15 Imun NãO Esp

3.308 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Negócios
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.308
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
26
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
140
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

15 Imun NãO Esp

  1. 1. IMUNIDADE E CONTROLO DE DOENÇAS POSSUIMOS UM SISTEMA IMUNITÁRIO PORQUE NÃO SUCUMBIMOS? CEM MIL MILHARES DE MILHÃO
  2. 2. A MAIORIA NÃO É PERIGOSA, MAS MUITOS SÃO SERES PATOGÉNICOS, PROVOCAM DOENÇAS 1430 AGENTES BIOLÓGICOS PATOGÉNICOS: 220 VÍRUS, 540 BACTÉRIAS, 310 FUNGOS, 70 PROTOZOÁRIOS E 290 VERMES
  3. 3. Vírus SERES ACELULARES PARASITAS INTRACELULARES OBRIGATÓRIOS São exemplos de doenças causadas por vírus a: raiva , rubéola , sarampo , hepatite , poliomielite , febre amarela . Também há a gripe , que é causada por uma variedade de vírus; a varicela ; varíola ; meningite víral ; a SIDA , que é causada pelo HIV . Recentemente foi demonstrado que o cancro cervical é causado em parte pelo papilomavirus , representando a primeira evidência significante em humanos para uma ligação entre cancro e agentes virais.
  4. 4. INCAPAZES DE REALIZAR ACTIVIDADES METABOLICAS AUTÓNOMAS INCAPAZES DE SE REPRODUZIREM ASSUMEM O COMANDO DA MAQUINARIA METABÓLICA DA CÉLULA HOSPEDEIRA PARA SE REPRODUZIREM Vírus
  5. 5. Vírus: seres vivos ou seres não vivos? Vírus não têm qualquer actividade metabólica quando fora da célula hospedeira : eles não podem captar nutrientes, utilizar energia ou realizar qualquer actividade biossintética. Eles obviamente reproduzem-se, mas de forma diferente de células , crescem, duplicam seu conteúdo para então dividir-se em duas células filhas, os vírus replicam-se através de uma estratégia completamente diferente : eles invadem células, o que causa a dissociação dos componentes da partícula víral; esses componentes então interagem com o aparelho metabólico da célula hospedeira, subvertendo o metabolismo celular para a produção de mais vírus. Porque não têm metabolismo próprio, são considerados “ partículas infecciosas ”.
  6. 6. Vírus: assumem o comando da maquinaria metabólica da célula hospedeira para se reproduzirem, como o fazem? Utilizam os organelos da célula invadida e as reservas bioquímicas da mesma para a produção de proteínas e ácidos nucleicos virais, formando novos vírus.
  7. 7. BACTÉRIAS PATOGÉNICAS - São células procarióticas; - Muitas bactérias contêm plasmídeos; - Podem reproduzir-se automaticamente; - A reprodução realiza-se, habitualmente, por divisão binária.
  8. 8. BACTÉRIAS PATOGÉNICAS Invadem o citoplasma das c é lulas onde se alimentam e multiplicam , conduzindo à destrui ç ão das c é lulas hospedeiras . Outras produzem TOXINAS que provocam a altera ç ão do metabolismo normal das c é lulas ou a sua MORTE .
  9. 9. COMO PODE O ORGANISMO HUMANO DEFENDER-SE DESTES MICRORGANISMOS? “ CONTACTAMOS, DIARIAMENTE COM MUITOS MILHÕES DE MICRORGANISMO” SISTEMA IMUNITÁRIO 1. ÓRGÃOS LINFÓIDES, PRIMÁRIOS E SECUNDÁRIOS 2. CÉLULAS EFECTORAS (ex.: LEUCÓCITOS) 3. PROTEÍNAS SOLÚVEIS
  10. 10. SISTEMA IMUNITÁRIO CÉLULAS EFECTORAS (LEUCÓCITOS, MACRÓFAGOS E PLASMÓCITOS ) DIFERENCIAÇÃO E MATURAÇÃO DESENVOLVIMENTO DA RESPOSTA IMUNITÁRIA
  11. 11. Linfa, origem ? destino ? SISTEMA IMUNITÁRIO
  12. 12. Linfa circulante Linfa intersticial permite aumentar eficácia dos sistemas circulatórios FORMAÇÃO DA LINFA O fluído (linfa) dos tecido que não volta aos vasos sanguíneos é drenado para os capilares linfáticos existentes entre as células. Estes ligam-se para formar vasos maiores, que desembocam em veias que chegam ao coração. Sangue arterial Sangue venoso PLASMA PLASMA 98%
  13. 13. A linfa , a caminho do sangue, circula pelo interior dos gânglios , onde é filtrada . Partículas como vírus, bactérias e resíduos celulares são fagocitadas pelos linfócitos existentes nos gânglios linfáticos. Funcionamento dos Gânglios Linfáticos válvulas unidireccionais que impedem o refluxo
  14. 14. Filtragem nos nódulos linfáticos filtração mecânica filtração biológica Reticuloendothelial cell
  15. 15. 4- e ainda ser capaz de reconhecer sinais de perigo , como, por exemplo, quando ocorrem lesões que conduzem à destruição de tecidos e/ou células . Esta destruição liberta proteínas resultantes da desagregação das membranas celulares , que vão conduzir a uma resposta do sistema imunitário. É um conjunto de moléculas, células, tecidos e órgãos capaz de reconhecer os elementos “ próprios ” e “ estranhos ” ao organismo e de desenvolver uma defesa do organismo contra: 1- agentes agressores externos biológicos ( microrganismos ); 2- agentes agressores externos químicos ( toxinas ); 3- agentes internos, células não funcionais, envelhecidas e anormais ( cancerosas ), do próprio organismo; MISSÃO DO SISTEMA IMUNITÁRIO: RECONHECER E DEFENDER
  16. 16. MISSÃO DO SISTEMA IMUNITÁRIO: RECONHECER E DEFENDER Mas existem casos em que o organismo se volta contra si próprio . Isto acontece quando há uma deficiência no sistema imunitário , e o organismo deixa de reconhecer algumas substâncias como próprias , passando a tratá-las como estranhas, destruindo-as . Estes casos designam-se de doenças auto-imunes . Lúpus Artrite reumatóide
  17. 17. CÉLULAS EFECTORAS DO SISTEMA IMUNITÁRIO: LEUCÓCITOS bilobados polilobados “ S” irregular polilobado “ rim” Caracterização quanto ao núcleo Caracterização quanto ao citoplasma circulantes de vida curta não-circulantes de vida longa mononucleares
  18. 18. B T NK 1-3% ; 3-5 dias 55-65%; 1-3 dias 1-2%; 9-18 meses 3-6%; 3-10 meses 25-35% Fagócitos CÉLULAS EFECTORAS DO SISTEMA IMUNITÁRIO: LEUCÓCITOS Macrófagos (tecidos) defesa de corpos estranhos Plasmócitos (anticorpos) Anti-parasitas 1ª linha de defesa Anti-inflamatória (histamina) Megacariócitos Nota: três tipos de proteínas fazem parte do sistema imunológico, anticorpos, citoquinas, proteínas do s.c.
  19. 19. As três categorias de células imunológicas são: 1. Granulócitos (Eos., Bas., Neutrófilos) 2. Monócitos  Macrófagos 3. Linfócitos (B, T, NK) SISTEMA IMUNOLÓGICO: SÍNTESE Os três tipos de proteínas que fazem parte do sistema imunológico são: 1. Imunoglobulinas/anticorpos (libertadas por linfócitos B) 2. Citoquinas (ex.: interferão, libertadas por linfócitos, macrófagos) 3. Proteínas do sistema de complemento (fígado) Consiste de seis componentes principais , dos quais três são diferentes tipos de células , e os outros três são proteínas solúveis .
  20. 20. SÍNTESE: CÉLULAS DO SANGUE E DO SISTEMA IMUNITÁRIO
  21. 21. Leucócitos/G.Brancos Granulócitos Agranulócitos Eosinóflos/Acidófilos Basófilos Neutrófilos Monócitos Monócitos  Macrófagos Linfócitos (B, T, NK) Linfócitos B  Plasmócitos Mastócitos SÍNTESE: CÉLULAS DO SISTEMA IMUNITÁRIO
  22. 22. SISTEMA IMUNITÁRIO IMUNIDADE INATA ou NATURAL Actua de igual forma qualquer que seja o agente agressor, comum a todos os seres multicelulares IMUNIDADE ADQUIRIDA ou ADAPTATIVA Adquirida mais tarde na evolu ç ão das esp é cies, s ó aparecendo nos vertebrados
  23. 23. IMUNIDADE INATA ou NATURAL IMUNIDADE ADQUIRIDA ou ADAPTATIVA Mucina Lisozima pH=3-5 HCl,pH=1-2 F Í SICAS ou ANAT Ó MICAS LINHAS DE DEFESA DO ORGANISMO 1ª linha de defesa 2ª linha de defesa 3ª linha de defesa NK
  24. 24. FAGOCITOSE DEFESA NÃO ESPECÍFICA: 2ª LINHA 1 2 3 4 (Fagossoma)
  25. 25. FAGOCITOSE
  26. 26. QUE FENÓMENOS OCORREM NA RESPOSTA INFLAMATÓRIA? Análise da figura 23 da página 166 e resolução de questionário 4 OBJECTIVO: INACTIVAR E DESTRUIR AGENTES INVASORES QUIMIOTAXIA DIAPEDESE Neutrófilo/Monócito 30-60 min. FAGOCITOSE LEUCÓCITOS: QUIMIOTAXIA  DIAPEDESE  FAGOCITOSE Monócitos  Macrófagos Pus  Abcesso
  27. 27. OBJECTIVO: INACTIVAR E DESTRUIR AGENTES INVASORES NÃO CONSEGUIDO RESPOSTA INFLAMATÓRIA LOCAL FALHOU RESPOSTA SISTÉMICA 1. FEBRE ( ESTIMULA A FAGOCITOSE E INIBE MULTIPLICAÇÃO DE MICRORGANISMOS ) 2. PROLIFERAÇÃO DE LEUCÓCITOS EM CIRCULAÇÃO
  28. 28. RESPOSTA INFLAMATÓRIA, LOCAL E SISTÉMICA CALOR RUBOR EDEMA SENSIBILIDADE DOR HISTAMINA
  29. 29. RESPOSTA INFLAMATÓRIA C. R. E. S. D. Pus  Abcesso
  30. 30. RESPOSTA SISTÉMICA MECANISMO DA FEBRE Agentes patogénicos Toxinas Leucócitos Pirógenos + + + + + + Hipotálamo T FEBRE + 42ºC MORTE - 42ºC +++ DEFESA Febre: (1) acelera reacções bioquímicas, (2) promove a fagocitose e a (3) reparação de tecidos, (4) inibe a multiplicação de agentes patogénicos.
  31. 31. ACÇÃO ANTIVIRAL DO INTERFERÃO 1. Com base na interpretação do esquema, procure descrever a forma de actuação do interferão. 2. Comente a afirmação: “O interferão não tem uma acção antiviral directa.” 2 3 4 5 6 1
  32. 32. Interferão Ribossoma RNA Viral DNA Viral Proteína Inibidora da Replicação Proteína Inibidora da Tradução ACÇÃO ANTIVIRAL DO INTERFERÃO “ O interferão não tem uma acção antiviral directa e específica. ” Comente. Sinal estimulador da Transcrição Activação do gene mRNA Tradução do gene
  33. 33. X Y Y ACÇÃO ANTIVIRAL DO INTERFERÃO
  34. 34. ACÇÕES DO SISTEMA DE COMPLEMENTO +20 proteínas produzidas no fígado Cascata de reacções Acções não específicas Opsonização +
  35. 35. ACÇÕES DO SISTEMA DE COMPLEMENTO Revestimento da superfície do alvo com a proteína Opsonina , permitindo o reconhecimento e a sua fagocitose Proteínas – perforinas criam poros Este sistema é constituído por cerca de 20 proteínas no estado inactivo que se encontram em maior concentração no plasma sanguíneo e também nas membranas celulares .
  36. 36. Células NK (natural killer) resposta imunitária inespecífica As células Natural Killer (NK) são linfócitos que não são específicos de antigénios e que reconhecem células estranhas de diferentes tipos . Estas células são uma importante linha de defesa contra células malignas (tumores) e contra células infectadas com vírus, bactérias e protozoários . Libertam mediadores químicos (perforinas) e grânulos líticos que matam as células malignas e infectadas , por lise celular ( apoptose ).
  37. 37. 3ª LINHA - DEFESA ESPECÍFICA / ADQUIRIDA 1ª LINHA - DEFESA NÃO ESPECÍFICA / INATA 2ª LINHA - DEFESA NÃO ESPECÍFICA / INATA Pele, mucosas, cílios e secreções Fagocitose, resposta inflamatória, sistema de complemento e células NK SISTEMA IMUNITÁRIO Imunidade humoral ou mediada por anticorpos Imunidade celular ou mediada por células Reconhecimento  Reacção  Acção

×