Arte grega

1.632 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.632
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
37
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Arte grega

  1. 1. Trabalho realizado por: Gonçalo Tavares, nº 10 Íris Silva, nº17 Joana Pereira, nº18 Maria João, nº22 Professora: Teresa Costa 7º A
  2. 2. Índice  Introdução ------------------------------------------------ 3  Arte Grega e suas características -------------------- 4  Arquitetura ----------------------------------------------- 9  Escultura -------------------------------------------------- 11  Pintura ----------------------------------------------------- 14  Netgrafia --------------------------------------------------- 17  Conclusão ------------------------------------------------- 18  Fim ---------------------------------------------------------- 19
  3. 3. Introdução  Realizámos este trabalho no ambito da disciplina de História sobre a Arte Grega.Os artistas helenos procuravam representar, através da sua arte, cenas do quotidiano grego, acontecimentos históricos, temas religiosos e mitológicos.
  4. 4. ARTE GREGA A arte grega foi considerada livre, pois valorizava o homem, como o ser mais importante do Universo. A arte grega é a representação da realidade. o grego cultivava a arte pela arte, porque o cidadão pertencia à politica e menosprezava a sua dignidade se fizesse da arte uma produção, um meio de sustento. Atena: a deusa da arte. Para os helénicos, a natureza era a norma e a ciência dava a virtude.
  5. 5. Na Grécia, a beleza e a racionalidade do universo eram as manifestações mais elevadas do Bem. Na sua constante procura da perfeição, o artista grego cria uma arte de elaboração intelectual em que predominam o ritmo, o equilíbrio, a harmonia ideal. Exemplos de Arte Grega: Partenon de Atenas Estátua de Zeus Farol de Alexandria Colosso de Rodes Templo de Ártemis
  6. 6. Características da arte grega:  Racionalismo  Amor pela beleza e interesse pelo homem  Democracia  Harmonia  Equilíbrio  Ordem As manifestações artísticas gregas encontraram os seus alicerces numa filosofia antropocêntrica, que inspirou as duas características fundamentais deste estilo: 1. a dimensão humana e o interesse pela representação do homem; 2. a tendência para o idealismo traduzido na adopção de regras fixas que definiam sistemas de proporções e de relações formais para todas as produções artísticas, desde a arquitectura à escultura.
  7. 7. Do ponto de vista cronológico, a história da arte grega pode ser dividida nos seguintes períodos: -1550 a –1100: Período Micénico: Temas ligados à caça e à guerra, monumentalidade, estilização, grande influência da cultura minóica. O estilo geométrico surge neste período. Percebe-se uma disputa entre linhas retas e curvas. Este novo estilo, o arcaico, mostra-se claramente na cerâmica e na arquitetura -1100 a –750: Idade das Trevas: Empobrecimento cultural. Após -900, emergência de estilos cerâmicos regionais e dos primeiros templos de madeira. -750 a –480: Período Arcaico: Influência oriental, uso da pedra em templos e edifícios públicos, cerâmica com cenas narrativas e estátuas em tamanho natural. Formas estáticas e estilizadas, domínio imperfeito da anatomia e da proporção
  8. 8. -480 a –323: Período Clássico: Amadurecimento e apogeu da arte grega. Templos e edifícios públicos monumentais, representação naturalista da figura humana, utilização de formas idealizadas de homens e mulheres em movimento. -323 a –30: Período Helenístico: Representação das emoções, figuras com traços realistas e menos idealizados, desenvolvimento do nu feminino, dos retratos, das casas particulares e do planeamento urbano.
  9. 9. ARQUITECTURA A arquitetura Grega manifesta-se principalmente pelos templos, estádios e teatros. A arquitectura grega tinha vários objectivos: proteger as estátuas dos deuses das acções do tempo e prestar-lhes culto fazendo peças de teatro, jogos pan-helénicos, ou seja que atraíam gente de todo o mundo grego. Os templos eram construídos normalmente sobre uma plataforma de 1m de altura chamada estereóbata. No princípio, os materiais utilizados eram o adobe, para as paredes, e a madeira, para as colunas. Mas, a partir do século VII a.C. foram substituídos pela pedra. Essa inovação permitiu que fosse acrescentada uma nova fileira de colunas na parte externa (peristilo) da edificação, fazendo com que o templo obtivesse um ganho no que toca à monumentalidade.
  10. 10. A princípio as colunas obedeceram a 2 estilos:  Dórico – O estilo Dórico é representado por uma coluna robusta sem base e com o capitel muito simples.  Jónico – O estilo Jónico caracteriza-se por ter uma coluna mais estreita e elegante, tem base e o seu capitel é comp0osto por volutas.  Coríntio( variante do Jónico) – O estilo Coríntio surgiu no séc. V a.C. tem a coluna estreita ,tem base mas o seu capitel é mais elaborado por folhas de acanto era considerado o estilo mais refinado. Dórico Jónico Coríntio
  11. 11. Foi neste século V a.C., século de Péricles, que a arquitectura conheceu o seu maior desenvolvimento, tendo como grande exemplo o Partenon de Atenas, do arquitecto Ictino. O Partenon de Atenas é a mais evidente ilustração desse brilhante período arquitectónico grego. ESCULTURA Entre os séculos XI e IX a.C. a escultura produziu pequenas obras, representando figuras humanas, em argila ou marfim. Durante o período arcaico a pedra tornou-se o material mais utilizado, comum nas simples estátuas de rapazes (Kouros ) e de raparigas (Korés) e ainda reflectiam a influência externa. As figuras esculpidas apresentavam formas lisas e arredondadas e plasmavam na pedra uma beleza ideal.
  12. 12. Essas figuras humanas guardavam uma grande semelhança com as esculturas egípcias, as quais, obviamente, lhes haviam servido de modelo. Com o advento do classicismo a estatuária grega foi assumindo um carácter próprio e acabou por abandonar definitivamente os padrões orientais. Foi o cuidadoso estudo das proporções que ofereceu a possibilidade de se copiar fielmente a anatomia humana, e com isso os rostos obtiveram um ganho considerável em expressividade e realismo. O apogeu da escultura ocorreu no período clássico, durante o século V, quando as obras ganharam maior realismo, reflectindo a perfeição das formas e a beleza humana.
  13. 13. Entre os grandes artistas do classicismo estão: Policleto, Miron, Praxíteles e Fídias. Há ainda Lisipo que, nas suas tentativas de moldar as verdadeiras feições do rosto criou os primeiros retratos. Posteriormente ganharam dinamismo, como se percebe no Discóbolo de Míron. O resultado disso foi o surgimento de obras de inigualável monumentalidade e beleza, como O Colosso de Rodes, de trinta e dois metros de altura.
  14. 14. PINTURA Para falar da pintura grega é necessário fazer referência à cerâmica, já que foi precisamente na decoração de ânforas, pratos e utensílios, cuja comercialização era um negócio muito produtivo na antiga Grécia, que a arte da pintura pôde desenvolver-se. No começo, os desenhos eram formas geométricas elementares - de onde se originou a denominação de geométrico conferida a esse primeiro período (séculos IX e VIII a.C.) - que mal se destacavam na superfície. Surgiram então os primeiros desenhos de plantas e animais guarnecidos por adornos chamados de meandros. Numa etapa próxima, já no período arcaico, começou a ser incluída nos desenhos a figura humana, que apresentava um grafismo muito estilizado.
  15. 15. As cenas eram apresentadas em faixas horizontais paralelas que podiam ser visualizadas ao girar-se a peça de cerâmica. Com a substituição do cinzel pelo pincel, os traçados tornaramse mais precisos e ricos em detalhes. Um exemplo são os vasos gregos através dos quais se contava uma história. A história da pintura pode ser dividida estilisticamente em: Protogeométrico – de aproximadamente 1050 a.C.; Geométrico – de aproximadamente 900 a.C.; Arcaico – de aproximadamente 750 a.C.; Pinturas negras – do aproximadamente entre 700 a 600 a.C; Pinturas vermelhas – de aproximadamente 530 a.C. Durante os períodos Protogeométrico e Geométrico a cerâmica grega foi decorada com projectos abstractos.
  16. 16. Em períodos posteriores, com a mudança estética, os temas mudaram, passando a ser figuras humanas. A batalha e cenas de caçada também eram populares.  Como na escultura, no período arcaico a pintura grega lembrava a egípcia, com todos os símbolos e detalhes usados de forma a simplificar o desenho, como os pés sempre de lado e os rostos de perfil com o olho virado para a frente.  As pinturas representavam o quotidiano das pessoas e cenas mitológicas, como deuses e semideuses.
  17. 17. As Pinturas negras foram pintadas por Exéquias e os personagens da ânfora foram pintados de preto, permanecendo o fundo com a cor natural da argila. Estas são as chamadas figuras negras. Após a pintura, o contorno e o interior do desenho eram riscados com uma ferramenta pontiaguda, de forma que a tinta preta fosse retirada. Em 530 a.C. ocorreu uma revolução na pintura de cerâmicas. Um discípulo de Exéquias resolveu inverter o esquema de cores, ficando o fundo preto com as figuras da cor vermelha do barro cozido, i.e., as pinturas vermelhas.
  18. 18. Netgrafia:  http/  http/  http/
  19. 19. Conclusão  Ao fazer este trabalho aprendemos mais coisas sobre a história da arte grega e a importância que teve na história Grega.

×