Sumario Executivo Saresp 2007

11.570 visualizações

Publicada em

Em sua décima edição, realizada nos dias 28 e 29 de novembro de 2007, o Saresp - Sistema de Avaliação do Rendimento Escolar do Estado de São Paulo avaliou o ensino regular de todas as escolas da rede pública estadual que oferecem a 1ª, 2ª, 4ª, 6ª e 8ª séries do Ensino Fundamental e a 3ª série do Ensino Médio, nos períodos da manhã, tarde e noite.

A avaliação aferiu o domínio das competências e habilidades básicas previstas para o término de cada série, mediante a aplicação de provas de Língua Portuguesa e de Matemática com a seguinte constituição:


para a 1ª e 2ª séries do Ensino Fundamental, questões abertas de Língua Portuguesa e de Matemática;



para a 4ª, 6ª e 8ª séries do Ensino Fundamental e a 3ª série do Ensino Médio, 30 questões de múltipla escolha de Matemática, 30 de Língua Portuguesa e uma proposta de redação, do tipo narrativo para o Ensino Fundamental e dissertativo para o Ensino Médio.
Além das provas, foram aplicados questionários com a finalidade de efetuar estudos que orientem políticas educacionais visando à melhoria da qualidade do ensino. Os alunos responderam a um questionário socioeconômico e opinativo, e um questionário de gestão escolar e pedagógica foi aplicado a professores das séries e disciplinas avaliadas, a professores-coordenadores e aos diretores de escola.

A Secretaria de Estado da Educação, considerando a extrema relevância dos indicadores do Saresp para os educadores da rede, nos níveis central, regional e local, está disponibilizando neste site as provas por série e período, bem como as tabelas de especificação das habilidades avaliadas, acompanhadas dos respectivos gabaritos. Estão disponíveis, também, os roteiros de correção de Língua Portuguesa e de Matemática da 1ª e 2ª séries do Ensino Fundamental, bem como os questionários aplicados e os manuais utilizados na avaliação.

Publicada em: Turismo, Tecnologia
  • Seja o primeiro a comentar

Sumario Executivo Saresp 2007

  1. 1. GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SARESP 2007 Sumário Executivo Março 2008 Página 1 de 27
  2. 2. GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SARESP 2007 – SUMÁRIO EXECUTIVO 1. O SARESP 2007 Em sua 10ª edição, o Sistema de Avaliação do Rendimento Escolar do Estado de São Paulo - Saresp caracterizou-se como uma avaliação externa, promovida pela Secretaria de Estado da Educação de São Paulo - SEE/SP - ao final do ano letivo, com a finalidade de avaliar as competências e habilidades desenvolvidas pelos alunos ao longo do Ensino Fundamental - EF (2ª, 4ª, 6ª e 8ª séries) e no final do Ensino Médio - EM (3ª série). A avaliação abrangeu as áreas de Língua Portuguesa e Matemática e realizou-se em dois dias consecutivos, 28 e 29 de novembro. No primeiro dia, os alunos fizeram a prova de Língua Portuguesa e a Redação e, no segundo, a de Matemática, e responderam a um questionário. Neste ano, aplicou-se também uma avaliação diagnóstica aos alunos da 1ª série como apoio à implantação do Programa Ler e Escrever. Nessa edição do Saresp, foram introduzidas algumas alterações em relação ás edições anteriores que se referem aos procedimentos de aplicação das provas, ao tratamento dos dados e ao uso dos resultados, visando garantir maior credibilidade à avaliação. São elas: o a comparação dos resultados do Saresp 2007 para a 4ª e a 8ª séries do EF e a 3ª série do EM com os resultados dos sistemas nacionais de avaliação (Saeb/ Prova Brasil); o a apresentação dos resultados do Saresp 2007, em Língua Portuguesa e Matemática, na mesma escala de desempenho do Saeb, o que permite a comparação dos resultados do Saresp 2007 para a 4ª e a 8ª séries do EF e a 3ª série do EM com os resultados dos sistemas nacionais de avaliação (Saeb/ Prova Brasil); o a atuação de professores da rede estadual na aplicação das provas, mas em escolas em que não lecionam (à exceção da 1ª e da 2ª séries do EF); o a presença de observadores externos à escola para verificar a uniformidade dos padrões utilizados na aplicação; o a aplicação de questionários sobre a gestão escolar que permitirão uma caracterização mais detalhada dos fatores associados ao desempenho escolar; o o uso dos resultados como um dos critérios de acompanhamento das metas a serem atingidas pelas escolas. Página 2 de 27
  3. 3. GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SARESP 2007 – SUMÁRIO EXECUTIVO 2. INSTRUMENTOS DO SARESP 2.1. Provas As provas aplicadas no Saresp 2007 compreenderam dois conjuntos de instrumentos. O primeiro consistiu nas provas destinadas às 2as séries do EF, nas áreas de Língua Portuguesa e Matemática. Na 2ª série, as provas foram constituídas de oito questões abertas, atingindo um total de 14 itens, incluindo-se as desdobradas. Em Matemática, por sua vez, as provas da 2ª série foram compostas por 14 questões, em sua maioria abertas. O segundo conjunto de instrumentos compreendeu as provas de Língua Portuguesa e de Matemática dirigidas às demais séries avaliadas (4ª, 6ª e 8ª séries do EF e 3ª do EM), compostas, cada uma, por 30 questões objetivas de múltipla escolha, com quatro alternativas de resposta em cada uma. As provas de Língua Portuguesa foram seguidas de uma proposta de redação. As provas da 4ª, da 6ª e da 8ª séries do EF e a da 3ª do EM foram construídas com base em tabelas de especificação contendo uma seleção de conteúdos e habilidades de Língua Portuguesa e Matemática para cada série avaliada, tendo como referência as Propostas Curriculares da Coordenadoria de Estudos e Normas Pedagógicas da SEE/SP - CENP - e os Parâmetros Curriculares Nacionais - PCNs. Essas provas foram elaboradas por uma empresa de assessoria externa contratada (Fundação Carlos Chagas - FCC), a partir de itens pré-testados em uma amostra de alunos das escolas da Rede Municipal de Ensino da Capital, com características similares aos das escolas da Rede Pública Estadual. Nessa pré-testagem, verificaram-se a validade, a fidedignidade e os índices de dificuldade e discriminação de uma bateria de itens. As provas definitivas foram construídas a partir da análise dos índices estatísticos do pré-teste, realizada por uma banca constituída na CENP por especialistas nos conteúdos avaliados e em medidas educacionais. As provas da 2ª séries do EF, por sua vez, em função de sua especificidade, têm sido compostas, desde que introduzidas no desenho do Saresp, por itens especialmente construídos por especialistas da equipe dos Programas Letra e Vida e Ler e Escrever da CENP. Na área de Língua Portuguesa, os referenciais curriculares relativos a essas séries, elaborados com base numa perspectiva construtivista e expressos em termos de habilidades, buscam identificar o nível de conhecimento sobre o sistema de Página 3 de 27
  4. 4. GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SARESP 2007 – SUMÁRIO EXECUTIVO escrita, a capacidade de ler com autonomia e a competência escritora do ponto de vista discursivo alcançados pelos estudantes ao final dessas duas séries. Embora formalmente não tivesse sido proposta uma redação, nas provas da 2ª série solicitou-se aos estudantes que desenvolvessem atividade de produção de texto. Pediu-se que escrevessem uma cartinha para personagens de conto. No período da manhã, deveriam escrever para as duas crianças do conto “João e Maria” e, no período da tarde, a partir da situação vivida pela mocinha do conto “Cinderela”, deveriam escrever uma cartinha para o príncipe. Ainda na 2ª série, foi solicitado aos alunos que, a partir da leitura do texto “A brincadeira de pular corda”, escrevessem um texto de outro gênero: “Você sabia?”. Nas demais séries do EF (4ª, 6ª e 8ª), foi apresentado, para cada série e período, o início de uma história, a partir do qual o aluno deveria produzir uma redação do tipo narrativo-descritivo, com a continuação da história. Na 3ª série do EM, enfim, pediu-se aos estudantes uma redação do tipo dissertativo-argumentativo, produzida a partir da leitura de dois textos. As redações foram corrigidas na própria escola, seguindo-se os critérios estabelecidos no Manual de Correção da redação, por bancas compostas de professores de 1ª a 4ª séries do EF e de Língua Portuguesa das demais séries do EF e do EM, sob a coordenação do professor-coordenador. No caso das duas primeiras séries do EF, a correção das provas foi feita na Diretoria de Ensino - DE, por professores participantes dos Programas Letra e Vida e Ler e Escrever. 2.2. Questionários Nessa edição do Saresp, foram aplicados questionários aos professores, ao professor coordenador e ao diretor, além do questionário destinado aos alunos. Além das provas que mediram o desempenho, aplicou-se aos estudantes da 4ª, da 6ª e da 8ª séries do EF e da 3ª série do EM um questionário, adequado ao seu nível de escolaridade, por meio do qual foram coletadas informações sobre suas características pessoais, o contexto socioeconômico e cultural em que vivem, suas trajetórias escolares, e suas percepções acerca dos professores e da gestão da escola. Para as classes do EF em Escolas de Tempo Integral, também foi coletada sua visão a respeito de ficar o dia todo na escola; para os alunos do EM, o questionário incluiu, enfim, questões sobre sua inserção no mundo do trabalho. O objetivo deste instrumento é traçar os perfis dos Página 4 de 27
  5. 5. GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SARESP 2007 – SUMÁRIO EXECUTIVO estudantes nos diferentes níveis de escolaridade e verificar as possíveis interferências desses fatores na aprendizagem e no rendimento escolar. Os alunos da 2ª séries do EF foram apresentados, por sua vez, a três questões sobre sexo, idade e pré-escola e início da escolarização (maternal, pré-escola ou 1ª série). Os professores responderam a questionários diferenciados, a saber: I. Questionário do Professor de 2ª séries do EF, constituído de questões sobre o perfil do professor e aspectos relacionados ao processo de aprendizagem dos alunos das primeiras séries do EF. II. Questionário do Professor de 4ª série do EF, aplicado em uma amostra por tipo de atendimento escolar, com questões sobre o perfil do professor e aspectos relacionados ao processo de aprendizagem dos alunos. III. Questionário do Professor de 6ª e 8ª séries do EF e de 3ª do EM de Língua Portuguesa e Matemática, aplicado em uma amostra por tipo de atendimento escolar, composto por questões sobre o perfil do professor e aspectos relacionados ao processo de aprendizagem dos alunos. IV. Questionário do Professor-Coordenador, estruturado com questões sobre o perfil desse profissional e sua atuação junto à direção da escola, bem como no processo de elaboração e implementação da proposta pedagógica da escola. V. Questionário do Diretor, com questões sobre o perfil do diretor, a gestão do estabelecimento nos seus aspectos administrativos e pedagógicos e sua atuação na coordenação e implementação da proposta pedagógica da escola. 2.3. Aplicação da avaliação Tal como vem ocorrendo desde a primeira edição do Sistema, em 1996, em 2007 as equipes escolares e das Diretorias de Ensino tiveram um papel fundamental na viabilização do Saresp, colaborando decisivamente para o êxito da avaliação, sobretudo no que se refere à preparação das escolas para a avaliação e para a aplicação propriamente dita das provas. Página 5 de 27
  6. 6. GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SARESP 2007 – SUMÁRIO EXECUTIVO Foi introduzida, na edição de 2007, uma mudança nos procedimentos de aplicação, com vistas a assegurar maior credibilidade aos resultados. Embora os aplicadores tenham sido os professores da própria Rede Pública Estadual, houve troca de escola (a DE elaborou um plano de aplicação, designando para cada estabelecimento de ensino os professores responsáveis pela aplicação durante os dois dias da avaliação). Além disso, os aplicadores foram, de preferência, professores de disciplinas que não fizeram parte da avaliação (à exceção da 1ª e da 2ª séries do EF, em que os aplicadores foram os professores da própria escola, trocando de turma). A aplicação foi acompanhada por representantes dos pais dos alunos, indicados pelo Conselho de Escola de cada estabelecimento de ensino, e por observadores externos, numa amostra de escolas, para verificar a uniformidade dos padrões utilizados na aplicação. Ainda no que se refere à aplicação do Saresp 2007, cumpre ressaltar que, para participar da avaliação, os educadores envolvidos passaram por um processo de capacitação, realizado em nível central, regional e local, envolvendo ações presenciais e videoconferências para orientá-los sobre: as questões técnico-operacionais do Saresp, os procedimentos de aplicação e correção das provas das primeiras séries e os critérios de correção das redações. Página 6 de 27
  7. 7. GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SARESP 2007 – SUMÁRIO EXECUTIVO 3. ABRANGÊNCIA DO SARESP A participação geral no Saresp 2007 foi satisfatória nos dois dias de aplicação das provas: mais de um milhão e oitocentos mil estudantes compareceram em cada dia, conforme dados da Tabela 1. A participação dos alunos do período diurno foi superior a 90% nos dois dias de avaliação, resultado bastante expressivo. E, comparando- se a presença dos alunos no primeiro dia de avaliação em relação ao segundo, a queda observada de 1% pode ser considerada muito pequena. No ensino noturno, por sua vez, a participação dos estudantes foi menor, alcançando percentuais de 73,4% e 68,3%, respectivamente, no primeiro e no segundo dia. Ressalte-se ainda que, nesse período, a queda na participação do primeiro para o segundo dia foi de 5,1%, bem superior à verificada entre os alunos que freqüentam as aulas no diurno. ENVOLVIDOS NA AVALIAÇÃO EM 2007 Alunos: 1.858.077 Escolas: 5.207 Diretores: 5.207 Professores-aplicadores: 60.965 Professores-coordenadores: 6.340 Pais de alunos: 46.872 No de turmas do EF: 50.109 No de turmas do EM: 10.856 Total de turmas avaliadas: 60.965 Página 7 de 27
  8. 8. GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SARESP 2007 – SUMÁRIO EXECUTIVO Tabela 1 – Participação dos Alunos por Tipo de Ensino, Dia de Aplicação e Período 1o Dia 2o Dia Grau de Previstos Período Língua Portuguesa Matemática Ensino Nº Nº % Nº % Diurno 1.671.045 1.550.915 92,8 1.538.640 92,1 EF Noturno 19.959 13.432 67,3 12.831 64,3 TOTAL 1.691.004 1.564.347 92,5 1.551.471 91,7 Diurno 150.794 124.973 82,9 118.755 78,8 EM Noturno 228.334 168.757 73,9 156.751 68,6 TOTAL 379.128 293.730 77,5 275.506 72,7 Diurno 1.821.839 1.675.888 92,0 1.657.395 91,0 TOTAL Noturno 248.293 182.189 73,4 169.582 68,3 GERAL TOTAL 2.070.132 1.858.077 89,8 1.826.977 88,3 Tabela 2 – Participação dos Alunos por Coordenadoria de Ensino, Dia de Aplicação e Período 1o Dia - Língua Portuguesa 2o Dia - Matemática Instâncias Diurno Noturno Diurno Noturno Participação % Participação % Participação % Participação % Estado 1.675.888 92,0 182.189 73,4 1.657.395 91,0 169.582 68,3 COGSP 912.797 91,4 91.579 70,4 901.256 90,2 83.276 64,0 CEI 763.091 92,7 90.610 76,7 756.139 91,9 86.306 73,1 Comparando-se a participação dos alunos segundo a localização das escolas - Grande São Paulo e Interior, observa-se que a presença no primeiro e no segundo dia foi semelhante nas duas instâncias, com percentuais pouco acima de 90%, tanto nos estabelecimentos sob jurisdição da Coordenadoria de Ensino da Grande São Paulo - COSGP, como naqueles vinculados à Coordenadoria de Ensino do Interior - CEI. Essa presença quase maciça não foi verificada, no entanto, entre os estudantes do noturno, seja na Grande São Paulo seja no Interior: os dados confirmam o que normalmente ocorre nos dias normais de aula, ou seja, o absenteísmo dos alunos do noturno é expressivo. Os percentuais de participação verificados na COSGP foram inferiores aos observados na CEI, e ambos não atingiram 80%. A diferença entre diurno e noturno foi significativa no Estado, Página 8 de 27
  9. 9. GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SARESP 2007 – SUMÁRIO EXECUTIVO chegando a 18,6% no primeiro dia e revelando-se ainda maior no segundo, quando atingiu 22,7%. Essas quedas também se mostram expressivas, quando se compara a presença na avaliação dos alunos do diurno e do noturno na COGSP e CEI. Além da presença dos alunos, verificou-se uma enorme mobilização dos profissionais de ensino em todas as instâncias da SEE/SP - as equipes das 90 DEs (dirigentes de ensino, supervisores de ensino e assistentes técnico-pedagógicos); os diretores e professores-coordenadores de 5.207 escolas estaduais; e mais de 60.000 professores responsáveis pela aplicação das provas em todo o Estado de São Paulo. Dentre esses professores, 45.000 se deslocaram da sua escola para aplicar a avaliação em turmas da 4ª, da 6ª e da 8ª séries do EF e da 3ª série do EM de outras escolas – e em muitos casos em outro município (à exceção da aplicação nas primeiras séries do EF, realizada pelos professores da própria escola, trocando de turma). Contou-se também com a presença de aproximadamente 46.800 pais indicados pelos Conselhos de Escola, correspondendo a três pais por período de funcionamento da escola (manhã, tarde e noite), que responderam a um relatório de observações, apontando suas opiniões sobre a aplicação do Saresp no estabelecimento. Os questionários de gestão escolar foram respondidos por 5.198 diretores, 6.340 professores-coordenadores e 14.959 professores da 1ª e da 2ª séries do EF, e por uma amostra de 3.586 professores das outras séries avaliadas (4ª, 6ª e 8ª séries do EF e 3ª do EM). Tiveram por objetivo traçar o perfil desses profissionais e coletar informações relacionadas a sua prática pedagógica. Página 9 de 27
  10. 10. GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SARESP 2007 – SUMÁRIO EXECUTIVO 4. RESULTADOS DO SARESP/2007 4.1. Resultados da 1ª e 2ª séries do Ensino Fundamental Os desempenhos dos alunos da 1ª e 2ª séries do EF no Saresp 2007 são apresentados em escalas distintas por série e por área avaliada – Língua Portuguesa e Matemática. As escalas de Língua Portuguesa são compostas por seis níveis (de 1 a 6) e, as de Matemática, compreendem cinco níveis (de 1 a 5). Tabela 3 – Distribuição dos alunos nos níveis da Escala de Língua Portuguesa da 1ª série do EF - Saresp 2007 Número de % de Nível Descrição do Nível acertos Alunos 1 0a3 Os alunos escrevem sem correspondência sonora. 9,9 2 4a8 Os alunos escrevem com correspondência sonora ainda não alfabética. 10,4 3 9 a 16 Os alunos escrevem com correspondência sonora alfabética. 10,7 Os alunos escrevem com correspondência sonora alfabética e produzem 4 17 a 25 texto com algumas características da linguagem escrita e do gênero 17,8 proposto (carta). Os alunos escrevem com ortografia regular; produzem texto com 5 26 a 37 características da linguagem escrita e do gênero proposto (carta); e, 29,6 localizam, na leitura, informações explícitas contidas no texto informativo. Os alunos escrevem com ortografia regular; produzem texto com características da linguagem escrita e do gênero proposto (carta); localizam 6 38 a 49 21,7 informações explícitas; e, fazem inferência de informações a partir de um texto lido (texto informativo). Página 10 de 27
  11. 11. GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SARESP 2007 – SUMÁRIO EXECUTIVO Tabela 4 – Distribuição dos alunos nos níveis da Escala de Língua Portuguesa da 2ª série do EF - Saresp 2007 Número de % de Nível Descrição do Nível acertos Alunos 1 0a5 Os alunos escrevem sem correspondência sonora. 6,0 2 6 a 15 Os alunos escrevem com correspondência sonora ainda não alfabética. 6,6 Os alunos escrevem com correspondência sonora alfabética; produzem texto com algumas características da linguagem escrita e do gênero proposto 3 16 a 32 19,3 (carta); e localizam, na leitura, informações explícitas contidas no texto informativo. Os alunos escrevem com ortografia regular; produzem texto com 4 33 a 56 características da linguagem escrita e do gênero proposto (carta); e, lêem com 50,3 autonomia, fazendo inferências a partir do texto informativo. Os alunos escrevem com ortografia regular; produzem texto com características da linguagem escrita e do gênero proposto (carta); e, 5 57 a 63 10,2 produzem texto com algumas características da linguagem escrita, a partir de situação de leitura autônoma e de texto de outro gênero (Você sabia?). Os alunos escrevem com ortografia regular e produzem texto com 6 64 a 72 características da linguagem escrita, tanto no gênero proposto (carta) como 7,5 em situação de leitura autônoma e de texto de outro gênero (Você sabia?). Página 11 de 27
  12. 12. GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SARESP 2007 – SUMÁRIO EXECUTIVO Tabela 5 – Distribuição dos alunos nos níveis da Escala de Matemática da 1ª série do EF - Saresp 2007 Número de % de Nível Descrição do Nível acertos Alunos Os alunos não demonstram domínio das habilidades avaliadas pelos itens da Nível 1 0a6 1,6 prova. Os alunos fazem contagem, ordenam, comparam e indicam resultados com escrita numérica, envolvendo quantidades menores do que 100; resolvem Nível 2 7 a 22 11,8 situação-problema envolvendo a adição (idéia de juntar); e, identificam formas arredondadas em representações de objetos tridimensionais. Os alunos calculam, utilizando técnica operatória, o resultado de uma adição sem reserva, abrangendo números menores do que 100; resolvem situação- Nível 3 23 a 37 28,1 problema envolvendo a adição; e, solucionam situação-problema envolvendo a subtração (idéia de completar e tirar). Os alunos fazem leitura de informações contidas no calendário; e, calculam, Nível 4 38 a 49 40,0 utilizando técnica operatória, o resultado de uma subtração sem reserva. Os alunos fazem leitura de tabela simples, identificando os dados nela Nível 5 50 18,4 expressos. Página 12 de 27
  13. 13. GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SARESP 2007 – SUMÁRIO EXECUTIVO Tabela 6 – Distribuição dos alunos nos níveis da Escala de Matemática da 2ª série do EF - Saresp 2007 Número de Nível Descrição do Nível % Alunos acertos Os alunos não demonstram domínio das habilidades avaliadas pelos itens da Nível 1 0 a 16 4,9 prova. Os alunos fazem contagem, ordenam, comparam e indicam resultados com escrita numérica, envolvendo quantidades menores do que 1000; resolvem Nível 2 17 a 36 28,4 situação-problema referente à adição (idéia de juntar); e, identificam formas arredondadas em representações de objetos tridimensionais. Os alunos resolvem situação-problema envolvendo adição (idéia de juntar); resolvem situação-problema referente à subtração (idéia de completar e tirar), Nível 3 37 a 44 com quantidades menores do que 100; fazem leitura de informações no 27,9 calendário; e, realizam leitura de tabela simples, identificando os dados nela expressos. Os alunos reconhecem os valores de cédulas e moedas, resolvendo situação- Nível 4 45 a 49 problema que envolve trocas entre ambas; e, fazem leitura de gráfico de 21,3 coluna simples, identificando os dados nele expressos. Os alunos calculam, utilizando técnica operatória, o resultado de uma Nível 5 50 17,5 subtração com recurso, envolvendo quantidades menores do que 100. 4.2. Resultados da nova escala Saresp: 4ª, 6ª e 8ª séries do EF e 3ª série do EM A escala de proficiência do Saresp 2007, das 4ª, 6ª e 8ª séries do EF e 3ª série do EM, segue a escala adotada pelo Saeb/Prova Brasil. a) Língua Portuguesa Página 13 de 27
  14. 14. GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SARESP 2007 – SUMÁRIO EXECUTIVO As médias de proficiência obtidas pelos alunos da 4ª e da 8ª séries do EF e da 3ª série do EM em Língua Portuguesa no Saresp 2007, no Estado como um todo e em cada uma das Coordenadorias de Ensino em que se estrutura o ensino no Estado de São Paulo - Coordenadoria de Ensino da Grande São Paulo - COGSP - e Coordenadoria de Ensino do Interior - CEI -, estão retratados no Gráfico 1. Gráfico 1 - Médias de Proficiência em Língua Portuguesa – Saresp 2007 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 110 120 130 140 150 160 170 180 190 200 210 220 230 240 250 260 270 280 290 300 ESTADO 186,8 183,8 4 EF COGSP CEI 192,1 ESTADO 210,4 6 EF COGSP 206,5 CEI 214,0 ESTADO 242,6 235,9 8 EF COGSP CEI 248,7 ESTADO 263,2 3 EM COGSP 259,6 CEI 266,4 COGSP: Coordenadoria de Ensino da Grande São Paulo CEI: Coordenadoria de Ensino do Interior Verifica-se, no gráfico, que: o as médias de proficiência em Língua Portuguesa para o Estado como um todo variam, nas séries avaliadas, entre 186,8 (4ª série do EF) e 263,2 (3ª série do EM); o o desempenho em Língua Portuguesa no Saresp 2007, qualquer que seja a série do EF considerada, e também na 3ª série do EM, é superior entre os alunos da CEI; o as diferenças de pontos entre as médias da CEI e da COGSP, nas séries avaliadas, variam entre 6,8 (na 3 série do EM) e 12,8 (na 8ª série do EF). Página 14 de 27
  15. 15. GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SARESP 2007 – SUMÁRIO EXECUTIVO b) Matemática Os desempenhos dos alunos da 4ª e da 8ª séries do EF e da 3ª série do EM em Matemática, no Saresp 2007, no Estado como um todo e em cada uma das Coordenadorias de Ensino em que se estrutura o ensino no Estado de São Paulo - Coordenadoria de Ensino da Grande São Paulo - COGSP – e Coordenadoria de Ensino do Interior - CEI -, estão retratados no Gráfico 2. Gráfico 2 - Médias de Proficiência em Matemática - Saresp 2007 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 110 120 130 140 150 160 170 180 190 200 210 220 230 240 250 260 270 280 290 300 ESTADO 182,5 4 EF COGSP 178,7 CEI 189,1 ESTADO 194,1 6 EF COGSP 189,2 CEI 198,6 ESTADO 231,5 8 EF COGSP 225,6 CEI 236,8 ESTADO 263,7 3 EM COGSP 259,0 CEI 267,7 COGSP: Coordenadoria de Ensino da Grande São Paulo CEI: Coordenadoria de Ensino do Interior Verifica-se, no gráfico, que: o as médias de proficiência em Matemática para o Estado como um todo variam, nas séries avaliadas, entre 182,5 (4ª série do EF) e 263,7 (3ª série do EM); o o desempenho em Matemática no Saresp 2007, qualquer que seja a série do EF considerada, e também na 3ª série do EM, é superior entre os alunos da CEI; Página 15 de 27
  16. 16. GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SARESP 2007 – SUMÁRIO EXECUTIVO o as diferenças de pontos entre as médias da CEI e da COGSP, nas séries avaliadas, variam entre 7,4 (na 6ª série do EF) e 11,2 (na 8ª série do EF); c) Distribuição das escolas em relação às médias de proficiência A Tabela 7 apresenta a distribuição das escolas em relação às médias de proficiência em Língua Portuguesa e em Matemática, por série avaliada, situadas abaixo da média e igual ou acima da média da rede estadual. Tabela 7 - Distribuição das Escolas segundo a Média de Proficiência Comparada com a do Estado - Saresp 2007 5. Nº de escolas Componente Média Total de Grau Série Curricular Estado Acima ou Igual à Abaixo da Escolas Média do Estado Média do Estado 04 186,8 1.022 1.080 2.102 EF 06 210,4 1.912 1.852 3.764 Língua Portuguesa 08 242,6 1.753 1.923 3.676 EM 03 263,2 1.356 1.977 3.333 04 182,5 1.004 1.097 2.101 EF 06 194,1 1.809 1.955 3.764 Matemática 08 231,5 1.597 2.079 3.676 EM 03 263,7 1.170 2.164 3.334 Verifica-se, nos dados da tabela que: o nas médias de Língua Portuguesa, há, praticamente, uma distribuição uniforme de 50% das escolas que oferecem Ensino Fundamental estão distribuídas entre duas faixas, ou seja, acima ou igual a média do Estado e abaixo da média do Estado. Já em relação ao conjunto das escolas que tem Ensino Médio, há um percentual ligeiramente maior (59%) das escolas com média abaixo do Estado. o no desempenho da Matemática, a variação na distribuição das médias giram em torno de 52% a 56% de escolas que obtiveram médias abaixo da média do Estado. No Ensino Médio, esse percentual é ainda maior, significando que 65% das escolas apresentam médias abaixo do Estado. Página 16 de 27
  17. 17. GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SARESP 2007 – SUMÁRIO EXECUTIVO d) Comparação das médias do Saresp 2007 com as médias Saeb/São Paulo 2005 Pela primeira vez, os resultados do Saresp poderão ser comparados aos resultados das avaliações nacionais – Saeb 2005 em relação às médias de proficiências e a interpretação pedagógica da escala de desempenho do Saeb nas áreas de Língua Portuguesa e de Matemática. Os desempenhos dos alunos da 4ª e da 8ª séries do EF e da 3ª série do EM em Língua Portuguesa no Saresp 2007 e no Saeb 2005 (média das escolas estaduais urbanas) estão retratados no Gráfico 3, que compara as médias de proficiência alcançadas. Gráfico 3 - Média de proficiência em Língua Portuguesa Saresp 2007, Saeb 2005 (Brasil e São Paulo/Rede Estadual) 280 270 260 250 240 230 220 210 200 190 180 170 160 4ª EF 8ª EF 3ª EM Saresp 07 186,8 242,6 263,2 Saeb 05 BR 173 226,6 248,7 Saeb 05 SP 177,9 228,4 253,6 Saresp 07 Saeb 05 BR Saeb 05 SP Verifica-se, no gráfico, que: o os resultados em Língua Portuguesa no Saresp 2007 dos alunos das três séries avaliadas (4ª e 8ª do EF e 3ª EM) são superiores aos alcançados no Saeb 2005, tanto no que se refere à média nacional Página 17 de 27
  18. 18. GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SARESP 2007 – SUMÁRIO EXECUTIVO como no que diz respeito às médias atingidas pelos estudantes da rede pública estadual de São Paulo; o a média de proficiência obtida pelos alunos da 4ª série do EF no Saresp 2007 é 186,8, índice superior, portanto, aos alcançados no Saeb 2005 (tanto no que se refere à média nacional como no que diz respeito à média da rede pública estadual de São Paulo, respectivamente 173,0 e 177,9). A diferença da média do Saresp 2007 em relação à média nacional é de 13,8 pontos e, em relação à média da rede estadual, um pouco menor (8,9 pontos); o o desempenho da 8ª série do EF segue a mesma tendência da 4ª série, porém as diferenças verificadas entre a média no Saresp 2007 (242,6) e os resultados do Saeb 2005 se mostram mais significativas: 16 pontos a mais do que a média nacional e 14 a mais do que a média da rede pública estadual de São Paulo; o a média em Língua Portuguesa da 3ª série do EM (263,2) é superior à média nacional do Saeb 2005 (com uma diferença de 14,5 pontos) e também à alcançada pelos estudantes da rede pública estadual de São Paulo (com uma diferença de 9,4 pontos). O Gráfico 4 apresenta os desempenhos dos alunos da 4ª e da 8ª séries do EF e da 3ª série do EM em Matemática, no Saresp 2007 e no Saeb 2005 (média das escolas estaduais urbanas), permitindo a comparação entre as médias alcançadas. Gráfico 4 - Média de proficiência em Matemática Saresp 2007, Saeb 2005 (Brasil e São Paulo/Rede Estadual) Página 18 de 27
  19. 19. GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SARESP 2007 – SUMÁRIO EXECUTIVO 280 270 260 250 240 230 220 210 200 190 180 170 160 4ª EF 8ª EF 3ª EM Saresp 07 182,5 231,5 263,7 Saeb 05 BR 181,8 232,9 260 Saeb 05 SP 182,9 230,2 261,8 Saresp 07 Saeb 05 BR Saeb 05 SP Verifica-se, no gráfico, que: o os resultados em Matemática obtidos no Saresp 2007 e no Saeb 2005 pelos alunos da 4ª série do EF são praticamente iguais: a diferença não chega a um ponto na média; o as médias alcançadas pelos alunos da 8ª série do EF nas duas avaliações também são muito próximas. No Saresp 2007, a média é 231,5, superior à média alcançada no Saeb 2005 pelos estudantes da rede pública estadual de São Paulo (230,2) e inferior à média nacional (232,9), muito embora as diferenças não cheguem a 1,5; o o desempenho em Matemática dos alunos da 3ª série do EM (263,7), no Saresp 2007, também é superior ao alcançado no Saeb 2005, com uma diferença de 3,7 pontos em relação à media nacional e um pouco menor em relação à média da rede pública estadual de São Paulo (1,9). e) Níveis de desempenho do Saresp 2007 Desde 1995, o desempenho dos alunos da educação básica do Brasil tem sido medido por meio da métrica do SAEB. A escala já é bastante conhecida e seu uso permite a comparação de resultados com aqueles obtidos no SAEB e Prova Brasil. Página 19 de 27
  20. 20. GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SARESP 2007 – SUMÁRIO EXECUTIVO A escolha dos números que definem os pontos da escala de proficiência é arbitrária e, construída com os resultados da aplicação do método estatístico de análise denominado TRI (Teoria de Resposta ao Item). Sendo assim, as proficiências dos alunos da rede estadual de ensino de São Paulo, aferidas em 2007 por meio do Saresp, foram também consideradas nesta mesma métrica do SAEB/Prova Brasil e seus resultados interpretados a partir da mesma escala. Para que isso fosse possível foram utilizados, no Saresp, alguns itens do Saeb, cedidos e autorizados pelo MEC. No entanto, a opção de usar a mesma “régua” do Saeb não exime a Secretaria Estadual de Educação de interpretar cada ponto da escala, a partir do resultado da aplicação de seus próprios instrumentos, agrupar os desempenhos indicados em diferentes pontos da escala em níveis qualificados de desempenho, e associá-los aos fatores de contexto investigados por ocasião da prova, tal como o fazem outros sistemas consolidados de avaliação educacional. Os níveis de desempenho têm uma interpretação pedagógica à luz da Matriz de referência do Saresp e da proposta curricular do Estado de São Paulo. Para medir a proficiência dos alunos da 4ª, 6ª e 8ª séries do Ensino Fundamental e 3ª série do Ensino Médio os pontos da escala são: 150, 175, 200, 225, 250, 275, 300, 325, 350, 375, 400, 425, 450, 475, 500. Os pontos da escala do Saresp, por sua vez, foram agrupados em níveis de desempenho, definidos a partir das expectativas de aprendizagem (conteúdos, competências e habilidades) estabelecidas para cada série e disciplina na Proposta Curricular do Estado de São Paulo: Tabela 8 - Distribuição dos alunos pelos níveis de proficiência Língua Portuguesa - Saresp 2007 Níveis 4ª EF 6ª EF 8ª EF 3ª EF Abaixo do Básico < 150 <175 < 200 < 250 Básico Entre 150 e 200 Entre 175 e 225 Entre 200 e 275 Entre 250 e 300 Adequado Entre 200 e 250 Entre 225 e 275 Entre 275 e 325 Entre 300 e 375 Avançado Acima de 250 Acima de 275 Acima de 325 Acima de 375 Tabela 9 - Distribuição dos alunos pelos níveis de proficiência Página 20 de 27
  21. 21. GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SARESP 2007 – SUMÁRIO EXECUTIVO Matemática - Saresp 2007 Níveis 4ª EF 6ª EF 8ª EF 3ª EF Abaixo do Básico < 175 < 200 < 225 < 275 Básico Entre 175 e 225 Entre 200 e 225 Entre 225 e 300 Entre 275 e 350 Adequado Entre 225 e 275 Entre 225 e 300 Entre 300 e 350 Entre 350 e 400 Avançado Acima de 275 Acima de 300 Acima de 350 Acima de 400 o Abaixo do básico – os alunos neste nível demonstram domínio insuficiente dos conteúdos, competências e habilidades desejáveis para a série escolar em que se encontram. o Básico – os alunos neste nível demonstram desenvolvimento parcial dos conteúdos, competências e habilidades requeridas para a série em que se encontram. o Adequado – os alunos neste nível demonstram domínio dos conteúdos, competências e habilidades desejáveis para a série escolar em que se encontram. o Avançado – os alunos neste nível demonstram conhecimentos e domínio dos conteúdos, competências e habilidades acima do requerido na série escolar em que se encontram. Os Gráficos 5 e 6 apresentam a distribuição dos alunos nos quatro níveis de desempenho de Língua Portuguesa e de Matemática nas séries avaliadas. Gráfico 5 – Distribuição dos Alunos nos Níveis de Desempenho – Língua Portuguesa – Saresp 2007 Página 21 de 27
  22. 22. GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SARESP 2007 – SUMÁRIO EXECUTIVO 100 95 90 85 80 75 70 65 60 55 50 46,5 44,7 45 39,6 39,1 39,2 40 34,7 34,0 35 30 24,3 22,7 21,1 25 20,7 18,3 20 15 10 5,6 6,5 3,0 5 0,1 0 Abaixo do Básico Básico Adequado Avançado 4ª EF 6ª EF 8ª EF 3ª EM Os dados apontam que: o a distribuição dos alunos em Língua Portuguesa está concentrada no nível “Básico” nas séries avaliadas, variando de 40% a 47%. o no nível “Adequado” em Língua Portuguesa, os índices são de 35% na 4ª série e, na 8ª série e na 3ª do Ensino Médio ficam em torno de 24% a 21%, respectivamente. Gráfico 6 – Distribuição dos Alunos nos Níveis de Desempenho – Matemática – Saresp 2007 Página 22 de 27
  23. 23. GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SARESP 2007 – SUMÁRIO EXECUTIVO 100 95 90 85 80 75 71,0 70 65 60 54,8 55 49,8 50 44,3 44,8 45 40 36,6 35 30 24,7 23,3 25 21,7 20 17,4 15 10 5,1 3,7 5 1,7 0,2 0,4 0,6 0 Abaixo do Básico Básico Adequado Avançado 4ª EF 6ª EF 8ª EF 3ª EM Os dados apontam que: o nas 4ª e 8ª séries de Ensino Fundamental o percentual dos alunos com desempenho “abaixo do básico” é de cerca de 45% e 50%, respectivamente. No Ensino Médio este percentual é de 71%. o no nível considerado “Adequado” em Matemática, os percentuais são de 17,4%, 5,1%, 3,7% nas 4ª e 8ª do EF e na 3ª do EM respectivamente. 5.1. Comparação da distribuição de alunos nos níveis de desempenho entre o Saeb/2005 – Rede Estadual e o Saresp 2007 Página 23 de 27
  24. 24. GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SARESP 2007 – SUMÁRIO EXECUTIVO Gráfico 7: Distribuição de alunos nos níveis de desempenho de Língua Portuguesa: 4ª e 8ª EF e 3ª EM – Comparação entre Saresp 2007 e Saeb 2005 100 4ª E.F. 8ª E.F. 3ª E.M. 90 80 70 60 53,4 50 46,5 47,6 39,1 39,639,2 40 35,8 34,7 33,8 29,3 28,8 29,2 30 22,7 24,3 20,7 21,1 17,9 20 14,6 10 5,6 6,2 6,5 2,8 0,7 0,1 0 SARESP 07 SAEB 2005 SP SARESP 07 SAEB 2005 SP SARESP 07 SAEB 2005 SP Abaixo do Básico Básico Adequad o Avançado Gráfico 8: Distribuição de alunos nos níveis de desempenho de Matemática: 4ª e 8ª EF e 3ª EM – Comparação entre Saresp 2007 e Saeb 2005 Página 24 de 27
  25. 25. GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SARESP 2007 – SUMÁRIO EXECUTIVO 1 00 4ª E.F. 8ª E.F. 3ª E.M. 90 80 71,0 70 63,0 60 49,8 48,2 50 46,8 44,2 44,8 43,8 40 36,6 34,0 31,1 30 24,7 20 17,4 16,1 8,1 10 5,1 5,9 3,2 3,7 1,7 0,4 0,3 0,6 0,4 0 SARESP 07 SAEB 2005 SP SARESP 07 SAEB 20 05 SP SARESP 07 SAEB 2005 SP Abaixo do Básico Básico Ade quado Avançado 5.2. Resultados da Redação Os resultados da redação foram distribuídos numa escala com indicação dos diferentes níveis de desempenho, nos seguintes intervalos: Tabela 10 - Níveis de desempenho na Redação Saresp 2007 Níveis Escala Abaixo do Básico < 50 Básico Entre 50 e 65 Adequado Entre 65 e 90 Avançado Entre 90 e 100 Página 25 de 27
  26. 26. GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SARESP 2007 – SUMÁRIO EXECUTIVO A descrição dos pontos da escala de redação é a mesma para o Ensino Fundamental e Médio, entretanto devem ser consideradas as diferentes expectativas em relação aos textos produzidos pelos alunos nas respectivas séries e os gêneros produzidos. As competências avaliadas no Saresp / 2007 foram: o COMPETÊNCIA I – Tema - Desenvolver o texto, de acordo com as determinações temáticas e situacionais da proposta de redação. o COMPETÊNCIA II – Gênero - Mobilizar, no texto produzido, os conhecimentos relativos aos elementos organizacionais do gênero. o COMPETÊNCIA III – Coesão / Coerência - Organizar o texto de forma lógica e produtiva, demonstrando conhecimento dos mecanismos lingüísticos e textuais necessários para sua construção. o COMPETÊNCIA IV – Registro - Aplicar as convenções e normas do sistema da escrita. o COMPETÊNCIA V – Proposição - Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, demonstrando um posicionamento crítico e cidadão a respeito do tema. (competência avaliada, apenas, no Ensino Médio) Tabela 11 – Distribuição dos alunos nos níveis de desempenho na Redação Saresp 2007 Níveis Intervalo de notas 4ª EF 6ª EF 8ª EF 3ª EM Abaixo do <50 23,8 19,1 15,7 18,2 Básico Básico Igual a 50 e menor que 65 24,1 32,8 28,7 28,4 Adequado Igual 65 e menor do que 90 25,8 32,0 35,1 35,6 Avançado De 90 até 100 17,7 13,1 17,6 14,3 Página 26 de 27
  27. 27. GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SARESP 2007 – SUMÁRIO EXECUTIVO 6. ANEXOS ANEXO I Descrição das escalas de proficiência das 1ª e 2ª séries do EF ANEXO II Descrição das escalas de proficiência do Saresp 2007 ANEXO III Exemplos de itens localizados em diferentes pontos das escalas de proficiência – Saresp 2007 ANEXO IV Descrição da escala da Redação Página 27 de 27

×