Apres.cif cj [modo de compatibilidade]

878 visualizações

Publicada em

Apresentação da CIF-CJ

  • Seja o primeiro a comentar

Apres.cif cj [modo de compatibilidade]

  1. 1. Pequena abordagem à CIF-CJ
  2. 2. O que é a CIF? Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde Funcionalidade e incapacidade associadas aos estados de saúde e aos fatores ambientais que podem funcionar como facilitadores ou barreiras à participação
  3. 3. O que é a CIF? A introdução da classificação dos fatores ambientais, quer em termos de barreiras quer como elementos facilitadores da participação social, assumem um papel relevante dado que é premissa fundamental deste modelo o reconhecimento da influência do meio ambiente, como elemento facilitador ou como barreira, no desenvolvimento, funcionalidade e participação da pessoa com incapacidade.
  4. 4. O que é a CIF? A CIF introduz uma mudança radical de paradigma: “do modelo puramente médico para um modelo biopsicossocial e integrado da funcionalidade e da incapacidade humana” sintetizando o modelo “médico” e o modelo “social” numa visão “coerente” das diferentes perspetivas de saúde: biológica, individual e social”.
  5. 5. A CIF foi… Aprovada pela OMS (Organização Mundial de Saúde), em Maio de 2001 Versão Portuguesa de 2003 Versão CIF-CJ, 2007
  6. 6. Classificação Multidimensional e Interativa Processo que subdivide, agrupa e codifica, através da atribuição de um código alfanumérico, de modo a obter um quadro compreensivo da pessoa. O papel da CIF é o de descrever e não o de rotular ou medir. Trata-se de um esquema de classificação multidimensional e interativo que não classifica a pessoa, passando antes a interpretar as suas caraterísticas, nomeadamente: as estruturas e funções do corpo; a interação pessoa/meio (atividades e participação); as caraterísticas do ambiente físico e social (fatores contextuais – pessoais). A CIF permite descrever o estatuto funcional da pessoa não se centrando nos aspetos negativos.
  7. 7. Conceito de Saúde segundo a OMS A saúde não diz respeito apenas a alguma parte da pessoa (fígado, pulmões,…) mas à pessoa como um todo; A saúde está essencialmente ligada ao funcionamento humano a todos os níveis (biológico, pessoal e social); A saúde não está separada do contexto ou ambiente e o ambiente interage com a saúde; A saúde é definida como uma condição de completo bem estar físico, mental, social e não somente como ausência de doença.
  8. 8. Porque surgiu a CIF-CJ? Para proporcionar uma linguagem comum unificada e padronizada, que permita tornar mais eficaz a comunicação entre os serviços de saúde, sociais e de educação, assim como uma estrutura de trabalho para a descrição da saúde e de estados relacionados com a saúde.
  9. 9. CIF: uma linguagem comum unificada Funções do corpo: funções fisiológicas dos sistemas orgânicos incluindo as funções psicológicas. Estruturas do corpo: partes anatómicas do corpo, tais como órgãos, membros e seus componentes. Deficiências: são problemas nas partes anatómicas do corpo, tais como órgãos, membros e seus componentes. Atividade: execução de uma tarefa ou ação , por um indivíduo, representa a perspetiva individual da funcionalidade. Participação: envolvimento de um indivíduo numa situação de vida real; representa a perspetiva social da funcionalidade.
  10. 10. CIF: uma linguagem comum unificada Limitações da atividade: dificuldades que um indivíduo pode ter na execução de tarefas. Restrições de participação: problemas que um indivíduo pode enfrentar quando está envolvido em situações de vida real. Fatores ambientais: ambiente físico, social e atitudinal em que as pessoas vivem e conduzem as suas vidas.
  11. 11. Para que serve a CIF? Graças a este instrumento é possível descrever: A Funcionalidade - Aspeto positivo entre as funções e estruturas do corpo e os fatores contextuais (ambientais e pessoais) O QUE UMA PESSOA É CAPAZ DE FAZER A Incapacidade - Aspecto negativo da interação entre as funções e estruturas do corpo e os fatores contextuais (ambientais e pessoais) O QUE UMA PESSOA TEM DIFICULDADE DE FAZER NO SEU AMBIENTE A presença ou ausência de deficiência nas funções ou estruturas do corpo Fatores contextuais – a influência positiva ou negativa que o ambiente em que a pessoa vive pode ter no funcionamento dessa pessoa.
  12. 12. Modelo biopsicossocial A CIF é caracterizada por um conjunto de categorias agrupadas segundo o critério fornecido pelo modelo biopsicossocial. Este modelo representa uma nova forma de olhar para uma pessoa com uma determinada condição de saúde. A pessoa é avaliada do ponto de vista médico mas também do ponto de vista social. Toma em consideração não só os aspetos médicos ligados à presença de uma condição de saúde mas também os aspectos sociais, ou seja o contexto social em que a pessoa vive.
  13. 13. Modelo biopsicossocial Condições de Saúde (perturbação/doença) Funções e estruturas do corpo Fatores ambientais Participação Fatores pessoais
  14. 14. Modelo biopsicossocial Condições de Saúde (perturbação/doença) Funções e estruturas Participação Funcionalidade e Incapacidade do corpo Fatores ambientais Fatores pessoais
  15. 15. Modelo biopsicossocial Funcionalidade e Incapacidade Funções e estruturas do corpo Atividade Participação
  16. 16. Com que pessoas se usa a CIF? A CIF pode ser usada com pessoas de qualquer idade, do nascimento à idade adulta, para descrever a presença ou ausência de deficiência nas funções e estruturas do corpo, o funcionamento, a incapacidade e o contexto da pessoa que apresenta uma modificação nas condições de saúde.
  17. 17. Quais os profissionais que usam a CIF? A CIF pode ser usada por profissionais de saúde, da segurança social, da educação, ou seja, todos os profissionais que intervêm com pessoas que apresentam condições especiais de saúde. Pode ser utilizada por um único profissional, mas é preferível ser usada num contexto multidisciplinar, o que permite delinear mais claramente o funcionamento e incapacidade de uma pessoa.
  18. 18. Quais os setores que usam a CIF? Saúde Segurança Social Educação Investigação Estatística Trabalho Economia
  19. 19. Quais os sectores que usam a CIF-CJ? No âmbito SOCIAL e EDUCATIVO A CIF tem sido utilizada como instrumento para a preparação do currículo escolar e da melhoria da qualidade de vida e promoção da igualdade de oportunidades da pessoa com incapacidade. A CIF apresenta-se como uma mais valia, possibilitando a descrição sistemática dos factores ambientais, alguns dos quais relevantes para a educação, nomeadamente produtos e tecnologia, infraestruturas educativas acessíveis, apoio e relacionamentos (incluindo família e prof.), atitudes (incluindo as atitudes dos prof. de Ed. Especial) e serviços, sistemas e políticas. Torna-se difícil apoiar o ponto de vista de que a CIF não é relevante para a Educação, considerando que a participação na Educação é um dos aspetos mais importantes da vida em comunidade para as crianças e os jovens (CJ).
  20. 20. Incapacidade segundo a CIF-CJ O termo incapacidade tem, a partir da CIF, um novo significado, correspondendo a uma noção mais complexa e abrangente que engloba os diferentes níveis de limitações funcionais relacionados com a pessoa e o ambiente, deixando de se reportar apenas às limitações da pessoa, resultantes de uma deficiência como acontecia na classificação anterior, de 1980 (Classificação Internacional das Deficiências, Incapacidades e Desvantagens). A incapacidade é o resultado de uma interação entre a condição de saúde de um indivíduo, os factores pessoais e as caraterísticas físicas, sociais e atitudinais do contexto. A incapacidade reporta-se à disfuncionalidade no conjunto dos seus diferentes níveis, deficiências, limitações na atividade e restrições de participação e não apenas a um dos aspetos. A incapacidade é o termo genérico adotado pela CIF para se referir ao estatuto funcional da pessoa expressando aspectos negativos da interação entre o indivíduo e o seu meio físico e social.
  21. 21. Componentes da CIF-CJ Funções e Estruturas do Corpo Actividades e Participação Factores Ambientais e Pessoais
  22. 22. Domínios da CIF-CJ Funções do corpo Estruturas do Corpo Funções mentais Funções sensoriais e dor Funções da voz e da fala Funções do aparelho cardiovascular, dos sistemas hematológico e imunológico e do sistema respiratório Funções do aparelho digestivo e dos sistemas metabólico e endócrino Funções genitourinárias e reprodutivas Funções neuromusculoesqueléticas Funções relacionadas c/ movimento Funções da pele e estruturas relacionadas Estrutura do sistema nervoso Olho, ouvido e estruturas relacionadas Estruturas relacionadas c/ voz e fala Estruturas do aparelho cardiovascular, dos sistemas hematológico e imunológico e do aparelho respiratório Estruturas relacionadas com o aparelho digestivo e sistemas metabólico e endócrino Estruturas relacionadas c/ o aparelho genitourinário e reprodutivos Estruturas relacionadas c/ movimento Pele e estruturas relacionadas
  23. 23. Domínios da CIF-CJ Atividades e Participação • • • • • • • • • Aprendizagem e aplicação de conhecimentos Tarefas e experiências gerais Comunicação Mobilidade Autocuidados Vida doméstica Interações e relacionamentos interpessoais Áreas principais da vida Vida comunitária social e cívica
  24. 24. Domínios da CIF-CJ Fatores Ambientais • Produtos e tecnologias Fatores Pessoais • Género • Idade • Ambiente natural e mudanças ambientais feitas pelo homem • Estilo de vida • Apoio e relacionamento • Nível social • Atitudes • Profissão • Experiência de vida • Serviços, sistemas e políticas • Caráter • Caraterísticas individuais
  25. 25. Estrutura da CIF-CJ CIF Funcionalidade e Incapacidade Funções e Estruturas do corpo Funções do Corpo Fatores Contextuais Atividades e Participação Estruturas do Corpo Áreas Vitais (tarefas, acções) Fatores Ambientais Influências Externas Fatores Pessoais Influências Internas
  26. 26. Estrutura da CIF-CJ CIF Funcionalidade e Incapacidade Funções e Estruturas do corpo Fatores Contextuais Actividades e Participação Factores Ambientais Exemplo Funções sensoriais e de dor Factores Pessoais Capítulo Funções visuais Qualidade da visão Categoria Categoria Sensibilidade ao contraste Categoria
  27. 27. Estrutura da CIF-CJ b – funções do corpo s – estruturas do corpo d – atividades e participação (pode ser substituído por a ou por p) e – factores ambientais 1º código numérico (um dígito) – capítulo 2º código numérico (dois dígitos) – categoria 3º código numérico (um dígito) – subcategoria Exemplo Funções sensoriais e de dor b2 Funções visuais Qualidade da visão b210 b2102 Sensibilidade ao contraste b21021
  28. 28. Estrutura da CIF b – funções do corpo s – estruturas do corpo d – atividades e participação (pode ser substituído por a ou por p) e – fatores ambientais Outro Exemplo 1º código numérico (um dígito) – capítulo 2º código numérico (dois dígitos) – categoria 3º código numérico (um dígito) – subcategoria Aprendizagem e aplicação de conhecimentos d1 Resolver problemas Resolver problemas complexos d175 d1751
  29. 29. Estrutura da CIF b – funções do corpo s – estruturas do corpo d – atividades e participação (pode ser substituído por a ou por p) e – fatores ambientais Outro Exemplo 1º código numérico (um dígito) – capítulo 2º código numérico (dois dígitos) – categoria 3º código numérico (um dígito) – subcategoria e4 Atitudes Atitudes dos profissionais de saúde e450
  30. 30. Utilização da CIF Exemplo Capítulo 1 Funções Mentais (Funções Mentais Específicas) b140 – Funções da atenção b1400 – manutenção da atenção b1401 – mudança da atenção b1402 – divisão da atenção b1403 – partilha da atenção b1408 – funções da atenção, outras especificadas b1409 – funções da atenção, não especificadas
  31. 31. CIF – versão para crianças e jovens Exemplos de novas categorias Funções do Corpo b1473 – dominância manual b1401 – dominância lateral Atividade e Participação d131 – aprender através da ação e brincar d133 – aquisição da linguagem d137 – aquisição de conceitos d331 – pré conversação d5500 – expressar a necessidade de comer Fatores ambientais e1271 – produtos e tecnologias para brincar
  32. 32. Atividade e Participação Capítulo 1 – Aprendizagem e aplicação de conhecimentos Capítulo 2 – Tarefas e experiências gerais Capítulo 3 – Comunicação Capítulo 4 – Mobilidade Capítulo 5 – Auto cuidados Capítulo 6 – Vida doméstica Capítulo 7 – Interações e relacionamentos interpessoais Capítulo 8 – Áreas principais da vida Capítulo 9 – Vida comunitária social e cívica
  33. 33. Fatores Ambientais Capítulo 1 – Produtos e tecnologias Capítulo 2 – Ambiente natural e mudanças ambientais feitas pelo homem Capítulo 3 – Apoio e relacionamentos Capítulo 4 – Atitudes Capítulo 5 – Serviços sistemas e políticas
  34. 34. Utilização da CIF - QUALIFICADORES XXX.0 XXX.1 XXX.2 XXX.3 XXX.4 NENHUM problema Problema LIGEIRO Problema MODERADO Problema GRAVE Problema COMPLETO Funções e estruturas do corpo Qualificador com Escala negativa Deficiência ( . ) Atividade e Participação Qualificador com Escala negativa Limitação Restrição ( . ) Fatores Ambientais Qualificador com Escala negativa e positiva Barreira ( . ) Facilitador ( + )
  35. 35. Utilização da CIF - QUALIFICADORES XXX.0 XXX.1 XXX.2 XXX.3 XXX.4 NENHUMA dificuldade Dificuldade LIGEIRA Dificuldade MODERADA Dificuldade GRAVE Dificuldade COMPLETA Atividades e participação Qualificador com Escala negativa Limitação / Restrição ( . )
  36. 36. Utilização da CIF-CJ QUALIFICADORES XXX.0 XXX.1 XXX.2 XXX.3 XXX.4 NENHUMA barreira Barreira LIGEIRA Barreira MODERADA Barreira GRAVE Barreira COMPLETA XXX+0 XXX+1 XXX+2 XXX+3 XXX+4 NENHUM facilitador Facilitador LIGEIRO Facilitador MODERADO Facilitador GRAVE Facilitador COMPLETO Fatores Ambientais Qualificador com Escala negativa e positiva Barreira ( . ) Facilitador ( + )
  37. 37. Pequena abordagem à CIF-CJ A preparação e organização desta pequena abordagem à CIF é da responsabilidade da Professora de Educação Especial Mª Teresa Guardão Martins Com suporte na documentação fornecida pela dgidc. 2013 / 14

×