Estudando: livro o que é o espiritismo n.14 Final

4.007 visualizações

Publicada em

Publicada em: Espiritual
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.007
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.756
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
69
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Estudando: livro o que é o espiritismo n.14 Final

  1. 1. QUESTÕES PRELIMINARESA. O homempossui livre-arbítrio ouestá sujeito àfatalidade?O homem édotado dolivre-arbítrio, queé umaconsequênciada justiça deDeus.Trata-se deum atributoque eleva ohomemacima detodas asoutrascriaturas.Se suacondutafosse sujeitaàfatalidade, não haveriapara eleresponsabili-dade domal, nemmérito dobem quepratica.(Allan Kardec - O que é o Espiritismo, capítulo III, item 128.)
  2. 2. Pelo contato deseus vícios, eles seinfelicitamreciprocamente epunem-se uns aosoutros.Os males da nossahumanidade são aconsequência dainferioridademoral da maioriados Espíritos quea formam.B. Qual é a causados males queafligem ahumanidade?(Allan Kardec - O que é o espiritismo, capítulo III, item 132.)
  3. 3. C. Qual aexplicação espíritapara o fato demuitas pessoasnascerem naindigênciaenquanto outrosnascem naopulência?Esse efeito temuma causa; se estacausa não éencontrada navida presente, deveachar-se antesdesta.O Espiritismo nosmostra que maisde um homemnascido na misériafoi rico econsiderado numaexistênciaanterior, na qualfez mau uso dafortuna que Deuso encarregou degerir.(Allan Kardec - O que é o espiritismo, capítulo III, item 134.)
  4. 4. Nem sempre, porém, uma vidapenosa é fruto de expiação;muitas vezes é prova escolhidapelo Espírito, que vê nela ummeio de avançar maisrapidamente, conforme acoragem com que saiba suportá-la.A riqueza é também uma prova,mais perigosa até que a miséria,pelas tentações que dá e pelosabusos que enseja. O exemplo dosque passaram pela Terrademonstra ser ela uma prova emque a vitória é mais difícil.(Allan Kardec - O que é o espiritismo, capítulo III, item 134.)
  5. 5. D. Qual é a situação daalma logo depois da mortedo corpo?No momento da morte tudose apresenta confuso. É-lhepreciso algum tempo para sereconhecer.(Allan Kardec - O que é o espiritismo, capítulo III, itens 144, 145 e 153.)
  6. 6. O tempo da perturbaçãosequente à morte é muitovariável; pode ser dealgumas horas, como demuitos dias, meses e mesmode muitos anos.Essa perturbação nada temde penosa para o homem debem, mas é cheia deansiedade e de angústiaspara o indivíduo cujaconsciência não é pura eamou mais a vida corporalque a espiritual.(Allan Kardec - O que é o espiritismo, capítulo III, itens 144, 145 e 153.)
  7. 7. TEXTO PARA LEITURA178. Os sonhos são o resultado da liberdade do Espíritodurante o sono; às vezes, são a recordação dos lugares e daspessoas que o Espírito viu ou visitou nesse estado. (AllanKardec - O que é o espiritismo, Cap. III, item 137, pág. 204.)
  8. 8. Os pressentimentos são recordações vagas e intuitivas do que oEspírito aprendeu seus momentos de liberdade e, algumasvezes, avisos ocultos dados por Espíritos benévolos. (AllanKardec - O que é o espiritismo, Cap. III, item 138, pág. 204.)
  9. 9. A presençasimultânea daselvageria e dacivilização, naTerra, é um fatomaterial que prova oprogresso que uns jáfizeram e que osoutros têm de fazer.A alma do selvagematingirá, pois, com otempo, o mesmo grauda alma esclarecida,mas para atingi-lodeverá passar porencarnaçõessucessivas.(Allan Kardec - O que é o espiritismo, Cap. III, itens 139 a 141, pp. 205 e 206.)
  10. 10. As faculdades da almasão proporcionais à suapurificação; só as deescol podem gozar dapresença de Deus.(Allan Kardec - Cap.III, item 146, pág. 209.)
  11. 11. Deus está em toda aparte, porque em toda a parteEle irradia.Os Espíritos atrasados, porém,estão envolvidos numa espécie denevoeiro que o oculta a seus olhose que não se dissipa senão àmedida que eles sedesmaterializam e se purificam.(Allan Kardec - O que é o espiritismo, Cap. III, item 147, pág. 209.)
  12. 12. Na morte natural, o desprendimentoda alma se opera gradualmente e semabalo, começando mesmo antes que avida esteja extinta.Na morte violenta, porsuplício, suicídio ou acidente, os laçossão partidos bruscamente; oEspírito, surpreendido, fica como quetonto com a mudança nele efetuada, enão acha explicação para a suasituação.(Allan Kardec - O que é o espiritismo, Cap. III, item 149, pp. 210 e 211.)
  13. 13. Um fenômeno mais oumenos comum em tal casoé pensar que não estejamorto, podendo essailusão durar muitos mesese até muitos anos.Nesse estado, ele selocomove, julga ocupar-se dos seus negócios emostra-se espantado denão lheresponderem, quandofala.(Allan Kardec - O que é o espiritismo, Cap. III, item 149, pp. 210 e 211.)
  14. 14. A mesma ilusão post-mortem se nota, fora dos casos de morteviolenta, em muitos indivíduos cuja vida foi absorvida pelosgozos e interesses materiais. (Allan Kardec - O que é oespiritismo, Cap. III, item 149, pág. 211.)
  15. 15. Livre do invólucro material, o Espírito de uma criança mortaem tenra idade volta a ter as faculdades que tinha antes da suaencarnação.Como não passou mais que alguns instantes na vida corpórea,não sofre modificação nas faculdades.(Allan Kardec - O que é o espiritismo, Cap. III, item 154, pág. 212.)
  16. 16. O Espírito de um menino pode falarcomo um adulto, porque pode ser umEspírito adiantado.Se algumas vezes adota a linguageminfantil é para não tirar à mãe o encantoque sempre está ligado à afeição de umente frágil, delicado e adornado com asgraças da inocência.(Allan Kardec - O que é o espiritismo, Cap. III, item 154, pág. 212.)
  17. 17. A entrada no mundo dosEspíritos não dá à almatodos os conhecimentosque lhe faltavam naTerra.Depois da morte, elasprogridem mais oumenos, segundo suavontade, e algumas seadiantam muito, masprecisam pôr emprática, durante a vidacorporal, o queadquiriram em ciência emoralidade.(Allan Kardec - O que é o espiritismo, Cap. III, item 156, pág. 213.)
  18. 18. Os Espíritos têm ocupações na vida espiritualrelacionadas com o seu grau de adiantamento. (AllanKardec - O que é o espiritismo, Cap. III, item 159, pág.214.)
  19. 19. A Igreja reconhece hoje que o fogodo inferno é todo moral e nãomaterial, mas não define anatureza dos sofrimentos.Segundo os Espíritos, essas penasnão são uniformes: variaminfinitamente, segundo a naturezae o grau das faltascometidas, sendo quase sempreessas faltas o instrumento do seucastigo.(Allan Kardec - O que é o espiritismo, Cap. III, item 160, pág. 215.)
  20. 20. Assim é que certos assassinos são obrigados a conservar-seno próprio lugar do crime e a ver suas vítimasincessantemente; que o homem de gostos sensuais e materiaisconserva esses pendores juntamente com a impossibilidade desatisfazê-los; que certos avarentos julgam sofrer o frio e asprivações que suportaram na vida por sua avareza; queoutros se conservam junto aos tesouros que enterraram, commedo de que os roubem...(Allan Kardec - O que é o espiritismo, Cap. III, item 160, pág. 215.)
  21. 21. Em uma palavra, nãohá um defeito, umaimperfeição moral, umato mau que nãotenha, no mundoespiritual, seu reversoe suas consequênciasnaturais.Para isso, não existenecessidade de umlugar determinado ecircunscrito.Onde quer que se acheo Espírito perverso, oinferno estará com ele.(Allan Kardec - O que é o espiritismo, Cap. III, item 160, pág. 215.)
  22. 22. Além dos sofrimentos materiais, há as penas e provas materiais que oEspírito, se não está depurado, experimenta numa nova encarnação, naqual é colocado em condições de sofrer o que fez a outrem sofrer; de serhumilhado, se foi orgulhoso; miserável, se foi avarento; infeliz com seusfilhos, se foi mau filho, etc.A Terra é, assim, um dos lugares de exílio e de expiação, umpurgatório, para os Espíritos dessa natureza, do qual cada um se podelibertar melhorando-se suficientemente para merecer habitação emmundo melhor.(Allan Kardec - O que é o espiritismo, Cap. III, item 160, pp. 215 e 216.)
  23. 23. A prece é sempreútil às almassofredoras.Os bons Espíritosa recomendam e osimperfeitos apedem como meiode aliviar os seussofrimentos.Além do consoloque propicia, aprece exorta odevedor aoarrependimento.(Allan Kardec - O que é o espiritismo, Cap. III, item 161, pág. 216.)
  24. 24. A felicidade dos bons Espíritos consiste em conhecer todas as coisas, nãosentir ódio, nem ciúme, nem inveja, nem ambição, nem qualquer daspaixões que infelicitam os homens.O amor que os une é, para os bons Espíritos, a fonte de supremafelicidade, pois não experimentam as necessidades, nem os sofrimentos,nem as angústias da vida material.O estado contemplativo seria uma coisa estúpida e monótona.A vida espiritual é, ao contrário, plena de atividades incessantes pelasmissões que os Espíritos recebem do Ser Supremo, como seus agentes nogoverno do Universo.(Allan Kardec - O que é o espiritismo, Cap. III, item 162, pp. 216 e 217.)
  25. 25. Estudando as obras de KardecAno 1 - N° 36 - 23 de Dezembro de 2007ASTOLFO OLEGÁRIO DE OLIVEIRAFILHOaoofilho@oconsolador.com.brLondrina, Paraná (Brasil)

×