Caminhada conjunta para
  Escola do Séc. XXI
Manifesto da Biblioteca Escolar IFLA,
           UNESCO (2000)
“A Biblioteca Escolar proporciona informação e
  ideias fun...
Todos por um objectivo:
  Colaboração para o sucesso educativo
                  Regulamento
                    Interno

...
Investigações enquadram o papel da BE na
escola.

      Mais de 50 anos de investigação e estudos
      realizados nos EUA...
Um bom Programa da Biblioteca Escolar
permitirá:

Melhorar os níveis de leitura.
Educar melhores pensadores.
Proporcionar ...
A necessidade de avaliar:
        A auto-avaliação da Biblioteca integra o desenvolvimento do seu
                        ...
1- Como fazemos? (Práticas do dia a dia)
Existem três tipos de informação que contribuem para medir o que já se faz:


   ...
2- Como sabemos o que fazemos?                                  (Recolha de
evidências)

Existem três categorias de evidên...
3- O que devemos fazer a seguir?                                 (Desenvolvimento
do Programa)
Os resultados das evidência...
AS ACÇÕES A IMPLEMENTAR


    Áreas/domínios que necessitam
      de investimento prioritário


     Possibilidades de coo...
Avaliação passo a passo:
  Seleccionar o (os) domínio (s) que devem ser avaliados,
  em cada momento, justificando a perti...
Intervenientes
                                    Órgão
                                      de
                        ...
Modelo de Auto avaliação
          Bibliotecas Escolares
     Domínios que são objecto de avaliação:
A- Apoio ao Desenvolv...
Conceitos implícitos:
         Uma educação para o séc. XXI
O papel da Escola.
O papel da BE na Escola.
O papel de todos o...
Trabalho colaborativo permite construir
               a Escola.

  "A principal meta da educação é criar homens que sejam...
Bibliografia
   Texto da sessão, disponibilizado na plataforma.
   Scott, Elspeth (2002) “How good is your school library ...
Trabalho realizado por:

                        Glória Lopes

        “Práticas e modelos A.A. das BE “- DREC - T5



   ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Auto Avaliação Da Be Pp 1

573 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
573
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Auto Avaliação Da Be Pp 1

  1. 1. Caminhada conjunta para Escola do Séc. XXI
  2. 2. Manifesto da Biblioteca Escolar IFLA, UNESCO (2000) “A Biblioteca Escolar proporciona informação e ideias fundamentais para sermos bem sucedidos na sociedade actual, baseada na informação e no conhecimento. A biblioteca escolar desenvolve nos alunos competências para a aprendizagem ao longo da vida e estimula a imaginação, permitindo-lhes tornarem-se cidadãos responsáveis.”
  3. 3. Todos por um objectivo: Colaboração para o sucesso educativo Regulamento Interno Plano Anual Projecto de Educativo Sucesso Actividades Educativo Projectos Programa da curriculares Biblioteca de turma Escolar
  4. 4. Investigações enquadram o papel da BE na escola. Mais de 50 anos de investigação e estudos realizados nos EUA, nos últimos 10 anos, demonstram que a qualidade do programa de uma biblioteca afecta positivamente o sucesso dos estudantes e da educação. Johnson, Doug (2005) “Getting the Most from Your School Library Media Program”, Principal.
  5. 5. Um bom Programa da Biblioteca Escolar permitirá: Melhorar os níveis de leitura. Educar melhores pensadores. Proporcionar acesso a fontes de informação em diferentes formatos. Melhorar todas as áreas do currículo. Conseguir que estudantes e comunidade educativa desenvolvam mais conhecimentos e se sintam mais cómodos com a tecnologia. Aumentar a motivação e possibilitar a educação permanente ao longo da vida.
  6. 6. A necessidade de avaliar: A auto-avaliação da Biblioteca integra o desenvolvimento do seu Programa Scott, Elspeth (2002) “How good is your school library resource centre? An introduction to performance measurement”. 1 . Como fazemos? (Práticas do dia a dia) 2. Como sabemos o que fazemos? (Recolha de evidências) 3 . O que devemos fazer a seguir? (Gestão e interpretação da informação recolhida )
  7. 7. 1- Como fazemos? (Práticas do dia a dia) Existem três tipos de informação que contribuem para medir o que já se faz: Informação contextual (tipo de escola/ comunidade, horários, funcionamento...) Informação quantitativa (instalações, equipa, recursos...) Informação qualitativa (desde a formação da equipa ao impacto que a BE tem na qualidade de aprendizagem dos alunos e desenvolvimento das suas competências.)
  8. 8. 2- Como sabemos o que fazemos? (Recolha de evidências) Existem três categorias de evidências: Informação que já existe (Número de utilizadores, serviços/documentos requisitados...) Informação que pode ser facilmente descoberta (Programa, fichas de registo, balanço dos diferentes departamentos, registos de sessões pedagógicas...) Informação específica que tem de ser recolhida (Usando grelhas de avaliação, num determinado tempo/grupo, questionários, inquéritos, entrevistas, caixas de sugestões...)
  9. 9. 3- O que devemos fazer a seguir? (Desenvolvimento do Programa) Os resultados das evidências devem permitir chegar a uma análise SWOT (Strengths, Weaknesses, Opportunities, Threats) Depois de: S • Identificar os pontos fortes • Detectar as fraquezas W • Descobrir as oportunidades O • Ter em atenção as ameaças T Decidir: AS ACÇÕES A IMPLEMENTAR
  10. 10. AS ACÇÕES A IMPLEMENTAR Áreas/domínios que necessitam de investimento prioritário Possibilidades de cooperação com os departamentos. Identificação de projectos exequíveis.
  11. 11. Avaliação passo a passo: Seleccionar o (os) domínio (s) que devem ser avaliados, em cada momento, justificando a pertinência da escolha. Gerir as evidências. Comunicar os resultados da avaliação, usando diferentes canais de informação. O Relatório de auto-avaliação deve ser discutido e aprovado em Conselho Pedagógico. Uma síntese deste relatório deve ser mencionada no relatório de avaliação da escola. (Impacto da BE na Escola)
  12. 12. Intervenientes Órgão de Gestão Envolver toda a comunidade educativa no Alunos Docentes Auto- processo de Avaliação da BE avaliação da BE. Pessoal Pais/E. Educação ñ docente
  13. 13. Modelo de Auto avaliação Bibliotecas Escolares Domínios que são objecto de avaliação: A- Apoio ao Desenvolvimento Curricular A.1. Articulação da BE com as estruturas pedagógicas e os docentes. A.2. Desenvolvimento da literacia da Informação. B- Leitura e Literacias C- Projectos, Parcerias e Actividades Livres e de Abertura à Comunidade C.1. Apoio a actividades livres, extra-curriculares e de enriquecimento curricular C.2. Projectos e parcerias D- Gestão da Biblioteca Escolar D.1. Apoio a actividades da BE com a Escola/Agrupamento. Acesso e serviços prestados pela BE D.2. Condições humanas e materiais para prestação dos serviços D.3. Gestão da colecção
  14. 14. Conceitos implícitos: Uma educação para o séc. XXI O papel da Escola. O papel da BE na Escola. O papel de todos os intervenientes: - Órgão de Gestão - Docentes - Professor bibliotecário - Alunos - Comunidade Educativa
  15. 15. Trabalho colaborativo permite construir a Escola. "A principal meta da educação é criar homens que sejam capazes de fazer coisas novas, não simplesmente repetir o que outras gerações já fizeram. Homens que sejam criadores, inventores, descobridores. A segunda meta da educação é formar mentes que estejam em condições de criticar, verificar e não aceitar tudo que a elas se propõe." Jean Piaget
  16. 16. Bibliografia Texto da sessão, disponibilizado na plataforma. Scott, Elspeth (2002) “How good is your school library resource centre? An introduction to performance measurement”. 68th IFLA Council and General Conference August. <http://www.ifla.org/IV/ifla68/papers/028-097e.pdf> [14/10/2009] McNicol, Sarah (2004) Incorporating library provision in school self-evaluation. Educational Review, 56 (3), 287-296. (Disponível na plataforma) Johnson, Doug (2005) “Getting the Most from Your School Library Media Program”, Principal. Jan/Feb 2005 <http://www.doug-johnson.com/dougwri/getting-the-most-from-your- school-library-media-program-1.html> [14/10/2009]
  17. 17. Trabalho realizado por: Glória Lopes “Práticas e modelos A.A. das BE “- DREC - T5 17 de Novembro de 2009

×