HPV UM HÓSPEDE INCONVENIENTEPOR DRA Gloria Martinez GrazziotinMédica: Ginecologia e Obstetrícia pela FFFCMPA_ Fundação Fac...
92     %      das      mulheres      infectadas      ficam      curadas      em      2     anosNão há um medicamento espec...
Ele é mais comum do que se imagina: uma em cada quatro mulheres está infectada (muitasvezes sem saber).Além de atrapalhar ...
multipliquem. Também é possível submeter-se à cauterização elétrica e a laser ou à remoção dotecido afetado pela cirurgia ...
Terceira dose – 6 meses após a primeira dose.Se você quiser saber mais sobre este e outros assuntos visite o nosso site : ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Artigo hpv dra gloria

2.003 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.003
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
19
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Artigo hpv dra gloria

  1. 1. HPV UM HÓSPEDE INCONVENIENTEPOR DRA Gloria Martinez GrazziotinMédica: Ginecologia e Obstetrícia pela FFFCMPA_ Fundação Faculdade Federal de CiênciasMédicas de Porto Alegre. Santa Casa de Misericórdia. (1990-1992).Cursando o segundo ano do MASTER DEGREE IN THE CLIMACTERIC AND MENOPAUSEorganizado pela International Menopause Society and Spanish Ministry of Health.O que é o HPV?HPV é a sigla de um vírus, o Papilomavírus Humano. Existem mais de 170 subtipos de HPV sendoque 85 deles infectam a mucosa anogenital.Os quinze tipos HPV de alto risco são chamados oncogênicos, ou seja, podem causar câncer docolo do útero. Os HPV de baixo risco (tipos 6 e 11) causam basicamente verrugas genitais,lesões de caráter benigno e transitório.A transmissão do HPV é por contato direto da pele infectada com pele não íntegra. Os HPVgenitais são transmitidos por meio das relações sexuais, podendo causar lesões e verrugas navagina, colo do útero, pênis e ânus.15 deles com certeza provocam tumores malignos.
  2. 2. 92 % das mulheres infectadas ficam curadas em 2 anosNão há um medicamento específico contra o HPV.Quem barra esse agressor é o sistema imunológico da paciente.Por isso, o sucesso do tratamento depende muito da resistência orgânica.Sem a devida permissão, o vírus deixa um rastro de desordem por onde passa.Como acontece a infeção ?1 – A superfície do colo do útero é revestida de células que se empilham em três camadas. OHPV precisa chegar à mais profunda delas, a basal, para se proliferar – micro fissuras, que nãosão raras em mulheres, facilitam a entrada.2 – O malfeitor invade a célula sem dificuldades: atravessa sua membrana e despeja o seumaterial genético lá dentro, diretamente no núcleo.3 – Ali o vírus perfeito para se reproduzir. Quando o espaço fica lotado com suas réplicas, elassaem para infectar a vizinhança.4 – A multiplicação desenfreada de células cheias de vírus é o que causa lesões benignas, comoa verruga, ou alterações cancerosas – isso vai depender do tipo do micro-organismo.Um ano após o começo da vida sexual, uma em cada quatro garotas apresenta lesõescausadas por HPV.Relação do HPV com o Câncer do Colo do ÚteroO câncer do colo do útero é evitável, uma vez que as ações para seu controle contam comtecnologias para o diagnóstico e tratamento de lesões precursoras, permitindo a cura em 100%dos casos diagnosticados na fase inicial.Os tipos de HPV oncogênicos estão associados a 99,7% dos casos de câncer do colo do úteroO colo é a parte mais baixa do útero e conecta a vagina à cavidade uterina.Os tipos de HPV oncogênicos 16,18,31 e 45 são responsáveis por mais de 80% deles.
  3. 3. Ele é mais comum do que se imagina: uma em cada quatro mulheres está infectada (muitasvezes sem saber).Além de atrapalhar a vida sexual, ele pode levar ao câncer do colo de útero.Apesar de assustador, há tratamentos e exames preventivos que garantem a convivênciapacífica com o vírus.Pense em todas as mulheres que você conhece.Aproximadamente 25% delas têm o papilomavírus humano, o HPV. Esse raciocínio ajuda aentender o poder de penetração do vírus na população feminina.HPV pode trazer grandes transtornos à saúde e à sexualidade da mulher. É capaz de tornar osexo doloroso e fazer com que surjam verrugas na vulva, dentro e ao redor da vagina, ânus e navirilha.. sintomas incomodam muito e o tratamento é longo e delicado.Boa parte dos problemas provocados pelo vírus, no entanto, poderia ser evitada com cuidadosbem simples. Um exame de papanicolau ( ou preventivo do câncer de colo do útero ) detectaalterações nas células do colo do útero e da vagina, chamando a atenção para uma possívelcontaminação pelo vírus.Há ainda outros procedimentos, como a biópsia para análise de lesões já existentes e a capturahíbrida,que identifica o tipo do vírus e a quantidade dele em amostras de tecido. Estrago emsilêncio: A maioria dos HPVs apresenta sintomas e , mas com a ajuda do papanicolau mesmoquem contraiu os tipos mais perigosos pode prevenir danos maiores.Só correm risco real de ter câncer relacionado ao HPV as mulheres que ficam muitotempo sem consultar o ginecologista ou as que encontram dificuldade para chegar aodiagnóstico correto.Tratamentos eficientes:Apenas o sistema de defesa do organismo possa curara a infecção pelo HPV a medicina aindanão encontrou uma forma de cura-lo.Lesões, verrugas, e outras alterações causadas pelo vírus são tratadas com aplicação de ácidosou pomadas quimioterápicas, que destroem as feridas e impedem que as células doentes se
  4. 4. multipliquem. Também é possível submeter-se à cauterização elétrica e a laser ou à remoção dotecido afetado pela cirurgia de alta freqüência – pequeno aro elétrico que vaporiza o local – oupelo jato de nitrogênio, a crioterapia.Dependendo da gravidade, combina-se mais de um tratamento.Alguns médicos acreditam que, além dos procedimentos cirúrgicos, substâncias como o 5-fluorouracil, interferon e imiquimod melhoram o sistema imunológico e inibem a multiplicaçãodas células viróticas.Enquanto a cura não vem: A medicina ataca em duas frentes: na prevenção – usarpreservativo e limitar o número de parceiros, por enquanto, são as únicas formas de evitar ocontágio, mas nem isso garante 100% de imunidade – e no incentivo ao papanicolau no mínimouma vez por ano.A vacinaA vacina quadrivalente esteve esta sendo recomendada pela Associação Médica Brasileira, oConselho Federal de Medicina e as Sociedades de Especialidade há dois anos no Brasil.Ofereçendo proteção contra os 4 HPVs mais nocivos e imunidade cruzada para mais 30 outrosHPVs de menor agressividade .A eficácia da Vacina Quadrivalente foi demonstrada em relação a QUATRO doençasimportantes para a saúde da mulher:. 100% de eficácia na prevenção de lesões pré-cancerígenas da vulva e vagina .. Prevenção de 99 % nas lesões displásicas pré-cancerígenas para o colo de útero - NIC2/3 ou AIS.. 99% de eficácia na prevenção das verrugas genitais relacionadas aos HPVs 6 e 11.O momento mais eficaz para a vacinação de meninas e rapazes e mulheres jovens é antesde se tornarem sexualmente ativas.As mulheres que sofreram infecção por HPV pode ser vacinadas, a vacina auxilia naformação de anti corpos para os HPVs Apenas um encontro pode ser suficiente - a infecção pode ocorrer em até um mês após oprimeiro contato sexualQuanto tempo dura a imunidade vacinal?ESTUDOS CLINICOS ESTAO AINDA EM PROGRESSO O QUE SE SABE ATE AGORA É QUEA VACINA EM EFEITO MINIMO DE 10 ANOS.Como vacinar : primeira dose – em data a escolhersegunda dose – 2 meses após a primeira dose
  5. 5. Terceira dose – 6 meses após a primeira dose.Se você quiser saber mais sobre este e outros assuntos visite o nosso site : Visite o nossoSite: http://gloriagrazziotin.synthasite.com/index.php

×