Desfrutar a luz do espiritismo

7.837 visualizações

Publicada em

Publicada em: Espiritual
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.837
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5.914
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
91
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Desfrutar a luz do espiritismo

  1. 1. Meus amigos, agradecei a Deus o haverpermitido que pudésseis gozar a luz doEspiritismo. Não é que somente os que apossuem hajam de ser salvos; é que,ajudando-vos a compreender os ensinos doCristo, ela vos faz melhores cristãos. Paulo, o apóstolo. (Paris, 1860.) Allan Kardec – ESE » Capítulo XV »item 10
  2. 2. " O Espiritismo vem, no tempo marcado,cumprir a promessa do Cristo: o Espíritode Verdade preside à sua instituição;chama os homens à observância da lei eensina todas as coisas em fazendocompreender o que o Cristo não dissesenão por parábolas”. Allan Kardec - ESE, Cap. VI, item 4
  3. 3. O Cristo disse: "Que ouçam os que têmouvidos para ouvir". O Espiritismo vemabrir os olhos e os ouvidos, porque falasem figuras e sem alegorias. Allan Kardec - ESE, Cap. VI, item 4
  4. 4. “Deus dirige um supremo apelo aos vossoscorações, por meio do Espiritismo.Escutai-o. Extirpados sejam de vossasalmas doloridas a impiedade, a mentira, oerro, a incredulidade.” (Allan Kardec - ESE, Capítulo 6, Item 7)
  5. 5. A crença no Espiritismo ajuda o homem amelhorar-se, pois, ensinando-o a suportaras provas com paciência e resignação,afasta-o dos atos que possam retardar-lhea felicidade, mas ninguém diz que, semele, não possa ela ser conseguida. (Allan Kardec - L.E., 982, comentário de Kardec)
  6. 6. Procurai no Espiritismo aquilo que vospode melhorar. Eis o essencial.Quando os homens forem melhores, asreformas sociais realmente úteis serão umaconsequência natural. Allan Kardec - Revista Espírita, fevereiro de 1862 - Cumprimentos de ano-novo
  7. 7. « O objetivo do Espiritismo é de fazermelhores aqueles que o compreendem;tratemos de dar o bom exemplo e demostrar que, para nós, a Doutrina não életra morta ; em uma palavra sejamosdignos dos bons Espíritos, se queremos queos bons Espíritos nos assistam. O bem éuma couraça contra a qual virão sempre sequebrar as armas da malevolência.» Allan Kardec - Revista Espírita, 1859, p. 183 .
  8. 8. Para admitir-nos ao banquete da supremafelicidade, Deus não pergunta o quesabemos nem o que possuímos, mas o quevalemos e o bem que fizemos. É, pois, no seu melhoramento individual que todo espírita sincero deve trabalhar, antes de tudo. Allan Kardec - Revista Espírita, agosto de 1865 - O que ensina o Espiritismo
  9. 9. Só aquele que dominou suas másinclinações realmente tirou proveito doEspiritismo e receberá a sua recompensa. Allan Kardec - Revista Espírita, agosto de 1865 - O que ensina o Espiritismo
  10. 10. A crença no Espiritismo só é proveitosapara aquele de quem se pode dizer: hojeestá melhor do que ontem. Allan Kardec - O Espiritismo em sua mais simples expressão, 38
  11. 11. Àquele que nutre contra seu próximosentimentos de animosidade, ódio, ciúme erancor, falta caridade; ele mente, se dizcristão, e ofende a Deus. Autor: Allan Kardec - Fonte: O Espiritismo em sua mais simples expressão, 58
  12. 12. ... É nos momentos críticos que se conhecemos corações sólidos, os devotamentosverdadeiros. É então que as convicçõesprofundas se distinguem das crençassuperficiais ou simuladas. Na paz não hámérito em ter coragem. Autor: Allan Kardec - Fonte: Revista Espírita, novembro de 1865 - Alocução.
  13. 13. A caridade é a alma do Espiritismo: elaresume todos os deveres do homem paraconsigo mesmo e para com os seussemelhantes; eis porque se pode dizer quenão há verdadeiro espírita sem caridade. Allan Kardec - Fonte: Revista Espírita, dezembro de 1868 - Sessão anual comemorativa dos mortos
  14. 14. Quem deseja, de maneira sincera e sériatrabalhar por sua própria melhoria, deveanalisar a caridade em seus mínimosdetalhes e por ela conformar sua conduta,pois ela se aplica a todas as circunstânciasda vida, tanto às mais simples, quanto àsmais complexas. Allan Kardec - Viagem Espírita em 1862
  15. 15. Para ser agradável a Deus basta observarsuas leis, isto é, praticar a caridade, queresume todas elas. Ora, a caridade pode serpraticada por todos. Despojar-se de todos osvícios e de todas as inclinações contrárias àcaridade é, pois, condição essencial dasalvação. Allan Kardec - Fonte: Revista Espírita, dezembro de 1868 - Sessão Comemorativa dos Mortos, na Sociedade de Paris.
  16. 16. O egoísmo, o orgulho, a vaidade, aambição, a cupidez, o ódio, a inveja, ociúme, a maledicência são para a almaervas venenosas das quais é preciso a cadadia arrancar algumas hastes, e que têmcomo antídoto: a caridade e a humildade. Allan Kardec - O Espiritismo em sua mais simples expressão - Máximas extraídas do ensinamento dos Espíritos, 37.
  17. 17. O devotamento e a abnegação são umaprece contínua e encerram um ensinamentoprofundo. A sabedoria humana residenessas duas palavras. Espírito de Verdade - O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. VI - O Cristo consolador - Consolador prometido, item 4
  18. 18. Habituai-vos a não censurar o que nãopodeis compreender e crede que Deus é justoem todas as coisas. O que vos parece ummal, muitas vezes é um bem. Tãolimitadas, porém, são as vossas faculdades,que o conjunto do grande todo não éapreendido pelos vossos sentidos obtusos. (ESE - Cap. V, item 22, Fénelon)
  19. 19. Se o homem se conformasse rigorosamentecom as leis divinas, indubitavelmente sepouparia aos mais agudos males e viveriaditoso na Terra. Allan Kardec - A Gênese, cap. III, item 5.

×