Tecnicas de Negociação

10.065 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
10.065
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
140
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tecnicas de Negociação

  1. 1. 1 Curso Superior Tecnologia em Logistica Atividade Prática Supervisionada Disciplina: Técnicas de Negociação OSASCO, 2014 FACULDADE ANHANGUERA DE OSASCO
  2. 2. 2 Atividade Prática Supervisionada Disciplina: Técnicas de Negociação Jéssica Maria da Silva R.A 8208944810 Victor Sampaio Florêncio R.A 9902007190 Ednon Pereira da Silva R.A 8075854549 Marcus Aurélio Sampaio Azevedo R.A 8073851899 Alex Bezerra da Silva Martins R.A 9902002228 Marco Rodrigo de Oliveira R.A 8409154608 Atividade Pratica Supervisionada apresentada ao Curso Superior de Tecnologia em Logistica da Universidade Anhanguera Educacional, como requisito para a avaliação da Disciplina Técnicas de Negociação para obtenção e atribuição de nota da Atividade Avaliativa, ministrada pela professora Sandra. OSASCO, 2014 FACULDADE ANHANGUERA DE OSASCO
  3. 3. 3 SUMÁRIO Introdução.......................................................................................................................04 Conceitos de Negociação dos Doutrinadores..................................................................05 Outros Conceitos de Negociação de Doutrinadores........................................................06 Relatório..........................................................................................................................07 Conceitos de Negociação: Outras Fontes........................................................................08 Como conseguir sucesso em uma negociação? Que habilidade são essenciais? Qual o papel do negociador neste processo.................................................................................10 Relatorio..........................................................................................................................11 Em grupo, faça uma lista de situações (encontradas no filme escolhido e assistido) que tratam do tema planejamento da negociação, e/ou envolvem condutas éticas e antiéticas na negociação, conforme foram vistas no passo 2 dessa etapa.......................................12 Roteiro Preparatorio de Perguntas para Prosposta Salariais............................................13 Considerações Finais.......................................................................................................17 Referencias Bibliográficas...............................................................................................18
  4. 4. 4 INTRODUÇÃO Atualmente a negociação vem sendo muito discutida e tem recebido muito atenção de diversos autores, alguns deles acreditam que a negociação depende de várias teorias, que devem ser aprendidas antes de serem praticadas. É unânime a opinião a respeito da existência de um conjunto de características que formam o perfil do negociador. Há a necessidade de entender quais são essas características, precisa-se concentrar nas ideias, discutir proposições, dar alternativa a outra parte, ter objetividade no resolver dos problemas, apresentar propostas concretas, saber falar e ouvir, colocar-se no lugar do outro, saber separar os relacionamentos pessoais dos interesses, entender e interpretar o comportamento das pessoas. Toda negociação tem um ou mais objetivos e estes objetivos podem ser categorizados como ideais, realistas e prioritários. Os objetivos ideais são os que poderiam ser concretizados caso o outro lado estivesse de acordo com o que foi pedido. Todas as partes na negociação podem oferecer resistência aos objetivos realistas de umas das partes e através de negociações cansativas e estressantes, procura-se atingir um consenso sobre o que é prioridade de ambos os lados. A negociação é o uso das informações e do poder com o fim de influenciar as partes envolvidas. A negociação também é um processo de comunicação bilateral com o objetivo de chegar a uma conclusão satisfatória. É uma troca de convencimentos onde uma parte tem o objetivo de entender a outra com as mesmas idéias e necessidades. A negociação como um processo de comunicação baseado na coragem de enfrentar desafios em um mundo globalizado, exige cada vez mais destes profissionais habilidades muito mais complexas, fica evidente a necessidade de que o bom negociador além de promover estudos acerca da negociação, do objeto negociado e dos indivíduos com os quais se dará a negociação, realize um levantamento de hipóteses e probabilidades que podem ocorrer durante o processo, ou seja, que o negociador prepare-se e efetue um planejamento estabelecendo objetivos. O negociador ao se apresentar à uma negociação munido das possibilidades que podem ocorrer durante e ao final do processo já tem ciência de que ao final da exposição e aceitação de ideias pode lhe ocorrer uma resposta negativa da outra parte, e dessa maneira, tendo estudado as probabilidades da negociação, certamente não sofrerá um impacto surpresa tão forte quanto sofreria caso já não tivesse cogitado tal hipótese, e tampouco sofrerá impactos com relação à negociação de modo que prejudique o resultado final do processo, visto que em uma negociação existem lados opostos com interesses conflitantes, onde o êxito está diretamente ligado, em maior proporção, ao esforço do negociador. A negociação como um processo de comunicação bilateral, tem como objetivo chegar a uma decisão conjunta, cujo principio básico para o sucesso é que as partes envolvidas cheguem a uma solução aceitável, ou seja, há que se ter criatividade para se tentar encontrar soluções, possuir capacidade de avaliar e tomar decisões, e, dessa forma, um negociador preparado e ciente das probabilidades de resolução do processo, não só é capaz de prosseguir com o processo de negociação sem sentir impactos como também tem a capacidade de desenvolver argumentos fortes e fidedignos para expor à outra parte, a fim de convencê-la acerca de seu ponto de vista, ou até os desenvolve previamente durante sua fase de estudo sobre o negócio e o negociador da outra parte. Neste caso a negociação tem grandes chances de ser bem sucedida caso o negociador souber vender sua imagem e força de trabalho adequadamente. Palavras Chaves: Negociação, Comunicação e Globalização Comportamental. Conceitos de Negociação dos Doutrinadores
  5. 5. 5 Pessoa, Eliana; Segundo Pessoa, Eliana, a negociação é um fato quotidiano e inevitável na vida de todo o ser humano, principalmente no que diz respeito ao modo de vida moderna e contemporânea que vivemos nas cidades. A negociação torna-se produto de uma situação contraditória, em que é necessário tomar uma decisão sobre algo em que os direitos de outros estão diretamente envolvidos. Negociar não significa enfrentamento, mas harmonização de uma situação entre as partes, para que todos os envolvidos possam obter benefícios. Ainda segundo Pessoa, Eliana saber negociar neste ambiente global passa a ser uma característica essencial, uma vez que as mudanças organizacionais advindas da globalização modificam as estruturas, os processos e a cultura das organizações. Miranda (2000: 18); Segundo Miranda (2000: 18), afirma que há dois tipos de negociação; primeiro existem aquelas que nunca mais se repetem e a segunda a que apontam para um relacionamento duradouro. No inicial, pode prevalecer a competição; no secundário, porém, a cooperação é igualmente importante. Laurent; Segundo Laurent a manipulação é a disposição de alcançar os próprios objetivos utilizando essencialmente a palavra, sem se preocupar muito com a exigência de veracidade de seu conteúdo. Os Acordos variados direcionam os pontos das propostas que precisam obter o aceite das partes, o que se chama de “acordo”. São os pontos nos quais o entendimento pode e deve ser realizado. A Barganha é o ato de fazer e obter concessões das partes envolvidas. Ocorre de forma positiva quando as partes realizam trocas entre si. Já a Coerção é muito usada por quem detém um relativo poder sobre a outra parte em busca de um acordo forçado, beneficiando uma das partes. Ainda segundo Laurent, coloca que ameaças inconsequentes possuem a tendência de recair sobre você, especialmente quando empregadas contra partes cuja cooperação poderá lhe ser necessária em dada circunstância no futuro. A emoção está intimamente ligada a todas as atividades desenvolvidas. A emoção pode ser utilizada de forma positiva, se for racional e controlada, ou negativa, se não tiver nenhum controle. Já no raciocínio lógico a sua utilização possibilita a segurança de que a proposta apresentada está calçada em referências. Fischer; Para Fischer, coloca como sendo sete os elementos-chave em uma negociação. A primeira delas é As Alternativas; são possíveis ações que uma parte pode realizar sem entrar em acordo com as outras partes (diferente de opções, que requerem acordo). A segunda é As de Interesses; são as preocupações, desejos, necessidades, esperanças e temores subjacentes e motivadores das posições, exigências e pontos de vista das diferentes partes. A terceira é As Opções; são as possíveis maneiras de lidar com uma questão que requeira um acordo mútuo das partes, mesmo que não aceitável para elas. A quarta é A Legitimidade; é o critério pelo qual a justiça de um possível acordo pode ser medida. A quinta é Os Compromissos; são declarações do que a parte pretende fazer no futuro. A sexta é A Comunicação; são as mensagens e os meios pelos quais os negociadores trocam vinte e seis informações entre si. E a sétima é O Relacionamento; é o padrão de interação entre as partes, tanto no âmbito de uma negociação específica como fora dela.
  6. 6. 6 Outros Conceitos de Negociação dos Doutrinadores Cohen, 1980; "Negociação é o uso da informação e do poder com o fim de influenciar o comportamento dentro de uma rede de tensão”. Nierenberg, 1981; "Negociação é um processo que pode afetar profundamente qualquer tipo de relacionamento humano e produzir benefícios duradouros para todos os participantes”. Ury, 1985; "Negociação é um processo de comunicação bilateral, com o objetivo de se chegar a uma decisão conjunta”. Sparks, 1992; "Negociação implica caracteristicamente uma troca de dar e receber entre negociador e o oponente, que tentam chegar a uma conclusão agradável ou aceitável no ajuste de um problema ou disputa”. Acuff, 1993; “Negociação é o processo de comunicação com o propósito de atingir um acordo sustentável sobre diferentes ideias e necessidades". Steele, Murphy e Russill, 1995; "Negociação é um processo no qual as partes se direcionam de suas posições divergentes para um ponto em que se possa alcançar um acordo”. Hodgson, 1996; "Negociação é uma atividade que envolve um elemento de negócio ou barganha, que permite que ambas as partes alcancem um resultado satisfatório”. Scare e Martinelli, 2001; "Negociação é um conceito em contínua formação que está amplamente relacionado a satisfação de ambos os lados". Paulo Ricardo Mariotini, 2010; "Negociação é uma troca de convencimentos, onde uma parte persuade a outra apresentando os benefícios mais relevantes em relação ao ponto de vista defendido”. Relatório – Conceito de Negociação
  7. 7. São várias as definições existentes para as conceituações sobre negociação. Segundo Cohen (1980) “Negociação é um campo de conhecimento e empenho que visa à conquista de pessoas de quem se deseja alguma coisa”, isso demonstra que para o autor negociar tem como foco o interesse pessoal voltado para a satisfação de suas vantagens. Esse autor define também na negociação que é de fundamental importância o uso da informação e do poder, pois isso poderia influenciar na direção em que a negociação irá seguir. Manter-se informado numa negociação é muito importante, pois através delas os envolvidos têm base sobre os principais interesses e prioridades, isso possibilita ao negociador a obtenção de melhores resultados, pois o negociador estará bem mais preparado para elaborar adequadamente suas estratégias. Cohen (1980:51) define o poder como a capacidade de fazer com que as coisas sejam realizadas, de exercer controle sobre as pessoas, acontecimentos, situações e sobre si próprio. O poder na negociação pode permite influenciar as pessoas e alcançar os seus objetivos, com isso ele pode ser utilizado como uma estratégia onde a outra parte poderá ceder mais isso poderá fazer uma enorme diferença em uma negociação, quando o poder é posto numa situação como uso excessivo ela acaba se encaminhando para a negociação do tipo “ganha – perde”. Uma variável muito importante numa negociação é o tempo, para (Martinelli e Almeida, 1998), o tempo, deve ser cuidadosamente analisada, verificando-se como ela afeta o processo e transformando-o em ponto de apoio para projetar o negócio e alcançar a satisfação dos envolvidos. Além disso, o tempo pode ser um fator de pressão e limitação ao processo de negociação. Percebe-se que, conforme os prazos vão se esgotando, maior é a pressão do tempo, podendo gerar concessões para o fechamento do acordo. O tempo contribui muito para o sucesso ou fracasso de uma negociação, ele pode favorecer tanto um quanto o outro lado, isso vai depender das circunstâncias e da habilidade do negociador em lidar com essa variável. O conceito de negociação pode afetar qualquer tipo de relacionamento humano e produzir benefícios duradouros para todos os participantes (Nierenberg, 1968 apud Martinelli e Almeida, 1998). O conceito dado por esses autores demonstram a negociação do tipo ganha-ganha onde se deve focar nos interesses e ideias de ambos participantes para que a negociação seja produtiva. Cada negociação tem suas características. Ela pode ser de forma competitiva onde se tem a necessidade de obter vantagens financeiras, ou na forma cooperativa que se tem a necessidade de preservar o relacionamento, mas continua tendo a necessidade de obter vantagens financeiras. Com isso os negociadores devem planejar estratégias que se baseiam na competição e na cooperação. A estratégia e fundamental para alcançar resultados mais elevados na negociação. O planejamento da negociação implica em estabelecer um objetivo a ser alcançado, serve como referência para se chegar a uma decisão, assim o negociador planeja a sua estratégia com base em todas as informações possíveis. As habilidades também é fator muito importante no processo da negociação, o negociador tem que ter visão do negócio para alcançar os seus objetivos. Cada negociador tem que desenvolver as suas habilidades, entre elas se destaca a habilidade de interpretar o comportamento, saber ouvir e ter consciência da negociação para se chegar ao seu objetivo. Leva-se em consideração que a questões da ética definem como respeito, as regras, os padrões e princípios morais, a ética é essencial na construção de 7
  8. 8. relacionamentos em longo prazo, na confiança e no comprometimento do negócio. Nas negociações mais complexas ocorre o envolvimento de uma terceira pessoa, quando isso acontece, se torna fundamental para se alcançar uma negociação ganha-ganha, pois essa terceira pessoa pode ajudar ambos os lados. A identificação das características psicológicas das pessoas faz com que o negociador se torne um profissional mais preparado quando desenvolve o seu sentido de reconhecer ações e reações da outra parte. A negociação deve ser vista de um ponto de vista sistêmico, pois deve ser considerada a importância de saber lidar com as diferentes visões de mundo dos participantes, tornando a negociação evolutiva. 8 Definições de Negociação: Outras Fontes Diariamente as pessoas discutem negócios e chegam a acordos satisfatórios sem negociar. A negociação é necessária quando duas ou mais partes se defrontam com diferenças de objetivo ou de ponto de vista. Em decorrência destas diferenças, a negociação envolve um componente fundamental movimento. O objetivo aqui consiste em induzir a outra parte a deslocar-se de sua posição original em direção a novos objetivos. Trata-se do planejamento inicial com a finalidade de obter o máximo de dados e informações a respeito da outra parte, como: histórico das relações; objetivos ideais e reais; presunção da necessidade; planejamento de concessões; conflitos potenciais; expectativas positivas. As diversas opiniões sobre o assunto negociação possuem inúmeras correntes e teorias administrativas abordadas pelos pesquisadores clássicos e humanistas foram amplamente criticadas por ignorarem o relacionamento entre a organização e seu ambiente externo. Em resposta a essa critica os estudiosos da administração, aproximadamente em 1950, voltaram-se para os detalhes da organização para tentar entende-la como um sistema total. Esses esforços eram baseados em uma abordagem cientifica chamada teoria dos sistemas (TS). A perspectiva de sistemas surgiu de uma percepção dos cientistas de que certos princípios e conclusões eram validos e aplicáveis a diferentes ramos da ciência. O biólogo Ludwig Von Bertalanffy lançou, em 1937, as bases da teoria dos sistemas (TS), decorrente do seu estudo sobre o metabolismo, o crescimento e a biofísica do organismo. Para ele, um sistema poderia ser definido como um conjunto de unidades reciprocamente relacionadas, que tem um propósito especifico (objetivo) e pode afetar as demais partes. Foram formuladas duas ideias centrais da sua teoria: 1 – A importância da interdependência das partes: necessidade de analisar não apenas os elementos, mas suas inter-relações; 2 – A necessidade de um tratamento complexo para uma realidade complexa: necessidade de aplicar vários enfoques para entender e lidar com uma realidade que se torna cada vez mais complexa. Em 1951 em um artigo publicado Bertalanffy usou pela primeira vez a expressão teoria geral dos sistemas (TGS), ficando conhecido como o criador e precursor dessa teoria, que compreendia um conjunto de enfoques que se completavam, entre os quais se encontravam a teoria de conjuntos (Mesarovic), a teoria das redes
  9. 9. (Rapport), a cibernética (Wiener), a teoria da informação (Shannon Y. Weaver), a teoria dos autômatos (Turing), a teoria dos jogos (Von Neumann), entre outras. Percebendo que muitos dos princípios e conclusões descobertos poderiam ser estendidos para varias ciências, na medida em que todas lidavam com objetos que podiam ser entendidos como sistemas, fossem eles físicos, químicos, psíquicos etc, que a muitos estudiosos começaram a pensar na negociação como um conjunto interdisciplinar de ideias. Para Chiavaneto, “com o advento da TGS, tornou-se evidente e indisfarçável a natureza sistêmica das organizações em geral e das empresas em particular”. A visão sistêmica, bem como todas as ciências verdadeiras, esta baseada em uma busca sistemática de justiça e ordem no universo. Sendo assim o processo de negociação como sistema de transformação de entradas (estímulos) em saídas (respostas) pode ser definido a partir da analise dos objetos que compõem o “sistema de negociação”. Com base em estudos variáveis básicas na negociação foram destacadas. Para alguns as variáveis seriam o uso da informação, do tempo e do poder. Outros enfatizavam a importância da comunicação; outros ainda ressaltam a busca pelo acordo e a procura por relações duradouras; outros apenas falam em satisfação de necessidades; e outros, por fim, vincula o tema a solução de conflitos. As técnicas de negociação estão baseadas em um processo onde a transação deverá ser abordada de uma forma sistêmica e evolutiva, onde estão incluídas as entradas, ou seja, as influências às quais a negociação está sujeita, principalmente ao processo, e a negociação como um todo. O procedimento de transformação das entradas e saídas são o resultados da negociação, procedendo estes reverterem-se a acordos ou não. De acordo com as definições acima podemos afirmar que a melhor definição de negociação é o processo de negociação com o propósito de atingir um acordo sustentável sobre as diferentes ideias e necessidades, onde as partes se direcionam de suas posições divergentes para um ponto de vista que possam alcançar um acordo, onde haja a satisfação de ambos os lados com uma conclusão na resolução da situação. Segundo os conceitos estudados no PLT percebe-se que há três variáveis básicas da negociação. São elas: poder, tempo e informação. Sendo assim, poder é a capacidade de provocar os resultados que desejam, de conseguir com que as coisas sejam feitas de modo que querem que sejam feitas. O poder é subdividido em: poderes pessoais, poder da moralidade, poder da atitude, poder da persistência, poder da capacidade persuasiva, poderes circunstânciais, poder do especialista, poder de investimento, poder de posição, poder de legitimidade, poder de concorrência, poder de precedente, poder dos riscos, poder dos compromissos, poder de conhecer as necessidades, poder da recompensa e de punição, poder de identificação e poder de barganha. Já o tempo deve ser cuidadosamente analisado, verificando o modo como ele afeta o processo. Deve ser o ponto de apoio para projetar o negócio e a consequente satisfação dos envolvidos, além de permitir que se conclua que é ilimitado, podendo, entretanto, ser controlado. Último mas não menos importante a informação que é a questão central no processo de negociação. Ela pode abrir a aporta do sucesso e afetar a avaliação da realidade e as decisões tomadas. É a força da negociação e está intimamente relacionada como poder de conhecer as necessidades próprias e alheias. A informação ideal é a que tende o máximo para a originalidade. Mas é bom lembrar que nem sempre a ideia de originalidade é privilegiada pela sociedade. Por meio da visão sistêmica é possível analisar a negociação como um processo de entradas 9
  10. 10. (estímulos) em saídas (resposta), sendo possível identificar os elementos que gerariam uma negociação ganha-ganha. As entradas de um sistema podem ter várias terminologias: estímulos, influências ou inputs; que são os impulsos iniciais da negociação. O processo seria a negociação em si. E as saídas são o resultado do sistema e também pode ter várias terminologias: respostas, consequências, resultados ou outputs. Deve-se ter cuidado para que não haja uma entrada negativa, pois entradas negativas geram saídas negativas. Tendo em vista então um processo de negociação ganha-ganha, o negociador deve seguir alguns passos: a) Verificar o ambiente em que está inserido (pode influenciar no processo da negociação), b) Visualizar os objetivos do processo (deve estar claro para os negociadores o que se pretende com a negociação), c) Identificar as entradas do processo (ambas as partes devem visualizar os inputs disponíveis no sistema para uma negociação ganha-ganha), d) Administrar o sistema (devem ser feitas revisões periódicas e a reavaliação durante o processo de negociação e após a sua conclusão para que cheguem a um resultado satisfatório). Negociação é algo que faz parte do cotidiano de todas as pessoas. Com a globalização a concorrência entre as organizações aumentou bastante, consequentemente, existe a necessidade cada vez maior de profissionais qualificados para fazerem boas negociações. Para ser um bom negociador, é necessário adquirir conhecimento de técnicas e desenvolver habilidades que irão ajudar a alcançar bons resultados no processo de negociar. São exemplos de negociação, conseguir emprego, obter promoção, alugar imóveis, comprar ou vender propriedades, participar de algum investimento, fazer acordos, etc. Esse tema vem sendo estudado com ênfase por vários autores de Administração Empresarial, desde meados do século XX, mas foi nas ultimas décadas que negociação como objeto de estudo ganhou destaque. Existe varias definições para negociação; esse texto é fruto de pesquisas de estudiosos que se propuseram a definir o conceito de negociação. De acordo com Wanderley (1998), “Negociação é o processo de alcançar objetivos por meio de um acordo nas situações em que existem interesses comuns, complementares e opostos, isto é, conflitos, divergências e antagonismos de interesses, ideias e posições.” De acordo com Junqueira (1995), “Negociação é o processo de buscar a aceitação de ideias, propósitos ou interesses, visando ao melhor resultado possível, de tal modo que as partes envolvidas terminem as negociações conscientes de que foram ouvidas, tiveram oportunidade de apresentar toda a sua argumentação e que o produto final seja maior que a soma das contribuições individuais.” Uma dos artigos pesquisados que serviu como base para esse texto foi: Técnicas e Negociação cujos autores participantes foram Basso, Lemos, Ferracini, Nunes, Silva e Miranda (2005), que explicam: “As negociações são fatores naturais em nossas vidas, tanto quanto a divergência de opiniões. Não apenas produtos são vendidos, mas também serviços, contratos, taxas de juros etc. As negociações são processos de comunicação bilaterais que tem como objetivo chegar a uma decisão conjunta, envolvendo comunicação em busca de informações sobre o que está sendo negociado e sobre o outro lado (quem é, quais seus interesses, etc.). Há que se ter criatividade para se tentar encontrar soluções, ter capacidade de avaliar e tomar decisões são aspectos fundamentais.” Por fim os autores Sebenius e Lax (1987), “Negociação é a possibilidade de se fazer algo melhor por meio de uma ação conjunta; por outro lado, não deverá ser surpresa caso as ações de não-negociação provém ser meio superior de realizar algo.” 10
  11. 11. Nos dias atuais vivemos em uma sociedade em que o hábito de negociação tornou-se algo rotineiro. Para se conseguir um emprego, realizar compras e até mesmo educar nossos filhos a negociação está inserida, pois em cada ação que fazemos, utilizamos essas técnicas afim de concretizarmos tais feitos. Entender esse processo, onde as duas partes pretendem chegar a um acordo é a forma ideal para obter a compreensão do sucesso e do fracasso que pode vir ocorrer. No entanto para se conquistar um “sim” do outro lado, devemos ouvir e entender as suas expectativas e para isso deve-se elaborar e seguir as etapas de negociação que são o planejamento, preparação, apresentação da proposta, esclarecimento, troca e acordo. Essas etapas farão parte de nossas discussões durante o texto abordado. Onde planejamento é um processo no qual determina antecipadamente o que um grupo de pessoas deve fazer, quais as metas devem alcançar para se chegar ao objetivo. Na preparação devemos colher toda informação para termos argumentos para apresentar a proposta ao cliente, onde será esclarecida toda e qualquer dúvida, trocando idéias e chegarmos a um acordo. Mas afinal o que é negociação? Para alguns negociar é somente a troca onde um se beneficia do outro para obter um ganho financeiro ou pessoal dependendo do que se está negociando. Para outros não basta apenas essa troca, mas que ao final do processo ambos os lados se beneficiem e saiam satisfeitos. Com isso o negociador e o negociado sentem-se motivados para futuros negócios. Cada ser tem seu método e estilo de negociação. Alguns apenas analisam a questão e fazem a troca em quanto outros vão mais além, estudando todo o processo para que na hora da apresentação sua proposta obtenha o tão esperado resultado positivo. Mas entendam que não basta fechar um acordo, para isso deve-se analisar a qualidade da negociação, pois esta é que fará a diferença para que o desfecho seja bom para ambos os lados evitando impasses e frustrações. Lembrando também que para obter resultados concretos deverá estar permanentemente atualizado com as técnicas que a negociação que demandam em todos os sentidos, pois a atmosfera onde vivemos está sempre em mutação e um bom negociador como qualquer outro profissional deve estar ligado nas tendências do mercado, buscando novidades para melhor se qualificar e ficar sempre à frente. Nesse processo podemos ressaltar dois tipos de habilidades: habilidades técnicas que se relacionam como o próprio nome diz: técnicas, processos para negociação como as etapas para condução da negociação e habilidades interpessoais que está relacionada com o conhecimento dos negociadores (estilo, forças, fraquezas, necessidades, motivações, etc). Assim como, também existem vários estilos, entre eles o catalisador, o controlador, o apoiador e o analítico. Como conseguir sucesso em uma negociação? Que habilidade são essenciais? Qual o papel do negociador neste processo? 11 1 Como conseguir sucesso em uma negociação? Obter sucesso em uma negociação é conseguir o melhor resultado possível, nem sempre 100% de ganho, trata-se de fazer o melhor acordo possível, de modo a buscar uma negociação que traga um resultado positivo para todas as partes envolvidas. Para alcançar sucesso o negociador deve fazer uso de certas habilidades. Tais habilidades não nascem com os negociadores, elas podem ser estudadas e adquiridas ao longo da vida,
  12. 12. por estudos teóricos e experiências de vida / negociações anteriores. As características pessoais vão agregar como pontos fortes do negociador. 12 2 As habilidades fundamentais para negociação estão em?  Preparar-se adequadamente: Reunir informações, traçar objetivos etc;  Administrar o tempo: Usa-lo de maneira eficiente;  Saber falar e ouvir: Respeitar o tempo da outra parte falar, seu ponto de vista, usar as informações para saber o que falar, propor etc.  Interpretar reações e comportamentos: Esta habilidade é importante para interpretar reações, maneiras de agir e pensar;  Separar as relações pessoais dos interesses: O não uso desta habilidade pode atrapalhar tanto os relacionamentos quanto as negociações.  Adaptar-se a situação: Em uma negociação podem surgir diversas oportunidades e fatos, estar preparado e saber lidar com estes é um fator crucial.  Explore varias opções;  Não abuse do poder: Saber usar o poder é não deixar a outra parte se sentir atacada de modo que esta não se sinta lesada, possibilitando assim uma relação duradoura;  Com estas outras habilidades existentes e exploráveis cabe ao negociador fazer uso de cada uma delas em momentos e de maneiras adequadas para assim ter sucesso em suas negociações, ou seja: obtendo bons resultados em acordos, realizando negociações ganha-ganha e construindo relações duradouras. 3 Qual o papel do negociador? O papel do negociador é exigir comprometimento de ambas as partes, analisar as vantagens, evitar discussão de pontos conflituosos para que ambos os lados saiam satisfeitos. Ele ainda está associado ao poder da capacidade de influenciar as pessoas ao seu redor, seja ela no ambiente organizacional como no pessoal. É importante obter informação sobre o assunto que será abordado, saber dialogar e argumentar na hora certa para se tomar uma decisão eficaz, quanto maior for sua capacidade de relacionamento mais fácil tornará o processo da negociação. Manter-se calmo, ter autocontrole, saber quais são as prioridades da outras pessoas, quais são seus interesses, suas necessidades, estar abertos a argumentos e claro sempre avaliando se o que está sendo dito tem lógica. Precisa ser amigável, deixar um espaço para que a outra parte chegue até você, porém isso não significa que aceitará todas as propostas impostas. Muitas vezes um dos lados acaba cedendo um pouco mais do que se esperava, mas com o intuito de abrir novos espaços para um a nova negociação. Um bom negociador sempre irá procurar satisfazer ambas as partes é um jogo de ganha-ganha, a satisfação tem que ser mútua.
  13. 13. 13 Relatório – O Papel da Negociação O sucesso depende em grande parte do planejamento, conhecer qual é o ponto de partida e pra onde se quer chegar. Este planejamento é o ponto mais importante do processo de negociação, exige preparo, estudo e aprofundamento de informações disponíveis, capazes de fundamentar, de forma consistente, as estratégias e táticas da negociação. Uma boa preparação/planejamento gera um bom resultado. Planejar um negócio independentemente de seu tamanho ou de seu segmento se torna condição indispensável para o sucesso duradouro e sustentável. Apesar desta sabedoria arraigada no mercado, a maioria das pequenas empresas não tem a cultura de planejamento estratégico para desenvolvimento do negócio. Empreende-se com um misto de tino comercial, sorte, oportunismo e pragmatismo para que as coisas aconteçam. As pequenas empresas no Brasil, devido ao clima de incerteza em que vivem, têm uma grande dificuldade em realizar um planejamento estratégico. Além disso, normalmente faltam a estas empresas pessoas com capacitação para fazer tal planejamento. Estratégia essa que é o conjunto de planos que objetivam, juntos, alcançar resultados consistentes com a missão e os objetivos gerais de curto, médio e longo prazos da empresa. A formulação do planejamento estratégico se divide em analisar oportunidades e ameaças e cruzá-los com os pontos fortes e fracos da organização, estabelecer missão e objetivos gerais, desenhar planos e estratégias, implementar e controlar para garantir que os objetivos sejam atingidos. Será apresentado o Balanço Scorecard uma nova ferramenta administrativa que propõe originariamente quatro perspectivas básicas de avaliação: finanças, clientes, processos internos, aprendizado e crescimento. Após o estudo e planejamento, vem a figura, habilidades e atitude do negociador. A figura do negociador e seu papel devem ser de comprometimento, com a análise criteriosa das vantagens para ambas as partes, sempre evitando pontos de conflito para que ambos os lados se sintam bem. A habilidade é o grau de competência frente a uma determinada situação. Concentrar-se nas idéias, ser objetivo, evitar fatores irrelevantes, proporcionar alternativas para a outra parte, saber ouvir o outro lado, apresentar propostas concretas, colocar-se no lugar do outro, são umas das habilidades do negociador. 1 – Qual é a importância do planejamento da negociação? Planejar adequadamente e antecipadamente uma negociação é fator decisivo no sucesso e na “fluidez” de uma negociação. Planejas é reunir informações, estabelecer metas, objetivos, simular cenários para saber como agir, preparar o local e instrumentos adequados. Não dar atenção a estes fatores é estar despreparado e assim aumentar consideravelmente as chances de fracasso ou reduzir a eficiência da negociação. 2 – Quais são os problemas de conduta ética envolvidos no processo de negociação? A ética está presente em nossa sociedade em todos os setores, família, escola, governo e especialmente no caso das organizações, pois, cada vez mais é exigida uma maior responsabilidade social e econômica das empresas e daqueles que atuam nelas. Dentro os comportamentos antiéticos que podem ser citados em uma organização estão:
  14. 14. Suborno, roubo de informações, propaganda enganosa, produtos defeituosos ou de má qualidade etc. Na área dos comportamentos éticos destacam-se: Preservar a ética mesmo que a outra parte não aparente estar tão interessada, respeitar os interesses da outra parte e tomar decisões visando o bem estar de todos. A ética está acima da lei, pois nem sempre o que é antiético é também ilegal. Em uma negociação é primordial agir com ética, conseguindo e construindo sucesso por bases solidas e duradouras. 3 – Em grupo, faça uma lista de situações (encontradas no filme escolhido e assistido) que tratam do tema planejamento da negociação, e/ou envolvem condutas éticas e antiéticas na negociação, conforme foram vistas no pass o 2 dessa etapa? 14 Filme Escolhido: A NEGOCIAÇÃO 1. O filme ilustra vários momentos de negociação, com atitudes éticas e antiéticas por parte dos atores. 2. O negociador no filme é especialista em negociação, e no primeiro momento do filme se planeja a libertação de uma garotinha presa pelo seu seqüestrador enraivecido que foi traído pela esposa; já no segundo momento do filme o negociador se torna o seqüestrador a fim de negociar sua própria liberdade quando é acusado por assassinato de seu companheiro de policia e desvio de dinheiro. 3. Por ser especialista em negociação, Danny Roman já detinha conhecimento, equilíbrio emocional, estratégias e táticas e planeja rapidamente e com êxito (muda de estratégia no momento que o seu chefe diz para toda equipe invadir a área e libertar a criança, é quando ele desobedece e entra no cativeiro), envolve o seu oponente trazendo ele pra si; ele sai da zona de conflito armada pelos chefes e seqüestrador e fecha com êxito o resgate da garota. 4. O cenário é bem propicio, pois o ator o descreve bem para a sua equipe do lado de fora, todos tem visão do local áudio/visual o que tem no ambiente como cães, janelas abertas (brisa fresca). 5. No segundo momento do filme quando Danny Roman negocia sua própria liberdade ele exige um exímio negociador, tão bom quanto ele para poder confrontar com o grupo antiético, corrupto e fraudulento de policiais dentro da sua própria corporação com a finalidade exclusiva de matá-lo. 6. Tenta planejar rapidamente como vai arrancar a verdade dos assassinos (é o momento que ele analisa o comportamento do entrevistado através de expressão corporal e descobre que esta mentida pela forma de gesticular e olhar). 7. Como parte da estratégia durante a trama ele mente que assassinou o policial, provando que durante um acordo não poderia ser totalmente ético senão não sairia vivo daquela situação. 8. Apesar das habilidades e conhecimento das estratégias de negociação, os dois negociadores estiveram em situações de conflitos e perigo por desconhecer o seu oponente (eles não sabiam quem estava envolvido no esquema de corrupção). 9. Fecha o filme num cenário ganha-perde, a vitória do bem do contra o mal, dos bons costumes e da ética contra a corrupção e fraudes, a vitória da verdade contra a mentira.
  15. 15. 15 Roteiro Preparatorio de Perguntas para Prosposta Salariais 1- Você estaria preparado para receber uma resposta negativa? Sim, estaria. Devemos sempre estar preparados tanto pro sim quanto pro não. A minha reação seria de tentar convencer, relatando as ações que realizei nos últimos tempos e que impactaram positivamente dentro da empresa, poderia também fazer um comparativo com os salários praticados no mercado. E mesmo assim não sendo possível este aumento, tentaria alguma outra vantagem como uma gratificação por tempo determinado. 2- Qual seria sua reação? Deixaria bem claro que fiquei desapontado e insatisfeito. Mas não vou perder o estímulo, poderia pensar em procurar um novo emprego. 3- Como administraria a situação? Mesmo insatisfeito, buscaria aumentar os meus resultados, em busca de um reconhecimento. 4- Quais seriam seus argumentos nesta negociação para aumento salarial? Meus argumentos seriam minha dedicação à empresa, faria uma lista das ações que realizei e que impactaram positivamente junto à empresa, minha capacitação, faria um comparativo com salários da minha área de conhecimento. Roteiro de preparação para negociação salarial: 1. Dados que comprovem o desempenho e os resultados dentro da empresa; 2. Pesquisa salarial; 3. Fazer entender claramente; 4. Conhecer a missão, os objetivos e as necessidades da empresa; 5. Seja persuasivo, mas não insistente; 6. Voe alto sem tirar os pés do chão; 7. Fale no tom certo; 8. Tenha foco; 9. Dê argumentos para o seu chefe aceitar o aumento; 1. Relatar o máximo de ações que realizou nos últimos tempos que impactaram positivamente dentro da empresa;
  16. 16. 2. Buscar informações salariais do cargo no mercado, para que entendam suas expectativas e compare com a realidade aplicada a outros profissionais atuantes na mesma função; 3. Fazer entender claramente a importância da sua função na estrutura organizacional da empresa; 4. Conhecer a missão, os objetivos e as necessidades de crescimento da empresa, para que os argumentos estejam alinhados com os interesses da organização; 5. Você não pode forçar sua chefia a lhe dar aumento. Se insistir muito, pode, inclusive, azedar o relacionamento. Mas, persuadi-lo a fazer isso, conversando sempre sobre o seu desempenho, as metas da empresa e do departamento, ouvindo muito e demonstrando seu resultado. O aumento de seu salário como uma conseqüência natural deste processo que também é de fortalecimento das relações interpessoais; 6. Os cientistas já comprovaram que há uma estreita relação entre as aspirações das pessoas e os resultados que elas obtêm. Isso não quer dizer que você deva se apegar ao seu “sonho” e não enxergar a realidade em volta. Para “chegar lá”, você precisa fundamentar muito bem suas propostas, levando em conta o ponto de vista da empresa. 7. Esqueça a ansiedade, a raiva, o ressentimento ou qualquer outro sentimento. Converse no tom mais profissional possível e, principalmente, ouça para ser ouvido. Você conseguirá persuadi-lo na exata medida em que se mostrar disponível para entender os motivos dele. Evite dar ultimatos, ameaças ou comportamento coercitivo, do tipo “tenho outra proposta”, “a concorrência vai me querer” e frases assim. Ninguém quer ficar contra a parede. Ou você gostaria que seu chefe lhe dissesse “tanto faz se você fica ou vai, porque temos uma porção de gente para o seu lugar”? 8. Se o aumento do salário em si estiver difícil, estude outras formas de remuneração indireta – como bônus ou reembolso de algumas despesas, horário flexível – e até mesmo uma promoção num período de tempo determinado. 9. Para isso, você precisa ter empatia, isto é, colocar-se no lugar dele, entender as pressões e necessidades que ele tem e, antecipando-se a elas, oferecer os argumentos adequados para a aceitação da sua proposta. 16
  17. 17. 17 CONSIDERAÇÕES FINAIS A necessidade de negociação sempre esteve presente deste as primeiras manifestações da humanidade, atualmente esta característica esta constantemente hodierna no ambiente familiar, no trânsito, no trabalho e até mesmo em eventos sociais, tornando-se cada vez mais necessária para a convivência contemporânea de nossa espécie. A negociação presente no dia-a-dia, tornar o desenvolvimento da capacidade de negociar absolutamente essencial para todas as esferas de nossas vidas, principalmente no campo profissional. Nesta esfera de entendimento, todo profissional que se preze deve por obrigação buscar o desenvolvimento desta técnica, não só para se tornar uma pessoa desenvolvida, como também para saber utilizar isto a seu favor e a favor da organização do qual faz parte. A negociação eficaz depende de muita consciência e competência sobre o assunto a se tratar, demandando do negociador, profundo conhecimento da matéria. Deve ser sempre lembrado que esta competência diz respeito não somente a aspectos da realidade externa dos negociadores, mas também e, sobretudo, de suas realidades internas, tal como seus processos de percepção, expectativas, emoções, temores, atitudes, crenças, valores e necessidades, exigindo deste individuo uma visão de mundo diferenciada. Portanto, negociar bem é também um processo de descoberta da experiência subjetiva própria, onde a ética torna-se fundamental até para o outro negociador, enriquecendo o seu território interno, pois este é o verdadeiro local em que a negociação acontece. Os grandes negociadores do mundo souberam usar estas técnicas a seu favor, de suas empresas e de seus países, visando o crescimento e aperfeiçoamento, juntamente com a satisfação de ambas as partes envolvidas em toda ou qualquer negociação.
  18. 18. 18 REFERENCIAS BIBLIOGRAFICAS MARTINELLI,D.P, CHISI, F.A, TECNICAS NEGOCIAÇÃO, PLT EDITORA SARAIVA. DAVID, A, SEBENIUS, JAMES k. THE MANAGER AS NEGOTIATOR.FREE PRESS, 1986. BURBRIDGE, MARC. GESTÃO DA NEGOCIAÇÃO. SÃO PAULO SARAIVA, 2005. ______3 MINUTOS PARA O SUCESSO, RICARDO BELLINO, EDITORA CAMPUS 2005 ______A ARTE DA NEGOCIAÇÃO DONALD TRUMP / TONY SCHWARTZ, EDITORA CAMPUS 1987 ______PLT TÉCNICAS DE NEGOCIAÇÃO (LIVRO: MARTINELLI, DANTE P. NEGOCIAÇÃO: APLICAÇÕES PRÁTICAS DE UMA ABORDAGEM SISTÊMICA. SÃO PAULO: SARAIVA, 2009). ______NEGOCIANDO PARA O SUCESSO, HENRIQUE SÉRGIO GUTIERREZ DA COSTA, EDITORA IBPEX 2007 – BACELLAR, R. P. A MEDIAÇÃO NO CONTEXTO DOS MODELOS CONSENSUAIS DE RESOLUÇÃO DOS CONFLITOS, REVISTA DO PROCESSO, SÃO PAULO, N. 95, PP. 112-134, JUL / SET 1999. ______________________HTTP://WWW.ADMINISTRADORES.COM.BR/INFORM E-SE/ARTIGOS/ESTILOS-DENEGOCIADORES-UMA-ANALISE-INICIAL/24850. _______________________DEFINIÇÕES DE NEGOCIAÇÃO – DESPONIVEL EM HTTP://ONEGOCIADOR.COM.BR/BIBLIOTECA/ARCHIVES/155. _____________________HTTP://WWW.ADMINISTRADORES.COM.BR/INFORME -SE/ARTIGOS/AS-7-HABILIDADES-DOBOM-NEGOCIADOR/30384/>. ACESSO EM: 25 SET. 2012. _________HTTP://WWW.INSTITUTOMVC.COM.BR/COSTACURTA/ARTFB_AT O_DE_NEGOCIAR.HTM>. ACESSO EM: 25 SET. 2012.

×