A origem do universo

1.193 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.193
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
42
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A origem do universo

  1. 1. Realizado por: • Diogo Oliveira Nº5 • Gonçalo Oliveira Nº10 • Gonçalo Tavares Nº12
  2. 2. - A origem do Universo - O Big Bang - A Expansão do Universo - O Interesse do Homem pelo Universo - Na Antiguidade - Ao Longo dos tempos - A conquista do Universo - A Ida à Lua - Referências bibliográficas
  3. 3. A ORIGEM DO UNIVERSO - BIG BANG O Big Bang, também por vezes denominada em português como a Grande Explosão, é a teoria cosmológica dominante do desenvolvimento inicial do Universo. Lemaître foi quem propôs a teoria da origem do Universo do Big Bang, a que ele chamava de "hipótese do átomo primordial“, que posteriormente foi desenvolvida por George Gamow.
  4. 4. A ORIGEM DO UNIVERSO - BIG BANG Os cosmólogos usam o termo "Big Bang" para se referirem à ideia de que o universo estava originalmente muito quente e denso no passado e, desde então, tem arrefecido pela expansão.
  5. 5. A ORIGEM DO UNIVERSO - BIG BANG De acordo com dados científicos disponíveis em 2010, as condições iniciais ocorreram por volta de 13,3 a 13,9 bilhões de anos atrás. Segundo Gamow toda a matéria existente hoje no universo encontrava-se concentrada no chamado "átomo inicial", ou "ovo cósmico", e que uma incalculável quantidade de energia, depois de intensamente comprimida, repentinamente explodiu, formando ao avançar do tempo gases, estrelas e planetas.
  6. 6. A ORIGEM DO UNIVERSO - BIG BANG A descoberta de E. Hubble em 1929 – um universo dinâmico em expansão – foi sem dúvida uma das maiores descobertas do século. Na altura, já a teoria da relatividade geral* de Einstein tinha produzido os modelos teóricos capazes de descrever esse universo em expansão. A nova teoria propõe a generalização do princípio da relatividade do movimento para sistemas que incluam campos gravitacionais, levando, entre outras conclusões, à de que a matéria (energia) curva o espaço e o tempo à volta. Esta teoria prediz que a presença de matéria "distorce" o ambiente de espaço-tempo local, fazendo com que linhas aparentemente "rectas" no espaço e no tempo tenham características que são normalmente associadas a linha "curvas".
  7. 7. A ORIGEM DO UNIVERSO - BIG BANG A teoria de Einstein tem importantes implicações astrofísicas. Ela aponta para a existência de buracos negros - regiões no espaço onde o espaço e o tempo são distorcidos de tal forma que nada, nem mesmo a luz, pode escapar - como um estado final para as estrelas maciças .
  8. 8. A ORIGEM DO UNIVERSO - BIG BANG Este é o resultado da deformação do espaçotempo causada por uma matéria maciça e altamente compacta. Um buraco negro é limitado pela superfície denominada horizonte de eventos, que marca a região a partir da qual não se pode mais voltar.
  9. 9. A ORIGEM DO UNIVERSO - BIG BANG Um buraco negro forma-se quando uma estrela super maciça fica sem combustível, o que faz com que o seu núcleo diminua até se reduzir a uma fração do seu tamanho original. Quando isso acontece, a gravidade produzida por ele sai do controle e começa a sugar tudo que encontra.
  10. 10. A ORIGEM DO UNIVERSO - BIG BANG A Radiação Hawking é, em Física, a radiação térmica que se acredita ser emitida por buracos negros devido a efeitos quânticos. Como a radiação Hawking permite aos buracos negros perder massa, supõe-se que os buracos negros que percam mais matéria do que ganhem por outros meios, venham a evaporar, encolher, e finalmente desaparecer.
  11. 11. A ORIGEM DO UNIVERSO - BIG BANG "Por haver uma lei como a gravidade, o universo pode e irá criar-se a ele mesmo do nada. A criação espontânea é a razão pela qual algo existe ao invés de não existir nada; é a razão pela qual o universo existe, pela qual nós existimos.“ “O Big Bang foi simplesmente consequência da lei da gravidade.” Stephen Hawking, In: “O grande desígnio“ (2011). uma
  12. 12. TRABALHO F. Q DE GRUPO REQUISITADO P E L A P R O F. DE
  13. 13. O INTERESSE DO HOMEM PELO UNIVERSO A ANTIGUIDADE As especulações sobre a natureza do Universo devem remontar aos tempos préhistóricos, por isso a astronomia é frequentemente considerada a mais antiga das ciências. Desde a antiguidade, o céu tem sido usado como mapa, calendário e relógio. Os registos astronómicos mais antigos datam de aproximadamente 3000 a.C. e devem-se aos chineses, babilónios, assírios e egípcios.
  14. 14. O INTERESSE DO HOMEM PELO UNIVERSO A ANTIGUIDADE Naquela época, os astros eram estudados com objetivos práticos, como medir a passagem do tempo (fazer calendários) para prever a melhor época para o cultivo e a colheita. Com objetivos mais relacionados à astrologia, como fazer previsões do futuro, já que, não tendo qualquer conhecimento das leis da natureza (física), acreditavam que os deuses do céu tinham o poder da colheita, da chuva e mesmo da vida.
  15. 15. O INTERESSE DO HOMEM PELO UNIVERSO A ANTIGUIDADE Vários séculos antes de Cristo, os chineses sabiam a duração do ano e usavam um calendário de 365 dias. Deixaram anotações precisas de cometas, meteoros e meteoritos desde 700 a.C. Mais tarde, também observaram as estrelas que agora chamamos de novas. Os babilónios, assírios e egípcios também sabiam a duração do ano desde épocas pré-cristãs.
  16. 16. O INTERESSE DO HOMEM PELO UNIVERSO A ANTIGUIDADE Noutras partes do mundo, evidências de conhecimentos astronómicos muito antigos foram deixadas na forma de monumentos, como o de Newgrange, construído em 3200 a.C., na Irlanda (no solstício de inverno o sol ilumina o corredor e a câmara central) e Stonehenge, na Inglaterra, que data de 3000 a 1500 a.C. Em Stonehenge, cada pedra pesa em média 426 toneladas. A avenida principal que parte do centro da monumento aponta para o local no horizonte em que o Sol nasce no dia mais longo do verão (solstício). Nessa estrutura, algumas pedras estão alinhadas com o nascer e o pôr do Sol no início do verão e do inverno.
  17. 17. O INTERESSE DO HOMEM PELO UNIVERSO A ANTIGUIDADE Os Maias, na América Central, também tinham conhecimentos de calendário e de fenómenos celestes, e os polinésios aprenderam a navegar por meio de observações celestes. Nas Américas, o observatório mais antigo descoberto é o de Chankillo, no Peru, construído entre 200 e 300 a.C.
  18. 18. O INTERESSE DO HOMEM PELO UNIVERSO A ANTIGUIDADE O ápice da ciência antiga deu-se na Grécia, de 600 a.C. a 400 d.C., em níveis só ultrapassados no século XVI. Do esforço dos Gregos em conhecer a natureza do cosmos, e com o conhecimento herdado dos povos mais antigos, surgiram os primeiros conceitos de Esfera Celeste, uma esfera de material cristalino, incrustada de estrelas, tendo a Terra no centro. Desconhecedores da rotação da Terra, os Gregos imaginaram que a esfera celeste girava em torno de um eixo passando pela Terra. Observaram que todas as estrelas giram em torno de um ponto fixo no céu e consideraram esse ponto como uma das extremidades do eixo de rotação da esfera celeste.
  19. 19. O INTERESSE DO HOMEM PELO UNIVERSO AO LONGO DOS TEMPOS O mundo dos astrónomos da Idade Média*, herdada dos gregos, é perfeito e eterno. Em torno da Terra, imóvel no centro do Universo, giram o Sol e os planetas num movimento circular uniforme. Já no Renascimento**, a primeira pessoa a contradizer o Geocentrismo foi Nicolau Copérnico. Com medo da inquisição, Copérnico afirmou que era apenas um modelo matemático, sem aplicações práticas. *período da história da Europa aproximadamente entre os séculos V e XV. ** período da história da Europa aproximadamente entre o século XIV e século XVI.
  20. 20. O INTERESSE DO HOMEM PELO UNIVERSO AO LONGO DOS TEMPOS A sua teoria do Heliocentrismo, que colocou o Sol como o centro do Sistema Solar, é tida como uma das mais importantes hipóteses científicas de todos os tempos, tendo constituído o ponto de partida da astronomia moderna. No campo da ciência, o período Renascentista foi um dos mais férteis na história da humanidade.
  21. 21. O INTERESSE DO HOMEM PELO UNIVERSO AO LONGO DOS TEMPOS Em 1609 Galileu Galilei construiu o primeiro telescópio. Mesmo perseguido pela Igreja, afirmava não ser a Terra o centro de todo o Universo. Pela constatação do movimento da Terra em torno do Sol, as teorias de Galileu seguiam em rota de colisão com os próprios conceitos religiosos vigentes. A obra de Isaac Newton descreve a lei da gravitação universal e as três leis de Newton, que fundamentaram a mecânica clássica. Ao demonstrar a consistência que havia entre o sistema por si idealizado e as leis de Kepler* do movimento dos planetas, foi o primeiro a demonstrar que os movimentos de objectos, tanto na Terra como em outros corpos celestes, são governados pelo mesmo conjunto de leis naturais. * Na Primeira Lei de Kepler: Lei das Órbitas Elípticas, "O planeta em órbita em torno do Sol descreve uma elipse em que o Sol ocupa um dos focos".
  22. 22. O INTERESSE DO HOMEM PELO UNIVERSO AO LONGO DOS TEMPOS A gravitação universal é muito mais do que uma força relacionada ao Sol. É também um efeito dos planetas sobre o Sol e sobre todos os objetos do universo. Newton explicou facilmente a partir de sua Terceira Lei da Dinâmica que, se um objeto atrai um segundo objeto, este segundo também pode atrair o primeiro com a mesma força. Concluiu-se que o movimento dos corpos celestes não podiam ser regulares.
  23. 23. O INTERESSE DO HOMEM PELO UNIVERSO AO LONGO DOS TEMPOS À medida que se foram desenvolvendo telescópios de maiores dimensões e alcance e instrumentos de registo e análise, o Universo pôde passar a ser estudado com excepcional rigor. Assim, o nosso conhecimento do conteúdo do Universo cresceu enormemente nos finais do século XX.
  24. 24. O INTERESSE DO HOMEM PELO UNIVERSO A IDA À LUA A Lua sempre atraiu a atenção do homem, e este interesse ficou registado na poesia, na literatura e na ficção científica. Há quase 150 anos (1865), Júlio Verne escreveu* sobre um grupo de homens que viajou até a Lua usando um gigantesco canhão. Em França, Georges Melies criou um dos primeiros filmes de ficção científica em que descrevia uma incrível viagem à Lua**. • “De la Terre à la Lune” ** "Le voyage dans la Lune" (1902)
  25. 25. O INTERESSE DO HOMEM PELO UNIVERSO A IDA À LUA Com o fim da segunda guerra mundial, em 1945, e a vitória dos EUA e da União Soviética, a corrida espacial começou a tornar-se um propósito concreto. Em 1957, os soviéticos lançaram o primeiro satélite artificial da terra, o Sputnik. Em 12 de Abril de 1961, o russo Yúri Gagarin fez o primeiro voo orbital tripulado. Foi o primeiro homem a ir para o espaço e ver o planeta de lá. A sua afirmação mais inesquecível foi: "a Terra é azul".
  26. 26. O INTERESSE DO HOMEM PELO UNIVERSO A IDA À LUA Quando Nikita Kruschev (líder soviético) resolveu desafiar os EUA em relação a corrida espacial, o presidente Kennedy elaborou, com seus assessores, um plano para ganhar manchetes no mundo inteiro: levar o homem à lua. E em poucos anos este plano realizar-se-ia.
  27. 27. O INTERESSE DO HOMEM PELO UNIVERSO A IDA À LUA Collins, Aldrin e Armstrong partiram a bordo da nave Apollo 11, na manhã do dia 16 de Julho de 1969. A Apollo 11 era pequena, composta módulo de comando, de serviço e lunar, não pesando mais do que 45 toneladas. Foi lançada no bico do Saturno 5, o maior foguete alguma vez construído.
  28. 28. O INTERESSE DO HOMEM PELO UNIVERSO A IDA À LUA Ficou famosa a frase do primeiro astronauta a pisar na Lua, Neil Armstrong: "Um pequeno passo para um homem, um salto gigante para a humanidade". Os astronautas da Apollo 11 colocaram uma placa na Lua, onde se lê: Here Men From Planet Earth First Set Foot Upon The Moon. July 1969 A.D. We Came In Peace For All Mankind*. * Aqui os homens do planeta Terra pisaram pela primeira vez na Lua. Julho de 1969. Viemos em paz, em nome de toda a humanidade.
  29. 29. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: http://pt.wikipedia.org/wiki/Expans%C3%A3o_m%C3%A9trica_do_espa%C3%A7o http://astro.if.ufrgs.br/antiga/antiga.htm Hawking, S.; Mlodinow, L. (2011). O Grande Desígnio. Gradiva. Lisboa. http://www.inape.org.br/astronomia-astrofisica/mitos-e-verdades-sobre-os-buracos-negros http://www.astronomiaamadora.net/historia.asp?id_page=3 http://abrancoalmeida.com/2010/04/07/astronomia-na-idade-media/ http://www.pitoresco.com.br/art_data/renascimento/index.htm http://albireu.wordpress.com/2009/01/03/galileu-e-a-forma-como-vemos-o-universo/ http://pt.wikipedia.org/wiki/Nicolau_Cop%C3%A9rnico http://pt.wikipedia.org/wiki/Isaac_Newton http://pt.wikipedia.org/wiki/Corrida_espacial Trabalho realizado por: Gonçalo Tavares Nº12 7ºA(S) Diogo e Gonçalo Oliveira Nº5 e Nº10

×