O slideshow foi denunciado.
Seu SlideShare está sendo baixado. ×

Mídias sociais e educação PERSPECTIVAS CAPACITAÇÃO E FERRAMENTAS

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Carregando em…3
×

Confira estes a seguir

1 de 47 Anúncio

Mais Conteúdo rRelacionado

Diapositivos para si (20)

Quem viu também gostou (20)

Anúncio

Semelhante a Mídias sociais e educação PERSPECTIVAS CAPACITAÇÃO E FERRAMENTAS (20)

Mais de João de Deus Dias Neto (12)

Anúncio

Mais recentes (20)

Mídias sociais e educação PERSPECTIVAS CAPACITAÇÃO E FERRAMENTAS

  1. 1. Mestrandos: Clóvis Furlanetto João de Deus Dias Neto Mary Augusto PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMUNICAÇÃO Prof. Dr. Elias Goulart Mídias Sociais e Educação: perspectivas, formação docente e ferramentas digitais
  2. 2. INTRODUÇÃO • Gestores da Educação • Tendências e Perspectivas – relevância • Fenômeno inexorável: resultados qualitativos • Necessidade: - Discentes competitivos  mercado de trabalho - Melhorar os que já estão no mercado
  3. 3. • Socialização: - Saberes e implicações das mídias sociais digitais na educação; • Sintetizar: - Perspectivas / Formação / Ferramentas Digitais • Reflexões: - Gerações integradas às novas tecnologias
  4. 4. 1. TENDÊNCIAS E PERSPECTIVAS DAS MÍDIAS SOCIAIS NA EDUCAÇÃO
  5. 5. Crítica ao Funcionalismo na Comunicação / Educação: - Década de 60: Marcuse - Vozes inquietantes, diante da comunicação; unidirecional e do sistema unidimensional; - Experimentações: Comunicação e Artes; - Rompimento com a tradição teórico-prática fundada na disjunção emissão-recepção; - Experimentavam a bidirecionalidade. - A educação deve ser multidirecional.
  6. 6. • Processos comunicacionais: ultrapassam a ótica da bidirecionalidade, nos dias atuais; • Repositório de saberes transferidos, sem feedback, manifestação de aprendizagem? Dias contados! • Compreensão “holística” dos cenários: atores sociais, plataformas, processos: estruturais, conversacionais e informativos.
  7. 7. Produção Dinâmica de Conteúdos: • Facebook: continuidade da educação formal? • Romper a fragmentação e hierarquia do ensino por meio das produções particulares e grupais; • Práticas inovadoras e sintonizadas com a demanda dos jovens; • Realidade espaço-temporal.
  8. 8. Geração Net: Lima (2000, p. 25)  “bandeirantes do novo mundo” : Como crianças em um parque de diversão sofisticado e com recursos ilimitados, esta nova geração já ocupou os espaços criados pela mudança e continua avançando de forma avassaladora em direção às posições-chave desta nova sociedade. Demonstrando iniciativa, ousadia e criatividade, eles deixam claro que o uso de paradigmas ultrapassados já não satisfaz e que sua sede de conhecer exige novas abordagens, novas tecnologias e novas alternativas. Para eles, a informação ou conhecimento não pode ser apresentado de forma discursiva e linear. Eles querem mais, em dosagem certa, de forma mais rápida, com resultados garantidos.
  9. 9. Criticar: Manifestações / Feedback Sintetizar: Interpretação Analisar: Opções / Informações Aplicar: Inserção de Dados / Ideias Assimilar: Compreensão / Familiaridade Memorizar: Reter Conhecimentos / Absorver Funcionalidades
  10. 10. Educomunicação: • Sinergia entre educação e comunicação, multimídia, colaborativa e interdisciplinar; Repensar: Web 2.0 / Redes Sociais: • Compartilhamento de vídeos, envio e recebimento de notificações, criação, desenvolvimento e manutenção e • Construção do conhecimento.
  11. 11. • Apoiadores e Pessoas Contrárias • Relevância e Obstáculos: Reflexão
  12. 12. Socialização pelas Mídias Sociais e Educação: • Novas gerações e das gerações adultas; • Educação ao longo da vida; • Nos ambientes em rede: a construção do seu conhecimento é uma aventura coletiva; • Constroem seus saberes e dos outros;
  13. 13. • Aventura renovada: aprendem o que cada um vale, não apenas por si, mas pela forma como se relaciona com os outros. • Fazem parte de muitas comunidades, e que o que partilham com umas é, afinal, importante para o que partilham com as outras. • Seu próprio valor para uma comunidade depende, não apenas de si próprios, como seres isolados, mas também da forma como podem contribuir para ela pelo fato de pertencerem a outras.
  14. 14. 2. CAPACITAÇÃO DE PROFISSIONAIS, PARA USO DAS NOVAS TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO
  15. 15. • O mundo mudou, as pessoas mudaram e os alunos também; • Consequentemente o ambiente da sala de aula também sofre mudanças; • Isso se dá pelo poder sedutor gerado pelas novas tecnologias; • Hoje, tudo que precisamos saber, entender, conhecer, desenvolver, realizar, adquirir dentre outros, está dentro de um simples telefone móvel.
  16. 16. • Nesse atual cenário, o docente precisa reagir diante das inevitáveis mudanças; • Se não se atualizar, será comparado com os homens das cavernas (por ser antiquado e sem habilidade de manuseio das novas tecnologias).
  17. 17. • O uso diverso das novas tecnologias tem aproximado professor de um mundo midiático, que muda e melhora a dinâmica em sala de aula. Ex: Datashow, vídeos, computador, internet.
  18. 18. • Porém, antes de tudo, é importante entender o conceito, em função de qual projeto de educação as tecnologias serão usadas? • O professor, a direção e demais envolvidos precisam ter claro, que tipo de projeto é importante, que tipo de sociedade a IE deseja; • Como serão incorporadas essas tecnologias na prática pedagógica?
  19. 19. • A escola deveria se apropriar dessas ferramentas/ tecnologias para encontrar eco, no diálogo junto a seus alunos? • Como a escola/docente podem fazer uso do entendimento dos alunos, frente as novas tecnologias?
  20. 20. • Afinal, a tecnologia é um dos pilares/componentes, para a educação de qualidade;  Formação docente;  Formação dos gestores;  Formação da escola;  Trabalho colaborativo de um projeto pedagógico consistente; A participação de todos faz parte dessa educação democrática e inclusiva.
  21. 21. • O professor deve despertar nos alunos pensamento crítico, senso de análise e que ele tenha condições de apontar soluções, para os problemas.
  22. 22. Como conseguir esse clima de aprendizagem, senso crítico e motivação pela busca do conhecimento por parte do aluno?
  23. 23. Educação a Distância e as Mídias Sociais: Demandas emergentes e mutáveis das pessoas: • estudantes em busca de um novo aprendizado • profissionais do mercado Consequência: - Necessidade de Capacitação: professores, alunos, conteudistas, web designers, pedagogos dentre outros.
  24. 24. 3. Mídias Sociais como ferramentas da dinâmica do ensino- aprendizagem
  25. 25. Elementos Digitais: • Facebook • Twitter • Interação Professor x Aluno • Aproveitamento do perfil em plataformas de relacionamento.
  26. 26. * redes sociais x plataformas colaborativas de aprendizado; *construção não linear de conhecimento; * promoção de trabalho em conjunto (docentes e discentes); * Integrar o conhecimento das salas tradicionais com os ambientes virtuais.
  27. 27. Vídeo: Educação em Rede
  28. 28. Um problema existente atualmente é a manipulação da informação de forma inescrupulosa por usuários das redes sociais.
  29. 29. Quando um aluno participa de um fórum ele acaba trocando experiências com pessoas de sua faixa etária e que possuem pensamentos e ideias semelhantes, o que gera uma confiança virtual que pode render um aumento de seus conhecimentos.
  30. 30. Segurança das informações e dos usuários * Ataques de hackers * dados falsos e vírus * a inocente ideia de que tudo na internet é possível, ou seja, podemos publicar e inserir todos os tipos de dados e conteúdos sem controle.
  31. 31. Vídeo: segurança na internet
  32. 32. Ferramentas de Mobilidade
  33. 33. Ainda dentro do contexto das plataformas colaborativas existem ferramentas que possibilitam a mobilidade dos alunos e professores onde quer que estejam. Com a conexão adequada permitem a navegação em qualquer ponto do planeta, levando a sala de aula dos frios prédios públicos ou privados para ambientes mais agradáveis e livres do peso da antiga escola de concreto.
  34. 34. Aplicativos (APPs),
  35. 35. Tablets
  36. 36. Celulares
  37. 37. 4. CONSIDERAÇÕES FINAIS
  38. 38. • Necessidade a ser atendida: • Como educar em novos ambientes? • Presenciais e não presenciais; • Ausência de atores; • Falta de recursos humanos capacitados em novas tecnologias.
  39. 39. Urgências: • Colocar em prática novas tecnologias no meio acadêmico/escolar, com intuito de propiciar melhor ensino-aprendizagem dos discentes. • Professores, recursos humanos envolvidos. • Socialização dos saberes. • Absorção rápida e qualitativa das tendências, na educação das próximas gerações. • Conteúdos disseminados de maneira eficiente e perene • Docentes adaptarem-se à nova realidade: capacitações contínuas
  40. 40. • Realidade: • Acesso às ferramentas crescimento vertiginoso; • Problemas na capacitação: docentes e todos os envolvidos • Caráter cíclico dos avanços tecnológicos: • – inovação, absorção, estabilidade –.
  41. 41. • A celeridade nestes ciclos é imprescindível, para que tenhamos uma sociedade competitiva, com condições de emergir e possa ser análoga às sociedades modernas.

×