Criterios ISC

2.148 visualizações

Publicada em

Criterios de vigilancia de ISC, Anvisa, 2009

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.148
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
12
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
40
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Criterios ISC

  1. 1. Novos critérios de ISC Dr Renato S Grinbaum Doutor em Infectologia CCIH do Hospital da Beneficência Portuguesa CCIH do Hospital do Servidor Público Estadual
  2. 2. Nós precisamos de um novo critério?
  3. 3. Novas necessidades As definições são claras? Se uma infecção é diagnosticada em maio, e a cirurgia ocorreu em abril, em que mês ela deve ser notificada?
  4. 4. Novas necessidades As definições são claras? Se o paciente sofreu uma cirurgia com duas incisões, caso ele tenha uma infecção por incisão, quantas infecções serão?
  5. 5. Novas necessidades As definições são claras? Se o paciente sofreu uma cirurgia com duas equipes distintas, de qual procedimento a infecção deve ser relacionada?
  6. 6. Novas necessidades Operações feitas fora do hospital, tradicional Centros cirúrgicos ambulatoriais
  7. 7. Novas necessidades Operações realizadas sem as incisões tradicionais Cirurgia endovascular Cirurgia minimamente invasiva
  8. 8. Novas necessidades Como comparar taxas O método NNIS é complexo e não é preditivo Vigilância após a alta Como comparar?
  9. 9. Novo manual http://www.anvisa.gov.br/servicosaude/manuais/criterios_nacionais_ISC.pdf
  10. 10. Abrangência
  11. 11. Cirurgia em paciente internado em serviço de saúde Cirurgia Cirurgia Procedimentos ambulatorial endovascular cirúrgicos Cirurgia endoscópica com penetração de cavidade
  12. 12. Cirurgia em paciente internado em serviço de saúde Paciente submetido a um procedimento dentro do centro cirúrgico, que consista em pelo menos uma incisão e uma sutura, em regime de internação superior a 24horas, excluindo-se procedimentos de desbridamento cirúrgico, drenagem, episiotomia e biópsias que não envolvamvísceras ou cavidades.
  13. 13. Cirurgia ambulatorial Paciente submetido a um procedimento cirúrgico em regime ambulatorial (hospital-dia) ou com permanência no serviço de saúde inferior a 24 horas que consista em, pelo menos, uma incisão e uma sutura, excluindo-se procedimentos de desbridamento cirúrgico, drenagem e biópsias que não envolvam vísceras ou cavidades.
  14. 14. Cirurgia endovascular Paciente submetido a um procedimento terapêutico realizado por acesso percutâneo, via endovascular, com inserção de prótese, exceto stents.
  15. 15. Cirurgia endoscópica com penetração de cavidade Paciente submetido a um procedimento terapêutico, por via endoscópica, com manipulação de cavidade ou víscera através da mucosa. Estão incluídas aqui cirurgias transgástricas e transvaginais (NOTES), cirurgias urológicas e cirurgias transnasais.
  16. 16. Definições
  17. 17. ISC em pacientes internados e ambulatoriais
  18. 18. ISC Caso a infecção envolva mais de um plano anatômico, notifique apenas o sítio de maior profundidade.
  19. 19. Definição de infecções do sítio cirúrgico para cirurgias endovasculares
  20. 20. Definição de infecções do sítio cirúrgico para cirurgias endovasculares
  21. 21. Indicadores
  22. 22. Taxas O texto abdica de qualquer ajuste por risco NNIS (complexo e sem utilidade demonstrada) Cirurgias limpas (limitado)
  23. 23. Taxas A ISC deve ser notificada no mês de realização de procedimento A pergunta é: quantos procedimentos realizados no mês resultaram em infecção?
  24. 24. Taxas A CCIH pode calcular taxas de infecção por especialista, mas recomenda-se que a sua divulgação respeite as normas vigentes. Devido às diferenças de risco entre pacientes e procedimentos, a comparação das taxas brutas entre especialistas está sujeita a falhas de interpretação.
  25. 25. Taxas *Em caso de procedimentos múltiplos inter- relacionados em datas diferentes do mesmo período e no mesmo paciente (reoperações), a ISC será atribuída ao primeiro procedimento.
  26. 26. Taxas *Em caso de múltiplos procedimentos feitos, utilizando o mesmo acesso cirúrgico num mesmo paciente, apenas o procedimento de maior risco de infecção (níveis hierárquicos descendentes de A a D) será computado para efeito de cálculo das taxas de ISC (utilizar quadro 4 para escolha do procedimento). Estas situações serão listadas como procedimentos combinados.
  27. 27. Taxas
  28. 28. Vigilância O serviço deve escolher os procedimentos a serem analisados
  29. 29. Vigilância
  30. 30. Indicadores de processo
  31. 31. Indicadores de estrutura
  32. 32. renatoccih@yahoo.com.br

×