Sessão 6 Tarefa2

211 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
211
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sessão 6 Tarefa2

  1. 1. O Modelo de Auto - Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (conclusão) 2. Tendo por base a amostra de Relatórios de avaliação externa que elegeu, faça uma análise e comentário crítico à presença de referências a respeito das BE, nesses Relatórios. A. AMOSTRA DE RELATÓRIOS Para este trabalho, escolhi duas escolas, de diferentes tipologias, para verificar a importância da BE enquanto núcleo gerador de saberes de uma escola. Pretendia saber se o desempenho de uma BE de uma EB1/JI era diferente de uma BE de um Agrupamento. Escolas seleccionadas: EB1/JI de Monte Abraão (2007) Agrupamento de Escolas e Jardins-de-infância Ribamar – Lourinhã (2008) Inspecção – Geral de Educação EB1/JI de Monte Abraão Agrupamento de Escolas e Jardins-de-infância Ribamar – Lourinhã II – Caracterização da Unidade de Gestão Na EB1/JI de Monte Abraão, o pessoal docentes, num A EB1 de Ribamar tem uma biblioteca integrada na total de 54 docentes é maioritariamente do Quadro … RBE (única no concelho). 1 na Biblioteca Escolar/Centro de Recursos,.. A BE/CRE está integrada na RBE. (escola sede) III – Conclusões da Avaliação por Domínio 1– Resultados 2– Prestação do Serviço Educativo --- --- 3- Organização e Gestão Escolar 4- Liderança 5- Capacidade de auto – regulação e melhoria do Agrupamento Glória Maria Vilar da Silva Lopes 1
  2. 2. O Modelo de Auto - Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (conclusão) IV – Avaliação por factor 1 – Resultados 1.1 – Sucesso Académico 1.2 1.3 1.2 – Participação e desenvolvimento cívico 1.3 – Comportamento e disciplina A definição, em conjunto com os alunos, de regras de O procedimento habitual em caso de indisciplina é o 1.4 – Valorização e impacto das aprendizagens funcionamento de actividades …, preservação e encaminhamento para a biblioteca com uma tarefa melhoria de espaços escolares recreios, biblioteca, … específica, sendo apoiados, geralmente, por um dos professores que se encontra em tempo não lectivo. 2 – Prestação do Serviço Educativo 2.1 – Articulação e sequencialidade 2.2 – Acompanhamento da Prática lectiva em sala de aula 2.3 – Diferenciação e Apoios 2.4 2.4 2.4 – Abrangência do Currículo e valorização dos saberes e da aprendizagem. A frequência da BE/CRE pelas crianças e alunos O órgão de gestão candidatou-se a projectos como o constitui uma rotina já instituída. Assim, cada turma dos computadores portáteis (CRIE) ou o da BE/CRE tem definido o seu horário de requisição de livros na apetrechada pela RBE que oferece diversas biblioteca. Neste espaço, decorado com a participação possibilidades aos alunos, tais como, realizarem dos alunos, realizam-se actividades de pesquisa, trabalhos, requisitarem livros e fazerem pesquisas na leitura, reconto , dramatizações, entre outras, Internet. Numa das escolas do 1º CEB existe também decorrentes da adesão ao Plano Nacional de Leitura. uma BE/CRE e um laboratório, ao abrigo do projecto Ciência Viva, o que permite desenvolver actividades de promoção da leitura e do ensino experimental das ciências. Estas estruturas estão também acessíveis às Glória Maria Vilar da Silva Lopes 2
  3. 3. O Modelo de Auto - Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (conclusão) restantes escolas do agrupamento. Para as restantes EB1/JI existe um sistema de rotatividade na requisição de livros, através de “malas” que circulam entre estabelecimentos. 3 – Organização e Gestão Escolar 3.2 3.1 – Concepção, planeamento e desenvolvimento da O trabalho da BE/CRE é atribuído a uma AAE com actividade 3.2 – Gestão dos Recursos Humanos formação especializada. 3.3 – Gestão dos recursos materiais e financeiros 3.3 3.3 3.4 – Participação dos pais e outros elementos da comunidade A utilização de outros espaços, …, e a Biblioteca, Alguns espaços têm sido alvo de adaptações e 3.5 – Equidade e justiça apetrechamento, nomeadamente a BE/CRE… integrada na RBE, implica um horário de modo a que todas as turmas possam usufruir destes recursos. 4 - Liderança 4.1 – Visão e estratégia 4.2 – Motivação e empenho 4.1 4.3 – Abertura à inovação A oferta educativa da Escola (BE/CRE…) decorre das 4.3 4.4 – Parcerias, protocolos e projectos É de sublinhar a participação em diversos projectos, necessidades apuradas na elaboração do PEE, contribuindo para a efectiva integração e como o da Rede de Bibliotecas Escolares ou dos desenvolvimento dos alunos. computadores portáteis, promotores de novas perspectivas de aprendizagem e de aquisição de novas 4.4 competências e de conhecimento. A Escola participa em projectos no âmbito do Na área das Línguas, tem também havido um trabalho Programa Ciência Viva e integra a Rede de Bibliotecas importante de promoção da leitura, através de Escolares, como meio de proporcionar a alunos e actividades criativas, dentro e fora do contexto de professores formação diversificada. aula, aproveitando-se o movimento lançado pela RBE e Glória Maria Vilar da Silva Lopes 3
  4. 4. O Modelo de Auto - Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (conclusão) o PNL. 5 – Capacidade de Auto-Regulação e melhoria do --- --- Agrupamento 5.1 – Auto – Avaliação 5.2 – Sustentabilidade do progresso V – Considerações Finais --- --- Pontos fortes Pontos fracos Oportunidades Constrangimentos Depois de analisar os relatórios verifica-se que existem poucas referências e superficiais à BE na avaliação externa. Podemos considerar que o modelo de avaliação utilizado pela IGE não dá ênfase ao papel da BE na escola embora aponte o valor dos protocolos celebrados com RBE alguns projectos, nomeadamente o PNL. Verifica-se, pela análise da tabela, que os campos de análise e os domínios de referência da IGE, em que as BE são mencionadas, variam de escola para escola. Este facto pode, eventualmente, resultar do grau de importância que a escola dá à BE. Podemos concluir que a biblioteca escolar ainda não é devidamente valorizada, independentemente da tipologia da escola, apesar de existirem algumas referências feitas nos relatórios da IGE que apontam para a sua importância e missão. Glória Maria Vilar da Silva Lopes 4
  5. 5. O Modelo de Auto - Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (conclusão) O cumprimento da missão e dos objectivos da BE passa pela existência de um espaço que devia ser referenciado tanto na caracterização da unidade de gestão de forma mais eficaz, bem como, com uma participação mais activa nos pontos: 1.1 – Sucesso Académico 1.4 – Valorização e impacto das aprendizagens 2.1 – Articulação e sequencialidade 2.3 – Diferenciação e Apoios 3.2 – Gestão dos Recursos Humanos 4.4 – Parcerias, protocolos e projectos 5.1 – Auto – Avaliação Glória Maria Vilar da Silva Lopes 5

×