Revista Amazonas Faz Ciência (Fapeam)

741 visualizações

Publicada em

Matéria sobre o Mediação - Grupo de Pesquisa em Semiótica da Comunicação na edição 19 da revista Amazonas Faz Ciência, da Fapeam.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
741
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Revista Amazonas Faz Ciência (Fapeam)

  1. 1. N0 19 Ano 7 [distribuição gratuita] ISSN 1981 3198 Manaus, janeiro a março de 2011 INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Empresas amazonenses desenvolvem novos produtos e processos por meio de pesquisasOBSERVATÓRIO TUBERcUlOSE BIOPRODUTOSFloresta Amazônica ganha Amazonas avança em Rede Bionorte investe em potencialtorres de monitoramento diagnóstico e tratamento da diversidade amazônicaPág. 43 Pág. 50 Pág. 26
  2. 2. SUMÁRIOESPAÇO DO lEITOR MUlTIMÍDIA cAPA TORRE ENTREVISTA Inovação em empresas Observatório será instalado Governador apresenta |07 lEITURA AcENTUADA sustentáveis no centro da floresta perspectivas para a ciência |18 |30 |43 |55cANAl cIÊNcIA PcE DOMINÓ NA REDE IDENTIDADE Estudantes despertam para A cIÊNcIA RESPONDE Pesquisa desenvolve jogo Saiba quem foi o cientista |08 a ciência no Amazonas na era virtual Adolpho Ducke |19 |37 |47 |58A GUERRA DO BEM REcURSOS PESQUEIROS VIDA DE INSETO SAÚDECientistas identificam ciência e aquicultura Estudo mapeia população Amazonas na luta contra aantifúngicos em solo amazônico juntas em pesquisa de insetos aquáticos tuberculose |10 |23 |38 |50PRIMEIROS PROJETOS BIOTEcNOlOGIAGrupo investiga temas em Cura e beleza na flora cIÊNcIA NA SUA MÃO VIDA DE cIENTISTAcomunicação urbana amazônica |14 |26 |42 |54 Editora-chefe Revisão FAPEAM Odenildo Teixeira Sena cristiane Barbosa (MTb 092/AM) cecy Simões, Edilson Soares e Jesua Maia Travessa do Dera, s/n - Flores Secretário de Estado de Ciência e cEP 69058-793, Manaus - AM Tecnologia - SECT e Diretor-presidente Editora-executiva Tel. (92) 3878-4000/4011 da Fundação de Amparo à Pesquisa do Alessandra leite Colaboradores e-mail: decon@fapeam.am.gov.br Estado do Amazonas - FAPEAM Anamaria leventi, Dalva Berquet, Fábio www.fapeam.am.gov.br Editoria de Arte Guimarães, Fabíola Menezes, Edilene Twitter: www.twitter.com/fapeam Maria Olívia de Albuquerque Simão DIRETORA TÉcNIcO-cIENTÍFIcA Suellen Freitas (Projeto Gráfico/ Mafra, Margarete Rocha, Milena Menta, Diagramação) e Rômulo Porto Sebastião Alves Filho e Ulysses Varela É permitida a reprodução dos textos, Adalberto Moreira da Silva Júnior (Publicidade) desde que citados os autores e a fonte. DIRETOR ADMINISTRATIVO-FINANcEIRO Impressão Fotos Gráfica Geal Publicação Trimestral da Fapeam Ricardo Oliveira desenvolvida pelo Departamento Ulysses Varela de Difusão do conhecimento - DEcON Dalva Berquet
  3. 3. PRIMEIROS PROJETOS Comunicação urbana em movimento no Amazonas mais! saiba Projetos de iniciação cientíFica Considerado uma forma de expressão no âmbito artístico, o grafite hoje está Projetos sob coordenação de inserido no mundo das artes visuais da área urbana. Neste espaço, o artista Mirna Feitoza Perreira/UFaM Projetos sob coordenação de cria linguagens intencionais para interferir no dia a dia das cidades antonio Heliberto catalão júnior – UFaM/Parintins Projeto de PesqUisa do GrUPo Mediação Por Cristiane BarBosa • Espaços semióticos urbanos: um estudo da co- • Amazônia em O nome da morte: uma caracteriza- municação a partir das interferências do espaço ur- ção dialógica. E les estão na maioria dos mu- contribuição diferenciada às discus- sala de aula. “Sempre tive interesse por bano na dinâmica dos sistemas de signos. • Amazônia em Chico Mendes - crime e castigo: ros e prédios das cidades. sões científicas em torno da com- essas manifestações no espaço urbano uma caracterização dialógica. Com multicores e em forma- preensão do espaço na cultura con- e, com essa pesquisa, estou aprofun- iniciações cientíFicas vincUladas • Amazônia em Direto da selva: uma caracteri- tos variados, despertam a curiosidade temporânea, especialmente na área dando ainda mais meus conhecimen- • Grafite como linguagem: um estudo da co- zação dialógica. das pessoas que passam e observam da comunicação, onde a pesquisa e o tos científicos sobre o tema”, afirmou. municação a partir das interferências do espaço sem saber ao certo os seus significa- ensino ainda são notadamente mar- Feitoza explicou que nesse primei- urbano nos sistemas de signos do grafite. Projetos sob coordenação de dos. Presente na humanidade desde o cados pelos estudos. ro momento, a pesquisa está focada • Notícias em trânsito. O consumo de notícias Karliane Macedo nUnes – UFaM/Parintins Império Romano, o grafite por muito A pesquisa, iniciada em agosto em investigar as condições do espaço no jornalismo impresso a partir da dinâmica do tempo foi visto como um assunto irre- de 2010, verifica a ocorrência de gra- e, para tanto, estão sendo elaborados espaço urbano. • Representação fotográfica e construções levante ou mera contravenção social. fites em duas das principais vias da formulários para identificá-los. Serão identitárias dos povos indígenas na Amazônia: o Hoje em dia, o grafite é conside- capital: as avenidas Djalma Batista e verificados aspectos como a utilização rado uma forma de expressão e está Constantino Nery. “Percebemos nas das vias e o que há por trás dos mu- Projetos de Mestrado olhar de Pedro Martinelli. incluso no mundo das artes visuais, visitas de reconhecimento que a ave- ros grafitados. “Verificaremos como o • A recodificação das histórias em quadrinhos especificamente na arte urbana, onde nida Constantino Nery conta com espaço da cidade interfere na produ- na internet. o artista cria uma linguagem intencio- mais muros do que a outra via e, por ção de linguagem e comunicação na • Museu virtual como espaço de produção de nal para interferir na cidade. isso, apresenta mais grafitagem”, ex- cultura, identificando as interferências linguagem e comunicação: a semiose da simulação É no sentido de explorar a cidade plicou Feitoza, destacando que a prá- do espaço urbano na modelização e da obra de arte. como espaço de produção de lingua- tica do grafite é mais intensa onde os enunciação do grafite como manifes- • Radiomorfose e Ciência. Estudo das transfor- gem e comunicação que o Grupo de muros cercam áreas improdutivas. tação contemporânea nesse espaço”, mações do código sonoro na internet por meio da Pesquisa em Semiótica da Comunica- “Há uma manifestação maior em explicou a coordenadora da pesquisa. divulgação científica radiofônica. ção - Mediação da Universidade Fede- áreas que não têm vigilância, já que a Entre os principais resultados desse ral do Amazonas (Ufam), sob a coor- elaboração do grafite leva um tempo estudo, estão a elaboração do mapa de es- Projetos de extensão denação dos professores Mirna Feitoza mais longo. Já nas pichações, os es- paços semióticos urbanos na capital, além e Cláudio Correia, desenvolve vários paços são mais vigiados”, disse. da construção de um banco de dados estudos voltados à comunicação urba- Na visão da bolsista do Programa com registros (fotos, vídeos e mapas) so- • Projeto Palafitas: cultura ribeirinha no na e seus fenômenos, como o grafite. de Apoio à Iniciação Científica (Paic) bre o grafite urbano. Para tanto, a pesqui- espaço da cidade. Proposta de Com o título ‘Grafite como lin- da Fundação de Amparo à Pesquisa sa também utilizará não apenas conceitos filme documentário. guagem: um estudo da comunicação do Estado do Amazonas (Fapeam), ligados à comunicação, mas também ou- a partir das interferências do espaço Ana Bárbara Teófilo, graduanda em tras relacionados a diversas áreas como ar- urbano nos sistemas de signos que Artes da Ufam, participar desse pro- tes visuais, design, geografia, urbanismo e modelizam o grafite’, o projeto tor- jeto está de fato contribuindo para semiótica, o que deve provocar impacto e na-se importante por oferecer uma sua formação, além das atividades em repercussão nas referidas áreas envolvidas.14 AMAZONAS FAZ CIÊNCIA AMAZONAS FAZ CIÊNCIA 15 AMAZONAS FAZ CIÊNCIA 15
  4. 4. PRIMEIROS PROJETOS r- no jo o tícias inves- ânsit tr o de no o de ícia s em o nsum ém é alv midas em - co mb Not u r afite, ta cons do jo apeam ao gr o urbano tícias são s vendas ização itam espaç l e lim as no co na ercia ncia F n- não s âmica do ar como s, com fo te da com ciação cie . po din / Agê gru da verifi c Man au san a de ini a Ufam s do r teres quisa so a parti eto busca cidade de meno in a bolsist alismo n ontos de liveira es As p impres O proj xo da ô m fen s”, dis se rn ipais p car na em jo oO u c fi ism ientífica. grande fl naus, há u e nas rua aduanda dos prin de identi . nal o c o Ricard ã d e M a ent oes, gr mento m alé os jorn ist ais a se- tigaç espaços os’. “Em mpletam triz G apea ade, Foto: d v vi as e z Minut izada co eto, Bea está o m no da cid ndagem ponto de do signo e al oj balho, ba ve tará o s . nal ‘D jornal, re nte do pr o tra o ur m na o cesso itoza e a espaç interfere squisa ad r nos pro plicou Fe trân- dess particip jetivos d ssos no que , a pe foca ”, ex , b e as em . tífica ntre os o ais impr ondições ordagem o implica o urbano das notíci ona norte - E jo rn to as c ab ão. Ist de caç aç fluxo esp o o , z la Pon ova pe a dos ânsi todo i a no de N s vend ica do tr ca ao mé da comun ornalístic á analisad irro Cida Semiótica r estudo âm que to tudos din No çã o j ção, ser no ba e ção esenvo é a p lve rópria “ os es unica enta lizado unica d , os para ão da comor movim pital, loca em Com esafio de ão Norte s aos mei m iótico nificaç de mai ca outora ande d gi o e m 3 da a Re culad indo e da sig m de ruas e ônibus a, que é d SP), o gr inédito n estão vin s, consist Alé rminal d uisador (PUC- siderado nicação es meio Foto: Ricardo Oliveira / Agência Fapeam o te pesq ólica con mu ess sito n gundo a dade Cat Urbana, dos da co rapassam Se si icaçã o tu po ult niver os es u cia U e Comun ralmente sas do gr tifí a d e G e q ui o u. na ár dologia. “ ssas pes s”, afirm m eto gicos. E iplinare ló isc tecno os transd estud “Por comunicação urbana entende-se o conjunto das mensagens que circulam no espaço urbano, tais como cartazes, placas, empe- nas/paredes, topos, triedros, taxidoors, motodoors, busdoors, out- Por comunicação urbana en- doors, mobiliários urbanos, front lights, back lights, painéis digitais, tende-se o conjunto das men- fachadas, manifestações artísticas, entre outros”, explicou Feitoza. sagens que circulam no espaço urbano, tais como cartazes, Por grafite entende-se a forma de expressão artística contemporâ- placas, empenas/paredes, to- nea cujo suporte é a cidade: muros, fachadas, construções, etc., ou pos, triedros, taxidoors, mo- seja, são manifestações visuais no espaço urbano. todoors, busdoors, outdoors, Os dois projetos estão inseridos dentro de um trabalho maior de- mobiliários urbanos, front nominado ‘Espaços semióticos urbanos: um estudo da comuni- lights, back lights, painéis di- cação a partir das interferências do espaço urbano na dinâmica gitais, fachadas, manifestações dos sistemas de signos’, que tem o financiamento do Conselho artísticas, entre outros”. Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da Fapeam, com recursos da ordem de R$ 29,87mil por meio do Mirna Feitoza Edital 012/2009 - Programa Primeiros Projetos (PPP). Coordenadora do projeto16 AMAZONAS FAZ CIÊNCIA AMAZONAS FAZ CIÊNCIA 17

×