Plano De Avaliacao Dominio C

1.282 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.282
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
43
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Plano De Avaliacao Dominio C

  1. 1. qwerzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwertyui opasdfghjklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzxcvbnmqw ertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwertyuwerzxcvbnmqwer tyuiopasdfghjklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzxcvbn Modelo de Auto - Avaliação da Biblioteca Escolar mqwertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklz Domínio C Projectos, Parcerias e Actividades Livres e de Abertura à Comunidade xcvbnmqwertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwertyuiopasdf ghjklzxcvbnmrtyuiopasdfghjklzxcvbnmqwertyuiopas dfghjklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwerty uiopasdfghjklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzxcvbnmq wertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzxcv bnmqwertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwertyuiopasdfghj klzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwertyuiopa sdfghjklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwert yuiopasdfghjklzxcvbnmrtyuiopasdfghjklzxcvbnmqwe
  2. 2. Modelo de Auto - Avaliação da Biblioteca Escolar Domínio C Projectos, Parcerias e Actividades Livres e de Abertura à Comunidade C.1 Apoio a actividades livres, extra-curriculares e de enriquecimento curricular Avaliar a biblioteca significa avaliar a sua acção em determinados aspectos e os resultados obtidos com esse trabalho, de acordo com os objectivos previamente definidos, tendo porventura em consideração o referencial (Indicadores e Factores críticos de sucesso) à luz dos quais esses objectivos poderão já ter sido estabelecidos, partindo do princípio que os orientam uma ideia geral de melhoria e desenvolvimento de boas práticas. Plano de Avaliação “To effectively conduct program evaluation, you should first have programs. That is you need a strong impression of what your customers or clients actually need…Next you need some effective methods to meet each of those goals. These methods are usually in form of programs… It often helps to think of your programs in terms of inputs, process, outputs and outcomes.” (MCNAMARA Carter; Basic Guide to Program Evaluation) 2
  3. 3. Modelo de Auto - Avaliação da Biblioteca Escolar Etapas Calendarização • Motivação e compromisso institucional É importante estabelecer um diálogo com o órgão de gestão de forma a enquadrar a do Órgão de Gestão. auto-avaliação da Biblioteca Escolar no modelo de auto avaliação da Escola. O • Dialogar com o Órgão de Gestão sobre a modelo de auto-avaliação das bibliotecas escolares deve estar, deste modo, selecção do domínio a avaliar. perfeitamente contextualizado e ancorado na escola e no diálogo que a biblioteca tem de estabelecer com ela e com a comunidade, afastando-se de uma concepção • Clarificar adequadamente os objectivos mais fechada ou excessivamente centrada na avaliação de desempenho e da da BE. satisfação dos utilizadores, embora também faça necessariamente uso de alguns • Esclarecer os objectivos de dos seus indicadores. aprendizagem dos alunos em relação Porquê? com a biblioteca. O propósito da auto-avaliação é apoiar o desenvolvimento das bibliotecas • Estabelecer os Indicadores adequados escolares e demonstrar a sua contribuição e impacto no ensino e aprendizagem, 1º Período para essas aprendizagens. de modo a que ela responda cada vez mais às necessidades da escola no atingir da Setembro/Outubro • A escolha do domínio que vai ser objecto sua missão e objectivos. de auto-avaliação deve ser acompanhada Co-responsabilização de todos os intervenientes (apresentação aos colegas do de uma identificação dos aspectos propósito e metodologia da auto-avaliação; participação da BE em reuniões (pessoas, estruturas) que vão estar alargadas ou restritas de docentes para recolha da informação; facilitação de envolvidos nesse processo. documentação; disponibilização de dados; formas de colaboração com os docentes na recolha de evidências sobre os alunos, etc.), aceitação dos resultados e acordo sobre a subsequente promoção de um plano de melhoria. Domínio seleccionado/objectivo a alcançar Indicadores seleccionados C.1. Apoio a Actividades Livres, Extra – Curriculares e de Enriquecimento Curricular A equipa da BE pretende apoiar os professores, apoiando as Actividades Curriculares e de Enriquecimento Curricular (AEC). Sendo uma Escola Básica do Primeiro Ciclo, pensamos que faz todo o sentido trabalhar em parceria e num horário mais alargado, disponibilizando os recursos existentes. 3
  4. 4. Modelo de Auto - Avaliação da Biblioteca Escolar Ambiciona que as actividades desenvolvidas nesta parceria sejam actividades planificadas e com uma orientação específica. Pretendemos apresentar esta proposta ao responsável da instituição que dinamiza as AEC e aos docentes que leccionam Apoio ao Estudo. Será apresentado um plano que prevê o desenvolvimento de diferentes projectos com cada turma, em cooperação com as AEC e com os professores das turmas. Queremos aproveitar esta situação para promover a importância do trabalho cooperativo entre os diferentes intervenientes, avaliando, em simultâneo a actividade que foi criada (saber se contribui para o desenvolvimento das competências dos alunos), reflectir, recolher evidências, observar os impactos, apresentar resultados e propostas... C.1.2. Dinamização de actividades livres, de carácter lúdico e cultural. C.1.5. Apoio às actividades de Enriquecimento Curricular (AEC), conciliando-as com a utilização livre da BE. • Identificar o tipo de Porque é necessário orientar as nossas práticas, recolhendo evidências. Evidências sobre a evidências que é necessário prática, realizadas pela investigação e que nos são úteis como elementos de reflexão; as Novembro/Dezembro recolher, decidir sobre os evidências na prática, aquelas que nós próprios recolhemos (com instrumentos de observação); instrumentos a utilizar. e evidências para a prática, porque é fundamental analisar os dados recolhidos para planificar • Recolher as evidências processos de melhoramento. (Ross Tood, 2008) apropriadas, lidando com dados de natureza quantitativa e qualitativa. 4
  5. 5. Modelo de Auto - Avaliação da Biblioteca Escolar Quadro de orientação para recolha de evidências “Identify the major outcomes that you want to examine or verify for the program under evaluation.” (MCNAMARA Carter; Basic Guide to Program Evaluation). Indicadores Factores críticos de sucesso Recolha de evidências (instrumentos) - Plano de Actividades da BE C.1.2 Dinamização de - Os alunos encontram na BE um conjunto de propostas de actividades visando a utilização criativa dos seus - Horário da BE actividades livres, de tempos livres, que lhes permitem desenvolver a sensibilidade estética e o gosto e interesse pela arte, ciência e - Planos de Projectos carácter lúdico e cultural literatura. -Registos sobre a preparação, na escola/agrupamento. desenvolvimento e avaliação das - Os alunos usufruem de um programa de animação cultural, regular e consistente, traduzido num conjunto de actividades. iniciativas, de que são exemplo: exposições, espectáculos, palestras, debates, sessões de poesia, teatro, - Plano de Actividades (Actividades concursos, jogos, celebração de efemérides, ciclos de música e de cinema, outros. de Biblioteca - AEC) - Questionário aos alunos (QA3) - A BE planeia com os responsáveis, a realização de AEC, sempre que estas têm lugar no espaço da biblioteca - Horário da BE ou têm por base a utilização dos seus recursos. - Horário das Actividades de Biblioteca C.1.5. Apoio às - A BE participa activamente nas AEC, organizadas pela Escola/Agrupamento ou outras entidades, assegurando - Plano de Actividades da BE Actividades de as actividades de que são responsáveis ou apoiando os outros docentes na sua concretização. - Observação de utilização da BE Enriquecimento Curricular - Registos de reuniões/contactos. (AEC), conciliando-as com - A ocupação e utilização dos recursos da BE são rentabilizadas em horário extra-lectivo, quer em Actividades - Documentos, materiais, actividades a utilização livre da BE. livres, quer em AEC. desenvolvidas pelos alunos. - Estatísticas de utilização da BE 5
  6. 6. Modelo de Auto - Avaliação da Biblioteca Escolar Etapas Calendarização • Organizar/Aplicar os instrumentos e a sua aplicação (questionários “Specify a “target” goal of clients, i.e. what number or percent of clients you commit to 2º Período aos alunos e grelhas de achieving specific outcomes… Identify what information is needed to show these observação. indicators… Decide how that information can be efficiently and realistically gathered.” • Assegurar a realização do processo “Don’t interview just the successes. You’ll learn a great deal about the program by de recolha, tratamento, análise e comunicação dos dados. A recolha understanding its failures …” documental de registos de planeamento e das actividades da (MCNAMARA Carter; Basic Guide to Program Evaluation) BE. • A observação de actividades de aprendizagem demonstrativas da aquisição ou desenvolvimento de conhecimentos, competências e atitudes (Grelhas de Observação) a auto-avaliação e inquérito aos utilizadores (ChecKlists; questionários). • O levantamento de dados estatísticos de utilização da biblioteca. • A análise de trabalhos de alunos • O levantamento de dados relativos à gestão de recursos (financeiros, materiais, humanos e de informação) da BE. 6
  7. 7. Modelo de Auto - Avaliação da Biblioteca Escolar 3º Período • Analisar as Maio evidências/interpretar a “Analisar as evidências recolhidas através da utilização dos instrumentos e desenvolver informação uma análise sobre a performance da biblioteca no domínio escolhido em relação com os standards estabelecidos” (Texto de apoio à sessão.) “Analyse and report the findings.” • Decidir o nível de Junho desempenho a atribuir ao domínio (ou sub domínios) de acordo com os perfis de desempenho descritos na tabela que se segue, preencher o quadro síntese. C.1. Apoio a actividades livres, extra-curriculares e de enriquecimento curricular Níveis 4 • A BE fomenta fortemente a aquisição e desenvolvimento de métodos de trabalho e de estudo autónomos pelos alunos, proporcionando um horário de funcionamento contínuo e alargado e a abertura nos períodos de interrupção lectiva. • A BE dinamiza um amplo conjunto de actividades livres, de carácter lúdico e cultural, que correspondem aos interesses e necessidades dos alunos. • A BE promove a utilização autónoma e voluntária da biblioteca como espaço de lazer e livre fruição dos recursos, praticando um horário contínuo e alargado e a abertura nos períodos de interrupção lectiva. • A BE estimula e apoia fortemente a iniciativa e intervenção livre dos alunos. • A BE está implicada nas AEC, conciliando-as com a utilização livre da BE (só para o 1º ciclo). 3 • A BE contribui para a aquisição e desenvolvimento de métodos de trabalho e de estudo autónomos pelos alunos, praticando um horário contínuo e coincidente com a permanência dos alunos na escola. 7
  8. 8. Modelo de Auto - Avaliação da Biblioteca Escolar • A BE dinamiza actividades livres, de carácter lúdico e cultural, que correspondem aos interesses e necessidades dos alunos. • A BE facilita a utilização autónoma e voluntária da biblioteca como espaço de lazer e livre fruição dos recursos, permitindo o acesso durante a hora de almoço e todo o período de permanência de alunos na escola. • A BE proporciona as condições necessárias para a iniciativa e intervenção livre dos alunos. • A BE apoia as AEC, conciliando-as com a utilização livre da BE (só para o 1º ciclo). 2 • A BE contribui para desenvolvimento de alguns métodos de trabalho e de estudo autónomos pelos alunos, praticando um horário contínuo, embora com limitações pontuais. • A BE dinamiza algumas actividades livres, de carácter lúdico e cultural. • A BE assegura à hora de almoço a utilização autónoma e voluntária da BE como espaço de lazer e livre fruição dos recursos, embora com limitações pontuais. • A BE proporciona pontualmente apoio a iniciativas dos alunos. • A BE dá algum apoio, quando solicitado, a AEC (só para o 1º ciclo). 1 (a precisar de desenvolvimento urgente) • A BE pouco contribui para a aquisição e desenvolvimento de métodos de trabalho e de estudo autónomos pelos alunos. • A BE raramente dinamiza actividades livres, de carácter lúdico e cultural. • A BE dificulta a sua utilização autónoma e de livre fruição dos recursos, praticando um horário de funcionamento que não permite o acesso fora do período lectivo. • A BE não proporciona quaisquer apoios a iniciativas dos alunos. • A BE não apoia as AEC (só para o 1º ciclo). • Decidir as acções de “A auto-avaliação da BE pode ajudar a melhorar a BE, identificando pontos fracos, Julho melhoria. Comunicar os priorizando necessidades, estabelecendo alvos e informando o plano de actividades resultados. seguinte.” “ A comunicação dos resultados da avaliação empreendida, a análise colectiva e reflexão da Escola/Agrupamento sobre esses resultados, e a identificação das acções de melhoria dos pontos identificados é muito importante, de modo a obter o comprometimento e apoio da escola a essas acções.” (Texto de apoio à sessão) 8
  9. 9. Modelo de Auto - Avaliação da Biblioteca Escolar Julho • Registar os resultados da “O Relatório Final de Avaliação da BE é o instrumento de descrição e análise dos auto-avaliação no Relatório resultados da auto-avaliação, de identificação do conjunto de acções a ter em conta no Anual da Biblioteca Escolar planeamento futuro e de difusão desses resultados e acções junto dos órgãos de gestão e de decisão pedagógica. O Relatório deve integrar o Relatório Anual de Actividades da Escola/Agrupamento, originar uma súmula a incorporar no Relatório de Auto-Avaliação da Escola/Agrupamento, sempre que esta tiver lugar, e orientar o coordenador da BE na possível entrevista a realizar pela Inspecção-Geral de Educação no âmbito da avaliação externa.” (Texto de apoio à sessão) Depois de divulgar o relatório junto da Comunidade Educativa, deve ser elaborado um Plano de Melhoria. Este ser discutido pela Escola para que haja um maior envolvimento de todos os seus elementos. • MCNAMARA, Carter. Basic Guide to Program Evaluation. <http://managementhelp.org/evaluatn/fnl_eval.htm>.Acedido em 20 de Novembro 2009. • MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Bibliotecas Escolares: Modelo de Auto – Avaliação. <http://forumbibliotecas.rbe.min- edu.pt/mod/resource/view.php?id=10374> Acedido em 20 Novembro 2009. • O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO (PARTE I). TEXTO DA SESSÃO 4. http://forumbibliotecas.rbe.min-edu.pt/file.php/94/texto-metodologias-parte1.doc.Acedido em 20 Novembro 2009. 9

×