O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

(1) sociedade teosófica parte i - apresentação

1.628 visualizações

Publicada em

Introdução ao Conhecimento Teosófico; diferença entre Teosofia e Sociedade Teosófica; os três objetivos da Sociedade Teosófica; histórico do movimento teosófico no mundo.

Publicada em: Espiritual

(1) sociedade teosófica parte i - apresentação

  1. 1. SOCIEDADE TEOSÓFICA PARTE I
  2. 2. Sociedade Teosófica Nossa História, nossa Missão Índice: Parte I Sociedade Teosófica - Apresentação Parte II A Unidade da Vida – Parte I A Unidade da Vida – Parte II - Depoimentos A Unidade da Vida – Parte III - HPB Parte III O Movimento Teosófico Parte IV Helena Petrovna Blavatsky Parte V A Doutrina Secreta – Parte I - Cosmogênese A Doutrina Secreta – Parte II – Antropogênese A Doutrina Secreta – Parte III – Antropogênese
  3. 3. UM POUCO DA HISTÓRIA A Sociedade Teosófica foi fundada em Nova Iorque, em 17 de novembro de 1875, por um pequeno grupo, entre os quais se destacavam a Sra. Helena Petrovna Blavatsky e o Cel. Henry Steel Olcott, seu primeiro Presidente. Nos primeiros anos após sua fundação, a ST enfrentou dificuldades para a expansão de seu trabalho. Segundo o Cel. Olcott, a ST esteve durante algum tempo reduzida a um pequeno número de membros.
  4. 4. UM POUCO DA HISTÓRIA Em 1878 o Cel Olcott e a Sra. Blavatsky partiram para a Índia, onde viajaram de Norte a Sul fundando várias Lojas da ST. Em 3 de abril de 1905, foi estabelecida legalmente a sede internacional na cidade de Madras (Chennaí), no Sul da Índia. Este local é até hoje, sua sede internacional e principal centro de trabalho, é mais conhecido como "Adyar", nome do bairro no qual está situado.
  5. 5. SOCIEDADE TEOSÓFICA ORGANIZAÇÃO E ATIVIDADES
  6. 6. SOCIEDADE TEOSÓFICA ORGANIZAÇÃO E ATIVIDADES • Ao longo de seus quase 140 anos de existência, a Sociedade Teosófica espalhou-se por cerca de sessenta países em todos os continentes. • Internacionalmente, a ST está organizada basicamente em Seções Nacionais, e estas, por sua vez, compõem-se de Lojas e Grupos de Estudos. • A maioria das Lojas e Grupos da ST realiza reuniões públicas com palestras, cursos, debates e outros eventos deste tipo, bem como atividades de confraternização entre os seus membros e simpatizantes. • Além disso, em geral, contam com bibliotecas para facilitar estudos e pesquisas. • Contudo, é importante ter-se sempre presente o fato de que existe abertura para novas atividades e as que hoje se desenvolvem podem ser ampliadas e enriquecidas.
  7. 7. OBJETIVOS DA SOCIEDADE TEOSÓFICA
  8. 8. PRIMEIRO OBJETIVO: A FRATERNIDADE HUMANA • Desde os primeiros dias de sua fundação, no século XIX, a ST estruturou-se sobre o amplo princípio humanitário da Fraternidade Universal; "uma instituição que se fizesse conhecida em todo o mundo e cativasse a atenção das mentes mais elevadas". • Encontra-se nos escritos daqueles primeiros tempos a afirmação de que "é a Humanidade que é a grande Órfã, a única deserdada sobre esta Terra - e é dever de todo homem capaz de um impulso altruísta fazer algo, por menor que seja, pelo seu bem-estar". • Por esta razão, o seu primeiro objetivo está formulado da seguinte maneira: 1. Formar um núcleo da Fraternidade Universal da Humanidade, sem distinção de raça, credo, sexo, casta ou cor.
  9. 9. SEGUNDO E TERCEIRO OBJETIVOS: A BUSCA DA VERDADE • O segundo e terceiro objetivos da Sociedade Teosófica apontam, claramente, na direção de uma "livre e corajosa investigação da Verdade” e estão formulados como segue: 2. Encorajar o estudo de Religião Comparada, Filosofia e Ciência, e 3. Investigar as leis inexplicadas da Natureza e os poderes latentes no homem.
  10. 10. TEOSOFIA E A SOCIEDADE TEOSÓFICA
  11. 11. TEOSOFIA E A SOCIEDADE TEOSÓFICA • TEOSOFIA é uma Sabedoria que existe na Natureza e que não deriva da autoridade. • É espontânea como a beleza das árvores, a limpidez do céu azul e a delicadeza das flores. • Ela existe e cada indivíduo deve procurar descobrir por si a sua beleza e a ela responder. • Da mesma maneira, há nas coisas naturais uma certa ordem, uma Sabedoria que deve ser discernida e que está incorporada em todos e ao redor de nós. • Mas está reservado a cada ser o descobrir por si essa Sabedoria.
  12. 12. TEOSOFIA E A SOCIEDADE TEOSÓFICA • Se a Teosofia é uma Sabedoria da Natureza, deve ter havido sempre algumas mentes que se tornaram cônscias de aspectos dessa Sabedoria. • Por ter sido elaborada por muitas mentes, por distintos povos no passado, sofreu muitas transformações, reapresentando-se sob novas formas de expressão e representação simbólica. • Tudo isso está implícito na palavra "Teosofia". Teosofia é toda a herança da verdade - uma síntese de tudo o que tem sido dito ou escrito sobre a Verdade. • Representa o nosso entendimento da Sabedoria e, ao mesmo tempo, é a síntese de tudo aquilo que é verdadeiro em toda a ciência, filosofia ou religião.
  13. 13. TEOSOFIA E A SOCIEDADE TEOSÓFICA • Para que se possa compreender satisfatoriamente a Sociedade Teosófica e o seu trabalho, é necessário entender o significado da palavra Teosofia. • Em primeiro lugar, cumpre esclarecer que a ST não é uma religião e a Teosofia não é um credo ou doutrina. Este fato já está evidenciado no primeiro objetivo da ST. • Os outros dois objetivos da ST, bem como o seu lema, também não dão margem a qualquer espécie de sectarismo em relação a uma doutrina, seja ela qual for. • Todos eles indicam que a palavra Teosofia significa, essencialmente, uma autêntica vivência ou realização direta da Verdade.
  14. 14. TEOSOFIA E A SOCIEDADE TEOSÓFICA • Esta possibilidade de conhecimento - que é tratada na ST como uma hipótese - uma vez alcançada, implicaria, necessariamente, a realização simultânea de uma Sabedoria ("sophia") transcendente e sublime; e as pessoas que a alcançam são, por isto mesmo, referidas como divinas ("theos", do grego "deuses"). • Assim, a palavra Teosofia significa, em essência, o verdadeiro e puro Altruísmo ou Sabedoria. • Cabe lembrar ainda que a ST não define o que seja esta Sabedoria, pois, se o fizesse, estaria formulando uma doutrina, e a aceitação desta doutrina não implicaria na realização da Teosofia, mas, tão somente, na adoção de um novo credo.
  15. 15. TEOSOFIA E O PROPÓSITO DA VIDA
  16. 16. A TEOSOFIA E O PROPÓSITO DA VIDA • Teosofia pode ser resumida como o Conhecimento de Deus, o Princípio Divino ou Universal, com o qual todos os homens podem conseguir a união. • Esta união se realiza através de um lento processo, que implica no gradual desenvolvimento da consciência do homem, a captação sempre crescente no Plano Divino para toda a humanidade e uma ativa e espontânea cooperação com a Grande Lei, mediante a qual o Plano se realiza. • Ao reconhecer o vasto esquema evolutivo desenvolvido o homem pode compreender melhor a divindade latente em seu interior e obter uma serenidade duradoura, esforçando-se por colaborar com esse Plano, não só para si como para tudo o que vive. • Pois o homem não pode encontrar uma felicidade total e duradoura ao trabalhar somente para sustentar a vida no corpo, o prazer e a diversão, as inquietudes intelectuais e ainda o calor e beleza da vida familiar, por mais maravilhosa que ela possa ser.
  17. 17. TEOSOFIA UMA SABEDORIA VIVA
  18. 18. TEOSOFIA UMA SABEDORIA VIVA • A origem da palavra Theosophia é grega e significa primária e literalmente Sabedoria Divina. • Foi cunhada em Alexandria, no Egito, no século III d.C. por Amônio Saccas e seu discípulo Plotino que eram filósofos neoplatônicos. • Eles fundaram a Escola Teosófica Eclética e também eram chamados de Philaletheus (Amantes da Verdade) e Analogistas, porque não buscavam a Sabedoria apenas nos livros, mas através de analogias e correspondências da alma humana com o mundo externo e os fenômenos da Natureza.
  19. 19. TEOSOFIA UMA SABEDORIA VIVA • Os hindus chamam esse sistema de conhecimento BrahmaVydia — A Sabedoria de Brahman. • Os egípcios também a conheciam e citavam como seu criador Pot Amoun, que viveu no início da dinastia dos Ptolomeus. • Os mistérios (Escolas de Sabedoria) de Ísis eram o veículo da transmissão desses conhecimentos. • Os gregos tiveram plena ciência dela. Os mistérios de Delfos, Elêusis Deméter, Dionísio e tantos outros, difundidos pela Grécia e Ásia Menor, atestam isso perfeitamente. • Na Sicília o grande Pitágoras a explicava aos discípulos envolta na simbologia dos números e formas.
  20. 20. TEOSOFIA UMA SABEDORIA VIVA • Havia em Roma os mistérios de Cibele, Atis e Ceres. • Em Alexandria os já citados neoplatônicos Amônio Saccas, Plotino, Porfírio, Jâmblico. • No gnosticismo com Valentim e Basíledes. • Entre os místicos de todas as épocas a Teosofia está revelada, constitui a Filosofia Perene de Leibnitz que embebe todas as filosofias. Ruysbroeck, Santa Gertrudes, Mestre Eckhart, Hildegarda, Suso, Jacob Boehme, Catarina de Siena, São Francisco de Assis, Francisco Sales, no Ocidente; Patanjali, Viasa, Mahavira, Sankara, Valmiki, Lao-Tsé, Padma-Sambhava, Milarepa, Nargajuna, e tantos outros, no Oriente, são os que mais se destacam.
  21. 21. TEOSOFIA UMA SABEDORIA VIVA • Em suma, em todo o mundo, se cavarmos as camadas superpostas que constituem o conhecimento humano, encontraremos a base comum na Teosofia, raiz desse conhecimento. • Teosofia, portanto, é uma Sabedoria Viva, o ideal que o verdadeiro teósofo busca alcançar e manifestar em sua vida diária como serviço à Humanidade. • Com relação ao papel da Sociedade Teosófica, H.P.B. nos lembra o seguinte: “A Sociedade Teosófica não possui nenhuma sabedoria própria para sustentar ou ensinar. • Simplesmente é a depositária de todas as verdades proclamadas pelos grandes videntes, iniciados e profetas de todas as épocas históricas e mesmo pré-históricas”.
  22. 22. SÍMBOLO DA SOCIEDADE TEOSÓFICA
  23. 23. “Não há Religião Superior à Verdade” • Este é o lema da Sociedade Teosófica, o qual foi traduzido do sânscrito por: “Satyãt Nãsti Paro Dharma”. • A palavra "dharma" foi traduzida como religião, mas também significa, entre outras coisas, uma doutrina de qualquer natureza. • Portanto, em sentido amplo, o lema da ST afirma que não há doutrina superior à Verdade.
  24. 24. O SÍMBOLO DA SOCIEDADE TEOSÓFICA É UMA PERFEITA EQUAÇÃO ALGÉBRICA COM TODOS OS TERMOS EXPRESSOS ENCERRANDO UMA INFINIDADE DE VALORES, REPRESENTANDO A INTENÇÃO DA TEOSOFIA DE REDIMIR A HUMANIDADE DA MISÉRIA, AFLIÇÃO E PECADOS, FRUTOS DA IGNORÂNCIA, CAUSA DE TODO MAL.
  25. 25. • Na parte superior do emblema encontra-se a sílaba sagrada AUM, em sânscrito, é a representação gráfica e sonora (OM) do mistério do PRÍNCIPIO UNO, manifestado em seus três aspectos - A Trindade. • Na Índia é a palavra mais sagrada de todas, chamada “Pranava”. É o nome místico da Divindade. A letra "A" representa o nome de Vishnu (Preservador); "U", o nome de Shiva (Destruidor), e M, o de Brahmâ (Criador); • Todas as grandes religiões falam da Trindade embora dando nomes diferentes. • No Cristianismo, são: PAI, FILHO e ESPÍRITO SANTO. • Na Teosofia: 1º, 2º e 3º LOGOS. Shiva
  26. 26. • Os dois triângulos equiláteros entrelaçados simbolizam o Universo como dualidade Espírito Matéria. • O de vértice para cima é o do Fogo, Espírito ou Pai; o de vértice para baixo é o da Água, Matéria ou Mãe. • Os lados do triângulo do Fogo, entre outras coisas significam Existência, Consciência e BemAventurança. • Os do triângulo da Água significam as três características da Matéria: Inércia, Movimento e Equilíbrio. • Os doze lados iguais formados pelo cruzamento das linhas da figura consideradas em conjunto, representam os "dozes deuses" da Cabala e de outras religiões antigas, os doze signos do Zodíaco, os doze meses do ano.
  27. 27. • A cruz Ansata simboliza o Espírito mergulhado na Matéria e nela está crucificado, porém que ressuscitou da morte permanecendo triunfante nos braços do vitimário já vencido e, por isso, é considerada a "Cruz da Vida", o símbolo da Imortalidade. Thot Hermes segurando a cruz Ansata
  28. 28. • A cruz Suástica (cruz alada ou cruz de fogo) é o símbolo da energia vertiginosa que cria um Universo. • Ao contrário do que muitos acreditam, a suástica é usada há mais de três mil anos pelos chineses, tibetanos, e por antigas nações germânicas; encontrada também entre os mosteiros budistas; usada como símbolo do budismo esotérico, figurando a frente de todos os símbolos religiosos de todas as nações antigas, sendo o mais sagrado e místico símbolo da Índia. • Tem estreita relação e até identidade com a cruz cristã. • Como diagrama místico de bom augúrio a "svástika“, signo de saúde, não mantém relação alguma com o símbolo usado na Segunda Grande Guerra.
  29. 29. • Ouroboros (ou oroboro ou ainda uróboro) é um símbolo representado por uma serpente, ou um dragão, que morde a própria cauda. • É o milenar símbolo da Eternidade, o círculo sem começo nem fim em que todos os universos crescem e declinam, nascem e morrem.
  30. 30. Para finalizarmos esta primeira apresentação da série, “Nossa História, nossa Missão”, queremos deixar a todos, no próximo slide, três conceitos de elevada sabedoria. Eles praticamente sintetizam a missão, o papel e razão da existência da Sociedade Teosófica no mundo.
  31. 31. TRÊS VERDADES TÃO GRANDES COMO A PRÓPRIA VIDA 1. A alma do homem é imortal, e o seu futuro é o futuro de algo cujo progresso e esplendor não têm limites. 2. O princípio que dá a vida está em nós e fora de nós, é imortal e eternamente benfazejo, não é ouvido, nem visto, nem sentido, mas é percebido pelo homem que deseja a percepção. 3. Cada homem é seu próprio legislador, o dispensador de glória ou de sombra a si mesmo - aquele que decreta sua vida, sua recompensa e seu castigo. Estas Verdades são tão simples como a mente mais simples do homem
  32. 32. F IM DA P ARTE I Sociedade Teosófica - Apresentação

×