Disciplina Dos Desejos

4.440 visualizações

Publicada em

Os desejos na visão espírita. Orientação para reforma intima

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.440
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
35
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
202
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Disciplina Dos Desejos

  1. 1. DISCIPLINA DOS DESEJOS Organização: FATIMA ARAUJO DE CARVALHO ofir7perola@gmail.com CEJEN – Centro Espírita Jesus de Nazaré São José dos Campos - Junho 2006
  2. 2. Disciplina dos desejos Ermance Dufaux Transformação íntima na vitória sobre nós mesmos
  3. 3. A MAIORIA DOS ENCARNADOS RESPIRA AINDA SOB O DOLOROSO REGIME PROVACIONAL, SOBRECARREGADA PELOS REFLEXOS MILENARES A VENCER
  4. 4. As inclinações e inatas tendências têm a sua gênese nas existências passadas Mensagem: Mecanismos da Evolução Antonio J. Freire – Divaldo Franco – Lisboa, Portugal, 1980
  5. 5. <ul><li>O ser humano não sabe realmente, o que deseja, para onde ruma e como se comporta, porquanto se encontra em estado de sonambulismo com FLASH de lucidez, que logo retorna ao nível de entorpecimento </li></ul>Joanna de Ângelis – Relacionamentos saudáveis Joanna de Ângelis – Relacionamentos saudáveis ATITUDES DE REBELDIA
  6. 6. TRILOBITA FORMA HUMANA 2 milhões de anos Lento mecanismo de aprimoramento fisiológico Fóssil da era Paleozóica - 500 milhões de anos
  7. 7. AUTOMATISMOS FÍSICOS HERANÇA DE VALORES ADORMECIDOS NO INCONSCIENTE REBELDIA
  8. 8. O HOMEM ATRAVÉS DOS TEMPOS IDÉIAS PARALISANTES
  9. 9. O HOMEM ATRAVÉS DOS TEMPOS IDADE DA PEDRA
  10. 10. O HOMEM ATRAVÉS DOS TEMPOS IDADE DO BRONZE
  11. 11. O HOMEM ATRAVÉS DOS TEMPOS IDADE DO FERRO
  12. 12. O HOMEM ATRAVÉS DOS TEMPOS OBSCURANTISMO
  13. 13. O HOMEM ATRAVÉS DOS TEMPOS IDADE MODERNA
  14. 14. O HOMEM ATRAVÉS DOS TEMPOS ERA DO COMPUTADOR
  15. 15. QUEM SOMOS NÓS? SERES BRUTAIS? HUMANOS?
  16. 16. MENTE HUMANA ESPELHO VIVO DA CONSCIÊNCIA LÚCIDA
  17. 17. MENTE HUMANA PENSAMENTO E VIDA : Emmanuel – F.C.Xavier – mensagem 2 – VONTADE ESPELHO VIVO DA CONSCIÊNCIA LÚCIDA DEPARTAMENTO DO DESEJO operam os propósitos e as aspirações, acalentando o estímulo ao trabalho
  18. 18. GABINETE DA VONTADE <ul><li>GERÊNCIA </li></ul><ul><li>ESCLARECIDA </li></ul><ul><li>E </li></ul><ul><li>VIGILANTE </li></ul>
  19. 19. GABINETE DA VONTADE <ul><li>LEME DE TODOS OS TIPOS DE FORÇA </li></ul><ul><li>INCORPORADOS AO NOSSO CONHECIMENTO </li></ul>
  20. 20. GABINETE DA VONTADE <ul><li>AÇÃO </li></ul><ul><li>DETERMINANTE </li></ul><ul><li>E </li></ul><ul><li>DECISÓRIA : </li></ul>
  21. 21. GABINETE DA VONTADE <ul><li>MOVIMENTO </li></ul><ul><li>OU </li></ul><ul><li>INÉRCIA </li></ul><ul><li>DA </li></ul><ul><li>MÁQUINA </li></ul>
  22. 22. GABINETE DA VONTADE <ul><li>PODE COMPRAR </li></ul><ul><li>AFLITIVOS SÉCULOS </li></ul><ul><li>DE REPARAÇÃO E SOFRIMENTO </li></ul>DESEJO DESEQUILIBRANTE:
  23. 23. GABINETE DA VONTADE PODER DO DESEJO: INTELIGÊNCIA : PODE APRISIONAR-SE NA CRIMINALIDADE
  24. 24. GABINETE DA VONTADE PODER DO DESEJO: IMAGINAÇÃO: PODE GERAR PERIGOSOS MONSTROS NA SOMBRA
  25. 25. GABINETE DA VONTADE PODER DO DESEJO: MEMÓRIA: FUNÇÃO REGISTRADORA PODE CAIR EM DEPLORÁVEL RELAXAMENTO
  26. 26. AÇÃO DOS SENTIMENTOS Maus Sentimentos... ADULTÉRIOS FORNICAÇÕES FALSOS TESTEMUNHOS BLASFÊMIAS ISTO CONTAMINA! “ (...) PORQUANTO DO CORAÇÃO É QUE PARTEM OS MAUS PENSAMENTOS , OS ASSASSÍNIOS, (...)” – AK - § 8 MAU DESEJO... NO CORAÇÃO ASSASSÍNIOS MALEDICÊNCIAS...
  27. 27. MAU PENSAMENTO E PROGRESSO O MAL AINDA EXISTE NA PLENITUDE DE SUAS FORÇAS QUEM NELE SE COMPRAZ... “ (...) TODO PENSAMENTO MAU RESULTA, POIS, DA IMPERFEIÇÃO DA ALMA(...)” – AK - § 7 ÓTIMOS MAUS PENSAMENTOS
  28. 28. MAU PENSAMENTO E PROGRESSO PROGRESSO EM VIAS DE REALIZAR QUEM O CONCEBE MAS O REPELE... “ (...) TODO PENSAMENTO MAU RESULTA, POIS, DA IMPERFEIÇÃO DA ALMA(...)” – AK - § 7 MAU PENSAMENTO? – FORA!
  29. 29. MAU PENSAMENTO E PROGRESSO PROGRESSO REALIZADO QUEM NÃO O CONCEBE... “ (...) TODO PENSAMENTO MAU RESULTA, POIS, DA IMPERFEIÇÃO DA ALMA(...)” – AK - § 7 x
  30. 30. Disciplina dos desejos Quantos se arruínam por falta de ordem, de perseverança, pelo mau proceder, por não terem sabido limitar seus desejos Evangelho Segundo o Espiritismo CAP. V – item IV
  31. 31. É muito fácil desistir do esforço nobre, comprazer-se por um momento, tornar-se igual aos demais, nas suas manifestações inferiores. Divaldo Pereira Franco Da obra: Vigilância Ditado pelo Espírito Joanna de Ângelis
  32. 32. Todavia, os estímulos e gozos de hoje, no campo das paixões desgovernadas, caracterizam-se pelo sabor dos temperos que se convertem em ácido e fel, a requeimarem por dentro, passados os primeiros momentos . Divaldo Pereira Franco Da obra: Vigilância Ditado pelo Espírito Joanna de Ângelis
  33. 33. Disciplina dos desejos Operações mentais principais: CONTENÇÃO REPETIÇÃO Ermance Dufaux
  34. 34. Disciplina dos desejos CONTENÇÃO: VONTADE ATIVA e ESCLARECIDA Ermance Dufaux
  35. 35. Disciplina dos desejos FINALIDADE DA CONTENÇÃO: ASSUMIR O CONTROLE SOBRE AS FONTES ENERGÉTICAS DE TEOR PRIMÁRIO Ermance Dufaux
  36. 36. Disciplina dos desejos FINALIDADE DA CONTENÇÃO : IMPEDIR A AÇÃO DESSA ENERGIA NOS PROPÓSITOS DE REFORMA ÍNTIMA Ermance Dufaux
  37. 37. Disciplina dos desejos REPETIÇÃO: FORÇA QUE COOPERA NA DINAMIZAÇÃO DOS EXERCÍCIOS FORMADORES DOS HÁBITOS NOVOS Ermance Dufaux
  38. 38. Disciplina dos desejos FINALIDADE: DESENVOLVER VALORES DIVINOS DEPOSITADOS NO GÉRMEN DO SER DESDE SUA CRIAÇÃO Ermance Dufaux
  39. 40. ESFORÇO
  40. 41. ESFORÇO
  41. 42. ESFORÇO
  42. 43. ESFORÇO
  43. 44. ESFORÇO
  44. 45. HÁBITO DOMANDO NOSSAS MÁS INCLINAÇÕES
  45. 46. ESPONTANEIDADE
  46. 47. ESPONTANEIDADE
  47. 48. NOSSAS ESCOLHAS
  48. 49. CONTENÇÃO COM REVOLTA REPRESSÃO E NEUROSE
  49. 50. REPETIÇÃO COM DESCRENÇA REPRESSÃO E NEUROSE
  50. 51. CONTENÇÃO COM COMPREENSÃO VIGILÂNCIA E DOMÍNIO
  51. 52. REPETIÇÃO COM IDEALISMO HÁBITO NOVO E CRESCIMENTO
  52. 53. VALORES EVANGÉLICOS AMIGOS SINCEROS, FRATERNOS, AUTÊNTICOS BURIS DISCIPLINADORES TENDÊNCIAS MENOS FELIZES
  53. 54. VALORES EVANGÉLICOS LAR CONSOLIDADO GRUPO RELIGIOSO AMIGOS SINCEROS FORÇA MORALIZANTE
  54. 55. VALORES EVANGÉLICOS AMIGOS SINCEROS, FRATERNOS, AUTÊNTICOS ARRIMO PSÍQUICO SUPERAÇÃO MÁS EMOÇÕES
  55. 56. VALORES EVANGÉLICOS AMIGOS SINCEROS, FRATERNOS, AUTÊNTICOS ESTÍMULO AO ELASTECIMENTO NOVOS HÁBITOS
  56. 57. VALORES EVANGÉLICOS AMIGOS SINCEROS, FRATERNOS, AUTÊNTICOS COOPERADORES ANTE AS LUTAS DA CONTENÇÃO
  57. 58. AMBIENTES EVANGÉLICOS CONTENÇÃO MENOS PENOSA REPETIÇÃO REFORÇO CONTAGIANTE DOS PROPÓSITOS NUTRIDOS COLETIVAMENTE
  58. 59. GRUPOS CONSCIENTES VERDADEIRAS ESCOLAS DE NOVOS SENTIMENTOS
  59. 60. REFLEXOS ASSIMILADOS CONDUTA ALHEIA ESCULPEM NOVA ORDEM DE HÁBITOS RENOVANDO DESEJOS E
  60. 61. REFLEXOS ASSIMILADOS CONDUTA ALHEIA ESCULPEM SUBLIMANDO A SOMBRA DE TENDÊNCIAS INFERIORES EM PROPÓSITOS EDIFICANTES
  61. 62. vontade escolha certa libertação
  62. 64. NOVO SER
  63. 65. A LIBERDADE ... ENFIM... TRANSFORMAÇÃO MORAL
  64. 66. EVANGELHO – PRECES ESPÍRITAS REFLEXÃO
  65. 67. EVANGELHO – PRECES ESPÍRITAS
  66. 68. EVANGELHO – PRECES ESPÍRITAS
  67. 69. PRECE PARA PEDIR A CORRIGENDA DE UM DEFEITO EVANGELHO – PRECES ESPÍRITAS – 18 e 19
  68. 70. EVANGELHO – PRECES ESPÍRITAS – 18 e 19
  69. 71. EVANGELHO – PRECES ESPÍRITAS – 18 e 19
  70. 72. EVANGELHO – PRECES ESPÍRITAS – 18 e 19
  71. 73. EVANGELHO – PRECES ESPÍRITAS – 18 e 19
  72. 74. EVANGELHO – PRECES ESPÍRITAS – 18 e 19
  73. 75. EVANGELHO – PRECES ESPÍRITAS – 18 e 19

×