O slideshow foi denunciado.
Seu SlideShare está sendo baixado. ×

Anatomia e Fisiologia Humana Básica.pdf

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
1
Anatomia e Fisiologia
Humana Básica
1ª série – Técnico de Enfermagem
Professor: José Glauber Rodrigues da Silva
Enfermei...
2
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
Introdução a Anatomia e Fisiologia Humana Básica ....................................................
3
Conceituando...
O que é Anatomia Humana? É um ramo da Biologia que estuda os sistemas do corpo humano e o funcionamento ...
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio

Confira estes a seguir

1 de 85 Anúncio

Mais Conteúdo rRelacionado

Mais recentes (20)

Anúncio

Anatomia e Fisiologia Humana Básica.pdf

  1. 1. 1 Anatomia e Fisiologia Humana Básica 1ª série – Técnico de Enfermagem Professor: José Glauber Rodrigues da Silva Enfermeiro – Coren-CE 496644 Aluno(a): ___________________________ Cascavel-CE / 2022
  2. 2. 2 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Introdução a Anatomia e Fisiologia Humana Básica .................................................................................... 3 Sistema Esquelético .......................................................................................................................................... 13 Sistema Articular .............................................................................................................................................. 20 Sistema Muscular .............................................................................................................................................. 23 Sistema Respiratório ........................................................................................................................................ 33 Sistema Tegumentar ......................................................................................................................................... 43 Órgãos Acessórios ou anexos da pele .............................................................................................................. 46 Sistema Cardiovascular ou Circulatório ........................................................................................................ 48 Sistema Linfático .............................................................................................................................................. 53 Sistema Digestório ............................................................................................................................................ 57 Sistema Nervoso ................................................................................................................................................ 62 Sistema Urinário ............................................................................................................................................... 73 Sistema Genial Masculino ............................................................................................................................... 77 Sistema Genital Feminino ................................................................................................................................ 80 Sistema Endócrino ............................................................................................................................................ 84 ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  3. 3. 3 Conceituando... O que é Anatomia Humana? É um ramo da Biologia que estuda os sistemas do corpo humano e o funcionamento dos mesmos. Para isso, é necessário entender o que é homeostase e a sua importância. No nosso corpo, existem órgãos e complexos sistemas que interagem uns com os outros, de forma a garantir que as funções vitais do organismo estejam em funcionamento. Homeostase é o equilíbrio que esses sistemas devem ter para a realização dessas funções. Anatomia vem do grego anatome, que significa ‘cortar em partes’, ‘cortar separado’. Em português, a palavra significa dissecação. O que é Fisiologia Humana? Estuda a função de cada parte do corpo e tem uma grande ligação com a anatomia humana. ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA Célula Representa a menor porção de matéria viva. São as unidades estruturais e funcionais dos organismos vivos. ORGANIZAÇÃOESTRUTURALDACÉLULA Células Procarióticas: células mais simples, sem núcleo organizado e sem a maioria das estruturas celulares conhecidas, estão representadas pelas bactérias e cianobactérias. Células Eucarióticas: células com uma estrutura mais complexa, apresentando núcleo e organitos celulares, estão representadas em todos os restantes grupos de seres vivos. ORGANIZAÇÃO ESTRUTURAL DA CÉLULA
  4. 4. 4 Estruturas celulares Funções Membrana plasmática Permeabilidade seletiva Parece celular Proteção Nucléolo Formação dos ribossomos Ribossomo Síntese de proteínas Retículo endoplasmático granuloso Síntese de proteínas e transporte de substâncias Retículo endoplasmático não granuloso Síntese de lipídios, detoxicação e transporte de substâncias Complexo golgiense Secreção celular Mitocôndria Respiração celular Lisossomo Digestão intracelular Centríolo Formação de cílios e flagelos Cloroplasto Fotossíntese Vacúolo desenvolvido Armazenamento e controle osmótico ORGANIZAÇÃO ESTRUTURAL DA CÉLULA Brevilínios: São indivíduos atarracados e em geral baixos, com pescoço curto, grande diâmetro do tórax e membros curtos em relação ao corpo; Características Morfológicas Longilíneos: São indivíduos magros, altos e esguios, com pescoço, tórax e membros longos. Nessas pessoas o estômago geralmente é mais alongado e as vísceras dispostas mais verticalmente. Mediolíneos: Normalmente apresentam caracteres intermediários; Fatores Gerais de Variação Às variações anatômicas ditas individuais, devem-se acrescentar aquelas decorrentes da idade, sexo, raça, do tipo constitucional e da evolução. Fase intra-uterina ➢ Ovo – quinze primeiros dias, ➢ Embrião – até o fim do 2º mês ➢ feto – até o 9º mês. ➢ Recém nascido – até 1 mês após o nascimento ➢ Infante – até o fim do 2º ano ➢ Menino – até o fim do 10º ano ➢ Pré-púbere – até a puberdade ➢ Púbere – dos 12 aos 14 anos ➢ Jovem – até 21 anos ➢ Adulto – até 60 anos ➢ idoso ou velho – além do 60 anos. Fase extra-uterina VARIAÇÃO ANATÔMICA E NORMAL ❑ Uma vez que a Anatomia utiliza como material de estudo o corpo humano, torna-se necessário fazer alguns comentários. ❑ A simples observação de um grupamento humano evidencia de imediato diferenças morfológicas entre elementos que compõem o grupo. ❑ Estas diferenças morfológicas são denominadas variações anatômicas e podem apresentar-se externamente ou em qualquer dos sistemas do organismo, sem que isto traga prejuízo funcional para indivíduo. ❑ A variação anatômica é uma constante: dependente pessoa a pessoa, idade, peso, raça (biótipo) longilíneo ou brevilíneo, patologias (síndromes) e sexo. ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  5. 5. 5 Nomenclatura Anatômica Como toda ciência, a Anatomia tem sua linguagem própria. Ao conjunto de termos empregados para designar e descrever o organismo ou suas partes dá-se o nome de Nomenclatura Anatômica. Abreviaturas para os termos gerais de Anatomia a. – artéria aa. – artérias gl. – glândula lig. – ligamento ligg. – ligamentos m. – músculo mm. – músculos n. – nervo nn. – nervos r. – ramo rr. – ramos v. – veia vv. – veias Planos de delimitação e secção do corpo humano Na posição anatômica o corpo humano pode ser delimitado por planos. Assim, temos os seguintes planos correspondentes: Delimitação do Corpo Humano Plano Ventral ou Anterior Plano Dorsal ou Posterior Plano Lateral Direito e Esquerdo Plano Cranial ou Superior Plano Podálico ou Inferior ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  6. 6. 6 Mediano Frontal Transverso Visão anterior Visão posterior • Plano Mediano – divide o corpo humano em metade direita e esquerdo. • Plano Frontal – divide o corpo humano em anterior e posterior. • Plano Transverso – divide o corpo em superior e inferior. Plano de secção Anterior / Ventral / Frontal: na direção da frente do corpo. Posterior / Dorsal: na direção das costas (traseiro). Superior / Cranial: na direção da parte superior do corpo. Inferior / Caudal: na direção da parte inferior do corpo. Termos de Relação ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  7. 7. 7 Fonte: (Adaptado de TALBOT, 2001, p. 140). Fonte: Adaptado de Morton e Fontaine, 2011, p. 1004. Divisões da Região Abdominal ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  8. 8. 8 Termos de Movimento Flexão: curvatura ou diminuição do ângulo entre os ossos ou partes do corpo. Extensão: endireitar ou aumentar o ângulo entre os ossos ou partes do corpo. Adução: movimento na direção do plano mediano em um plano coronal. Abdução: afastar-se do plano mediano no plano coronal. Rotação Medial: traz a face anterior de um membro para mais perto do plano mediano. Rotação Lateral: leva a face anterior para longe do plano mediano. Termos de Movimento ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  9. 9. 9 Retrusão: movimento de retração (para trás) como ocorre na retrusão da mandíbula e no ombro. Protrusão: movimento dianteiro (para frente) como ocorre na protrusão da mandíbula e no ombro. Pronação: movimento do antebraço e mão que gira o rádio medialmente em torno de seu eixo longitudinal de modo que a palma da mão olha posteriormente. e no ombro. Supinação: movimento do antebraço e mão que gira o rádio lateralmente em torno de seu eixo longitudinal de modo que a palma da mão olha anteriormente e no ombro. Termos de Movimento Inversão: movimento da sola do pé em direção ao plano mediano. Quando o pé está totalmente invertido, ele também está plantifletido. Eversão: movimento da sola do pé para longe do plano mediano. Quando o pé está totalmente evertido, ele também está dorsifletido. Dorsi-flexão (flexão dorsal): movimento de flexão na articulação do tornozelo, como acontece quando se caminha morro acima ou se levantam os dedos do solo. Planti-flexão (flexão plantar): dobra o pé ou dedos em direção à face plantar, quando se fica em pé na ponta dos dedos. ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  10. 10. 10 Cranial ou superior Dorsal ou posterior Lateral esquerdo e direito Inferior ou podálico (de podos = pé) Ventral ou anterior Planos de Delimitação Planos e secções: Planos que delimitam o corpo (Tangenciais), superfícies planas imaginárias • Ventral • Dorsal • Laterais • Superior ou Cranial • Inferior ou podálico Secções (cortes) que atravessam o corpo • Sagital Mediana e ou sagital • Coronal ou Frontal • Transversal ou Horizontal ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  11. 11. 11 Secções (cortes) que atravessam o corpo: Plano de secção mediana que divide o corpo em duas metades – direita e esquerda (Secção sagital) Crânio de um feto em vista superior para localizar a sagitta Plano de secção frontal: São paralelos aos planos ventral e dorsal, é tangente a fronte do indivíduo. Plano de secção transversal: São paralelos aos planos cranial, podálico e ou caudal são horizontais, a secção é transversal. Sistema do Corpo Humano Sistema circulatório: circulação do sangue como coração e vasos sanguíneos. Sistema digestivo: processamento do alimento com a boca, estômago e intestinos. Sistema endócrino: comunicação interna do corpo através de hormônios. Sistema imunológico: defesa do corpo contra os agentes patogênicos. Sistema tegumentar: pele, cabelo e unhas. Sistema linfático: estruturas envolvidas na transferência de linfa entre tecidos e o fluxo sanguíneo. Sistema muscular: proporciona o movimento ao corpo. Sistema nervoso: coleta, transfere e processa informação com o cérebro e nervos. Sistema reprodutor: os órgãos sexuais. Sistema respiratório: os órgão usados para inspiração e o pulmão. Sistema ósseo: suporte estrutural e proteção através dos ossos. Sistema excretor: os rins e estruturas envolvidas na produção e excreção da urina. ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  12. 12. 12 REFERÊNCIAS BIBIOGRÁFICAS Dângelo, José Geraldo; & Fattini, Carlos Américo. Anatomia Humana Básica. São Paulo: Editora Atheneu, 2008. Walter, Reni. Anatomia e Fisiologia Humana. 2ªed. Curitiba: Século XXI, 2002. Posição Anatômica Para evitar o uso de termos diferentes nas descrições anatômica, optou-se por uma posição padrão, denominada posição de descrição anatômica. O corpo está numa postura ereta (em pé, posição ortostática). DECÚBITO DORSAL DECÚBITO VENTRAL DECÚBITO LATERAL POSIÇÃO DE LITOTOMIA OU GINECOLÓGICA POSIÇÃO DE TRENDELEMBURG POSIÇÕES ANATÔMICAS OBRIGADO! ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  13. 13. 13 Aproximadamente um quinto do peso total de um indivíduo saudável é composto por seus ossos. O esqueleto humano é uma estrutura resistente, viva e flexível que tem dentre suas funções sustentar e proteger tecidos e órgãos do corpo”. O movimento, e como consequência a locomoção, que é a principal função do ser vivo e os Sistemas Esquelético, Muscular e Articular que formam em conjunto o Aparelho Locomotor. São inúmeros os movimentos corporais que realizamos durante o dia: levantamos da cama, tomamos banho, escovamos os dentes, levamos os alimentos até a boca. Toda essa e outras rotinas de movimentos seriam impossíveis se não fosse nosso sistema esquelético. O esqueleto é um conjunto de ossos e cartilagens ligados entre si para formar o arcabouço do corpo e desempenhar várias funções. Os ossos são rijos com variação de forma, coloração e número, geralmente unidos por articulações e ligamentos (formando o esqueleto articulado) ou isolados, dos quais os únicos exemplos são o osso híódeo e os sesamóides. Podemos citar várias funções importantes do esqueleto humano, tais como: • Sustentação e conformidade: fornece uma base estrutural para o corpo, sustenta os tecidos moles e forma pontos fixos para tendões de diversos músculos esqueléticos; • Proteção: protege órgãos nobres (encéfalo, coração e pulmões) contra traumatismos externos; • Participação na alavancagem (movimentação): juntamente com os músculos esqueléticos desloca o corpo ou parte dele; • Hematopoiese: produz células sanguíneas através da medula óssea vermelha; • Homeostasia mineral: armazena vários tipos de minerais, principalmente cálcio e fósforo. • Armazenamento de energia: armazena lipídios na medula óssea amarela ou flava. O esqueleto do corpo é composto de ossos e cartilagens e tem duas partes principais: ■ O esqueleto axial consiste nos ossos da cabeça (crânio), do pescoço (vértebras cervicais) e do tronco (costelas, esterno, vértebras e sacro). ■ O esqueleto apendicular consiste nos ossos dos membros, incluindo aqueles que formam os cíngulos do membro superior e do membro inferior. – cintura escapular ou torácica (escápulas e clavículas) – cintura pélvica (ossos ilíacos e o esqueleto dos membros). L., MOORE, K., AGUR, Anne R., DALLEY, F.. Fundamentos de Anatomia Clinica, 4ª edição, 4th Edition. Guanabara Koogan, 01/2013. VitalBook file. Oi, galerinha linda! Esqueleto Nos vertebrados o Sistema Esquelético é considerado o elemento passivo do movimento, enquanto que, como veremos mais adiante, o Sistema Muscular é considerado o elemento ativo do movimento e as junturas ou articulações, que se interpõem entre os ossos, denominadas de Sistema Articular, que irão permitir este movimento. ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA Sistema Esquelético
  14. 14. 14 Sou constituído por um total de 206 ossos. QUE tem por FUNÇÃO – Sustentação e conformação do corpo e proteção de órgãos internos como: coração, cérebro, pulmões, etc. Mas, esta quantidade pode variar se forem levados em consideração alguns fatores, como: • Fatores etários: alguns ossos no recém nascido são formados por partes ósseas que se unem durante o crescimento do indivíduo para constituir um único osso. Por exemplo, o osso frontal formado por duas porções separadas no plano mediano. • Fatores individuais: pode ocorrer que em alguns indivíduos adultos o osso frontal não solde, determinando dessa forma a variação no número total de ossos. • Critérios de contagem: Às vezes alguns critérios pessoais são adotados por anatomistas na contagem do número total de ossos do esqueleto. Por exemplo, são computados ou não na contagem final, os ossículos da orelha média, que são martelo, bigorna e estribo. Funções dos ossos??? O osso, um tecido vivo, é uma forma rígida e altamente especializada de tecido conjuntivo, que compõe a maior parte do esqueleto e é o principal tecido de sustentação do corpo. Os ossos fornecem: ■ Proteção para estruturas vitais. ■ Suporte para o corpo e suas cavidades vitais. ■ Base mecânica para o movimento. ■ Armazenamento de sais (p. ex., cálcio, fósforo). ■ Um suprimento contínuo de células sanguíneas novas (produzidas pela medula óssea localizada na cavidade medular de muitos ossos). Partes Principais Proteção de órgãos internos (vitais) ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  15. 15. 15 L., MOORE, K., AGUR, Anne R., DALLEY, F.. Fundamentos de Anatomia Clinica, 4ª edição, 4th Edition. Guanabara Koogan, 01/2013. VitalBook file. Classificação dos ossos Os ossos são classificados de acordo com sua forma: ■ Ossos longos são estruturas tubulares (p. ex., úmero no braço; falanges nos dedos das mãos). ■ Ossos curtos são cuboides e são encontrados apenas no tornozelo (tarso) e na mão (carpo). ■ Ossos planos têm geralmente funções protetoras (p. ex., os ossos planos do crânio protegem o encéfalo). ■ Ossos irregulares, como aqueles na face, têm formas diferentes dos longos, curtos ou planos. ■ Ossos sesamoides (p. ex., patela) desenvolvem-se em certos tendões. Esses ossos protegem os tendões do desgaste excessivo e frequentemente mudam o ângulo a partir do qual os tendões passam para suas inserções. ■ Ossos heterotópicos se formam nos tecidos moles onde não são normalmente encontrados. Cavaleiros frequentemente desenvolvem ossos heterotópicos nas coxas ou nádegas provavelmente por causa de sobrecargas musculares crônicas que resultam em pequenas áreas hemorrágicas que sofrem calcificação e, por fim, ossificação. Ossos ■ Existem dois tipos de osso: compacto e esponjoso (trabecular ou reticular). ■ As diferenças entre esses tipos de osso dependem da quantidade relativa de substância sólida e da quantidade e do tamanho dos espaços que eles contêm. ■ Todos os ossos apresentam uma fina camada superficial de osso compacto em torno de uma massa central de osso esponjoso, exceto onde o último é substituído por uma cavidade medular. ■ Na cavidade medular dos ossos de adultos e entre as espículas do osso esponjoso são formadas células sanguíneas e plaquetas. ■ A arquitetura do osso esponjoso e compacto varia de acordo com a função. ■ O osso compacto fornece resistência para sustentação de peso. Nos ossos longos, planejados para rigidez e inserção de músculos e ligamentos, a quantidade de osso compacto é máxima próximo à parte média da diáfise (corpo) do osso, onde este está sujeito a curvar-se. ■ Ossos vivos apresentam alguma elasticidade (flexibilidade) e maior rigidez (dureza). CLASSIFICAÇÃO DOS OSSOS Osso longo Osso Pneumático Osso Laminar Osso Curto ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  16. 16. 16 Ossos da Cabeça Tíbia Fíbula Fêmur Rádio Ulna Úmero Costelas Clavícula Esterno Processo xifóide Ilíaco Patela ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  17. 17. 17 Parietal Frontal Esfenóide Mandíbula Temporal Occipital Manúbrio do Esterno Esterno Processo Xifóide Caixa torácica COLUNA VERTEBRAL 7 vértebras cervicais 12 vértebras torácicas 5 vértebras lombares 5 vértebras sacrais 4 vértebras coccígeas ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  18. 18. 18 MMSS e MMII ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  19. 19. 19 ANATOMIA ÓSSEA DOS PÉS ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  20. 20. 20 O sistema articular é formado pelas articulações ou junturas. Essas estruturas podem ser definidas como o local de conexão existente entre dois ou mais ossos, permitindo amplo movimento ou nenhum. O sistema articular reúne as diversas articulações do nosso corpo, que podem ser classificadas de acordo com sua estrutura e mobilidade. Assim temos: fibrosas, cartilaginosas e sinoviais. O sistema articular é formado pelas articulações ou junturas. Essas estruturas podem ser definidas como o local de conexão existente entre dois ou mais ossos, permitindo amplo movimento ou nenhum. O sistema articular reúne as diversas articulações do nosso corpo, que podem ser classificadas de acordo com sua estrutura e mobilidade. Assim temos: fibrosas, cartilaginosas e sinoviais. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS L., MOORE, K., AGUR, Anne R., DALLEY, F.. Fundamentos de Anatomia Clinica, 4ª edição, 4th Edition. Guanabara Koogan, 01/2013. VitalBook file. SOBOTTA, Atlas de Anatomia Humana, volume 1 / editado por R. Putz e R. Pabst, Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008. ANDRADE FILHO, Eládio Pessoa de. & PEREIRA, Francisco Carlos Ferreira. Anatomia Geral. INTA - Instituto Superior de Teologia Aplicada PRODIPE - Pró-Diretoria de Inovação Pedagógica1ª EDIÇÃO Sobral/2015. ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  21. 21. 21 Articulações Cartilaginosas ou Anfiartroses: permitem movimentos limitados. Divide-se em: ➢ Sincondrose: São articulações temporárias, com a cartilagem sendo substituída por osso com o passar do tempo. Ex.: entre as partes do esterno. ➢ Sínfises: As superfícies articulares são cobertas por cartilagem hialina. Entre os ossos há um disco fibrocartilaginoso. Esses discos por serem compressíveis permitem que a sínfise absorva impactos. Ex.: intervertebrais; sacrais; púbica; Articula ções Sinoviais ou Diartroses ✓ Articulações que permitem amplos movimentos; ✓ As faces articulares dos ossos não estão em continuidade; ✓ São constituídas por cápsula articular e ligamentos, que envolvem a articulação, impedem o movimento em planos indesejáveis e limitam a amplitude dos movimentos; ✓ Constituído também, por líquido sinovial, que lubrifica e facilita a movimentação; e por discos e meniscos, que tornam as superfícies articulares congruentes e agem como amortecedores de impacto. Articulações Sinoviais ou Diartroses ✓ São dividas de acordo com o grau de movimentação permitida em: ✓ Monoaxial: movimentos apenas em torno de um eixo (1 grau de liberdade). Só permitem a flexão e extensão ou a rotação. Ex: cotovelo, interfalangianas, radio-ulnar. ✓ Biaxial: movimentos em torno de dois eixos (2 graus de liberdade). Realizam extensão, flexão, adução e abdução. Ex: punho e polegar. ✓ Triaxial: Realiza movimentos em torno de três eixos (3 graus de liberdade). As articulações que além de flexão, extensão, abdução e adução, permitem também a rotação. Ex: Ombro e quadril. Sistema Articular responsável por muitos movimentos que realizamos: - Flexão - Extensão - Rotação ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  22. 22. 22 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS L., MOORE, K., AGUR, Anne R., DALLEY, F.. Fundamentos de Anatomia Clinica, 4ª edição, 4th Edition. Guanabara Koogan, 01/2013. VitalBook file. NETTER, Frank H.. Atlas de Anatomia Humana. 2ed. Porto Alegre: Artmed, 2000. CERQUEIRA, Esem. Atlas ilustrado do corpo humano. Editora Ciranda Cultural. 2011. ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  23. 23. 23 É o conjunto de músculos existentes no corpo humano, sua formação se dá por tecido originado pelo mesoderma (folheto embrionário que dá origem aos músculos, o esqueleto e os sistemas cardiovascular, excretor e reprodutor). Sua característica principal é a propriedade de contração e relaxamento de suas fibras. O ramo da anatomia que o estuda é a Miologia. Os músculos são estruturas que movem os segmentos do corpo por encurtamento da distância que existe entre suas extremidades fixadas; são elementos ativos do movimento do corpo; agrupadas em feixes que formam massas macroscópicas. A musculatura não apenas torna possível o movimento como determina a posição e a postura do esqueleto. Músculos São estruturas anatômicas de formas e comprimentos variáveis, formadas por miócitos e que se inserem aos ossos através de tendões, são caracterizados pela contração (capacidade de diminuir o comprimento) e relaxamento, onde estas ações movimentam partes do corpo, inclusive os órgãos internos. Representam cerca de 40% a 50% do peso corporal total, e são capazes de transformar energia química em energia mecânica. Algumas literaturas estimam um total de 650 músculos, outras falam em 500 aproximadamente. Ainda não chegaram a um consenso, mas como foi citado acima, nossa intenção aqui é mostrar anatomicamente os principais e mais importantes grupos musculares do corpo humano. ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA Sistema Muscular Definindo... SISTEMA MUSCULAR Tipos de músculos: - Esquelético (músculo estriado) - Liso (músculo não estriado) - Cardíaco (músculo estriado) Com base no tipo de controle exercido sobre sua atividade podem ser classificados também em músculos voluntários e músculos involuntários.
  24. 24. 24 Tipos de músculos: ➢ Músculo liso: localiza-se na pele, órgãos internos, aparelho reprodutor, grandes vasos sanguíneos e aparelho excretor. ➢ O estímulo para a contração dos músculos lisos é mediado pelo sistema nervoso vegetativo. ➢ Involuntário e lento ➢ Músculo estriado esquelético: é inervado pelo sistema nervoso central e, como este se encontra em parte sob controle consciente. ➢ As contrações do músculo esquelético permitem os movimentos dos diversos ossos e cartilagens do esqueleto. ➢ Voluntário e rápido ➢ Músculo cardíaco: este tipo de tecido muscular forma a maior parte do coração dos vertebrados. ➢ É inervado pelo sistema nervoso vegetativo. ➢ Involuntária, vigorosa e rítmica. ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  25. 25. 25 A inervação dos músculos esqueléticos ocorre no sistema nervoso central que envia através dos nervos o comando para que haja a contração dos músculos. Algumas lesões ou cortes nestes nervos deixam o músculo sem movimento, causando sua atrofia, que é a diminuição da massa muscular pelo desuso. Sabemos que os músculos são estruturas que contêm uma grande rede vascular que os nutrem de sangue arterial, abastecendo-os de oxigênio e nutrientes, necessários ao seu dispêndio de energia com o trabalho muscular. Músculo Liso Músculo liso – não estriado as células não apresentam as estriações que são microscopicamente visíveis nas células musculares esqueléticas. Como este músculo é encontrado nas paredes das vísceras ocas e tubulares, como nos vasos sanguíneos, estômago e intestinos, é também chamado de músculo visceral. O músculo não estriado (músculo liso) é um músculo involuntário, pois suas contrações comandam o movimento de materiais através dos sistemas de órgãos do corpo humano. Inervação dos Músculos Esqueléticos Fique sabendo! Para efeito de informação destacamos aqui o porquê da aplicação de medicamentos por via intramuscular. O músculo funciona como um depósito da substância nele injetada e que aos poucos vai sendo absorvida pela presença da grande rede vascular nele contido. Vale ressaltar também que nem todos os músculos podem receber medicamentos injetáveis, por localizarem-se próximos a nervos e por não terem boa quantidade de tecido carnoso. Os músculos mais utilizados atualmente para injeções são o deltoide, na face lateral do ombro para pequenas quantidades de substancia injetada (até 3 ml ou menos), substâncias irritantes no deltoide não pode ultrapassar os 2ml e o glúteo (nádegas) para ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  26. 26. 26 O miocárdio é o nome do músculo que forma o coração. Trata-se de um tecido composto de células musculares estriadas especializadas que o diferem do tecido muscular esquelético, por exemplo. Esta diferença está na capacidade de contrair-se e relaxar-se rapidamente, algo que não acontece nos músculos esqueléticos. Cada célula do miocárdio possui um núcleo central, uma membrana plasmática chamada de sarcolema, e numerosas fibras musculares (miofibrilas) que são separadas por variáveis quantidades de sarcoplasma. A unidade miocárdica funcional é chamada de sarcômero. É nesta unidade funcional de contração que reside a diferença entre uma fibra muscular miocárdica e uma esquelética. Para que aconteça o fenômeno da contração, é preciso existir condições favoráveis, como uma ótima irrigação e aporte eletrolítico adequado. Estas condições são providas através de uma irrigação otimizada, o que verifica-se pela alta capilarização entre as inúmeras fibras miocárdicas. A camada mais externa do miocárdio é chamada de epicárdio. Sua função é revestir o miocárdio, delimitando-o como se fosse uma bainha, ou capa. Internamente, a camada que delimita o miocárdio, é chamada de endocárdio. A característica deste tecido é semelhante ao endotélio que reveste os vasos sanguíneos. Disponível em: http://www.unifesp.br/denf/NIEn/CARDIOSITE/mioc.htm IMPULSO MOTOR Cada músculo possui o seu nervo motor, o qual divide-se em muitos ramos para poder controlar todas as células do músculo; As divisões desses ramos terminam na placa motora, a qual transmite o impulso às células musculares; (Músculos voluntários e involuntários) Músculo Cardíaco ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  27. 27. 27 Vídeo: Sinapse Neuromuscular: Animação | Anatomia e etc. Acessar o link abaixo ou assistir ao vídeo postado. https://www.youtube.com/watch?v=VoDjmSRkYyk Músculo Voluntário Quando o impulso resulta de ato de vontade. As contrações estão normalmente sob controle consciente do indivíduo que as executa, mas devemos saber que em algumas condições, as contrações destes músculos não requerem um propósito consciente, como por exemplo, usualmente um indivíduo não tem que pensar na contração dos músculos envolvidos na manutenção da postura, não é mesmo? Os músculos voluntários são controlados pela porção do sistema nervoso somático. Músculo Involuntário Quando o impulso parte de uma porção do sistema nervoso sobre o qual o individuo não tem controle consciente. Estes músculos são controlados pela porção do sistema nervoso autônomo. Frontal Corrugador do supercílio Orbicular do olho Nasal Orbicular da boca Risór io Bucina dor Esternocleidomastóideo Fique sabendo! Os músculos são responsáveis por todos os movimentos voluntários (andar, por exemplo) e involuntários (como os batimentos do coração) do corpo. Nós temos cerca de 600 músculos. ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  28. 28. 28 Músculos do Tronco Observação: a aplicação de injetável por via intramuscular a região dorso glúteo está entrando em desuso, por não oferecer segurança! A musculatura da região ventroglútea é a que ofereço maior segurança e suporta um volume maior (cerca de 4ml) para administração de injetáveis. Oblíquo Externo do Abdome Deltoide Reto do Abdome Peitoral Maior Serrátil Anterior Trapézi o Latíssimo do Dorso Glúteo Máximo Região Glútea Dorso Deltoide e Infraespinal Musculatura muito utilizada pela Enfermagem na administração de Medicamento. (Deltóide e Glúteo Maximo) ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  29. 29. 29 Músculos dos Membros Superior Membro Superior Direito Vista Posterior Redondo maior Tríceps Braquial BRAÇO Deltoide Deltoide Bríceps Braquial Coracobraquial Flexões da mão e dos dedos MÃO Braquial ANTEBRAÇO Membro Superior Direito Vista Anteromedial Extensores da mão e dos dedos Fique sabendo! Os pequenos músculos da mão são responsáveis pelo ato de escrever, desenhar e também de segurar os objetos. Os tendões são estruturas responsáveis por fazer a ligação entre os músculos e os ossos. Músculos dos Membros Superior MÚSCULO DA MÃO DIREITA – FACE DORSAL Músculos interósseos dorsais MÚSCULO DA MÃO ESQUERDA – FACE PALMAR Tendões dos músculos flexores dos dedos Músculo da Eminência Hipotenar Retináculo dos Flexores Tendões dos músculos extensores dos dedos Músculo da Eminência Tenar Nervos Palmares Digitais Comuns Adutor do Polegar Artérias digitais palmares comuns ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  30. 30. 30 ‘ Fique sabendo! O sartório é o músculo mais longo do corpo. O quadríceps femoral é o principal responsável pelo ato de chutar uma bola. Os músculos gastrocnêmios e sóleo são responsáveis por nos manter nas pontas dos pés. ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  31. 31. 31 Fique sabendo! A expressão “calcanhar de Aquiles” passou a indicar o ponto fraco de uma pessoa. Um pouco mais da musculatura esquelética • Constitui a maior parte da musculatura do corpo, formando o que se chama popularmente de “carne”; • Essa musculatura recobre totalmente o esqueleto e está presa aos ossos, sendo responsável pela movimentação corporal. ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  32. 32. 32 COMPONENTES ANATÔMICOS DOS MÚSCULOS ESTRIADOS ESQUELÉTICOS • Possuem uma porção média e extremidades: – Média: ventre muscular (carne); é a parte ativa ou contrátil; – Extremidades: tendões (cilindróides ou em fita) e aponeuroses (laminares); ambos são esbranquiçados, brilhantes e resistentes e servem para prender o músculo ao esqueleto; Devemos observar algumas exceções quanto às definições anteriores: nem sempre os tendões ou aponeuroses se prendem ao esqueleto, podendo fazê- lo em outros elementos, como, cartilagem, septos intermusculares, derme, tendão de outro músculo, cápsulas articulares dentre outros. As fibras dos tendões de alguns músculos são tão pequenas que a impressão é que o ventre do músculo se prende diretamente ao osso. Em alguns músculos os tendões aparecem interpostos ao ventre de um mesmo músculo, e esses tendões não servem para fixação no esqueleto. 1 Linha de ação do músculo 2 Braço de alavanca virtual do músculo 3 Eixo de rotação da articulação (Inserção) ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  33. 33. 33 Fáscia Muscular Os músculos estriados esqueléticos ainda têm a fáscia muscular, que é uma lâmina de tecido conjuntivo que reveste externamente cada músculo. Sua espessura varia de músculo para músculo, dependendo da sua função. A fáscia muscular envolve as fibras musculares mantendo-as juntas, permitindo o fácil deslizamento dos músculos entre sim durante a contração muscular. É como se fosse uma bainha elástica de contenção. Sua função é a proteção muscular. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS L., MOORE, K., AGUR, Anne R., DALLEY, F.. Fundamentos de Anatomia Clinica, 4ª edição, 4th Edition. Guanabara Koogan, 01/2013. VitalBook file. TOMITA, Rúbia Yuri. Atlas visual compacto do corpo humano. 3. ed. São Paulo: Rideel, 2012. CERQUEIRA, Esem. Atlas ilustrado do corpo humano. Editora Ciranda Cultural. 2011. Sistema Respiratório ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  34. 34. 34 Conceituando Sistema Respiratório... “Conjunto de órgãos especiais que promovem o rápido intercâmbio entre o ar e o sangue ” Dangelo e Fattini, 2008. ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  35. 35. 35 Funções do Nariz • Olfação; • Via aérea respiratória; • Filtrar, aquecer e umidificar o ar inspirado; • Expelir substâncias estranhas extraídas do ar. • Nariz externo • Cavidade Nasal • Seios Paranasais ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  36. 36. 36 É um órgão que faz parte tanto do sistema respiratório quanto do sistema digestório. É um canal muscular membranoso, que se comunica com o nariz e a boca, ligando-os à laringe e ao esôfago. ➢ Divisão: Nasofaringe A parte superior da faringe se comunica com as cavidades do nariz, através das coanas, e com as orelhas médias, pela tuba auditiva de cada lado. Orofaringe A região orofaríngea é intermediária entre as outras regiões. Comunica-se com a abertura da boca através de uma região denominada istmo das fauces. Laringofaringe Mais inferior é a região laringofaríngea, que se comunica com a entrada da laringe (no sistema respiratório) e mais abaixo com a abertura do esôfago (no sistema digestório). A faringe tem a função... Fazer a passagem do ar inalado e dos alimentos ingeridos até os outros órgãos dos sistemas respiratório e digestório, respectivamente. Durante o percurso, o ar e o alimento nunca se encontram, devido a mecanismos que bloqueiam a entrada de cada um nas vias erradas. Para impedir que o alimento vá para as vias respiratórias, durante a deglutição, a epiglote fecha o orifício de comunicação com a laringe. Juntamente com isso, o palato mole bloqueia a parte superior da faringe evitando também a entrada do alimento. Durante o processo de digestão o alimento segue para a faringe depois de ser mastigado e engolido. O bolo alimentar formado percorre toda a faringe através de contrações voluntárias e é levado em seguida para o esôfago. A faringe recebe o ar vindo das cavidades nasais por meio das cóanas e passa pela laringe, até atingir a traqueia. Tonsilas são as antigas amigdalas A faringe é um tubo, cujas paredes são musculosas e revestidas de mucosa. Ela está localizada na altura da garganta, à frente de vértebras cervicais, fixada na base do crânio. Pode ser dividida em três regiões: orofaringe, nasofaringe e laringofaringe. ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  37. 37. 37 O que é Faringite? É a inflamação da faringe, que é causada por microrganismos (vírus e bactérias) que entram pelas vias aéreas. O inverno é o período que mais facilita as infecções, pelo clima seco e ambientes com maior aglomeração de pessoas. Laringe • A laringe é um órgão do sistema respiratório, também responsável pela fala (fonação). • Tem a função de permitir a passagem do ar entre a faringe e a traqueia, mas impede que alimentos entrem nas vias aéreas. • É composta por cartilagens, membranas, músculos e ligamentos que atuam em conjunto na fonação. • É composta por cartilagens, membranas, músculos e ligamentos que atuam em conjunto na fonação. • O consumo excessivo de substâncias irritantes (fumo e álcool) e o uso inadequado da voz pode levar à inflamação da laringe, cujo principal sintoma é a rouquidão. Anatomia da Laringe ➢ A laringe é um tubo cartilaginoso irregular que une a faringe à traqueia. Sua estrutura permite o fluxo constante de ar, que está relacionado com suas funções de respiração e fonação. ➢ Possui diversos músculos que juntamente com as cartilagens são capazes de produzir diferentes sons. ➢ A forma da laringe muda nos homens e nas mulheres e por isso possuem diferentes tons de voz. As cartilagens que constituem a laringe são: • Cartilagem Tireóidea: é a maior das cartilagens que constitui a laringe. Nela há uma proeminência popularmente chamada de pomo-de-adão. Protege as cordas vocais. • Cartilagem Cricoidea: é um anel formado de cartilagem hialina que fica na parte inferior da laringe, ligando-a à traqueia. • Cartilagens Aritenoideas: são pequenas cartilagens onde se fixam as cordas vocais. • Epiglote: é uma fina estrutura cartilaginosa, que fecha a comunicação da laringe com a traqueia durante a deglutição, impedindo que o alimento entre nas vias aéreas. Laringe - Localização ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  38. 38. 38 As cartilagens estão ligadas por tecido conjuntivo fibroso entre si, por ligamentos e articulações, desse modo as cartilagens podem deslizar, uma sobre a outra, realizando movimentos comandados pelos músculos da laringe. Os músculos do laringe são de três tipos: • Adutores - são os crico-aritenoideos e aritenoideo transverso e oblíquo, eles aproximam as cordas vocais, ou seja, fazem com que ela feche. São também chamados de constritores da glote (esse é o nome da abertura entre as pregas) e atuam principalmente na fonação. • Abdutores - são os crico-aritenoideos posteriores, que afastam as cordas vocais, abrindo-a. Também são conhecidos como dilatadores da glote e participam da respiração. • Tensores - são os tireo-aritenoideos e os crico-tireóideos, que fazem a distensão das cordas vocais, sendo atuantes na fonação. Funções da laringe... • A laringe participa do sistema respiratório e além disso é o principal órgão responsável pela fonação. Na respiração, a laringe recebe o ar vindo da faringe (também participa do sistema digestório, portanto transporta ar e alimentos) e evita que alimentos passem para a traqueia, por meio da epiglote, que se fecha durante a deglutição. • A emissão de sons é uma característica de diversos animais que possuem respiração pulmonar. No ser humano, a fala é produzida através da modulação do fluxo de ar vindo dos pulmões. Esse ar encontra as pregas vocais, fazendo-as vibrar e assim produzindo pulsos sonoros. • O som é amplificado pelos espaços que existem na faringe e nas cavidades nasal e oral, pois sem isso, esse som não seria percebido. Além disso, os diferentes movimentos realizados pelos músculos permitem que diferentes sons sejam produzidos. ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  39. 39. 39 Laringite A laringite é uma inflamação da laringe, que pode ser causada por vírus, bactérias, fungos ou por agentes químicos e físicos. Pode se apresentar na forma aguda, de curta duração, ou crônica, geralmente caracterizada por um período mais longo de rouquidão, além dos outros sintomas. A laringite aguda pode ser provocada por vírus, bactérias ou fungos. A causa mais comum da laringite crônica é o consumo excessivo de cigarro e bebidas alcoólicas ou exposição a substâncias irritantes (poluição, substâncias alergênicas). Os sintomas são: rouquidão, dificuldade para engolir ou respirar, tosse seca, falta de ar, dor e/ou coceira na garganta e febre. O tratamento inclui repouso, hidratação e ingestão de medicamentos para controlar os sintomas. Principais Funções no Sistema Respiratório ❖ aquecer, umidificar e filtrar o ar, para assim conduzi-lo até os pulmões. Assim, ela retém partículas sólidas e microrganismos através dos cílios que contém. Diversas impurezas como bactérias e poeira ficam retidas no muco que reveste as traqueias. A traqueia é um tubo vertical cilíndrico e oco que está localizado entre a laringe e os brônquios. Trata-se de um tubo cartilaginoso e membranoso revestido por um epitélio ciliado mucoso. Em sua estrutura ela apresenta entre 16 a 20 anéis cartilaginosos incompletos e sobrepostos (em forma de C), os quais são unidos por tecido fibroso, denominados de cartilagens traqueais. Essa estrutura proporciona rigidez suficiente para impedir o colapso, asseguram mobilidade e flexibilidade (ex: respiração). Divide-se em dois brônquios principais: brônquio primário direito e brônquio primário esquerdo.(apresentam estrutura semelhantes a traqueia) ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA Traqueia e Brônquios É um órgão tubular e cilíndrico que faz parte do sistema respiratório dos mamíferos, localizada entre a laringe e os brônquios. Em ser humano adulto, mede entre 15 e 20 cm e cerca de 1,5 cm de diâmetro.
  40. 40. 40 Porção condutora Porção respiratória Ducto alveolar Brônquio terminal Brônquio diâmetro Bronquíolo respiratório Pulmão Esquerdo Pulmão Direito Brônquio secundári o Brônquio primário Traqueia Sacos alveolares A bifurcação (Carina) da traqueia vai gerar os brônquios. Eles são dois órgãos tubulares do sistema respiratório formados pela ramificação da traqueia que levam o ar para os pulmões. Os bronquíolos são tubos menores os quais se ramificam dos brônquios. Os alvéolos são minúsculos sacos aéreos, presentes nos pulmões, envolvidos por capilares sanguíneos e uma fina membrana. Situam-se onde terminam as finas ramificações dos brônquios. Os alvéolos podem se apresentar isolados ou em grupos, formando os chamados sacos alveolares. (HEMATOSE) ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA Transição laringe – traqueia – brônquios • Traqueia à brônquios principais (direito/esquerdo) à se dirigem aos pulmões; • Brônquios principais à estrutura semelhante à da traqueia à brônquios de 1ª ordem; • Brônquios principais à brônquios lobares (ventilam os pulmões) à brônquios de 2ª ordem; • Brônquios lobares à brônquios segmentares (3ª ordem) à sucessivas divisões à alvéolos; • Conjunto de ramificações dos brônquios principais à árvore brônquica. Brônquios Brônquios, Bronquíolos, Alvéolos e Capilares
  41. 41. 41 Bifurcação (carina) Brônquio principal D e E (primeira ordem) Bronquios lobares (segunda ordem) Brônquios segmentares (terceira ordem) Alvéolos pulmonares Os pulmões são dois órgãos esponjosos localizados dentro da caixa torácica. O pulmão direito é dividido em 3 partes, conhecidas como lobos. O pulmão esquerdo possui 2 lobos. O pulmão esquerdo é menor, porque o coração está localizado desse lado do corpo. Órgãos principais da respiração Mediastino à Coração; Grandes vasos; Esôfago; Parte da traquéia; Brônquios principais; Alguns nervos e vasos linfáticos. ❑ Um revestimento fino denominado pleura envolve os pulmões. ❑ A pleura protege os pulmões e os ajuda a deslizar dentro da caixa torácica à medida que se expandem e contraem durante a respiração. ❑ Na parte inferior dos pulmões, um músculo em forma de cúpula, denominado diafragma separa o tórax do abdome. ❑ Quando a pessoa respira, o diafragma se move para cima e para baixo, expandindo e contraindo-os, permitindo que o ar circule para dentro e para fora dos pulmões. ARVORE BRÔNQUICA Pulmões e Pleuras à dentro da cavidade torácica; Mediastino região mediana aos pulmões D e E; Pleuras e cavidade pleural Como a pressão alveolar se modifica durante o ciclo respiratório? - Durante a inspiração a caixa torácica se expande por causa da musculatura, o que expande também o pulmão, de acordo com as leis da física quando o volume de gás sofre um aumento súbito sua pressão diminui assim durante a inspiração a pressão alveolar cai para cerca de –1cm H2O ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  42. 42. 42 ➢ Órgão de forma cônica; ➢ Apresentam: ✓ Ápice superior; ✓ Base inferior (diafragmática: descansa sobre este) ✓ Duas faces à costal (voltada para as costelas) e medial (voltada para o mediastino); Diafragma - músculo que separa o tórax do abdome; ➢ Modificação intermitente da pressão intratorácica (PIT) em relação à pressão atmosférica à permite a entrada do ar; ➢ Aumento e diminuição da caixa torácica. Inspiração ▪ Contração do diafragma, expansão da caixa torácica, relaxamento dos músculos intercostais externos e leve extensão da coluna lombar. ▪ Contração do diafragma. Diminuição da pressão intratorácica, se igualando a pressão externa. ▪ Deslocamento do ar do meio externo (mais concentrado) para os pulmões (menos concentrado). ▪ Insuflação pulmonar máxima. ▪ Hematose, que é? Expiração • Relaxamento do diafragma, fechamento da caixa torácica, relaxamento dos músculos intercostais externos e leve flexão da coluna torácica. • Diminuição do diâmetro torácico; • Aumento da PIT; • Deslocamento do ar de dentro do pulmão (mais concentrado) para o meio externo (menos concentrado); • Desinsuflação pulmonar; • Reinício do ciclo. Anatomia Pulmonar Respiração celular ≠ Respiração pulmonar; Fenômenos físicos e biomecânicos Controle involuntário (???. Ex: afogamento) Respiração Biomecânica da Respiração Do ponto de vista da biomecânica as duas fases do ciclo respiratório se apresentam com características opostas, por exemplo: INSPIRAÇÃO E A EXPIRAÇÃO Referências Bibliográficas L., MOORE, K., AGUR, Anne R., DALLEY, F.. Fundamentos de Anatomia Clinica, 4ª edição, 4th Edition. Guanabara Koogan, 01/2013. VitalBook file. Disponível em: Dishttp://www.oncoguia.org.br/conteudo/os-pulmoes/568/150/. Acessado em 20/03/2020. Disponível em: https://blogpilates.com.br/biomecanica-da-respiracao/. Acessado em 20/03/2020. ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  43. 43. 43 https://br.freepik.com/fot os-premium/maos-de- crianca-asian-menina- segurando-idoso-maos- avo-enrugado-pele-com- sentimento-cuidado-e- amor_3776663.htm • O sistema tegumentar (tegumento = cobertura) é constituído pela pele e seus anexos (pele, pelos, as unhas, as mamas, as glândulas (específicas). • A pele constitui um manto contínuo que envolve todo o organismo, protegendo-o e adaptando-o ao meio ambiente através de suas terminações nervosas sensitivas. • No adulto a área total de pele corresponde a aproximadamente 2,2m, apresentando espessura variável (1 a 4mm) de acordo com a região: é mais espessa, por exemplo, nas superfícies dorsais e extensoras do corpo do que nas ventrais e flexoras; • Tem 4mm no couro cabeludo e na face 0,5 a 1,5 mm no adulto. O peso da pele também varia de 200g num bebê a 4 kg no adulto, é praticamente igual em todos os grupos étnicos humanos; • As áreas de pressão, como a palma das mãos e a planta dos pés, apresentam pele mais espessa; já nas pálpebras ela é muito fina; • O fator etário também condiciona a espessura da pele, mais delgada na infância do que no idoso; COLORAÇÃO DA PELE • A cor da pele depende da quantidade de pigmentos, da vascularização e da espessura dos estratos mais superficiais da epiderme; • Entre os pigmentos, a melanina é a mais importante e sua quantidade na pele varia com fatores hereditários e ambientais (influencia, exposição ao sol); • A pigmentação aumenta após inflamação. FUNÇÕES DA PELE • Regular a temperatura corporal, auxiliando na regulação térmica do organismo pela eliminação do suor, fazendo a temperatura do corpo permanecer constante, independente das variações externas; • Remover água, sais e vários compostos orgânicos, através do suor; • Detectar estímulos relacionados à temperatura, ao tato, à pressão e à dor. Proteger contra substâncias ou microrganismos nocivos ao corpo Sistema Tegumentar Fique sabendo! A pele é o maior órgão do corpo humano. Nela, existem terminações nervosas que captam as sensações. Algumas formam receptores (como o corpúsculo de Paccini, Krause e Ruffini), enquanto outras são livres. Essas terminações recebem as sensações do tato (pressão, vibração, calor, frio e dor). PELE ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  44. 44. 44 ESTRUTURA DA PELE • Estruturalmente a pele é formada por duas camadas principais: a) Epiderme b) Derme • Sob a derme está a tela subcutânea (tecido subcutâneo), também chamada de hipoderme, que fixa a pele às estruturas subjacentes. EPIDERME • A epiderme (epi = acima) é composta de epitélio escamoso estratificado queratinizado e contém de quatro a cinco camadas distintas de células; • Nas regiões expostas a maior fricção, como nas palmas das mãos e nas plantas dos pés, a epiderme é mais espessa; • A exposição constante da pele à fricção ou pressão estimula a formação de um “calo”, um espessamento anormal da epiderme. • As células mais numerosas da epiderme são os queratinócitos, um tipo de célula que sofre queratinização. À medida que as células se movem para a superfície, acumulam queratina, uma proteína que ajuda a proteger a pele; • As células queratinizadas descamam e são substituídas pelas células das camadas inferiores, que por sua vez também sofrem queratinização e descamam; • O melanócito também é um dos tipos celulares da epiderme e que também pode ser encontrado na derme. Ele produz melanina, pigmento responsável pela coloração da pele por absorção de radiação ultravioleta (UV). Epiderme Derme Hipoderme ou Tela Subcutânea Camada espinhosa Camada basal Camada granulosa Camada córnea Camada lúcida EPIDERME Derme ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  45. 45. 45 DERME • A derme situa-se abaixo da epiderme e é composto de tecido conjuntivo contendo fibras colágenas e elásticas, o que dá a pele força, extensibilidade e elasticidade; • Os principais componentes, o colágeno (70 a 80%) para resistência, a elastina (1 a 3%) para elasticidade e os proteoglicanos, que constituem a substância amorfa em torno das fibras colágenas e elásticas; • A extensibilidade é a capacidade de distensão, e elasticidade é a capacidade de retornar à forma original após uma extensão. Isto pode ser observado na obesidade, na gestação ou no edema; • A derme é mais espessa nas palmas das mãos e nas plantas dos pés, e muito fina nas pálpebras e na bolsa escrotal; • A região inferior da derme consiste de tecido conjuntivo denso e irregular, tecido adiposo, folículos pilosos, nervos, glândulas sebáceas e sudoríparas, além de receptores de sensibilidade. ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  46. 46. 46 HIPODERME ou TELA SUBCUTÂNEA • Abaixo da derme há uma camada de tecido conjuntivo frouxo, a tela subcutânea; • Enriquecida por grande quantidade de células gordurosas formando uma camada variável de tecido adiposo; • Essa camada funciona como um sistema de armazenamento e reserva de energia; • Ela auxilia também na manutenção da temperatura corporal. • São localizadas na derme, são anexas aos pelos e através de um ducto excretor liberam sua substância, a secreção sebácea (sebo), pelos mesmos poros dos pelos. • Sua secreção auxilia a manutenção da hidratação da pele, pois a substância é rica em lipídios, como também, evita o ressecamento dos pelos e impede a perda de água de maneira excessiva. GLÂNDULAS SUDORÍPARAS • Localizadas na derme ou na tela subcutânea e secretam o suor, que através de um ducto liberam-no para a superfície por meio de um poro. • Essas glândulas são especialmente abundantes na palma das mãos e planta dos pés. Em certas regiões, como a axila e a dos órgãos genitais externos, existem glândulas muito semelhantes às sudoríparas, cuja secreção, entretanto, produz odor característico; • Auxiliam na manutenção da temperatura corporal liberando maior ou menor quantidade de suor. PELOS • Os pelos são uma característica fundamental dos mamíferos e cobrem considerável parte da pele, embora estejam ausentes em algumas regiões, como a palmar e a plantar; • Os pelos que se desenvolvem inicialmente constituem a lenugem, que se se desprende pouco antes do nascimento para dar lugar a pelos finos; • Pelos longos se desenvolvem na cabeça (couro cabeludo) nas axilas, ao nível da sínfise púbica e, no sexo masculino, também na face; • Como ocorre com a pele, a coloração dos pelos depende da quantidade de pigmento neles existentes. GLÂNDULAS DA PELE ÓRGÃOS ACESSÓRIOS OU ANEXOS DA PELE ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  47. 47. 47 PELOS • Cada pelo é um fio de células fundidas, mortas, por serem queratinizadas (podem ser cortados sem provocar dor), consistindo de uma haste (parte livre) e raiz; • A raiz é fixada na derme por um pequeno orifício, chamado folículo piloso; • Associado aos pelos, há um feixe de músculo liso denominado músculo eretor do pelo; • Esses músculos contraem-se sob condições como medo e frio provoca a ereção dos pelos. UNHAS • São placas curvas queratinizadas (mortas), dispostas na superfície dorsal das falanges distais, com função protetora; • Funcionalmente as unhas auxiliam na preensão, manipulação de pequenos objetos, fornecem proteção às extremidades dos dedos; • Apresentam uma parte distal, o corpo, uma margem livre e uma parte proximal oculta, a raiz (matriz); • Repousa sobre o leito ungueal, que é abundantemente vascularizado e inervado; • O crescimento das unhas é contínuo durante a vida, graças a um processo de proliferação e diferenciação de células epiteliais da raiz da unha, que gradualmente se queratinizam para formar a placa córnea. Não é ketchup! ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  48. 48. 48 ❑ Cada mama é revestida por uma pele lisa e na região central é possível observar a aréola e a papila; ❑ A aréola possui aspecto circular e coloração diferente do restante da mama. Essa coloração pode variar durante alguns momentos da vida da mulher, sendo mais escura durante a gravidez, por exemplo. No centro da aréola é possível observar uma protuberância que recebe o nome de papila. São nas papilas que desembocam os ductos lactíferos; ❑ A mama é formada por tecido epitelial glandular, tecido conjuntivo e tecido adiposo. O tecido glandular é formado por 15 a 20 lobos, constituído por um conjunto de lóbulos, que por sua vez é um conjunto de ácinos; ❑ O leite é produzido nos ácinos e é captado em cada lobo pelos ductos lactíferos, que se desembocam na papila. Referências Bibliográficas DÂNGELO, José Geral; FATTINI, Carlos Américo. Anatomia Humana Básica. 2ª Edição. São Paulo: Editora Atheneu, 2008. JUNQUEIRA, Luiz Carlos Uchoa; CARNEIRO, José. Histologia básica. 12. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2013. MOORE, K.L. Anatomia orientada para a clínica. 6ª Ed., Guanabara Koogan, 2011. Pele e seus Anexos. Disponível em: http://www.clinicamaximus.com.br/2018/06/06/a-pele-e-seus-anexos/>. Acessado em 04/03/2020. O Sistema Circulatório é um sistema fechado, sem comunicação com o exterior, constituído por tubos, que são chamados vasos, e por uma “bomba percussora”, o coração, que tem como função de impulsionar o sangue para os pulmões e todas das partes do corpo, através de uma extensa rede venosa e arterial e a linfa Funções do SC... A principal função do Sistema Cardiovascular é a de oferecer a o organismo nutrição e oxigenação celular para seu crescimento e desenvolvimento. Transporta material nutritivo que foi absorvido pela digestão e o oxigênio captado pela respiração para todas as células do corpo e de modo semelhante, recolhe os produtos residuais do metabolismo celular, levando-os até onde serão excretados. Atividades executadas com grande eficiência, como: • Transporte de gases; • Transporte de nutrientes; • Transporte de resíduos metabólicos; • Transporte de hormônios; • Intercâmbio de materiais; • Transporte de calor; • Distribuição de mecanismos de defesa; • Coagulação sanguínea. Diversidade = Respeito. A pele tem a função de proteção e não de discriminação! SISTEMA CARDIOVASCULAR OU CIRCULATÓRIO ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  49. 49. 49 CORAÇÃO O coração é uma “bomba muscular” oca, com tamanho da mão fechada e peso médio de 300g; Localizado no centro da cavidade torácica (Mediastino); Possui quatro câmaras: • Dois átrios, (câmaras superiores) que recebem sangue das veias e por isso têm a parede mais delgada; e • Dois ventrículos (câmaras inferiores) responsáveis por ejetar o sangue do coração para as artérias e, para vencer a resistência suas paredes são mais espessas. • O coração é composto de uma estrutura muscular espessa, denominada Miocárdio, que integra as paredes das cavidades atriais e ventriculares. • O miocárdio está envolto externamente pelo Pericárdio, cuja função é proteger o miocárdio e permitir o suave deslizamento das paredes do órgão durante o seu funcionamento mecânico, pois contém líquido lubrificante em seu interior. • Internamente, o miocárdio é recoberto pelo Endocárdio, membrana de proteção interna que fica em contato direto com o sangue, separando a musculatura, do interior das cavidades do órgão. • O coração tem também um conjunto de valvas, com a função de direcionar o fluxo de sangue em um único sentido no interior do coração. • São elas: Septo interatrial = separa os átrios. • Septo interventricular = separa os ventrículos. • Valva mitral = separa as duas cavidades do lado esquerdo (entre o átrio e o ventrículo) • Valva tricúspide = entre as cavidades do lado direito (o átrio e o ventrículo). • Valva aórtica = situa-se na saída do ventrículo esquerdo e separa a cavidade da aorta. • Valva pulmonar = entre a cavidade ventricular direita e a artéria pulmonar. • Veias pulmonares: desembocam no átrio esquerdo e conduzem o sangue proveniente dos pulmões. Única veia do corpo rica em O2. • Veias cavas: drenam para o átrio direito o sangue proveniente de todas as partes do organismo. • Artéria aorta: sai do ventrículo esquerdo e distribui sangue arterial para todo o organismo. • Artéria pulmonar: emerge do ventrículo direito e conduz sangue venoso em direção aos pulmões. ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  50. 50. 50 • A contração do coração, tendo-se como referência os ventrículos; chama-se sístole cardíaca ou batimento cardíaco, e o relaxamento denomina-se diástole cardíaca. • A pressão arterial corresponde à pressão exercida pela passagem do sangue na parede dos vasos sanguíneos. Tipos de Circulação Sanguínea • Circulação Pulmonar: leva sangue venoso do coração para os pulmões, onde recebe o oxigênio e retorna ao lado esquerdo do coração, para ser bombeado para circulação sistêmica. • Circulação Sistêmica: Distribuição de sangue pelo organismo. É a maior circulação, capaz de fornecer suprimento de O2 e nutrientes para os tecidos e captar CO2 e outros resíduos das células. Componentes SC SANGUE • É um líquido viscoso, de coloração avermelhada, com cheiro peculiar e sabor salgado; • Ele está contido num sistema fechado de canais, impulsionado pelo coração.; • O sangue leva até as células os nutrientes de que precisam para manutenção do seu processo vital; • Estes elementos nutritivos são constituídos por proteínas, lipídeos, glicídios, sais minerais, água e vitaminas; • Além disso, transporta oxigênio para as células, e retira elementos indesejáveis como gás carbônico, expelido pelos pulmões, e uréia, eliminado pelos rins; • A quantidade de sangue de um indivíduo varia de acordo com idade, sexo, musculatura, e outros fatores. O volume total de sangue pode variar de 4 a 6 litros, em um adulto. • O sangue é composto por uma parte líquida, o plasma, constituído de água, substâncias nutritivas e elementos residuais das reações celulares. • E por uma parte organizada (sólida), que são os elementos figurados; células sanguíneas (glóbulos vermelhos, glóbulos brancos, plaquetas) suspensas sobre o plasma sanguíneo. • As células sanguíneas são produzidas na medula óssea. PLASMA • Líquido amarelo claro que representa 55% do volume total de sangue. • Constituído por 90% de água, onde se encontram dissolvidas proteínas, açúcares, gorduras e sais minerais; além de hormônios. Enzimas e anticorpos. • Através do plasma circulam os elementos necessários à vida das células. • Sangue; • Vasos sanguíneos (artérias, veias e capilares); • Coração; • Vasos linfáticos. ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  51. 51. 51 HEMÁCIAS • Eritrócitos são os glóbulos vermelhos do sangue. • Sua função é transportar o oxigênio dos pulmões para as células de todo o organismo e eliminar o gás carbônico das células, transportando-o para os pulmões, por meio da hemoglobina, pigmento que dá a coloração vermelha ao sangue. • As hemácias são produzidas na medula óssea vermelha e destruídas, após 120 dias, pelo fígado e baço. No adulto chegam a 5 milhões/cm³ de sangue. LEUCÓCITOS São glóbulos brancos; Possuem formas e funções diversas, sempre incumbidas da defesa do organismo contra a presença de elementos estranhos a ele, como por exemplo, as bactérias; Subdividem-se em: • Neutrófilos; • Basófilos; • Eosinófilos; • Monócitos; e • Linfócitos. São produzidos na medula óssea e órgãos linfóides e podem variar de 6 a 10 mil células/cm³ de sangue. PLAQUETAS • São fragmentos de células da medula óssea, que participam do processo de coagulação sanguínea. Sua função mais importante é a de auxiliar na interrupção dos sangramentos. • Em condições normais, seu valor varia de 150 a 400 mil/cm³ de sangue. SISTEMA ABO / Rh • Nas hemácias do sangue existem certos componentes (aglutinógenos), geneticamente determinados, convencionalmente chamados de A e B. • Sua presença define o tipo sanguíneo de uma pessoa. • Quatro tipos de sangue podem ser identificados: • Tipo A – com hemácias que só contém o elemento A; • Tipo B - com hemácias que só contém o elemento B; • Tipo AB - com hemácias que contém os dois elementos; • E tipo O, com hemácias “vazias”, ou seja, sem aglutinógeno. • Além destes componentes, há o fator Rh. O fator Rhesus é uma proteína presente nos glóbulos vermelhos da maioria das pessoas. É reconhecida como Rh positivo ou Rh negativo. No geral, os bebês herdam o fator sanguíneo do pai. ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  52. 52. 52 VASOS SANGUÍNEOS • Formam uma rede de tubos que transportam sangue do coração em direção aos tecidos do corpo e de volta ao coração. • Compreendem artérias, veias e capilares. ARTÉRIAS • São vasos cilíndricos, elásticos, onde o sangue circula. • Têm a função de levar sangue oxigenado do coração até as células. • Possuem paredes mais espessas e mais fortes. • Pela sua elasticidade, as artérias se expandem quando o sangue é nelas bombeado e depois relaxam lentamente. • As artérias, com exceção das artérias pulmonares, carregam sangue com O2. • A espessura da parede da arterial formada por 3 camadas (endotélio, tecido muscular liso e tecido conjuntivo), é característica especial e essencial, pois recebem sangue diretamente do coração e estão submetidas a altas pressões atuantes sobre os vasos sanguíneos. • As artérias são calibrosas, elásticas e situam-se mais profundamente no corpo. ARTÉRIAS • São tubos que transportam o sangue da periferia para o coração, ou seja, sangue com CO2. • Sua parede muscular é mais fina que a da artéria e apresentam válvulas que impedem o refluxo do sangue (direção única). • Como a pressão sanguínea no interior das veias é muito baixa, o retorno do sangue ao coração deve-se, em grande parte, às contrações dos músculos esqueléticos, que comprimem as veias, fazendo com que o sangue desloque- se em seu interior, e devido às válvulas, onde o sangue só pode seguir rumo ao coração. • O diâmetro das veias aumenta gradativamente à medida que se aproxima do coração. ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  53. 53. 53 CAPILARES • São vasos com calibre extremamente finos e ligam artérias e veias. • Local onde nutrientes, gases, água e solutos são difundidos entre o sangue e os tecidos. Referências Bibliográficas NETTER, Frank H. Atlas de Anatomia Humana. 6ª Edição, Editora: Elsevier. (5 de fevereiro de 2015). L., MOORE, K., AGUR, Anne R., DALLEY, F.. Fundamentos de Anatomia Clinica, 4ª edição, 4th Edition. Guanabara Koogan, 01/2013. VitalBook file. CERQUEIRA, Esem. Atlas ilustrado do corpo humano. Editora Ciranda Cultural. 2011. SOBOTTA, Atlas de Anatomia Humana, volume 1 / editado por R. Putz e R. Pabst, Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008. ANDRADE FILHO, Eládio Pessoa de. & PEREIRA, Francisco Carlos Ferreira. Anatomia Geral. INTA - Instituto Superior de Teologia Aplicada PRODIPE - Pró-Diretoria de Inovação Pedagógica1ª EDIÇÃO Sobral/2015. SISTEMA LINFÁTICO O sistema linfático é um sistema de drenagem auxiliar do sistema circulatório, responsável por transportar o líquido tecidual do corpo, que passa a ser chamado de linfa quando penetra nos vasos linfáticos. COMPONENTES: • Capilar linfático; • Vasos linfáticos; • Linfa; • Linfonodos. ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  54. 54. 54 LINFA • O liquido aquoso derivado do plasma sanguíneo presente entre as células, ao entrar no capilar linfático recebe o nome de Linfa. • Apresenta coloração límpida e cristalina e tem em sua composição 96% de água, e 4% de elementos como sódio, potássio, CO2, glicose, linfócitos, macrófagos, Lipídios, bactérias e fragmentos celulares. • O volume de linfa drenado por dia é de 2L; enquanto que o sanguíneo é de 7 mil L/dia. • Os vasos linfáticos retiram o líquido extra das células e dos capilares, acumulados durante o processo de nutrição celular. Por não ser um sistema fechado e não ter uma bomba central, a linfa depende exclusivamente da ação de agentes externos para poder circular. • A linfa move-se lentamente e sob baixa pressão devido principalmente à compressão provocada pelos movimentos dos músculos esqueléticos que pressiona o fluido através dele. Funções • Remoção dos fluidos em excesso dos tecidos corporais; • Absorção dos ácidos graxos e transporte subsequente da gordura para o sistema circulatório; • Produção de células imunes (como linfócitos, monócitos e células produtoras de anticorpos conhecidos como plasmócitos). • A função e a relação desse sistema com o sistema circulatório se justificam na dificuldade que as grandes moléculas do líquido tecidual têm para penetrar nos capilares sanguíneos. • Dessa forma, é necessário que os capilares linfáticos sejam mais calibrosos que os capilares sanguíneos. • Outra diferença entre a rede de vasos linfáticos e os vasos do sistema circulatório, é que os capilares linfáticos têm fundo cego. • Veja que é um sistema de uma única direção; ele somente conduz a linfa para a corrente circulatória, não existe uma via de retorno (figura 13). ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA As células do nosso corpo são banhadas por um líquido que sai dos capilares. Esse líquido, formado por água, nutrientes e oxigênio é chamado de líquido intercelular ou fluido intersticial. Uma parte do líquido intersticial é recolhida por capilares linfáticos. Estes se unem e forma os vasos linfáticos. Linfa (em latim, significa água clara) – excesso de líquido intersticial depois que ele entra nos vasos linfáticos. Figura 13. SOBOTTA, Atlas de Anatomia Humana, volume 1 / editado por R. Putz e R. Pabst, Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008.
  55. 55. 55 LINFONODOS • São pequenos órgãos perfurados por canais, presentes em diversos pontos da rede linfática; • Responsáveis pela filtração da linfa e eliminação de corpos estranhos (vírus e bactérias) pela ativação e liberação linfócitos T (anticorpos); • No interior dos linfonodos são produzidos os linfócitos, cuja função é proteger o organismo contra infecções; • A linfa, em seu caminho para o coração, circula pelo interior desses linfonodos para que partículas sejam fagocitadas pelos linfócitos e macrófagos. Tipos de Linfonodos • Axilares; • Submandibulares; • Pré-auriculares; • Cervicais; • Peitorais; • Lombares; • Ilíacos externos e internos; • Inguinais superficiais. Além de vasos... O sistema linfático possui órgãos linfoides (timo e baço), estruturas que funcionam como filtros do líquido transportado pelos vasos. Linfonodo sentinela é definido como o primeiro linfonodo que pode receber as células cancerígenas de um tumor. No caso do câncer de mama, ele está localizado na axila, perto da mama, e sua análise permite ver os riscos de metástase, ou seja, se o tumor se espalhou para o sistema linfático. O timo localiza-se na região do tórax e está relacionado à produção e à maturação de alguns tipos de glóbulos brancos. ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  56. 56. 56 O baço fica localizado abaixo do diafragma, atua na filtração do sangue, eliminando microrganismos e células sanguíneas velhas. Quando as toxinas se acumulam e a desintoxicação não é feita regularmente, o nosso sistema e corpo tornam-se sobrecarregado e coloca a saúde em risco; O sistema linfático limpa o fluido que envolve as células do seu corpo, removendo impurezas e resíduos de produtos. Como limpar o sistema linfático? Tonsilas (amigdalas) São linfonodos localizados na região do nariz, da boca e da faringe; Inflamação indica que há atividade intensa na região, resultado da multiplicação dos leucócitos. Por que desintoxicar o Sistema Linfático? Um sistema linfático pouco saudável pode levar a problemas de saúde graves, como a fibromialgia, esclerose múltipla, fadiga crônica, obesidade, dor, desconforto, inchaço e problemas com síndrome de digestão. A limpeza do sistema linfático é a chave para uma perda de peso eficiente. Referências Bibliográficas DÂNGELO, José Geral; FATTINI, Carlos Américo. Anatomia Humana Básica. 2ª Edição. São Paulo: Editora Atheneu, 2008. SOBOTTA, Atlas de Anatomia Humana, volume 1/editado por R. Putz e R. Pabst, Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008. Disponível em: <http://www.oncoguia.org.br/conteudo/biopsia-do- linfonodo-sentinela-para-cancer-de- mama/1398/265/>. Acessado em: 23/02/2020. Disponível em: <https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext &pid=S0100-69912001000300011>. Acessado em: 23/02/2020. ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  57. 57. 57 O Sistema Digestório é também conhecido como Sistema Digestivo ou Aparelho Digestivo, formado por um conjunto de órgãos que atuam no corpo humano, com ação relacionada ao processo de transformação do alimento e absorção dos nutrientes, com função de “transformar” os alimentos em energia. Para manutenção do organismo é necessário que receba suprimento nutritivo através dos alimentos ingeridos, que precisam se tornar solúveis e sofrer modificações químicas para que sejam absorvidos. Processo de Digestão O processo da digestão consiste na: ▪ Ingestão: entrada do alimento no tubo digestório,; ▪ Deglutição: transporte do bolo alimentar (engolir); ▪ Digestão: quebra do alimento em moléculas menores, pela ação de enzimas; ▪ Absorção: Passagem dos componentes nutritivos para a corrente sanguínea; ▪ Eliminação: saída dos componentes não absorvidos na forma de fezes. Cavidade Oral ▪ A boca é a primeira parte do tubo digestório. Formada por dentes, língua, palato e glândulas salivares, que atuam em conjunto, triturando, umedecendo e misturando os alimentos para formar o bolo alimentar. ▪ Dentes: Responsáveis pela mastigação mecânica, ou seja, a trituração do alimento e transformação em partículas menores. Uma pessoa adulta apresenta 32 dentes, dispostos em 2 arcadas, uma superior e outra inferior. Sistema Digestório ❑ Tubo Digestório: Cavidade oral (Boca), Faringe, Esôfago, Estômago, Intestino Delgado, Intestino Grosso, Reto e Ânus. ❑ Órgãos Anexos: Glândulas Salivares, Pâncreas, Fígado e Vesícula Biliar. Componentes ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  58. 58. 58 Cavidade Oral ▪ Língua: Auxilia no processo da mastigação, empurrando o alimento para os dentes, realiza o transporte do bolo alimentar para a faringe (deglutição). Além disso, a língua é importante para a articulação das palavras (dicção) e na gustação dos sabores (paladar). ▪ Glândulas Salivares: Existem 3 pares principais de glândulas salivares dispostos na cavidade da boca, a fim de facilitar o processo da insalivação. ▪ São elas: Glândula Parótida, Glândula Submandibular e Glândula Sublingual. ▪ Elas são responsáveis pela liberação da saliva: substância composta de água, para umidificar os alimentos e facilitar a deglutição; e de uma enzima denominada amilase salivar ou ptialina, cuja função é começar a digerir amido e carboidratos. FARINGE  É um tubo muscular associado aos sistemas respiratório e digestório. Localiza-se posteriormente às cavidades nasal e bucal e divide-se em nasofaringe, orofaringe e laringofaringe.  É um canal comum para a passagem do alimento ingerido (da boca até o esôfago) e do ar inspirado ( do nariz até a laringe). ESÔFAGO ▪ ESÔFAGO Tubo muscular que se estende da faringe até o estômago, e leva o bolo alimentar, sendo impulsionado pelos movimentos peristálticos e ação da gravidade. ▪ A presença do alimento no esôfago estimula sua parede muscular a se contrair e relaxar em um único sentido, impedindo o refluxo. ▪ Para atingir o abdome (chegar ao estômago) o esôfago atravessa o músculo diafragma, através do hiato esofágico. ▪ Por ser formado por músculo, seu diâmetro aumenta quando passa o bolo alimentar e volta ao normal quando este já passou. ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  59. 59. 59 ESTÔMAGO  É uma dilatação do tubo digestório, localizado abaixo do diafragma e sua maior parte à esquerda. Fica entre o esôfago e intestino delgado.  É um órgão muscular oco com tamanho variável, conforme a contração das fibras musculares de suas paredes.  Sua capacidade de armazenamento é de 1 a 2 litros, podendo ultrapassar esse valor, dependendo dos hábitos alimentares.  O estômago apresenta 2 válvulas que impedem a saída prematura do bolo alimentar.  São elas: Cárdia (óstio cárdico): válvula superior de comunicação com o esôfago. Impede o refluxo do bolo alimentar para o esôfago. Em crianças recém-nascidas, cuja cárdia ainda não está bem formada, o refluxo é freqüente.  Piloro (óstio pilórico): válvula que regula a saída do quimo para o intestino delgado. Essa válvula permite que o quimo seja liberado aos poucos ao duodeno, para facilitar a absorção dos nutrientes digeridos.  O estômago divide-se nas seguintes partes:  Cárdia: junção com o esôfago;  Fundo: Porção superior próxima ao diafragma;  Corpo: maior parte do órgão;  Piloro: parte final que se une ao intestino delgado.  Este órgão serve como uma área de armazenamento para os alimentos, contraindo ritmicamente (peristaltismo) e misturando o alimento com enzimas, originando o Quimo.  A absorção de material no estômago é pequena, sendo provável que sua principal função seja a digestão, principalmente de proteínas. Somente algumas substâncias (p.ex., álcool e aspirina) podem ser absorvidas diretamente do estômago e apenas em pequenas quantidades.  Depois de três a quatro horas no estômago (depende do tipo de alimento), o bolo alimentar é transformado em uma mistura pastosa (quimo), que é liberada para o duodeno. INTESTINO DELGADO  Inicia-se após a parte pilórica do estômago, e varia entre 5 e 8 metros.  É dividido em 3 porções: Duodeno, Jejuno e Ílio.  Este é um órgão indispensável à vida, pois é o local de maior digestão e absorção dos alimentos.  É o local da digestão final de certas substâncias, e de absorção de nutrientes, principalmente gorduras.  O quimo entra no duodeno pelo piloro, em quantidades que o intestino delgado consegue digerir. ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  60. 60. 60  Duodeno: porção inicial e fixa do intestino delgado, onde ocorre o final do processo digestório.  Para isso, desembocam nele o ducto colédoco, que traz a bile da vesícula biliar e o ducto pancreático, que traz o suco pancreático, do pâncreas.  Chegando ao duodeno, o quimo é neutralizado pela água, pelo bicarbonato de cálcio e pelo muco, produzidos pela mucosa intestinal.  Nesse momento, já neutralizado de sua acidez, o bolo alimentar recebe o nome de Quilo, e só depois desse processo é que sofrerá a ação do suco entérico, liberado pelas glândulas na mucosa intestinal, do suco pancreático, e da bile.  Jejuno e Íleo: constituem a porção móvel do intestino delgado, que se comunicam com o intestino grosso e apresentam várias alças presas à parede posterior do abdome.  Como é difícil diferenciar essas duas porções, chamamos de alça jejuno-íleo.  Nessa parte do intestino delgado é que ocorre a maior parte da absorção dos nutrientes digeridos, devido à grande área superficial composta por pregas, vilosidades e microvilosidades.  A parede intestinal é ricamente suprida de vasos sanguíneos, que transportam os nutrientes absorvidos até o fígado.  Essas duas porções do intestino também liberam muco e água, para ajudar a dissolver os fragmentos digeridos.  É a porção final do tubo digestório, com forma de ferradura invertida e medindo cerca de 2 metros de comprimento.  É mais calibroso e mais curto que o intestino delgado e apresenta dilatações chamadas bosseladuras.  O intestino grosso é fixo na parede posterior do abdome; se inicia na válvula ileocecal e termina no esfíncter anal.  É subdividido em:  Ceco: comunica-se com o íleo e apresenta o apêndice vermiforme.  Cólon: constitui a parte mais longa do intestino grosso. Composto pelos cólons ascendente, transverso, descendente e sigmóide. As ondas peristálticas movem o material fecal pelos cólons, enquanto a água é continuamente reabsorvida.  Reto: parte final do intestino, localizado na cavidade pélvica.  Comumente, encontra-se vazio, pois as fezes são armazenadas mais acima, no cólon descendente.  Finalmente, o cólon descendente tornase cheio e as fezes passam para o reto, causando a urgência para evacuar.  Comunica-se com o meio externo através de uma abertura denominada ânus, um esfíncter que deve relaxar para que a defecação possa ocorrer. INTESTINO DELGADO INTESTINO GROSSO ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  61. 61. 61  As principais funções do intestino grosso são a absorção de água;  Síntese de vitaminas pelas bactérias intestinais, formação, acúmulo e eliminação de fezes (substancia composta pelo material que não foi utilizado pelo organismo).  As fezes que ficam no intestino grosso por um período maior perdem o excesso de água, desenvolvendo a chamada constipação.  Ao contrário, movimentos rápidos do intestino não permitem tempo suficiente para que ocorra a reabsorção de água, causando diarreia.  É um órgão vital localizado abaixo do diafragma, à direita da cavidade abdominal.  É a maior glândula do corpo e a mais volumosa víscera abdominal, pesando 1,5kg.  A função digestiva do fígado é produzir a bile, uma secreção verde amarelada, armazenada na vesícula biliar, e liberada quando gorduras entram no duodeno.  Este órgão também é capaz de armazenar ferro, vitaminas e glicose; participa do metabolismo dos carboidratos, gorduras e proteínas, inativa produtos tóxicos, como o álcool e medicamentos e metaboliza e elimina resíduos gerados no próprio corpo.  É um órgão muscular em forma de pêra, localizado na face visceral (inferior) do fígado.  É um saco membranoso que acumula a bile no intervalo das digestões, com capacidade para até 50 ml. Referências Bibliográficas ANDRADE FILHO, Eládio Pessoa de. & PEREIRA, Francisco Carlos Ferreira. Anatomia Geral. INTA - Instituto Superior de Teologia Aplicada PRODIPE - Pró-Diretoria de Inovação Pedagógica1ª EDIÇÃO Sobral/2015. DÂNGELO, José Geral; FATTINI, Carlos Américo. Anatomia Humana Básica. 2ª Edição. São Paulo: Editora Atheneu, 2008. NETTER, Frank H. Atlas de Anatomia Humana. 6ª Edição, Editora: Elsevier. (5 de fevereiro de 2015). SOBOTTA, Atlas de Anatomia Humana, volume 1/editado por R. Putz e R. Pabst, Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008. INTESTINO GROSSO FÍGADO VESÍCULA BILIAR PÂNCREAS  Situa-se posteriormente ao estômago e se fixa a parede posterior do abdome.  Suas células se dividem em 2 grupos: as que produzem os hormônios glucagon e insulina diretamente na corrente sanguínea (ilhotas de Langherans) e as secretam o suco pancreático, que entra no duodeno através dos ductos pancreáticos (ácinos).  O suco pancreático é essencial e importantíssimo para o processo da digestão. ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  62. 62. 62 SISTEMA NERVOSO Sistema Nervoso Sistema Nervoso Central (SNC) Sistema Nervoso Periférico (SNP) Encéfalo Medula Espinhal SNP Somático SNP Autônomo Simpático Parassimpático Composição Tecido nervoso Neuróglia Neurônios → NEURÔNIOS ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  63. 63. 63 Tipos de Neurônios Os neurônios são formados por prolongamentos e um corpo celular, conhecido também como pericário. É no corpo celular que estão localizadas as informações genéticas em um grande núcleo e de onde partem os prolongamentos. No Sistema Nervoso Central (SNC), essa parte do neurônio é localizada na substância cinzenta, enquanto no Sistema Nervoso Periférico (SNP) está localizada nos gânglios e em órgãos dos sentidos. Os prolongamentos podem ser de dois tipos: dendritos e o axônio. Os dendritos são prolongamentos mais curtos, quando comparados ao axônio, e apresentam-se bastante ramificados e numerosos. Eles estão relacionados com a função de receber estímulos (terminação aferente). Já os axônios normalmente são únicos, com ramificações geralmente em sua extremidade. Esse prolongamento pode atingir até 1 metro de comprimento e está relacionado com a transmissão do impulso nervoso (prolongamento eferente). Na maior parte dos casos, essa estrutura está envolta por uma bainha de mielina, que é formada por oligodendrócitos ou células de Schwann. Essa estrutura não é contínua por todo o axônio, ocorrendo áreas sem mielina, que são denominadas de nódulo de Ranvier. Entre a porção final do axônio e a superfície de outra célula, encontramos pequenos locais chamados de sinapse. É nas sinapses que são lançadas substâncias (neurotransmissores) que permitem a transmissão do impulso nervoso de uma célula para outra. SENSITIVOS OU AFERENTES Recebem os estímulos produzidos fora do corpo e internamente, órgãos do sentido. MOTORES OU EFERENTES Conduzem o impulso nervoso para as glândulas, músculos lisos e estriados (ao órgão efetuador). ASSOCIATIVO (INTERNEURÔNIOS) São aqueles que conectam um neurônio a outro, sendo encontrados no SNS. ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  64. 64. 64 NEURÓGLIA • Cinco vezes mais abundantes que os neurônios; • Componente estrutural: não neuronais, não excitáveis; • Funções → sustentação, revestimento, nutrição e defesa dos neurônios; • Presente tanto no SN central como no SN periférico. Neuróglia – Sistema Nervoso Central ➢ Astrócitos → metabolismo de neurotransmissores, desenvolvimento do encéfalo, barreira hematoencefálica; ➢ Oligodendrócitos → produzem a bainha de mielina nos axônios (SNC). ➢ Micróglia → englobam e destroem os micróbios e restos celulares no SNC; ➢ Células ependimárias → revestem os ventrículos do encéfalo e da medula espinhal, formam o líquido cerebroespinhal. Os neurônios podem ser classificados em quatro tipos básicos, levando em consideração sua forma: - Neurônios unipolares - Possuem apenas um axônio. - Neurônios bipolares - Possuem apenas um dendrito e um axônio. - Neurônios pseudounipolares - Apresentam apenas um prolongamento que parte do corpo celular, dividindo-se, posteriormente, em dois. Um dos ramos assume o papel de dendrito e o outro de axônio. - Neurônios multipolares - Possuem mais de dois prolongamentos celulares. A maioria dos neurônios de nosso corpo é classificada como esse tipo. ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  65. 65. 65 Neuróglia – Sistema Nervoso Periférico DIVISÃO DO SISTEMA NERVOSO SISTEMA NERVOSO CENTRAL  Porção de recepção de estímulos, de comando e desencadeadora de respostas;  Estruturas localizadas no esqueleto axial → medula espinhal e encéfalo. SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO  Vias que conduzem estímulos corpo – SNC e SNC – corpo;  Nervos cranianos e espinhais, gânglios e terminações nervosas. • Células de Schwan → produzem a bainha de mielina nos axônios (SNP); • Células Satélites → sustentam os neurônios nos gânglios. SISTEMA NERVOSO CENTRAL ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  66. 66. 66 OBS: Diencéfalo composto pelo tálamo e hipotálamo ENCÉFALO DIVISÃO DO SISTEMA NERVOSO  Cérebro → maior parte do encéfalo → dois hemisférios = presença de sulcos (delimitam giros) → 2 pares de nervos cranianos; ➢ Lobos cerebrais → correspondem aos ossos cranianos: frontal, occipital, parietal, temporal;  Tronco encefálico → ponte + bulbo (medula oblonga) + mesencéfalo = 10 pares de nervos = cranianos: saem pela base do crânio (forames/ canais);  Medula espinhal → 31 pares de nervos = espinhais: saem da coluna (forames intervertebrais). MEDULA ESPINHAL TRONCO ENCEFÁLICO MENINGES É porção de recepção de estímulos, de comando e desencadeadora de respostas. Constitui-se por estruturas localizadas no esqueleto axial: Encéfalo e Medula Espinhal. As Meninges: são lâminas ou membranas de tecido conjuntivo que revestem o encéfalo e a medula espinhal. De fora para dentro, são: • Dura-máter: mais externa e formada por denso tecido fibroso; muito resistente e espessa. • Aracnóide: separa-se da dura-máter por um espaço capilar chamado espaço subdural e da pia-máter pelo espaço subaracnóide por onde circula o líquido cerebroespinhal. É muito delicada, tem grande semelhança com a teia de aranha, daí o nome. • Pia-máter: está intimamente aplicada ao encéfalo e à medula espinhal. ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  67. 67. 67  SNC → muito sensível – elaborado sistema de proteção [crânio + meninges + líquido cerebroespinhal (líquor) + barreira hematoencefálica];  Meninges → lâminas (membranas) que envolvem o encéfalo e a medula espinhal. São elas: ➢ Dura-máter (Paquimeninge): externa, espessa, resistente; ➢ Aracnóide: delicada, transparente, formato de teias de aranhas; ➢ Pia-máter: mais delicada de todas, ligada ao encéfalo e à medula espinhal.  Obs: pia-máter + aracnóide = leptomeninge.  Espaço Epidural → entre a dura–máter e o periósteo (canal medular) = contém vasos sanguíneos e gordura; OBS: local de aplicação de anestésicos (inativação da dor).  Espaço Subdural → entre a dura–máter e aracnóide = contém pouca quantidade de liquido;  Espaço Subaracnóideo → mais importante. Contém grande quantidade de liquido cerebroespinhal OBS: local de punção lombar, introdução de contraste e anestégicos. MENINGES MENINGES ESPAÇOS MENÍNGEOS ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  68. 68. 68 COMPONENTES DO SNC FIBRAS NERVOSAS • Formadas pelos axônios e seus envoltórios quando presentes; • No SNC → reúnem–se em feixes (tractos e fascículos); no SNP → formam os nervos; • Classificam – se em : • MIELÍNICAS; • AMIELÍNICAS. ORIGEM DO SISTEMA NERVOSO TUBO NEURAL ECTODERMA SISTEMA NERVOSO CENTRAL Sistema Nervoso Central – SNC LÍQUOR  Funções do líquido cefalorraquidiano: ◦ Proteção física:  Reduz o peso do encéfalo;  Evita choques contra o crânio. ◦ Proteção química:  Cria um ambiente estritamente regulado para os neurôniosà barreira hematoencefálica;  Composição diferente da composição do plasma. ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  69. 69. 69 FIBRAS NERVOSAS Diferença de condução em fibras com e sem mielina SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO Sistema Nervoso Central – SNC Sistema Nervoso Central – SNC ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  70. 70. 70 SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO GÂNGLIOS E NERVOS GÂNGLIOS TERMINAÇÕES NERVOSAS NERVOS • Divide-se em: • Terminações nervosas; • Gânglios; • Nervos. • Nervos → componentes funcionais: fibras motoras (atua sobre músculos e glândulas) – são eferentes (saem do SNC); fibras sensitivas (condução de estímulos) – são aferentes (chegam ao SNC). • Localização: extremidades de fibras (motoras/sensitivas); ➢ Motoras → placa motora; ➢ Sensitivas → especializadas na recepção de estímulos físicos ou químicos (superficiais ou internos). Ex: cones e bastonetes da retina (raios luminosos), receptores do ouvido (ondas sonoras), gustativos (substâncias químicas – sensações de doce, azedo, amargo...), receptores na pele e mucosas (calor, frio, pressão, tato...). • Terminações nervosas livres. Ex: receptores especializados em agentes causadores de dor (nociceptores); • Acúmulos de corpos celulares de neurônios: ➢ Dentro do SNC → núcleos; ➢ Fora do SNC → gânglios (dilatações). • Nervos → cordões esbranquiçados (fibras nervosas) → função: levar/ trazer os impulsos ao SNC; • Dois grupos: ➢ Nervos cranianos (saem do crânio através de forames); ➢ Nervos espinhais (saem através de forames intervertebrais). ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  71. 71. 71 SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO NERVOS CRANIANOS Nervo Craniano Emergência Principal função I. Olfatório Telencéfalo Sentido especial (Olfação) II. Óptico Diencéfalo Sentido especial (Visão) III. Óculo-motor Mesencéfalo Motricidade somática IV. Troclear Mesencéfalo Motricidade somática V. Trigêmeo Ponte Sensibilidade e motricidade somáticas VI. Abducente Bulbo/ponte Motricidade somática VII. Facial Bulbo/ponte Motricidade somática e sentido especial (Gustação) VIII. Acústico- vestibular Bulbo Sentido especial (Audição/Equilíbrio) IX. Glossofaríngeo Bulbo Sensibilidade e motricidade somáticas X. Vago Bulbo Sensibilidade visceral e motricidade visceral XI. Acessório Bulbo e medula Motricidade somática XII. Hipoglosso Bulbo Motricidade somática • 12 pares → conexão com o encéfalo (maioria origina-se no tronco encefálico = 10 pares); • Acentuada variação nos componentes funcionais → muito mais complexos que os nervos espinhais: ➢ Alguns possuem um gânglio; ➢ Outros possuem mais de um gânglio; ➢ Outros não tem nenhum. ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  72. 72. 72 SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO NERVOS ESPINHAIS Fisiologia do SNA • 31 pares → conexão com a medula; • Nomes dos nervos = porções da coluna: ➢ Cervicais (8 pares); ➢ Torácicos (12 pares); ➢ Lombares (5 pares); ➢ Sacrais (5 pares); ➢ Coccígeos (1 par). SN Simpático X SN Parassimpático ❖ O SNA controla: ➢ Musculatura lisa (visceral e vascular); ➢ Secreções exócrinas (e algumas endócrinas); ➢ Freqüência cardíaca; ➢ Alguns processos metabólicos (utilização de glicose). ❖ Ações do simpático e parassimpático → são opostas em algumas situações: ➢ Controle da freqüência cardíaca; ➢ Músculo liso gastrointestinal. ❖ Ações do sistema simpático e parassimpático → não são opostas em algumas situações: ➢ Glândulas salivares; ➢ Músculo ciliar. ❖ Atividade simpática aumenta no estresse /emergência → síndrome de emergência de Cannon (“to fight or to flight”); ❖ A atividade parassimpática predomina durante a saciedade e repouso; ❖ Ambos os sistemas → controle fisiológico contínuo de órgãos específicos em condições normais (ex: pênis = simpático regula a ejaculação e o parassimpático a ereção). ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  73. 73. 73 Ações do Sistema Simpático e Parassimpático Referências Bibliográficas L., MOORE, K., AGUR, Anne R., DALLEY, F.. Fundamentos de Anatomia Clinica, 4ª edição, 4th Edition. Guanabara Koogan, 01/2013. VitalBook file. SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "Neurônios"; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/biologia/neuronios.htm. Acesso em 06 de junho de 2020. SistemaUrinário ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  74. 74. 74 O corpo apresenta diversos mecanismos de eliminação dos dedritos do organismo, usando como via de excreção os pulmões, o intestino, a pele e o sistema urinário; O sistema urinário é responsável pela produção e eliminação da urina, mantendo assim a homeostase (manutenção do volume de líquido) do corpo; Este sistema é formado pelos rins (direito e esquerdo), com função de produzir a urina, ureteres (direito e esquerdo), com função de transportar a urina, bexiga onde a urina fica armazenada e uretra, que transporta a urina até o exterior do corpo. Este sistema pode ser dividido em: • Órgãos Secretores: produzem a urina. São os Rins. • Órgãos Excretores: encarregados de processar a drenagem da urina para fora do corpo. Formado pelos ureteres, bexiga e uretra. Essas estruturas não modificam a urina ao longo do caminho, ao contrário, elas armazenam e conduzem a urina do rim para o meio externo. • São um par de órgãos com forma de “feijão”, de coloração vermelho- pardo, localizados ao lado da coluna vertebral na porção póstero- superior da cavidade abdominal, e pesam cerca de 200g; • O rim direito esta localizado um pouco abaixo em relação ao esquerdo, por causa do fígado, sendo o esquerdo um pouco maior; • Na extremidade superior de cada rim há uma glândula supra-renal. • Os rins são formados por 3 camadas: • Cápsula fibrosa: camada mais externa, formada por tecido conjuntivo e tecido adiposo, que envolve o rim; • Córtex renal: área avermelhada, de textura lisa, onde ocorrem as etapas iniciais de formação e modificação da urina; • Camada medular: É a mais interna, formada pela composição de 8 a 18 cones denominados pirâmides renais; • Cerca de 1 milhão de estruturas microscópicas chamadas NÉFRONS, responsáveis pela formação da urina.  Seio renal: margem medial do rim.  Hilo renal: fenda do seio renal.  Entrada para o rim. Local onde vasos entram e deixam o seio renal.  Pelve renal: primeira porção do ureter, região mais alargada com forma de funil. Sistema Urinário ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA
  75. 75. 75 NÉFRON O néfron é a unidade morfofuncional ou a unidade produtora de urina do rim. Cada rim contém cerca de 1 milhão de néfrons. A forma do néfron é peculiar, inconfundível, e admiravelmente adequada para sua função de produzir urina. O néfron é formado por dois componentes principais: • Corpúsculo Renal: formado por uma rede de capilares sanguíneos enovelados. É o local onde ocorre a filtração do plasma sanguíneo. • Túbulos Renais: São uma série de tubos longos, responsáveis pela reabsorção dos nutrientes e água de volta aos capilares sanguíneos. FORMAÇÃO DA URINA O sangue penetra nos rins pela artéria renal, que se ramifica sucessivamente até que os capilares possam circular pelos néfrons. Esse sangue, a uma alta pressão, deixa passar água e substâncias dissolvidas através de suas paredes, que são captadas pelos Corpúsculos Renais, ocorrendo a filtração glomerular. O filtrado é formado por água, sais, glicose, vitaminas, ácidos graxos, aminoácidos, uréia e ácido úrico. Parte dessas substâncias será reabsorvida ao passarem pelos túbulos renais, ao que chamamos de reabsorção tubular; restando apenas as impurezas. A urina formada goteja através das papilas renais caindo nos cálices e na pelve renal. FATORES QUE ALTERAM A FORMAÇÃO DE URINA  Alteração do volume sanguíneo, já que a urina é derivada do sangue;  Alteração da Pressão Arterial, pois interfere não só na pulsação do sangue pelos capilares, como também na diferença de pressão entre capilar e néfron;  Concentração de substâncias no sangue, pois aumentam ou diminuem a reabsorção tubular. Ex.: alta concentração de glicose no sangue.  Ação Hormonal. É o controle do Sistema Nervoso sobre o processo de formação da urina. São eles: AntiDiurético (ADH) e Aldosterona. VIAS URINÁRIAS: GLÃNDULAS SUPRA-RENAIS Localizadas entre a face supero - medial do rim e o diafragma. Cada glândula supra-renal, envolvida por uma cápsula fibrosa e um coxim de gordura, possui duas partes: o córtex e a medula supra-renal, ambas produzindo diferentes hormônios. Secreta hormônios essenciais à vida. A medula supra-renal secreta: epinefrina (adrenalina) e norepinefrina. Já o córtex supra-renal secreta os hormônios esteróides e aldosterona. Sistema Urinário ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA BÁSICA

×