Simplicidade na Era da ComplexidadeSimplicidade na Era da ComplexidadeSimplicidade na Era da ComplexidadeSimplicidade na E...
COMPLEXIDADECOMPLEXIDADECOMPLEXIDADECOMPLEXIDADECOMPLEXIDADECOMPLEXIDADECOMPLEXIDADECOMPLEXIDADE
SIMPLICIDADESIMPLICIDADES...
ENTENDENDO A COMPLEXIDADEENTENDENDO A COMPLEXIDADEENTENDENDO A COMPLEXIDADEENTENDENDO A COMPLEXIDADEENTENDENDO A COMPLEXID...
SINAIS DOS TEMPOS:SINAIS DOS TEMPOS:SINAIS DOS TEMPOS:SINAIS DOS TEMPOS:SINAIS DOS TEMPOS:SINAIS DOS TEMPOS:SINAIS DOS TEM...
SINAIS DOS TEMPOS:SINAIS DOS TEMPOS:SINAIS DOS TEMPOS:SINAIS DOS TEMPOS:SINAIS DOS TEMPOS:SINAIS DOS TEMPOS:SINAIS DOS TEM...
SIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADE
Ausência de artifAusência de artifíícios, extravagâncias e excessoscios, extravagâncias e excessos
de ordemde ordem materi...
Significa fazer um esforSignifica fazer um esforçço conscienteo consciente
para descobrir o que realmentepara descobrir o ...
A escolha por uma vida simplesA escolha por uma vida simples
se dse dáá por diferentes razões ligadaspor diferentes razões...
SIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADE
COMO OS LCOMO OS LCOMO OS LCOMO OS LCOMO OS LCOMO OS LCOMO OS LCOMO OS LÍÍÍÍÍÍÍÍDERESDERESDERESDERESDERESDERESDERESDERES
P...
Uma disciplina utilizada no ambiente de manufatura
para melhorar processos e produtos, valendo-se
principalmente de ferram...
“Uma abordagem sistemática em busca da excelência.”
ASQ Futures Group
MODERNAMENTEMODERNAMENTEMODERNAMENTEMODERNAMENTEMODE...
SER SSER SSER SSER SSER SSER SSER SSER SÍÍÍÍÍÍÍÍMBOLO VIVOMBOLO VIVOMBOLO VIVOMBOLO VIVOMBOLO VIVOMBOLO VIVOMBOLO VIVOMBOL...
MODELOS DE COMPETÊNCIASMODELOS DE COMPETÊNCIASMODELOS DE COMPETÊNCIASMODELOS DE COMPETÊNCIASMODELOS DE COMPETÊNCIASMODELOS...
SIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADE
COMO FILOSOFIA DE VIDACOM...
MUNDOMUNDOMUNDOMUNDOMUNDOMUNDOMUNDOMUNDO WIKIWIKIWIKIWIKIWIKIWIKIWIKIWIKI
wikiwiki wikiwiki éé uma expressão havaiana cujo...
FILOSOFIA EMPRESARIALFILOSOFIA EMPRESARIALFILOSOFIA EMPRESARIALFILOSOFIA EMPRESARIALFILOSOFIA EMPRESARIALFILOSOFIA EMPRESA...
PROBLEMASPROBLEMAS
DADA
EMPRESAEMPRESA
65%65%
MMÉÉDIADIA
GERÊNCIAGERÊNCIA
15%
15%
EM
PREGADOS
EM
PREGADOS
DEESCRIT
DEESCRI...
FASE AFASE AFASE AFASE AFASE AFASE AFASE AFASE A
FASE BFASE BFASE BFASE BFASE BFASE BFASE BFASE B
FASE C(RISE)FASE C(RISE)...
COMO SE TORNAR UMCOMO SE TORNAR UMCOMO SE TORNAR UMCOMO SE TORNAR UMCOMO SE TORNAR UMCOMO SE TORNAR UMCOMO SE TORNAR UMCOM...
(CAMINHO)(CAMINHO)(AL(ALÉÉM DE)M DE)
META + HODOSMETA + HODOS
IMPORTÂNCIA DOS MIMPORTÂNCIA DOS MIMPORTÂNCIA DOS MIMPORTÂNC...
OUTLIERSOUTLIERSOUTLIERSOUTLIERSOUTLIERSOUTLIERSOUTLIERSOUTLIERS
POR QUE ALGUMAS PESSOAS TÊM SUCESSOPOR QUE ALGUMAS PESSOA...
““““““““A excelênciaA excelênciaA excelênciaA excelênciaA excelênciaA excelênciaA excelênciaA excelência éééééééé uma habi...
Eduardo GaleanoEduardo Galeano
““Somos o que fazemos,Somos o que fazemos,
mas somos,mas somos,
principalmente,principalmen...
Simplicidade e Complexidade
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Simplicidade e Complexidade

427 visualizações

Publicada em

Simplicidade e Complexidade, apresentação feita por Jeronimo Lima.

Publicada em: Negócios
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Simplicidade e Complexidade

  1. 1. Simplicidade na Era da ComplexidadeSimplicidade na Era da ComplexidadeSimplicidade na Era da ComplexidadeSimplicidade na Era da ComplexidadeSimplicidade na Era da ComplexidadeSimplicidade na Era da ComplexidadeSimplicidade na Era da ComplexidadeSimplicidade na Era da Complexidade Jerônimo LimaJerônimo LimaJerônimo LimaJerônimo LimaJerônimo LimaJerônimo LimaJerônimo LimaJerônimo Lima jeronimo@mettodo.com.brjeronimo@mettodo.com.brjeronimo@mettodo.com.brjeronimo@mettodo.com.brjeronimo@mettodo.com.brjeronimo@mettodo.com.brjeronimo@mettodo.com.brjeronimo@mettodo.com.br
  2. 2. COMPLEXIDADECOMPLEXIDADECOMPLEXIDADECOMPLEXIDADECOMPLEXIDADECOMPLEXIDADECOMPLEXIDADECOMPLEXIDADE SIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADE SIMPLIFICANDO A COMPLEXIDADESIMPLIFICANDO A COMPLEXIDADESIMPLIFICANDO A COMPLEXIDADESIMPLIFICANDO A COMPLEXIDADESIMPLIFICANDO A COMPLEXIDADESIMPLIFICANDO A COMPLEXIDADESIMPLIFICANDO A COMPLEXIDADESIMPLIFICANDO A COMPLEXIDADE DA GESTÃODA GESTÃODA GESTÃODA GESTÃODA GESTÃODA GESTÃODA GESTÃODA GESTÃO COMPLEXIDADECOMPLEXIDADECOMPLEXIDADECOMPLEXIDADECOMPLEXIDADECOMPLEXIDADECOMPLEXIDADECOMPLEXIDADE
  3. 3. ENTENDENDO A COMPLEXIDADEENTENDENDO A COMPLEXIDADEENTENDENDO A COMPLEXIDADEENTENDENDO A COMPLEXIDADEENTENDENDO A COMPLEXIDADEENTENDENDO A COMPLEXIDADEENTENDENDO A COMPLEXIDADEENTENDENDO A COMPLEXIDADE ENTENDENDO A COMPLEXIDADEENTENDENDO A COMPLEXIDADEENTENDENDO A COMPLEXIDADEENTENDENDO A COMPLEXIDADEENTENDENDO A COMPLEXIDADEENTENDENDO A COMPLEXIDADEENTENDENDO A COMPLEXIDADEENTENDENDO A COMPLEXIDADE AMODIRAMODIRAMODIRAMODIR AssociaAssociaAssociaAssociaçççção dos Maridos Obrigadosão dos Maridos Obrigadosão dos Maridos Obrigadosão dos Maridos Obrigados a Discutir a Relaa Discutir a Relaa Discutir a Relaa Discutir a Relaççççãoãoãoão clientes fornecedores colaboradores governo comunidade Teoria de Base:Teoria de Base:Teoria de Base:Teoria de Base: 6666ºººº de Separade Separade Separade Separaççççãoãoãoão IstoIstoIstoIsto éééé complexo!complexo!complexo!complexo! EMPRESA Rede = n +Rede = n +Rede = n +Rede = n + n.(nn.(nn.(nn.(n----3)3)3)3) 2222
  4. 4. SINAIS DOS TEMPOS:SINAIS DOS TEMPOS:SINAIS DOS TEMPOS:SINAIS DOS TEMPOS:SINAIS DOS TEMPOS:SINAIS DOS TEMPOS:SINAIS DOS TEMPOS:SINAIS DOS TEMPOS: A ERA DA COMPLEXIDADEA ERA DA COMPLEXIDADEA ERA DA COMPLEXIDADEA ERA DA COMPLEXIDADEA ERA DA COMPLEXIDADEA ERA DA COMPLEXIDADEA ERA DA COMPLEXIDADEA ERA DA COMPLEXIDADE TudoTudoTudoTudo éééé doxadoxadoxadoxa!!!! SINAIS DOS TEMPOS:SINAIS DOS TEMPOS:SINAIS DOS TEMPOS:SINAIS DOS TEMPOS:SINAIS DOS TEMPOS:SINAIS DOS TEMPOS:SINAIS DOS TEMPOS:SINAIS DOS TEMPOS: MODERNIDADE LMODERNIDADE LMODERNIDADE LMODERNIDADE LMODERNIDADE LMODERNIDADE LMODERNIDADE LMODERNIDADE LÍÍÍÍÍÍÍÍQUIDAQUIDAQUIDAQUIDAQUIDAQUIDAQUIDAQUIDA
  5. 5. SINAIS DOS TEMPOS:SINAIS DOS TEMPOS:SINAIS DOS TEMPOS:SINAIS DOS TEMPOS:SINAIS DOS TEMPOS:SINAIS DOS TEMPOS:SINAIS DOS TEMPOS:SINAIS DOS TEMPOS: NOMOFOBIANOMOFOBIANOMOFOBIANOMOFOBIANOMOFOBIANOMOFOBIANOMOFOBIANOMOFOBIA ÉÉ a fobiaa fobia ou a sensaou a sensaçção deão de angangúústia que surge quandostia que surge quando algualguéém se sente impossibilitado de se comunicar ou serm se sente impossibilitado de se comunicar ou ser contatado estando em algum lugar sem seu aparelho decontatado estando em algum lugar sem seu aparelho de celular ou qualquer outrocelular ou qualquer outro gadgetgadget mmóóvel.vel. ÉÉ um termo muito recente, que se origina do inglêsum termo muito recente, que se origina do inglês NoNo--MoMo,, ouou NoNo--MobileMobile, que significa sem telefonia m, que significa sem telefonia móóvel.vel. Vem daVem daíí a expressãoa expressão nomofobia.nomofobia. Para ser interessante na internet,Para ser interessante na internet,Para ser interessante na internet,Para ser interessante na internet,Para ser interessante na internet,Para ser interessante na internet,Para ser interessante na internet,Para ser interessante na internet, tenha uma vida rica fora dela!tenha uma vida rica fora dela!tenha uma vida rica fora dela!tenha uma vida rica fora dela!tenha uma vida rica fora dela!tenha uma vida rica fora dela!tenha uma vida rica fora dela!tenha uma vida rica fora dela!
  6. 6. SIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADE
  7. 7. Ausência de artifAusência de artifíícios, extravagâncias e excessoscios, extravagâncias e excessos de ordemde ordem material, social ou psicolmaterial, social ou psicolóógica.gica. Caminho para se chegarCaminho para se chegar àà humildade,humildade, e, com isto, ser uma pessoa mais servil,e, com isto, ser uma pessoa mais servil, menos arrogante e prepotente,menos arrogante e prepotente, combatendo e se livrandocombatendo e se livrando da inveja, orgulho e cida inveja, orgulho e ciúúme.me. EVOLUEVOLUEVOLUEVOLUEVOLUEVOLUEVOLUEVOLUÇÇÇÇÇÇÇÇÃO DO CONCEITO DEÃO DO CONCEITO DEÃO DO CONCEITO DEÃO DO CONCEITO DEÃO DO CONCEITO DEÃO DO CONCEITO DEÃO DO CONCEITO DEÃO DO CONCEITO DE SIMPLICIDADE NO COTIDIANOSIMPLICIDADE NO COTIDIANOSIMPLICIDADE NO COTIDIANOSIMPLICIDADE NO COTIDIANOSIMPLICIDADE NO COTIDIANOSIMPLICIDADE NO COTIDIANOSIMPLICIDADE NO COTIDIANOSIMPLICIDADE NO COTIDIANO Estilo de vidaEstilo de vida no qual os indivno qual os indivííduos conscientementeduos conscientemente escolhem minimizar a preocupaescolhem minimizar a preocupaççãoão com o "quanto mais melhor",com o "quanto mais melhor", em termos de riqueza e consumo.em termos de riqueza e consumo. EVOLUEVOLUEVOLUEVOLUEVOLUEVOLUEVOLUEVOLUÇÇÇÇÇÇÇÇÃO DO CONCEITO DEÃO DO CONCEITO DEÃO DO CONCEITO DEÃO DO CONCEITO DEÃO DO CONCEITO DEÃO DO CONCEITO DEÃO DO CONCEITO DEÃO DO CONCEITO DE SIMPLICIDADE NO COTIDIANOSIMPLICIDADE NO COTIDIANOSIMPLICIDADE NO COTIDIANOSIMPLICIDADE NO COTIDIANOSIMPLICIDADE NO COTIDIANOSIMPLICIDADE NO COTIDIANOSIMPLICIDADE NO COTIDIANOSIMPLICIDADE NO COTIDIANO
  8. 8. Significa fazer um esforSignifica fazer um esforçço conscienteo consciente para descobrir o que realmentepara descobrir o que realmente éé importanteimportante e abrir mão do quee abrir mão do que éé supsupéérfluo,rfluo, descobrindo assim quedescobrindo assim que uma vida mais frugaluma vida mais frugal exteriormente pode ser muito mais ricaexteriormente pode ser muito mais rica e abundante interiormente.e abundante interiormente. EVOLUEVOLUEVOLUEVOLUEVOLUEVOLUEVOLUEVOLUÇÇÇÇÇÇÇÇÃO DO CONCEITO DEÃO DO CONCEITO DEÃO DO CONCEITO DEÃO DO CONCEITO DEÃO DO CONCEITO DEÃO DO CONCEITO DEÃO DO CONCEITO DEÃO DO CONCEITO DE SIMPLICIDADE NO COTIDIANOSIMPLICIDADE NO COTIDIANOSIMPLICIDADE NO COTIDIANOSIMPLICIDADE NO COTIDIANOSIMPLICIDADE NO COTIDIANOSIMPLICIDADE NO COTIDIANOSIMPLICIDADE NO COTIDIANOSIMPLICIDADE NO COTIDIANO DownshiftingDownshifting (redu(reduçção de velocidade/intensidade/não de velocidade/intensidade/níível de atividade)vel de atividade) ÉÉ frequentemente usado para descreverfrequentemente usado para descrever o ato de mudar de umo ato de mudar de um estilo de vidaestilo de vida dede maior consumo para um outro,maior consumo para um outro, baseado na simplicidade voluntbaseado na simplicidade voluntáária.ria. EVOLUEVOLUEVOLUEVOLUEVOLUEVOLUEVOLUEVOLUÇÇÇÇÇÇÇÇÃO DO CONCEITO DEÃO DO CONCEITO DEÃO DO CONCEITO DEÃO DO CONCEITO DEÃO DO CONCEITO DEÃO DO CONCEITO DEÃO DO CONCEITO DEÃO DO CONCEITO DE SIMPLICIDADE NO COTIDIANOSIMPLICIDADE NO COTIDIANOSIMPLICIDADE NO COTIDIANOSIMPLICIDADE NO COTIDIANOSIMPLICIDADE NO COTIDIANOSIMPLICIDADE NO COTIDIANOSIMPLICIDADE NO COTIDIANOSIMPLICIDADE NO COTIDIANO
  9. 9. A escolha por uma vida simplesA escolha por uma vida simples se dse dáá por diferentes razões ligadaspor diferentes razões ligadas àà espiritualidade, saespiritualidade, saúúde,de, qualidade de vida,qualidade de vida, tempo passado com a famtempo passado com a famíília e amigos,lia e amigos, redureduçção doão do stressstress, preserva, preservaçção doão do meio ambiente,meio ambiente, justijustiçça social, antia social, anti--consumismoconsumismo ou razões econômicas.ou razões econômicas. EVOLUEVOLUEVOLUEVOLUEVOLUEVOLUEVOLUEVOLUÇÇÇÇÇÇÇÇÃO DO CONCEITO DEÃO DO CONCEITO DEÃO DO CONCEITO DEÃO DO CONCEITO DEÃO DO CONCEITO DEÃO DO CONCEITO DEÃO DO CONCEITO DEÃO DO CONCEITO DE SIMPLICIDADE NO COTIDIANOSIMPLICIDADE NO COTIDIANOSIMPLICIDADE NO COTIDIANOSIMPLICIDADE NO COTIDIANOSIMPLICIDADE NO COTIDIANOSIMPLICIDADE NO COTIDIANOSIMPLICIDADE NO COTIDIANOSIMPLICIDADE NO COTIDIANO
  10. 10. SIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADE
  11. 11. COMO OS LCOMO OS LCOMO OS LCOMO OS LCOMO OS LCOMO OS LCOMO OS LCOMO OS LÍÍÍÍÍÍÍÍDERESDERESDERESDERESDERESDERESDERESDERES PODEM SIMPLIFICARPODEM SIMPLIFICARPODEM SIMPLIFICARPODEM SIMPLIFICARPODEM SIMPLIFICARPODEM SIMPLIFICARPODEM SIMPLIFICARPODEM SIMPLIFICAR A GESTÃO EMPRESARIALA GESTÃO EMPRESARIALA GESTÃO EMPRESARIALA GESTÃO EMPRESARIALA GESTÃO EMPRESARIALA GESTÃO EMPRESARIALA GESTÃO EMPRESARIALA GESTÃO EMPRESARIAL
  12. 12. Uma disciplina utilizada no ambiente de manufatura para melhorar processos e produtos, valendo-se principalmente de ferramental estatístico. AtAtéé 19801980 EVOLUEVOLUEVOLUEVOLUEVOLUEVOLUEVOLUEVOLUÇÇÇÇÇÇÇÇÃO DO CONCEITO DE GESTÃOÃO DO CONCEITO DE GESTÃOÃO DO CONCEITO DE GESTÃOÃO DO CONCEITO DE GESTÃOÃO DO CONCEITO DE GESTÃOÃO DO CONCEITO DE GESTÃOÃO DO CONCEITO DE GESTÃOÃO DO CONCEITO DE GESTÃO Um sofisticado conjunto de conhecimentos, aplicado em uma ampla variedade de organizações, para melhorar continuamente seu sistema de gestão, utilizando-se do conceito de Administração Holística. De 1981 a 1991De 1981 a 1991 EVOLUEVOLUEVOLUEVOLUEVOLUEVOLUEVOLUEVOLUÇÇÇÇÇÇÇÇÃO DO CONCEITO DE GESTÃOÃO DO CONCEITO DE GESTÃOÃO DO CONCEITO DE GESTÃOÃO DO CONCEITO DE GESTÃOÃO DO CONCEITO DE GESTÃOÃO DO CONCEITO DE GESTÃOÃO DO CONCEITO DE GESTÃOÃO DO CONCEITO DE GESTÃO
  13. 13. “Uma abordagem sistemática em busca da excelência.” ASQ Futures Group MODERNAMENTEMODERNAMENTEMODERNAMENTEMODERNAMENTEMODERNAMENTEMODERNAMENTEMODERNAMENTEMODERNAMENTE EVOLUEVOLUEVOLUEVOLUEVOLUEVOLUEVOLUEVOLUÇÇÇÇÇÇÇÇÃO DO CONCEITO DE GESTÃOÃO DO CONCEITO DE GESTÃOÃO DO CONCEITO DE GESTÃOÃO DO CONCEITO DE GESTÃOÃO DO CONCEITO DE GESTÃOÃO DO CONCEITO DE GESTÃOÃO DO CONCEITO DE GESTÃOÃO DO CONCEITO DE GESTÃO
  14. 14. SER SSER SSER SSER SSER SSER SSER SSER SÍÍÍÍÍÍÍÍMBOLO VIVOMBOLO VIVOMBOLO VIVOMBOLO VIVOMBOLO VIVOMBOLO VIVOMBOLO VIVOMBOLO VIVO TOMANDO UM CHTOMANDO UM CHTOMANDO UM CHTOMANDO UM CHTOMANDO UM CHTOMANDO UM CHTOMANDO UM CHTOMANDO UM CHÁÁÁÁÁÁÁÁ DE COMPETÊNCIADE COMPETÊNCIADE COMPETÊNCIADE COMPETÊNCIADE COMPETÊNCIADE COMPETÊNCIADE COMPETÊNCIADE COMPETÊNCIA CC AAHH ConhecimentosConhecimentos AtitudesAtitudesHabilidadesHabilidades Querer fazerQuerer fazerSaber fazerSaber fazerSaberSaber O que sabemos,O que sabemos, mas nãomas não necessariamentenecessariamente colocamos emcolocamos em prpráática.tica. As caracterAs caracteríísticassticas pessoais que nospessoais que nos levam a praticar oulevam a praticar ou não o que sabemosnão o que sabemos e conhecemos.e conhecemos. O que praticamos,O que praticamos, temos experiênciatemos experiência e dome domíínio sobre.nio sobre.
  15. 15. MODELOS DE COMPETÊNCIASMODELOS DE COMPETÊNCIASMODELOS DE COMPETÊNCIASMODELOS DE COMPETÊNCIASMODELOS DE COMPETÊNCIASMODELOS DE COMPETÊNCIASMODELOS DE COMPETÊNCIASMODELOS DE COMPETÊNCIAS MEU DEUS, COMO SOUMEU DEUS, COMO SOUMEU DEUS, COMO SOUMEU DEUS, COMO SOUMEU DEUS, COMO SOUMEU DEUS, COMO SOUMEU DEUS, COMO SOUMEU DEUS, COMO SOU INCOMPETENTE!!!INCOMPETENTE!!!INCOMPETENTE!!!INCOMPETENTE!!!INCOMPETENTE!!!INCOMPETENTE!!!INCOMPETENTE!!!INCOMPETENTE!!! AsAs 44 competências decompetências de DemingDeming (1986)(1986) AsAs 55 competências decompetências de SengeSenge (1990)(1990) AsAs 88 competências decompetências de CoveyCovey (1990, 2005)(1990, 2005) AsAs 1818 competências decompetências de GolemanGoleman (2002)(2002) AsAs 2424 competências de Quinn (2003)competências de Quinn (2003) AsAs 3131 competências decompetências de CripeCripe & Mansfield (2003)& Mansfield (2003) AsAs 2828 competências decompetências de ByhamByham (2003)(2003)
  16. 16. SIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADESIMPLICIDADE COMO FILOSOFIA DE VIDACOMO FILOSOFIA DE VIDACOMO FILOSOFIA DE VIDACOMO FILOSOFIA DE VIDACOMO FILOSOFIA DE VIDACOMO FILOSOFIA DE VIDACOMO FILOSOFIA DE VIDACOMO FILOSOFIA DE VIDA IntegridadeIntegridade MotivaMotivaççãoão Capacidade realizadoraCapacidade realizadora ParanParanóóia por conhecimentoia por conhecimento EspEspíírito colaborativorito colaborativo PRIMEIRO QUEM... DEPOIS O QUÊPRIMEIRO QUEM... DEPOIS O QUÊPRIMEIRO QUEM... DEPOIS O QUÊPRIMEIRO QUEM... DEPOIS O QUÊPRIMEIRO QUEM... DEPOIS O QUÊPRIMEIRO QUEM... DEPOIS O QUÊPRIMEIRO QUEM... DEPOIS O QUÊPRIMEIRO QUEM... DEPOIS O QUÊ
  17. 17. MUNDOMUNDOMUNDOMUNDOMUNDOMUNDOMUNDOMUNDO WIKIWIKIWIKIWIKIWIKIWIKIWIKIWIKI wikiwiki wikiwiki éé uma expressão havaiana cujo significadouma expressão havaiana cujo significado éé ““rráápidopido””.. No mundo virtual,No mundo virtual, wikiwiki éé uma puma páágina viva dagina viva da internet.internet. Qualquer um tem a liberdade de editar ou modificarQualquer um tem a liberdade de editar ou modificar seu conteseu conteúúdo.do. WikiWiki éé um neologismo que designa uma nova forma deum neologismo que designa uma nova forma de produproduçção coletiva de bens e servião coletiva de bens e serviçços pela colaboraos pela colaboraççãoão espontânea de internautas.espontânea de internautas. Exemplos: WikipediaExemplos: Wikipedia SER VISIONSER VISIONSER VISIONSER VISIONSER VISIONSER VISIONSER VISIONSER VISIONÁÁÁÁÁÁÁÁRIORIORIORIORIORIORIORIO
  18. 18. FILOSOFIA EMPRESARIALFILOSOFIA EMPRESARIALFILOSOFIA EMPRESARIALFILOSOFIA EMPRESARIALFILOSOFIA EMPRESARIALFILOSOFIA EMPRESARIALFILOSOFIA EMPRESARIALFILOSOFIA EMPRESARIAL PLANO NIPPON-TO PLANO KENDO PLANO WA ESPAÇO-DO Valores e Princípios Visão e Plano Estratégico Missão da Organização Caminho lanCaminho lanççado e orientado pelaado e orientado pela ““BBúússola da Modernidadessola da Modernidade”” SOBREVIVÊNCIA ESOBREVIVÊNCIA E PROSPERIDADEPROSPERIDADE ENFRENTAR A REALIDADE NUA E CRUAENFRENTAR A REALIDADE NUA E CRUAENFRENTAR A REALIDADE NUA E CRUAENFRENTAR A REALIDADE NUA E CRUAENFRENTAR A REALIDADE NUA E CRUAENFRENTAR A REALIDADE NUA E CRUAENFRENTAR A REALIDADE NUA E CRUAENFRENTAR A REALIDADE NUA E CRUA
  19. 19. PROBLEMASPROBLEMAS DADA EMPRESAEMPRESA 65%65% MMÉÉDIADIA GERÊNCIAGERÊNCIA 15% 15% EM PREGADOS EM PREGADOS DEESCRIT DEESCRITÓÓRIO/ RIO/ OPER OPERÁÁRIOS RIOS 20%ALTA ADM INISTRAÇ ÃO ORIGEM DAS CAUSAS DOS PROBLEMASORIGEM DAS CAUSAS DOS PROBLEMASORIGEM DAS CAUSAS DOS PROBLEMASORIGEM DAS CAUSAS DOS PROBLEMASORIGEM DAS CAUSAS DOS PROBLEMASORIGEM DAS CAUSAS DOS PROBLEMASORIGEM DAS CAUSAS DOS PROBLEMASORIGEM DAS CAUSAS DOS PROBLEMAS Falta de planejamento, objetivosFalta de planejamento, objetivos não definidos, não sabe lidarnão definidos, não sabe lidar com a pressãocom a pressão Falta de educaFalta de educaçção e treinamento,ão e treinamento, inexperiência ou desconhecimentoinexperiência ou desconhecimento Ambiente e condiAmbiente e condiçções fões fíísicas desicas de trabalho inadequadostrabalho inadequados Problemas emocionais, cansaProblemas emocionais, cansaçço,o, desânimodesânimo Erro intencionalErro intencional 41,9%41,9% 29,8%29,8% 14,1%14,1% 12,6%12,6% 1,6%1,6% 85,8%85,8% CAUSAS DOS PROBLEMAS GERENCIAISCAUSAS DOS PROBLEMAS GERENCIAISCAUSAS DOS PROBLEMAS GERENCIAISCAUSAS DOS PROBLEMAS GERENCIAISCAUSAS DOS PROBLEMAS GERENCIAISCAUSAS DOS PROBLEMAS GERENCIAISCAUSAS DOS PROBLEMAS GERENCIAISCAUSAS DOS PROBLEMAS GERENCIAIS
  20. 20. FASE AFASE AFASE AFASE AFASE AFASE AFASE AFASE A FASE BFASE BFASE BFASE BFASE BFASE BFASE BFASE B FASE C(RISE)FASE C(RISE)FASE C(RISE)FASE C(RISE)FASE C(RISE)FASE C(RISE)FASE C(RISE)FASE C(RISE) ALAVANCAGEM DA COMPETÊNCIAALAVANCAGEM DA COMPETÊNCIAALAVANCAGEM DA COMPETÊNCIAALAVANCAGEM DA COMPETÊNCIAALAVANCAGEM DA COMPETÊNCIAALAVANCAGEM DA COMPETÊNCIAALAVANCAGEM DA COMPETÊNCIAALAVANCAGEM DA COMPETÊNCIA PELO CONHECIMENTOPELO CONHECIMENTOPELO CONHECIMENTOPELO CONHECIMENTOPELO CONHECIMENTOPELO CONHECIMENTOPELO CONHECIMENTOPELO CONHECIMENTO SOLUSOLUSOLUSOLUSOLUSOLUSOLUSOLUÇÇÇÇÇÇÇÇÃO DEÃO DEÃO DEÃO DEÃO DEÃO DEÃO DEÃO DE PROBLEMASPROBLEMASPROBLEMASPROBLEMASPROBLEMASPROBLEMASPROBLEMASPROBLEMAS TEMPOTEMPOTEMPOTEMPOTEMPOTEMPOTEMPOTEMPO NOVA ALAVANCAGEMNOVA ALAVANCAGEMNOVA ALAVANCAGEMNOVA ALAVANCAGEMNOVA ALAVANCAGEMNOVA ALAVANCAGEMNOVA ALAVANCAGEMNOVA ALAVANCAGEM PONTO DE RUPTURAPONTO DE RUPTURAPONTO DE RUPTURAPONTO DE RUPTURAPONTO DE RUPTURAPONTO DE RUPTURAPONTO DE RUPTURAPONTO DE RUPTURA
  21. 21. COMO SE TORNAR UMCOMO SE TORNAR UMCOMO SE TORNAR UMCOMO SE TORNAR UMCOMO SE TORNAR UMCOMO SE TORNAR UMCOMO SE TORNAR UMCOMO SE TORNAR UM LLLLLLLLÍÍÍÍÍÍÍÍDER QUE SIMPLIFICADER QUE SIMPLIFICADER QUE SIMPLIFICADER QUE SIMPLIFICADER QUE SIMPLIFICADER QUE SIMPLIFICADER QUE SIMPLIFICADER QUE SIMPLIFICA PARA QUE SERVE O CONHECIMENTO?PARA QUE SERVE O CONHECIMENTO?PARA QUE SERVE O CONHECIMENTO?PARA QUE SERVE O CONHECIMENTO?PARA QUE SERVE O CONHECIMENTO?PARA QUE SERVE O CONHECIMENTO?PARA QUE SERVE O CONHECIMENTO?PARA QUE SERVE O CONHECIMENTO? INGÊNUOINGÊNUO TRANSITIVOTRANSITIVO-- INGÊNUOINGÊNUO CRCRÍÍTICOTICO
  22. 22. (CAMINHO)(CAMINHO)(AL(ALÉÉM DE)M DE) META + HODOSMETA + HODOS IMPORTÂNCIA DOS MIMPORTÂNCIA DOS MIMPORTÂNCIA DOS MIMPORTÂNCIA DOS MIMPORTÂNCIA DOS MIMPORTÂNCIA DOS MIMPORTÂNCIA DOS MIMPORTÂNCIA DOS MÉÉÉÉÉÉÉÉTODOSTODOSTODOSTODOSTODOSTODOSTODOSTODOS PARA A GESTÃO PROFISSIONALPARA A GESTÃO PROFISSIONALPARA A GESTÃO PROFISSIONALPARA A GESTÃO PROFISSIONALPARA A GESTÃO PROFISSIONALPARA A GESTÃO PROFISSIONALPARA A GESTÃO PROFISSIONALPARA A GESTÃO PROFISSIONAL COMPORTAMENTO TCOMPORTAMENTO TCOMPORTAMENTO TCOMPORTAMENTO TCOMPORTAMENTO TCOMPORTAMENTO TCOMPORTAMENTO TCOMPORTAMENTO TÍÍÍÍÍÍÍÍPICOPICOPICOPICOPICOPICOPICOPICO DE UM SISTEMA LINEARDE UM SISTEMA LINEARDE UM SISTEMA LINEARDE UM SISTEMA LINEARDE UM SISTEMA LINEARDE UM SISTEMA LINEARDE UM SISTEMA LINEARDE UM SISTEMA LINEAR LimiteLimite inferior deinferior de especificaespecificaççãoão LimiteLimite superior desuperior de especificaespecificaççãoãoMMéédiadia A curva normalA curva normal exibe os resultadosexibe os resultados experienciados pelaexperienciados pela humanidade como umahumanidade como uma das mais amplas generalizadas mais amplas generalizaççõesões da filosofia natural.da filosofia natural. Ela serve como guia nas pesquisasEla serve como guia nas pesquisas das ciências mdas ciências méédicas, exatas e sociais.dicas, exatas e sociais. ÉÉ uma ferramenta indispensuma ferramenta indispensáável paravel para ananáálise e interpretalise e interpretaçção de dados obtidosão de dados obtidos pela observapela observaçção e experimentaão e experimentaçção.ão.
  23. 23. OUTLIERSOUTLIERSOUTLIERSOUTLIERSOUTLIERSOUTLIERSOUTLIERSOUTLIERS POR QUE ALGUMAS PESSOAS TÊM SUCESSOPOR QUE ALGUMAS PESSOAS TÊM SUCESSOPOR QUE ALGUMAS PESSOAS TÊM SUCESSOPOR QUE ALGUMAS PESSOAS TÊM SUCESSOPOR QUE ALGUMAS PESSOAS TÊM SUCESSOPOR QUE ALGUMAS PESSOAS TÊM SUCESSOPOR QUE ALGUMAS PESSOAS TÊM SUCESSOPOR QUE ALGUMAS PESSOAS TÊM SUCESSO E OUTRAS NÃO?E OUTRAS NÃO?E OUTRAS NÃO?E OUTRAS NÃO?E OUTRAS NÃO?E OUTRAS NÃO?E OUTRAS NÃO?E OUTRAS NÃO? Fora de SFora de Séérierie Malcolm GladwellMalcolm Gladwell Ed. Sextante, 2008Ed. Sextante, 2008 OUTLIER!OUTLIER!OUTLIER!OUTLIER!OUTLIER!OUTLIER!OUTLIER!OUTLIER! XXXXXXXX POR QUE ALGUMAS PESSOAS TÊM SUCESSOPOR QUE ALGUMAS PESSOAS TÊM SUCESSOPOR QUE ALGUMAS PESSOAS TÊM SUCESSOPOR QUE ALGUMAS PESSOAS TÊM SUCESSOPOR QUE ALGUMAS PESSOAS TÊM SUCESSOPOR QUE ALGUMAS PESSOAS TÊM SUCESSOPOR QUE ALGUMAS PESSOAS TÊM SUCESSOPOR QUE ALGUMAS PESSOAS TÊM SUCESSO E OUTRAS NÃO?E OUTRAS NÃO?E OUTRAS NÃO?E OUTRAS NÃO?E OUTRAS NÃO?E OUTRAS NÃO?E OUTRAS NÃO?E OUTRAS NÃO? A mA múúsica no seu csica no seu céérebro: a ciência de uma obsessão humanarebro: a ciência de uma obsessão humana Daniel J. LevitinDaniel J. Levitin Ed. CivilizaEd. Civilizaçção Brasileira, 2010ão Brasileira, 2010 “A ideia de que a excelência em uma tarefa complexa requer um nível de prática mínimo está sempre ressurgindo em estudos de expertise. Na realidade, os pesquisadores chegaram ao que acreditam ser o número mágico para a verdadeira excelência: 10 mil horas! Isto equivale a 3 horas por dia, todos os dias, durante 10 anos!”
  24. 24. ““““““““A excelênciaA excelênciaA excelênciaA excelênciaA excelênciaA excelênciaA excelênciaA excelência éééééééé uma habilidade conquistadauma habilidade conquistadauma habilidade conquistadauma habilidade conquistadauma habilidade conquistadauma habilidade conquistadauma habilidade conquistadauma habilidade conquistada com treinamento e prcom treinamento e prcom treinamento e prcom treinamento e prcom treinamento e prcom treinamento e prcom treinamento e prcom treinamento e práááááááática.tica.tica.tica.tica.tica.tica.tica. NNNNNNNNóóóóóóóós somos o que fazemos repetidamente.s somos o que fazemos repetidamente.s somos o que fazemos repetidamente.s somos o que fazemos repetidamente.s somos o que fazemos repetidamente.s somos o que fazemos repetidamente.s somos o que fazemos repetidamente.s somos o que fazemos repetidamente. A excelência, portanto, nãoA excelência, portanto, nãoA excelência, portanto, nãoA excelência, portanto, nãoA excelência, portanto, nãoA excelência, portanto, nãoA excelência, portanto, nãoA excelência, portanto, não éééééééé um ato,um ato,um ato,um ato,um ato,um ato,um ato,um ato, mas um hmas um hmas um hmas um hmas um hmas um hmas um hmas um háááááááábito.bito.bito.bito.bito.bito.bito.bito.”””””””” AristAristAristAristAristAristAristAristóóóóóóóótelestelestelestelestelestelestelesteles MENSAGEM FINALMENSAGEM FINALMENSAGEM FINALMENSAGEM FINALMENSAGEM FINALMENSAGEM FINALMENSAGEM FINALMENSAGEM FINAL
  25. 25. Eduardo GaleanoEduardo Galeano ““Somos o que fazemos,Somos o que fazemos, mas somos,mas somos, principalmente,principalmente, o que fazemoso que fazemos para mudar o que somos.para mudar o que somos.””

×