Boletim informativo nº 5

636 visualizações

Publicada em

Boletim Informativo da Biblioteca

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
636
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
56
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Boletim informativo nº 5

  1. 1. setembro / dezembro Volume 5 2.ª Edição REDE DE BIBLIOTECAS ESCOLARES Boletim Informativo (RBE) A G R U P A M E N T O D E E S C O L A S D R . Biblioteca sede L E O N A R D O C O I M B R A ( L I X A ) e Biblioteca do UM AGRUPAMENTO: DUAS BIBLIOTECAS ESCOLARES Centro Escolar da Lixa Os Professores, por José Luís PeixotoO mundo não nasceu connosco. Essa ligeira ilusão é mais um sinal daimperfeição que nos cobre os sentidos. Chegámos num dia que nãorecordamos, mas que celebramos anualmente; depois, pouco a pouco, a PLANO NACIONAL DE LEITURAneblina foi-se desfazendo nos objetos até que, por fim, conseguimosreconhecer-nos ao espelho. Nessa idade, não sabíamos o suficiente para (PNL)percebermos que não sabíamos nada. Foi então que chegaram osprofessores. Traziam todo o conhecimento do mundo que nos antecedeu. José Luís PeixotoLançaram-se na tarefa de nos atualizar com o presente da nossa espécie eda nossa civilização. Essa tarefa, sabemo-lo hoje, é infinita.O material que é trabalhado pelos professores não pode ser quantificado.Não há números ou casas decimais com suficiente precisão para medi-lo. Afalta de quantificação não é culpa dos assuntos inquantificáveis, é culpa donosso desejo de quantificar tudo. Os professores não vendem o materialque trabalham, oferecem-no. Nós, com o tempo, com os anos, com adistância entre nós e nós, somos levados a acreditar que aquilo que os Recusar a educação éprofessores nos deram nos pertenceu desde sempre. Mais do que recusar oacharmos que esse material é nosso, achamos que nós próprios somos desenvolvimentoesse material. Por ironia ou capricho, é nesse momento que o trabalho dos Nestaprofessores se efetiva. O trabalho dos professores é a generosidade. edição: Outubro: Mês Interna- 2Basta um esforço mínimo da memória, basta um plim pequenino de cional da Bibliotecagratidão para nos apercebermos do quanto devemos aos professores. Hora do Conto 3Devemos-lhes muito daquilo que somos, devemos-lhes muito de tudo. Há Visitas Guiadas 3algo de definitivo e eterno nessa missão, nesse verbo que é transmitido de Efemérides 4, 5,geração em geração, ensinado. Com as suas pastas de professores, os 6seus blazers, os seus Ford Fiesta com cadeirinha para os filhos no banco Notícias 7de trás, os professores de hoje são iguais aos de ontem. O ato que Aquisições 8, 9praticam é igual ao que foi exercido por outros professores, com outros 10penteados, que existiram há séculos ou há décadas. O conhecimento que Imprensa 11enche as páginas dos manuais aumentou e mudou, mas a essência daquilo Brevemente 12que os professores fazem mantém-se. Essência, essa palavra que os BLOGUE:professores recordam ciclicamente, essa mesma palavra que tendemos a http://pnllixa.blogspot.com/esquecer. SEGUE-NOS NO FACEBOOK: http://www.facebook.com/#!/ 1 profile.php?id=100002906364837
  2. 2. Um ataque contra os professores é sempre um ataque contra nós própriosEnvergonhem-se aqueles que dizem ter perdido a esperança. Envergonhem-se aqueles que dizemque não vale a pena lutar. Quando as dificuldades são maiores é quando o esforço para ultrapassá-las deve ser mais intenso. Sabemos que estamos aqui, o sangue atravessa-nos o corpo. Nascemosnum dia em que quase nos pareceu ter nascido o mundo inteiro. Temos a graça de uma voz,podemos usá-la para exprimir todo o entendimento do que significa estar aqui, nesta posição. Emanos de aulas teóricas, aulas práticas, no laboratório, no ginásio, em visitas de estudo, sumáriosescritos no quadro no início da aula, os professores ensinaram-nos que existe vida para lá dascertezas rígidas, opacas, que nos queiram apresentar. Se desligarmos a televisão por um instante,chegaremos facilmente à conclusão que, como nas aulas de matemática ou de filosofia, não háproblemas que disponham de uma única solução. Da mesma maneira, não há fatalidades que nãopossam ser questionadas. Excerto de um artigo publicado na Revista Visão, 13 de Outubro de 2011 Segundo os princípios estabelecidos pela International Association of School Librarian- ship - IASL, o "Mês Internacional da Biblioteca Escolar permitirá aos responsáveis pelas bibliotecas escolares, em todo o mundo, escolher um dia, em outubro, que melhor se adeque à sua situação de forma a celebrar a importância das bibliotecas escolares... ". O Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares decidiu declarar o dia 24 de outubro como o Dia da Biblioteca Escolar. (RBE) As Bibliotecas Escolares Preparam os Alunos para a Vida 2
  3. 3. Hora do Conto: “A fada Palavrinha e o gigante das Bibliotecas”Dando seguimento ao projeto “Baú dasLeituras… Viajar com os Livros”, asprofessoras bibliotecárias dinamizaram aHora do Conto, no Cento Escolar deSantão (para todos os alunos) e naBiblioteca do CEL (para os alunos do 1.ºano), com a história “A Fada Palavrinha e Horao Gigante das Bibliotecas”, de LuísaDucla Soares (o cartaz foi ricamenteelaborado pela professora Ana Paula doBastos). O Baú das Leituras ficou noCentro Escolar de Santão, para permitir Contoaos professores e alunos a utilização dealguns dos recursos da BE e pararequisição domiciliária. Com este Projeto Baúpretende-se levar o serviço de Biblioteca atodas as escolas do Agrupamento. das leituras Visitas Guiadas VISITAS GUIADASTal como tem vindo a ser tradição, as turmas do1.º ano do Centro Escolar da Lixa e do 5.º da E.B. 2, 3 foram contempladas com visitas guiadasàs respetivas Bibliotecas. Esta ação enquadra-sena formação de utilizadores, que tem comofinalidade preparar os alunos para a novarealidade escolar, dotando-os de informaçõesúteis no que respeita à utilização da BE e dassuas diferentes valências. 3
  4. 4. O dia das bruxas, é festejado na noite de 31 de Outubro. Teve origem nos antigos povos da Grã-Bretanha e Irlanda, que acreditavam que, na véspera do Dia de Todos os Santos, os espíritos voltavam para suas casas.Levado para os Estados Unidos pelos colonizadores, o Halloween é, hoje em dia, uma das festas mais popularesdo país. Fantasiados conforme manda o figurino fantasmagórico, meninos e meninas percorrem as casas vizinhasrepetindo a frase: "Trick or Treat?" (doce ou travessura), recebendo doces em troca do sossego dos donos dacasa. A Biblioteca foi decorada –com elementos assustadores– a condizer com a ocasião. A coordenação foi da professora Ana Brígida, com o apoio dos alunos do 9.º PCA, colaboradores da Biblioteca. 4
  5. 5. 11 de novembro São MartinhoO São Martinho foi celebrado, como efeméride, com a elaboração detrabalhos por parte dos alunos, na BE, baseados na Lenda de SãoMartinho. O material de trabalho foi disponibilizado a todos osdocentes. Na Biblioteca do Centro escolar da Lixa, as professorasbibliotecárias dinamizaram uma Hora do Conto alusiva à efeméride,para as duas turmas do 2.º ano. Trabalhos realizados pelos alunos 5
  6. 6. 3 de dezembroCanta quando te sentires desamparado Sugere o pica-pau dourado! Chichi na cama Avisa o lama! Bons conselhos de amigos animais de Richard Zimler; ilustração de Ber- nardo Carvalho Edição/reimpressão: 2009 Páginas: 36 Editor: Editorial Caminho ISBN: 9789722120371 Faixa etária: a partir dos 6 anos 6
  7. 7. Professora Anabela Borges edita o conto “A Tundra (Cemitério de Memórias)”A professora Anabela Borges publicou o conto “A Tundra (Cemitério de Memórias)”, com achancela da Editora Alfarroba, na sequência de ter vencido o concurso literário “Conto porConto”, no livro com o mesmo nome.O livro teve o seu primeiro lançamento em Lisboa, na Biblioteca Municipal de São Lázaro,seguindo-se a Biblioteca Municipal de Caldas da Rainha e, por fim, a Biblioteca MunicipalAlbano Sardoeira, em Amarante, terra natal da autora.Nos próximos tempos, seguir-se-á a apresentação do livro em escolas e a participação daautora em sessões de autógrafos, em feiras do livro e outros eventos.A autora ofereceu um exemplar autografado ao Agrupamento, que integrará o acervo daBiblioteca Escolar. É professora de Português do Ensino Básico e Secun- dário e, atualmente, desempenha funções de professora bibliotecária, no Agrupamento de Esco- las Dr. Leonardo Coimbra, na Lixa. CONCURSOS DO PLANO NACIONAL DE LEITURA: Concurso de Poesia Concurso Nacional de LeituraEstá lançada mais uma edição doConcurso de Poesia “Faça lá um Poe-ma”, uma iniciativa da BibliotecaEscolar com a chancela do PNL.Entrega dos poemas, na BE, até aodia 20 de janeiro de 2012.Divulgue junto dos seus alunos! 7
  8. 8. Sou Demasiado Livro recomendado para a Educação Pré-Escolar, Pequena para ir à destinado a leitura autónoma e leitura com apoio do educador ou dos pais.Escola, Lauren Child A Lola está convencida de que é demasiado peque- na para ir à escola. Com muita criatividade, Charlie, o seu irmão mais velho, convence-a a mudar de ideias. Prémios: Vencedora do Smarties Gold Award Vencedora da Kate Greenaway Medal Finalista dos Bristish Book Awards - Children´s Book of the YearAvós… Gosto muitode Vós, Anna Casalis Livro recomendado para a Educação Pré-Escolar, destinado a leitura autó- noma e leitura com apoio do educador ou dos pais. Livro destinado a leitura autónoma e/ou leitura com apoio do professor ou dos pais. Pipim tem Medo do Parte com o Pipim, a Nicas e os seus amigos à descoberta Escuro, José Saraiva de um maravilhoso mundo de aventuras, cheio de alegria, amizade e brincadeiras. Um mundo de muitas cores, tra- çado com delicadeza e ternura, onde tudo é possível. De uma forma muito simples, o autor aborda o tema do medo do escuro que é comum a muitas crianças. Na parte final, existe um conjunto de conselhos pedagógicos que dão dicas aos pais e educadores como devem comportar- se perante os medos infundados das crianças. Além dis- so, tem também algumas actividades que a criança pode resolver sozinha ou com a ajuda dos pais ou educadores. 8
  9. 9. O H perdeu uma Per- Livro recomendado para o 1º ano de escolaridade destinado a leitura orientada na sala de aula - Grau na, Ana Vicente de Dificuldade II. Hoje, às 10 horas, o H, nosso herói, habitante do abecedário, humilde, honrado e honesto, perdeu uma perna enquanto praticava natação. A perna desapareceu no horizonte. O que há-de fazer o H? "Eu vou mas é perguntar às outras letras do alfabeto se me podem ajudar. Talvez me possam dar um bocado de si próprias. Assim, eu fico outra vez um H como deve ser”.A Surpresa de Handa, Livro recomendado no programa de Português do 2º ano de escolaridade, destinado a leitura orien- Eileen Browne tada na sala de aula - Grau de Dificuldade II. A Handa mete no cesto sete frutas deliciosas para fazer uma surpresa à sua amiga Akeyo. Mas no caminho a Handa passa por muitos animais, e as frutas têm um ar muito convidativo… Quando chega junto da amiga e poisa o cesto, quem tem uma grande surpresa é a Handa!Contos de Animais com Livro recomendado no programa de Português do 3º anoManhas de Gente, Alexandre de escolaridade, destinado a leitura orientada na sala de Perafita aula - Grau de Dificuldade I. As histórias deste livro fazem parte da tradição oral. Por isso, voaram no tempo, de geração em geração, nas asas da memória dos seus narradores. Ao recriá-las para o livro, quis o escritor que outras asas as levassem mais longe. São histórias de animais que falam de gente: dos seus vícios, virtudes, diabruras. Com graça e humor, com ironia e verdades do povo. São histórias e verdades de sempre. 9
  10. 10. O Meu Livro de Experiências, Livro destinado a projetos. Porto Editora As actividades apresentadas são motivadoras e abordam temas como a solu- bilidade em água, misturas e técnicas de separação, magnetismo, flutuabili- dade, propriedades da luz, mudanças de estado, entre outros. A metodologia sugerida é diversificada e, sempre que possível, as actividades são transformadas em investigações, de acordo com as orientações do Pro- grama de Formação do Ensino Experimental das Ciências (PFEEC) para profes- sores do 1.° ciclo do ensino básico, e com a brochura de apoio ao ensino das ciências para a educação pré-escolar, editada pela DGIDC. Este livro inclui também fichas de trabalho ou de registo que podem ser foto- copiadas e utilizadas com os alunos. Apresentam-se sugestões de material de uso comum que permitem realizar todas as actividades sugeridas e é dada particular importância à segurança, a que se dedica um capítulo. A Floresta,Sophia de Mello Breyner Livro recomendado no programa de Andresen português do 5º ano de escolaridade, destinado a leitura orientada na sala de aula. Livro recomendado para os 7º, 8º e 9º anos de escolaridade, destinado a Os da Minha Rua, leitura autónoma. Há espaços que são sempre nossos. E quem os habita, Ondjaki habita também em nós. Falamos da nossa rua, desse lugar que nos acom- panha pela vida. A rua como espaço de descoberta, alegria, tristeza e ami- zade. Os da Minha Rua tem nas suas páginas tudo isso. Como num filme, sempre me acontecia isso: eu olhava as coisas e imaginava uma música triste; depois quase conseguia ver os espaços vazios encherem-se de pes- soas que fizeram parte da minha infância. De repente um jogo de futebol podia iniciar ali, a bola e tudo em câmara lenta, um dia eu vou a um médico porque eu devo ter esse problema de sempre imaginar as coisas em câmara lenta e ter ver- gonha de me dar uma vontade de lágrimas ali ao pé dos meus amigos. A escola enchia-se de crianças e até de professores, pessoas que tinham sido da minha segunda classe, da terceira… Quando alguém me tocava no ombro, as ima- gens todas desapareciam, o mundo ganhava cores reais, sons fortes e a poeira também. - Odjaki 10
  11. 11. A BE está sempre atualizada, no que toca à Imprensa: Os destaques vão ao encontro dos gostos / necessidades de professores e alunos – procure temas na área da cidadania, ou relacionados com o Planeta, ou com a vida atual… ou simples- mente, procure informação e cultura ... Passe pela BE para ler os destaques! 11
  12. 12. PRELÚDIO DE NATAL Tudo principiava pela cúmplice neblina que vinha perfumada de lenha e tangerinas Só depois se rasgava a primeira cortina E dispersa e dourada no palco das vitrinas a festa começava entre odor a resina e gosto a noz-moscada e vozes femininas A cidade ficava sob a luz vespertina pelas montras cercada de paisagens alpinas David Mourão-Ferreira A Equipa da BE deseja-lhe Boas Festas, um FelizNovas aventuras do ratomais famoso do Planeta! Uma tanganhada. Mui- Ano Novo e Boas tas vezes vi o meu pai estender a mão direita Leituras! para crianças, até para mim quando era pequeno, e dizer: dá cá uma tanganhada. Havia um compasso em que as crianças se sur- preendiam em silêncio, ficavam a olhar e, depois, devagar, esten- diam-lhe também a mão. José Luís Peixoto 12

×