DiagnóStico De Design Roteiro De Briefing

4.270 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.270
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
103
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

DiagnóStico De Design Roteiro De Briefing

  1. 1. Diagnóstico de design Diagnóstico consiste numa técnica que permite ao consultor ou ao próprio empresário, através de uma seqüência lógica e racional de etapas, avaliar a situação presente do empreendimento, identificando os problemas e as barreiras que dificultam o seu desempenho global. Uma atividade específica de observação e análise que tem por objetivo detectar situações-problema que possam estar afetando a empresa como um todo, dificultando o atingimento dos resultados operacionais esperados. Uma das análises é com relação ao ambiente externo. Uma empresa que percebe as mudanças no ambiente externo e tem agilidade para se adaptar a estas mudanças, aproveita melhor as oportunidades e sofre menos com as conseqüências das ameaças. Deve-se considerar não somente o que está sendo sinalizado como alteração de cenário, mas também qual é a chance deste cenário se concretizar. Como o ambiente externo é muito dinâmico e altera-se a todo momento, esta análise precisa ser constantemente renovada. Percebendo estas mudanças, cabe a empresa se adaptar, aproveitando as oportunidades e/ou enfrentando as ameaças com decisões baseadas nos dados levantados pelo diagnóstico. A análise da realidade externa da empresa, o mercado, os produtos da concorrência, as tendências de consumo, os novos estilos de vida cruzada a uma análise da situação interna, suas capacidades tecnológicas, seus equipamentos, estrutura, características, pessoas, produz uma visão abrangente da empresa e pode ser interpretada sob a óptica do design. O propósito de um diagnóstico de design é mobilizar ação sobre um problema, uma ação que melhore o funcionamento da empresa. O profissional que realiza o diagnóstico precisa apresentar de forma simples e clara o problema real, mostrando como o mesmo está sendo gerenciado e quais as conseqüências que estão acarretando no negócio. Somente após a compreensão deste problema pela empresa, inicia-se a proposição de recomendações. Etapas de preparação do projeto: diagnóstico/ briefing 1. Pesquisa exploratória e preparatória para reunião: cuja função é levantar dados relacionados à empresa sobre aspectos humanos, econômicos, sociais, tecnológicos, produtivos, estéticos, comunicacionais e mercadológicos, dentre outros. 2. Reunião de briefing (05/10/2009): Design Atlas (complementar ao roteiro desenvolvido pelo grupo). 3. Cruzamento de dados e análise da informação 4. Planejamento do projeto e confecção do documento 5. Validação do diagnóstico/ briefing Roteiro de coleta de dados e análise
  2. 2. . Histórico da empresa . Negócio da empresa (o que a empresa faz?) . Missão/ Visão/ Valores/ objetivos organizacionais . Cultura Organizacional . Público Alvo (qual é o público alvo? quem são os principias e os fieis clientes?) . Fornecedores (quem são os principias fornecedores?) . Concorrentes (quem são os principias concorrentes? Quais as características e os diferenciais desses concorrentes?) . Diferencial de mercado . Imagem e Posicionamento de mercado (real e pretendida) . Identidade visual (qual é? O que ela representa? Esta sendo usada corretamente? como a empresa administra sua marca? Design, etc) . Pessoas (modelo de gestão, liderança, motivação e capacitação pessoal) . Estrutura organizacional (como é? onde e como o design esta inserido?) . Infra-estrutura física e tecnológica . Design: Desenvolvimento de novos produtos e serviços (existem meios e recursos para o desenvolvimento de novos produtos? Como e quando acontece? E a melhoria de produtos e serviços?) . Composto de Marketing: Produtos e serviços, Preço, Ponto/ Distribuição, Promoção/Comunicação (descrição). . Números (colaboradores, faturamento, clientes, etc) . Análise SWOT ( realidade externa cruzada a realidade interna) . Planejamento estratégico (a empresa tem um planejamento estratégico?como o design e a inovação estão inseridos no plano?) . Conclusão do diagnóstico (apontar os principais problemas e propor recomendações) . Proposição do design na empresa: Definição de objetivos de design (como o design pode ser inserido na empresa para que se torne mais eficiente no alcance de objetivos e mais competitiva?), ações estratégicas de design (para alcançar os objetivos de design definidos) e plano de ação (elaboração de um quadro com ação, prazo, responsável, recursos necessárias, indicadores de desempenho, etc.) Revisão de conceitos Missão: razão de existir da organização Visão: descrição do futuro desejado para a empresa no seu mercado Valores: princípios que são guias de comportamento, atitudes e decisões de todas as pessoas na organização Objetivos Organizacionais: o que a empresa quer conquistar? Os objetivos derivam da missão e da visão com intentos de caráter mais específicos, posto que orientam as ações com maior precisão. Diferenciação: é o ato de desenvolver um conjunto de diferenças significativas para distinguir a oferta da empresa das demais. Posicionamento: de mercado é o ato de desenvolver a imagem da empresa/ produto, de maneira que ocupem uma posição competitiva distinta e significativa nas mentes dos consumidores-alvos. A identidade corporativa da empresa/ produto deve ser projetada e construída para moldar sua imagem pública a partir de análise dos concorrentes e avaliação dos pontos fortes e diferenciais da organização. Estrutura organizacional: desenho ou forma de organização que integra seus recursos Estratégia: é a mobilização de todos os recursos da organização visando atingir os objetivos a longo prazo. Produto: Consideramos aqui o produto como sendo um bem tangível (produto) ou intangível (serviço). Um produto é o bem que é ofertado numa transação comercial e deve dispor de características essenciais às necessidades do consumidor. Essas características devem ser definidas estrategicamente. Preço: O preço ideal de venda é aquele que cobre os custos do produto ou serviço e ainda proporciona o retorno desejado pela empresa. Analisando o quanto o consumidor está disposto a pagar, a empresa avalia se seu preço ideal de venda é compatível com aquele vigente no mercado. O preço pode determinar o posicionamento da empresa/ produto. Algumas empresas desejam passar uma imagem aos seus compradores de preços imbatíveis, outras trabalham
  3. 3. um posicionamento de valorização dos produtos a partir de preços altos. A estratégia pode ser baseada em 2 fatores alternativos: diferenciação ou custo mínimo. Ponto de venda | Distribuição: Os canais de distribuição são vários e podem ser realizados diretamente para o usuário final, ou através de distribuidores, representantes, varejistas. A empresa deve decidir sobre a melhor maneira de estocar e movimentar seus bens e serviços em seus mercados de destino. A natureza da distribuição envolve planejamento, implementação e controle dos fluxos físicos de materiais e bens finais dos pontos de origem aos pontos de uso, para atender às exigências do consumidor. A eficácia da distribuição terá grande impacto sobre a satisfação do consumidor e sobre seus custos. A distribuição será eficaz quando a empresa processar os pedidos com agilidade, possuir boa rede de armazenagem, níveis de estoques compatíveis com a demanda e em sintonia com a rede de varejo (lojas, lojas especializadas, magazines) e/ou atacado (grande distribuidores), escolher o meio de transporte adequado e ágil aliados ao controle de custos. Comunicação: Para uma comunicação efetiva a empresa deve se preocupar com o objetivo, a mensagem, o canal, e o receptor. A comunicação em marketing abrange as seguintes ações: Propaganda: oferece uma razão para compra. A Propaganda é uma das ferramentas de marketing mais utilizadas para consolidar e perpetuar a imagem da marca de uma empresa, mantendo o cliente informado, através das inúmeras vertentes da mídia, sobre seus produtos ou serviços. Promoção: oferece um incentivo a compra. A Promoção de Vendas cria uma necessidade de compra imediata, enquanto a publicidade é concebida mais para influenciar favoravelmente as expectativas e atitudes dos clientes a longo prazo. As promoções de vendas podem ser sob a forma de descontos, concursos, promoções nos pontos de vendas, sorteios, venda casada, amostra grátis, brindes, degustação, entre outras. Publicidade: A Publicidade trabalha com a imagem da empresa e dissemina informações positivas acerca do seu negócio e, muitas vezes, tem como desafio superar uma imagem negativa. Essa ferramenta sempre gera uma credibilidade maior, pois as informações vêm na forma de notícias ou comentários editoriais enviadas pela empresa ou assessores de imprensa para a mídia que as divulgam caso as considerem importantes. Outras vezes, é realizada por personalidades e formadores de opinião que divulgam a marca ao utilizar os produtos da empresa. Comunicação no ponto de venda: Diz respeito a toda a sinalização, displays, cartazes e outras variedades de materiais visuais que influenciam a decisão de compra. Algumas empresas focam na comunicação no ponto de venda. Exemplo: Starbucks Comunicação na internet: A internet pode ser uma ferramenta institucional, ou seja, uma ferramenta que permite ao consumidor acessar e conhecer a estrutura do negócio, os produtos vendidos, além de informações como telefone e localização. Ela também pode ter o caráter de comercialização, o que permite vender produtos para consumidores em diferentes localidades. É um canal de comunicação interativo, portanto, é importante incentivar o relacionamento com os clientes. Exemplo: Google Design Atlas: Ferramenta desenvolvida pelo Design Council para auditar e ajudar as organizações a desenvolver suas capacidades e obter o máximo da atividade de design. Design: Segundo o ICSID, International Council of Societies of Industrial Design, (2000): “Design é uma atividade criativa cujo propósito é estabelecer as qualidades multifacetadas de objetos, processos, serviços e seus sistemas de ciclo de vida. Assim, design é o fator central da humanização inovadora das tecnologias e o fator crucial das trocas econômicas e culturais”. O ICSID é uma organização não-governamental e sem fins lucrativos, apoiada por profissionais e educadores de todos os continentes, cujo principal objetivo é reforçar o papel do design nas indústrias. Segundo o ICOGRADA, International Council of Graphic Design Association, criado em 1963, é o organismo mundial não governamental e apolítico que integra e representa profissionais de design gráfico e comunicação visual, design gráfico é: uma atividade intelectual, técnica e criativa que consiste não simplesmente na produção de imagens, mas na análise, organização e métodos de apresentação de soluções visuais a problemas de comunicação. Informação e comunicação são as bases de uma vida independente pelo mundo das esferas econômica, social ou cultural. A tarefa do design gráfico é proporcionar as respostas corretas aos problemas de comunicação visual de qualquer ordem em qualquer setor da sociedade.

×