O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Estrutura do Frei_Luis_de_Sousa

4.158 visualizações

Publicada em

Estrutura do "Frei Luís de Sousa", de Almeida Garrett.

Publicada em: Educação
  • Entre para ver os comentários

Estrutura do Frei_Luis_de_Sousa

  1. 1. Estrutura do "Frei Luís de Sousa" Estrutura externa Estrutura interna ACTO I (12 cenas) ESPAÇO Palácio de Manuel de Sousa Coutinho, em Almada (elegante, luxuoso, com boa luminosidade devido às largas janelas abertas sobre o Tejo). TEMPO 27de Julho de 1599 [“(…) a que se apega esta vossa credulidade de sete… e hoje mais catorze… vinte e um anos?” (Madalena, Acto I, Cena II)]. Exposição Conflito Desenlace Nas cenas I a IV, Madalena e Telmo fornecem informação acerca de acontecimentos do passado (contextualizam a acção). Nas cenas V a VIII, Frei Jorge informa que o palácio será ocupado pelos governadores e Manuel de Sousa decide incendiá-lo para não os receber. Nas cenas IX a XII, durante o incêndio, arde o retrato de Manuel de Sousa e as personagens abandonam o palácio. ACTO II (15 cenas) ESPAÇO Palácio de D. João de Portugal, em Almada (antigo, melancólico e escuro; sala dos retratos). TEMPO 4 de Agosto de 1599 [oito dias depois: “… há oito dias que aqui estamos nesta casa…” (Maria, Acto II, Cena I); “Hoje… hoje! (…) É um dia fatal para mim: faz hoje anos que… que casei a primeira vez, faz anos que se perdeu el-rei D. Sebastião, e faz anos também que… vi pela primeira vez a Manuel de Sousa.” (Madalena, Acto II, Cena X)]. Exposição Conflito Desenlace Nas cenas I a III, já na sala dos retratos do palácio de D. João, Maria recorda a noite do incêndio, mostra especial interesse pelo retrato de D. João e questiona Telmo sobre aquela personagem. Nas cenas IV a VIII, Manuel de Sousa, Maria e Telmo partem para Lisboa, deixando Madalena sozinha com Frei Jorge, a quem manifesta as suas inquietações e superstições em relação àquele dia (sexta-feira). Nas cenas IX a XV, Madalena pressente a desgraça ligada à fatalidade daquele dia e assiste-se à chegada do Romeiro que será reconhecido por Frei Jorge como D. João de Portugal. ACTO III (12 cenas) ESPAÇO Parte baixa do Palácio de D. João de Portugal (espaço interior austero e sem ornamentos). TEMPO 5 de Agosto de 1599 [madrugada: “(…) É alta noite. (…) (didascália que antecede o Acto III]. Exposição Conflito Desenlace Na cena I, em conversa com Frei Jorge, Manuel de Sousa responsabiliza- -se pela situação e decide a entrada do casal para o convento. Nas cenas II a IX, o Romeiro identifica-se a Telmo e tenta remediar a o mal causado pela sua chegada, Madalena tenta evitar a separação, acabando por se resignar e aceitar a decisão de Manuel de Sousa. Nas cenas X a XII, dá-se o desenlace: o casal toma o hábito e Maria morre.

×