único método de se prevenir contra DSTs e a gravidez é a camisinha.
  • 47. Falando sobre Anticoncepcionais O que são métodos anticoncepcionais? São maneiras, medicamentos, objetos e cirurgias usados pelas pessoas para evitar a gravidez. Existem métodos femininos e masculinos. Podem ser reversíveis, aqueles que a pessoa volta a Ter a capacidade de engravidar após parar de usá-los. Também podem ser irreversíveis, como a laqueadura de trompas e a vasectomia.
  • 48. Falando sobre Anticoncepcionais Como escolher o método anticoncepcional? A escolha dever ser livre e informada. Não existe um método melhor que o outro, cada um tem vantagens e desvantagens. Assim como também não existe um método 100% eficaz, todos tem sua probabilidade de falha.
  • 49. Falando sobre Anticoncepcionais Pílulas anticoncepcionais São feitas de hormônios produzidos pelos ovários, o estrogênio e a progesterona. Agem impedindo a ovulação, ou dificultando a passagem do espermatozóide para dentro do útero. Existe dois tipos de pílulas, as pílulas combinadas ( contém estrogênio + progesterona ) e as minipílulas (que contém só progesterona )
  • 50. Falando sobre Anticoncepcionais Pílulas anticoncepcionais A pílula deve ser tomada todos os dias no mesmo horário. A capacidade de engravidar da mulher retorna logo após ela Ter parado de tomar a pílula.
  • 51. Falando sobre Anticoncepcionais Injeções anticoncepcionais São feitas de dois hormônios parecidos com os hormônios produzidos pelos ovários o estrogênio e a progesterona. Agem impedindo a ovulação. Também dificultando a passagem dos espermatozóides para o interior do útero. Existem dois tipos de injeção anticoncepcional: a mensal e a trimestral.
  • 52. Falando sobre Anticoncepcionais Injeções anticoncepcionais OBS: com a injeção trimestral, pode haver um atraso no retorno da fertilidade da mulher. Em média, quatro meses após o término do efeito da injeção. A injeção trimestral pode ser usada durante a amamentação. Nesse caso, uso deve ser iniciado seis semanas após o parto.
  • 53. Falando sobre Anticoncepcionais Camisinha Masculina A camisinha funciona como uma barreira. O esperma ejaculado pelo homem fica retido na camisinha. A camisinha é eficaz para proteger da gravidez e de DST/HIV/AIDS quando usada em todas as relações sexuais, antes de ter o contato do pênis com a vagina, com o ânus ou com a boca.
  • 55. Falando sobre Anticoncepcionais Cuidados com a camisinha: Guardar em local seco e fresco. Não expor ao sol e ao calor. Não abrir a camisinha com os dentes, unha ou tesoura, a embalagem já vem picotada. Não usar lubrificantes oleosos, como vaselina ou manteiga. Não usar duas camisinhas a o mesmo tempo. Verificar o prazo de validade. Verificar se a embalagem não esta furada.
  • 56. Fique Sabendo! As camisinhas masculina e feminina são os únicos métodos que oferecem dupla proteção: protegem contra DST/HIV/AIDS e a gravidez.
  • 57. Falando sobre Anticoncepcionais Camisinha Feminina Tem as mesmas vantagens da camisinha masculina. Pode ser colocada na vagina imediatamente antes da penetração ou até oito horas antes da relação sexual.
  • 59. Falando sobre Anticoncepcionais Diafragma É uma capa flexível de borracha ou de silicone, com uma borda em forma de anel, que é colocada na Vagina para cobrir o colo do útero. Evita a gravidez impedindo a entrada dos espermatozóides dentro do útero.   Pode ser usado com espermicida ou não.
  • 60. Falando sobre Anticoncepcionais Diafragma Pode ser colocado na vagina minutos ou horas antes da relação sexual. Só deve ser retirado de seis a oito horas após a última ralação, é o tempo suficiente para que os espermatozóides que ficaram na vagina morram. Após utilizar deve ser lavado com água e sabão neutro, secar e guardar, no estojo.
  • 62. Falando sobre Anticoncepcionais Espermicida É uma substância química que recobre a vagina e o colo do útero, impedindo a penetração dos espermatozóides no útero, imobilizando-os ou destruindo-os. Pode ser usado sozinho ou combinado com o diafragma. É eficaz por um período de uma hora após a aplicação.
  • 63. Falando sobre Anticoncepcionais Dispositivo Intra-uterino (DIU) É um pequeno objeto de plástico, que pode ser recoberto de cobre ou conter hormônio, colocado no interior do útero para evitar a gravidez.
  • 64. Falando sobre Anticoncepcionais Dispositivo Intra-uterino (DIU) O DIU não provoca aborto , porque atua antes da fecundação. O DIU recoberto com cobre age impedindo ou matando os espermatozóides com o óvulo. A fertilidade da mulher, ou seja, a sua capacidade de engravidar, retorna logo após a retirada do DIU.
  • 65. Falando sobre Anticoncepcionais Dispositivo Intra-uterino (DIU) O modelo de DIU Tcu380 A dura dez anos após a sua colocação no útero, mas pode ser retirado a qualquer momento. O DIU pode apresentar aumento do sangramento menstrual e aumento na duração da menstruação ou apresentar cólicas.
  • 66. Falando sobre Anticoncepcionais Tabela É método que se baseia na observação de vários ciclos menstruais, para determinar o período fértil do ciclo menstrual da mulher. A eficácia da tabela depende de seu uso correto e da cooperação de ambos os parceiros. A eficácia será maior se o casal não tiver relação sexual com penetração vaginal no período fértil.
  • 67. Falando sobre Anticoncepcionais Tabela A tabela requer disciplina, conhecimento do funcionamento do corpo e observação atenta.   A tabela é individual, cada mulher tem que fazer a sua.
  • 69. Falando sobre Anticoncepcionais Muco Cervical Este método baseia-se na determinação do período do fértil pela auto-observação das mudanças do muco cervical e da sensação de umidade na vagina ao longo do ciclo menstrual.
  • 70. Falando sobre Anticoncepcionais Muco Cervical Este método requer disciplina, conhecimento do funcionamento do corpo e observação atenta. O muco cervical é uma secreção produzida no colo do útero pela ação dos hormônios femininos, que umedece a vagina e, às vezes, aparece na calcinha.
  • 71. Falando sobre Anticoncepcionais Muco Cervical Após a menstruação, algumas mulheres têm um período seco, que não tem muco. Depois, surge um muco esbranquiçado e pegajoso, que se quebre quando esticado. À medida que se aproxima o dia da ovulação, esse muco vai ficando parecido com a clara de ovo, elástico transparente e escorregadio e a vagina vai ficando mais úmida.
  • 72. Falando sobre Anticoncepcionais Temperatura basal Esta método baseia-se nas alterações que os hormônios femininos provocam na temperatura do corpo ao longo do ciclo menstrual. Antes da ovulação, a temperatura basal é um pouco mais baixa e permanece assim a’te a ovulação. Quando acontece a ovulação, a temperatura sobe alguns décimos de grau e permanece assim até a chegada da próxima menstruação.
  • 73. Falando sobre Anticoncepcionais Temperatura basal Para usar este método, a partir do primeiro dia da menstruação, a mulher deve medir a temperatura do corpo pela manhã, antes de levantar, deve anotar a temperaturas num gráfico. O casal que deseja engravidar deve evitar as relações sexuais com penetração vaginal no período de quatro a cinco dias antes da data prevista da ovulação até o quarto dia da temperatura alta.
  • 74. Falando sobre Anticoncepcionais Sintotérmico Esta baseado na combinação dos métodos da tabela, do muco cervical, da temperatura basal e na observação de sinais e sintomas que indicam o período fértil da mulher. Os sinais e sintomas que indicam o período fértil são: dor ou aumento no abdome, sensação de peso ou inchaço nas mamas, mudanças no humor e no desejo sexual, aumento de peso e do apetite.
  • 75. Falando sobre Anticoncepcionais Sintotérmico O casal que não deseja engravidar deve evitar relações sexuais com penetração vaginal nos dias férteis determinados pela tabela, pelo muco cervical, pela elevação da temperatura basal e pelo aparecimento dos sinais e sintomas que indicam a período fértil.
  • 76. Falando sobre Anticoncepcionais Ligadura das Trompas É uma cirurgia simples realizada na mulher para evitar a gravidez. É um método considerado permanente ou irreversível. A ligadura de trompas, mesmo sendo uma operação simples, tem riscos e pode apresentar problemas como qualquer outra cirurgia.
  • 77. Falando sobre Anticoncepcionais Ligadura das Trompas A Lei do planejamento familiar só permite realizar a ligadura de trompas e a vasectomia voluntárias nas seguintes condições:
  • 78. Falando sobre Anticoncepcionais Ligadura das Trompas 1- Em homens e mulheres com capacidade civil plena e maiores de 25 anos de idade, ou pelo menos com dois filhos vivos, desde que observado o prazo mínimo de 60 dias entre a manifestação da vontade e o ato cirúrgico. 2- Nos casos em que há risco de vida para a mulher ou riscos para a saúde da mulher ou do futuro bebê.
  • 80. Fique Sabendo! A Lei do Planejamento Familiar proíbe a realização da ligadura de trompas durante o período de parto ou aborto, exceto nos casos de comprovada necessidade. Esses momentos não são os mais adequados para a realização dessa cirurgia.
  • 81. Falando sobre Anticoncepcionais Vasectomia É uma cirurgia simples, segura e rápida. É um método irreversível. O efeito da vasectomia não é imediato, só será considerada segura quando o exame realizado no esperma, o espermograma, mostrar que não existem mais espermatozóides no esperma ejaculado.