O Sem-abrigo
<ul><li>Considera-se pessoa sem-abrigo aquela que, independentemente da sua nacionalidade, idade, sexo, condição socioecon...
<ul><li>Quando se fala em alguém sem tecto, é diferente de falar em alguém sem casa. Sem tecto é, alguém que habita: </li>...
<ul><li>Sem casa é, alguém que habita: </li></ul><ul><li>►   Alojamento temporário  – Equipamento que acolha pessoas que, ...
<ul><li>Marco Caravela de 30 anos encontra-se a dormir no Terreiro do Paço, em Lisboa, Marco dorme mais precisamente em Al...
<ul><li>Já teve um relacionamento com uma mulher durante 3 anos, mulher essa que era sem abrigo mas acabou por abandoná-lo...
<ul><li>Depois desta abordagem sobre os sem-abrigo e de termos passado um testemunho real , gostaríamos de te mostrar algu...
A deles nunca sobe
Eles aproveitam o único cobertor que têm
Ou por vezes, nem isso têm …
Olha para eles…
Eles não tem escolha
Eles davam tudo para ter um pouco dessa comida
Eles não têm outra escolha
<ul><li>Mas mesmo se depois destas imagens achas que eles não merecem um pouco da tua ajuda porque são diferentes de ti … ...
 
 
 
 
 
 
 
 
 
<ul><li>Nós sabemos que  tu não podes mudar a situação destas pessoas, mas se fizeres a tua parte, contribuindo:  </li></u...
<ul><li>Com os nossos pensamentos, palavras e acções, construímos o verdadeiro mundo em que vivemos ! </li></ul><ul><li>At...
<ul><li>Temos como objectivo, numa primeira fase sensibilizar (as pessoas) para angariarmos tanto comida, como vestuário, ...
<ul><li>Ana Vilaça </li></ul><ul><li>André Carvalho </li></ul><ul><li>Ângelo Pereira </li></ul><ul><li>Catarina Henriques ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

"Os Sem Abrigo"

2.964 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Saúde e medicina
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.964
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
34
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
51
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

"Os Sem Abrigo"

  1. 1. O Sem-abrigo
  2. 2. <ul><li>Considera-se pessoa sem-abrigo aquela que, independentemente da sua nacionalidade, idade, sexo, condição socioeconómica e condição de saúde física e mental, se encontre sem tecto, a viver no espaço público, alojada em abrigo de emergência ou com paradeiro em local precário, ou sem casa, encontrando-se em alojamento temporário destinado para o efeito. </li></ul><ul><li>Para além da questão da nacionalidade pode colocar-se a questão da regularização da situação no país de cidadãos estrangeiros. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Quando se fala em alguém sem tecto, é diferente de falar em alguém sem casa. Sem tecto é, alguém que habita: </li></ul><ul><li>► Espaço público – espaços de utilização pública como jardins, estações de metro/camionagem, paragens de autocarro, estacionamentos, passeios, viadutos, pontes ou outros; </li></ul><ul><li>► Abrigo de emergência – qualquer equipamento que acolha, de imediato, </li></ul><ul><li>gratuitamente e por períodos de curta duração, pessoas que não tenham acesso </li></ul><ul><li>a outro local. </li></ul><ul><li>► Local precário – local que, devido às condições em que se encontra permita uma utilização pública, tais como: carros abandonados, vãos de escada, </li></ul><ul><li>entradas de prédios, fábricas e prédios abandonados, casas abandonadas. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Sem casa é, alguém que habita: </li></ul><ul><li>► Alojamento temporário – Equipamento que acolha pessoas que, não tenham acesso a um alojamento permanente e que promova a sua reinserção. </li></ul><ul><li>Designa-se por “Centro de Alojamento Temporário” </li></ul><ul><li>Aqui não se inclui instituições que tenham resposta para determinadas problemáticas, tais como: </li></ul><ul><li>Infância e juventude; Pessoas idosas; </li></ul><ul><li>Pessoas adultas em situação de dependência; </li></ul><ul><li>Pessoas adultas com deficiência; Família e </li></ul><ul><li>Comunidade em Geral; Pessoas Infectadas </li></ul><ul><li>pelo VIH/SIDA; Pessoas Toxicodependentes; </li></ul><ul><li>Pessoas Vítimas de Violência Doméstica. </li></ul>
  5. 5. <ul><li>Marco Caravela de 30 anos encontra-se a dormir no Terreiro do Paço, em Lisboa, Marco dorme mais precisamente em Alcântara debaixo de um viaduto, pois é um local protegido e onde está menos exposto ao frio, contudo tem que mudar de sítio, pois por esta altura faz bastante frio à noite nas ruas de Lisboa. Geralmente procura lugares quentes e abrigados, deste modo já dormiu nos antigos armazéns do Porto de Lisboa e no Saldanha. Considera que os melhores sítios para passar as suas noites são no aeroporto por causa das condutas de ar quente e no Parque das Nações. </li></ul><ul><li>É através da instituição Comunidade Vida e Paz que consegue a maioria das suas refeições, pois todas as noites no Terreiro do paço estão a distribuir comida. Além disso tenta apanhar algum peixe com a sua cana de pesca. Para ganhar algum dinheiro, Marco arruma carros, pede esmolas. </li></ul>
  6. 6. <ul><li>Já teve um relacionamento com uma mulher durante 3 anos, mulher essa que era sem abrigo mas acabou por abandoná-lo. </li></ul><ul><li>Marco está afectado com o vírus da sida, recebe do estado um subsídio de €395 </li></ul><ul><li>que envia á sua filha de 3 anos que mora com a avó e por motivos de orgulho, ele </li></ul><ul><li>não se junta á sua família. </li></ul><ul><li>Ele próprio já tentou procurar trabalho mas é </li></ul><ul><li>sempre rejeitado quer na hotelaria quer na construção </li></ul><ul><li>civil. </li></ul><ul><li>Esta situação deveu-se à perda do seu emprego, </li></ul><ul><li>que fez com que perdesse a sua casa. </li></ul><ul><li>Chegou a ser preso mas diz que foi injustamente, </li></ul><ul><li>no entanto a policia encontrou no carro que possuía </li></ul><ul><li>na altura heroína e isto levou-o a passar cinco anos </li></ul><ul><li>e meio na prisão. </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Depois desta abordagem sobre os sem-abrigo e de termos passado um testemunho real , gostaríamos de te mostrar algumas imagens para que melhor possas compreender a mensagem que te queremos passar. </li></ul><ul><li>O que nós pedimos é que prestes atenção as seguintes imagens e não deixes que estas te passem ao lado. </li></ul>
  8. 8. A deles nunca sobe
  9. 9. Eles aproveitam o único cobertor que têm
  10. 10. Ou por vezes, nem isso têm …
  11. 11. Olha para eles…
  12. 12. Eles não tem escolha
  13. 13. Eles davam tudo para ter um pouco dessa comida
  14. 14. Eles não têm outra escolha
  15. 15. <ul><li>Mas mesmo se depois destas imagens achas que eles não merecem um pouco da tua ajuda porque são diferentes de ti … vê como eles são seres humanos como nós … </li></ul>
  16. 25. <ul><li>Nós sabemos que tu não podes mudar a situação destas pessoas, mas se fizeres a tua parte, contribuindo: </li></ul><ul><li>com a roupa que não usas e que te aquece o armário; </li></ul><ul><li>com cobertores mais gastos que tenhas mas que eles continuam sem os ter; </li></ul><ul><li>com um pouco do que abunda na tua dispensa; </li></ul><ul><li>com donativos para que as Instituições consigam também fazer a sua parte; </li></ul><ul><li>com o teu exemplo de solidariedade para que se crie uma cadeia de ajuda, pois a união faz a força e só com o nosso exemplo mudaremos esta situação. </li></ul>
  17. 26. <ul><li>Com os nossos pensamentos, palavras e acções, construímos o verdadeiro mundo em que vivemos ! </li></ul><ul><li>Atenta a esta mensagem, para colheres a alegria de alguém </li></ul><ul><li>Porque tu farás a diferença </li></ul>
  18. 27. <ul><li>Temos como objectivo, numa primeira fase sensibilizar (as pessoas) para angariarmos tanto comida, como vestuário, e até dinheiro. </li></ul><ul><li>Depois disto pretendemos ir numa noite, fazer uma ronda, ajudando estas pessoas com todos os bens que conseguirmos angariar. </li></ul><ul><li>Temos ainda como objectivo final, tornar a vida destas pessoas melhor, nem que seja por uma noite, pretende-mos transmitir-lhes alegria, tirar-lhes a fome e o frio, dar-lhes tudo o que eles precisam. </li></ul><ul><li>Queremos ainda ter conversas com os Sem-abrigo, para percebemos o que os levou a ter esta vida, e o porquê de não voltarem para a sua família que em alguns dos casos deve estar de braços abertos, à espera deles. </li></ul>
  19. 28. <ul><li>Ana Vilaça </li></ul><ul><li>André Carvalho </li></ul><ul><li>Ângelo Pereira </li></ul><ul><li>Catarina Henriques </li></ul><ul><li>Gustavo santos </li></ul><ul><li>Samuel Lima </li></ul><ul><li>11º CLH / TPG </li></ul>

×