Contabilidade e gestão ambiental aula 02

230 visualizações

Publicada em

Contabilização de eventos ambientais

Publicada em: Meio ambiente
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
230
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Contabilidade e gestão ambiental aula 02

  1. 1. CONTABILIDADE E GESTÃO AMBIENTAL Profª MSc Graciele Caetano
  2. 2. O que é meio ambiente?
  3. 3. • Meio ambiente pode ser definido como conjunto de elementos bióticos (organismos vivos) e abióticos (energia solar, solo, água e ar), que integram a camada da Terra chamada biosfera, lar dos seres vivos. Tinoco, 2004
  4. 4. •Na ecologia, o meio ambiente é o panorama animado ou inanimado onde se desenvolve a vida de um organismo. •A ecologia tem como objeto de estudo as relações entre os organismos e o ambiente envolvente.
  5. 5. • Meio ambiente é um conjunto de unidades ecológicas que funcionam como um sistema natural, e incluem toda a vegetação, animais, solo, rochas, atmosfera e fenômenos naturais que podem ocorrer em seus limites.
  6. 6. • Para as Nações Unidas, meio ambiente é o conjunto de componentes físicos, químicos, biológicos e sociais capazes de causar efeitos diretos ou indiretos, em um prazo curto ou longo, sobre os seres vivos e as atividades humanas.
  7. 7. • O meio ambiente tem sido a grande preocupação de todas as comunidades do nosso planeta nas últimas décadas, seja pelas mudanças provocadas pela ação do homem na natureza, seja pela resposta que a natureza dá a essas ações.
  8. 8. •O planeta Terra, de forma gradual, durante séculos modificou-se, porque o homem, para promover seu desenvolvimento econômico, sem qualquer preocupação com a preservação do meio ambiente e sem o mínimo de controle, substitui o que a natureza concedeu, por meios artificiais.
  9. 9. • A aplicação destes meios artificiais, na natureza, pode causar desastres ecológicos. E desta forma um desastre ecológico pode ser definido como: “um acidente natural ou não, que causa danos aos elementos do meio ambiente”
  10. 10. CONSEQUÊNCIAS AMBIENTAIS • Tinoco (2004), em um relato sobre acidentes com o meio ambiente, comenta que o primeiro caso registrado ocorreu na Bélgica em 1930. • Cerca de 70 pessoas morreram e centenas de outras pessoas ficaram enfermas, ao final de cinco dias.
  11. 11. CONSEQUÊNCIAS AMBIENTAIS • Nos anos 50, um acidente com derramamento de mercúrio em Minamata (Japão), deixa 700 mortos e 9000 doentes crônicos.
  12. 12. Em 1976 ocorreu um grande incêndio numa indústria de pesticida. Após cinco dias, as crianças começam a aparecer doentes. As mulheres grávidas geram, meses mais tarde, crianças sem cérebro e com deformações físicas diversas. Mais ou menos 5000 italianos teriam sido vítimas desse acidente. CONSEQUÊNCIAS AMBIENTAIS
  13. 13. Na Índia, em 1984, ocorre um vazamento acidental de gás metil-isocianato nas instalações da multinacional Union Carbide, em Bhopal. Morreram 3.323 pessoas, 35.000 ficaram doentes crônicos e foram retiradas com urgência 200.000 pessoas. CONSEQUÊNCIAS AMBIENTAIS
  14. 14. No dia 26 de abril de 1986, um acidente com o reator número 4 da usina nuclear da cidade de Chernobyl, na Ucrânia, tornou-se o maior do gênero na história da humanidade. CONSEQUÊNCIAS AMBIENTAIS
  15. 15. Imediatamente, 300 pessoas morreram e milhares foram evacuadas em uma ação de emergência. No prazo de cinco anos, supõe-se que o acidente provocou câncer em cerca de 135.000 pessoas e nos próximos 150 anos em seus descendentes por mutação genéticas.
  16. 16. Com a radiação ainda alta, a cidade se tornou fantasma desde o ano da explosão
  17. 17. No início da década de 80, percebeu-se que a camada ozônio sobre a Antártida estava diminuindo a níveis que exigiam atenção. Em 1985, uma equipe de cientistas britânicos, liderada pelo físico Joseph Farman, anunciou a descoberta de um buraco na camada de ozônio. CONSEQUÊNCIAS AMBIENTAIS
  18. 18. Editoria: Mudanças Climáticas 20/set/2010
  19. 19. Caso Césio 137
  20. 20. Em janeiro de 2001, há vazamento de óleo na Serra do Mar pela Petrobrás. Foram derramados 50 mil litros de óleo. Atingiu um dos trechos da Mata Atlântica, considerada reserva da biosfera pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e Cultura). CONSEQUÊNCIAS AMBIENTAIS
  21. 21. • Mar 2001 – Vazamento de 57 mil litros de óleo diesel do poliduto Olipar, na Serra do Mar, que liga a Repar ao Porto de Paranaguá. Petrobras aceita acordo para pagar R$ 102 milhões em indenização. • Abr 2010 – Explosão de uma plataforma da British Petroleum causa o vazamento de 750 milhões de litros de óleo no Golfo do México (EUA). A empresa fez um termo em 2012 para pagar US$ 4,5 bilhões (R$ 9,3 bilhões, à época).
  22. 22. • Nov 2011 e Mar 2012 – Cerca de 500 mil litros de óleo vazam de um campo da Chevron, na Bacia de Campos (RJ). A petrolífera aceita pagar R$ 311 milhões em indenização.
  23. 23. PROBLEMAS AMBIENTAIS Os problemas ambientais são consequência direta da intervenção humana nos diferentes ecossistemas da Terra, causando desequilíbrios no meio ambiente e comprometendo a qualidade de vida.
  24. 24. PROBLEMAS AMBIENTAIS Chuva ácida • Provocada pela produção de gases lançados na atmosfera. • Há agentes naturais que fazem isso (vulcões). • A atividade humana é a principal causadora do fenômeno.
  25. 25. www.vivaterra.org.br
  26. 26. PROBLEMAS AMBIENTAIS • Desmatamento • Uma das intervenções humanas que mais prejudicam o planeta. Pode causar sérios danos ao clima, à biodiversidade e às pessoas. Desmatar prejudica os ecossistemas e leva à extinção de centenas de espécies. Árvores são grandes absorvedoras de dióxido de carbono, um dos gases causadores do efeito estufa.
  27. 27. PROBLEMAS AMBIENTAIS • Efeito estufa • É um mecanismo atmosférico natural que mantém o planeta aquecido nos limites de temperatura necessários à preservação da vida. Se não houvesse a proteção do efeito estufa, os raios solares que aquecem o planeta seriam refletidos para o espaço e a Terra apresentaria temperaturas médias abaixo de -10oC.
  28. 28. www.brasilescola.com
  29. 29. PROBLEMAS AMBIENTAIS • Aquecimento global Trata-se do aumento da temperatura média da superfície terrestre. Alguns cientistas acreditam que, em breve, as temperaturas médias poderão estar entre 1,4oC e 5,8oC mais altas, quando comparadas às temperaturas de 1990.
  30. 30. www.brasilescola.com
  31. 31. PROBLEMAS AMBIENTAIS • Buraco na camada de ozônio • O gás ozônio envolve a Terra na forma de uma frágil camada que protege a vida da ação dos raios ultravioleta. Esses por sua vez, causam mutações nos seres vivos, modificando as moléculas de DNA. • Em seres humanos, o excesso de ultravioleta pode causar câncer de pele e afetar o sistema imunológico.
  32. 32. A PREOCUPAÇÃO AMBIENTAL • Os problemas ambientais não passaram a existir somente após a Revolução Industrial, mas é inegável que os impactos da ação dos seres humanos ampliaram violentamente com o desenvolvimento tecnológico e com o aumento da população mundial provocados por essa Revolução.
  33. 33. A PREOCUPAÇÃO AMBIENTAL • Nos anos 1940 que começaram a surgir as primeiras manifestações de preocupação com a Terra, atravessando hoje todas as fronteiras para uma conscientização educacional de preservação.
  34. 34. A PREOCUPAÇÃO AMBIENTAL • O livro “Primavera Silenciosa” (“Silent Spring”), de Raquel Carson, publicado em 1962, foi a primeira reação, ou a primeira crítica mundialmente conhecida dos efeitos ecológicos da utilização generalizada de insumos químicos e do despejo de dejetos industriais no ambiente.
  35. 35. A PREOCUPAÇÃO AMBIENTAL • Em 1968, o “Clube de Roma” publicou um relatório chamado “Os Limites do Crescimento”, onde se fazia uma previsão bastante pessimista do futuro da humanidade, caso as bases do modelo de exploração não fossem modificadas. Também nessa época nasce o Conselho para a Educação Ambiental, no Reino Unido.
  36. 36. A PREOCUPAÇÃO AMBIENTAL • Nos anos 70, outros autores estenderam as críticas ao modelo de produção, incluindo o crescimento das desigualdades econômico- sociais, erosão de solos, poluição da água, aumento no número de pragas e doenças, destruição de diversos tipos de habitat natural, erosão geológica, acúmulo de lixo e aumento da instabilidade econômica e social.
  37. 37. A PREOCUPAÇÃO AMBIENTAL • Nessa época, no Brasil, o Conselho Federal de Educação tornou obrigatória a disciplina de Ciências Ambientais em cursos universitários de Engenharia.
  38. 38. A PREOCUPAÇÃO AMBIENTAL • Dentro desse processo dinâmico de discussão, esboçaram-se os conceitos Sustentabilidade e Desenvolvimento Sustentável, como a base teórica para repensar a questão do crescimento econômico e do desenvolvimento.
  39. 39. A PREOCUPAÇÃO AMBIENTAL • A profunda crise econômica da década de 80 amplia ainda mais a distância entre os países desenvolvidos e em desenvolvimento, ao mesmo tempo em que agrava os problemas ambientais mundialmente.
  40. 40. • Em 1988, a Constituição da República Federativa do Brasil, dedicou o Capítulo VI ao meio ambiente e no Art. 225, inciso VI, determina ao poder público promover a educação ambiental em todos os níveis de ensino.
  41. 41. A PREOCUPAÇÃO AMBIENTAL • Nos anos 90, o processo de globalização da economia iniciado nas décadas anteriores tornou-se realidade. • Grandes corporações internacionais passam a dominar o cenário econômico mundial.
  42. 42. ECO-92 • Em função dos impactos da globalização da economia, os países do Hemisfério Norte e os do Sul chegam à ECO-92 com posições bastante diferentes. • Os países do Norte se centravam na avaliação de que os problemas ambientais são globais; sendo assim, é necessário compartilhar responsabilidades (e os custos financeiros para resolvê-los) entre todos os países.
  43. 43. ECO-92 • Já os países do Hemisfério Sul priorizavam as discussões sobre desenvolvimento para atingirem níveis sócio econômicos razoáveis: “A preservação não pode impedir o desenvolvimento econômico e social”.
  44. 44. Protocolo de Kyoto • Em 1997, na cidade Kyoto( Japão), ocorreu a Convenção de Mudanças Climáticas das Nações Unidas. • O objetivo foi discutir a diminuição da emissão de gases que contribuem para o efeito estufa na atmosfera e o aquecimento global.
  45. 45. • Contabilidade do Meio Ambiente passou a ter status de um novo ramo da ciência contábil em fevereiro de 1998, com a finalização do “relatório financeiro e contábil sobre passivo e custos ambientais”.
  46. 46. A Empresa e o Meio Ambiente • Franco (1999), afirma que “as empresas que protegem o meio ambiente são bem vistas pelo consumidor e por investidores, já havendo, em alguns países, fundos especializados em investir nestas empresas. • Esses fundos têm crescido e apresentado rentabilidade, porque as empresas são também mais lucrativas.”
  47. 47. A Empresa e o Meio Ambiente • O interesse com a preservação do meio ambiente, além de favorecer a empresa e garantir seu perpetuar na sociedade, traz consideráveis melhorias na vida de todos os cidadãos. • Na visão de Barbieri (1997), o crescimento da consciência ambiental, ao modificar os padrões de consumo, constitui uma das mais importantes armas em defesa do meio ambiente.
  48. 48. A Empresa e o Meio Ambiente • Quando a empresa busca captar oportunidades entre o crescente contingente de consumidores responsáveis, através de ações legítimas e verdadeiras, essas ações tendem a reforçar ainda mais a consciência ambiental, criando um círculo virtuoso, na qual a atuação mercadológica, marketing verde, como querem alguns, torna-se um instrumento de educação ambiental. Barbieri (1997)
  49. 49. • Entre os benefícios de um sistema de Gestão Ambiental em empresas, estão o aumento das possibilidades de financiamento, a captação de novos clientes e o aumento da qualidade dos produtos e serviços.
  50. 50. REFLEXÃO • Relatório Stern: Se nada for feito, as perdas anuais decorrentes dos impactos das mudanças climáticas serão equivalentes a, no mínimo, 5% do PIB mundial. Considerando-se os custos e riscos indiretos, o percentual poderá alcançar 20% do PIB mundial. • Por outro lado, o custo da implementação de medidas preventivas, tais como: adoção de novas tecnologias; revisão do modelo energético; alteração de padrões de consumo, não superaria 1% do PIB mundial.
  51. 51. • Na Conferência de Bali na Indonésia em dezembro de 2007 foi estabelecido outra forma de projeto que é o de preservação de uma floresta ou reflorestamento. • Isso gera créditos de carbono que também podem ser negociados com os países que fazem parte do protocolo conhecido como mercado voluntário.
  52. 52. • É necessário que se busque um equilíbrio ecológico, mas não se esqueça de modo algum dos problemas de ordem social, como a fome, a ignorância e as precárias condições de vida que afligem os países pobres.
  53. 53. FIM

×