Os anos de chumbo

980 visualizações

Publicada em

O parlamentarismo não demorou em demostrar problemas entre o chefe de estado (Jango) e os primeiros- ministros chefe de governo.
Plebiscito dá poderes a Jango como chefe de governo e os conservadores apoiam o golpe.
A fama de Jango como comunista cresceu quando ele propõe as chamadas Reformas de Base, que previam mudanças nos setores agrário, educacional, eleitoral, bancário e tributário.
Crise econômica, radicalização ideológica, falta de apoio do parlamento e o ataque da mídia conservadora ...
João Goulart não resistiu...

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
980
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
412
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Os anos de chumbo

  1. 1. OS ANOS DE CHUMBO
  2. 2. Do populismo à ditadura • Após a Era Vargas o Brasil nas décadas de 1950 e 1960 usufruiu de uma participação política garantida pela constituição de 1946... • E surgiram organizações populares: • - Sindicatos organizados e greves para reivindicações; • - Ligas Camponesas no nordeste requeriam a reforma agrária; • - Em Recife o MCP (movimento de cultura popular) que empregou o Método Paulo Freire para alfabetizar jovens e adultos; • - Nas cidades cresciam os movimentos estudantis UNE e CPC (centro popular de cultura)
  3. 3. • Essas organizações eram vistas pelos conservadores como avanço “comunista” então cria-se o IPES que tinha como objetivo combater os esquerdistas. • O parlamentarismo não demorou em demostrar problemas entre o chefe de estado (Jango) e os primeiros- ministros chefe de governo. • Plebiscito dá poderes a Jango como chefe de governo e os conservadores apoiam o golpe. • A fama de Jango como comunista cresceu quando ele propõe as chamadas Reformas de Base, que previam mudanças nos setores agrário, educacional, eleitoral, bancário e tributário. • Crise econômica, radicalização ideológica, falta de apoio do parlamento e o ataque da mídia conservadora ... • João Goulart não resistiu...
  4. 4. Fim do populismo e inicio da ditadura • Em 31 de março de 1964 o general Luís Carlos Guedes e Mourão Filho desencadearam uma rebelião com o objetivo de tomar o poder apoiados pelo general Castelo Branco e pelos conservadores... Conseguiram • Atividades – págs. 141 e 142
  5. 5. “... E carrega o destino pra lá” • O golpe militar contou com o apoio da burguesia, dos latifundiários, dos banqueiros e dos setores da classe média. • A omissão de grande parte da população permitiu que o golpe obtivesse sucesso. • Charge como esta Publicada no jornal fazia associações de Jango com o comunismo
  6. 6. • Suspensão da Constituição de 1946 através dos Atos Institucionais – AI 1, AI 2, AI 3 e AI 4, davam mais poderes ao Executivo do que ao legislativo e judiciário. • Quais eram esses poderes? • Anulação das eleições diretas; • Extinção dos partidos; • Cassação de políticos que se opunham ao governo; • Suspensão dos direitos individuais, entre outros... • Podiam existir apenas dois partidos: ARENA – ALIANÇA RENOVADORA NACIONAL e o MDB – MOVIMENTO DEMOCRÁTICO BRASILEIRO.
  7. 7. Constituição de 1967 • Em 1967 foi promulgada a constituição substituindo a de 1946, “legalizando” a ditadura. • Os militares montaram um sistema de repressão por meio de espionagem e vigilância – SNI (Sistema nacional de informações)
  8. 8. Recuo da Cidadania – reações ao golpe... • Os conservadores achavam que após a ameaça comunista ser afastada o poder seria devolvido aos civis... O que não aconteceu. • Antes apoiadores a críticos do governo, jornais, políticos passaram a ser censurados e perseguidos... • Carlos Lacerda, Jango e JK se aliaram compondo a chamada FRENTE AMPLA – objetivos liderar ações de oposição. • UNE, continuava atuante mesmo clandestina...
  9. 9. PASSEATA DOS CEM MIL • Em março houve manifestações onde um jovem Edson Luís morreu sob forte repressão do governo e em junho mais de 100.000 pessoas foram as ruas protestar contra o sistema. Começaram as greves pós 1964...
  10. 10. O Sufoco do AI 5 • Em razão das manifestações o governo aumentou a repressão, tornou ilegal a Frente Ampla e intensificou o controle. • A situação piorou quando o deputado Márcio Moreira Alves conclamou a população a boicotar as festividades de 7 de setembro como forma de manifestação pacífica. • Como os parlamentares não autorizaram o governo a processar o deputado é instituído o AI 5, autorizando o presidente a:
  11. 11. • Com o AI 5 foram criadas organizações paramilitares que prendiam, torturavam e mataram suspeitos de subversão. • Organização ligadas ao governo também praticavam atos abusivos e eram financiadas por empresários. • Oban – Operação bandeirante • Doi -Codi - Destacamento de Operações e Informações e o Centro de Operações e Defesa Interna.
  12. 12. Relato de uma das vítimas da Oban
  13. 13. • Em 2007, o governo reconhece os abusos do período militar e em 2012 a presidente Dilma Rousseff nomeou a CNV incumbida de examinar e esclarecer as graves violações do período de 1946 à 1988. Discurso de Dilma em cerimônia da CNV TRABALHANDO COM DOCUMENTO PÀG. 146
  14. 14. Uma opção radical a luta armada • Impossibilitados de se manifestar legalmente os grupos de oposição inspiraram-se na revolução cubana e pegaram em armas. • Para conseguir recursos começaram a assaltar bancos e sequestrar embaixadores estrangeiros. • Foram reprimidos pelo governo, presos e perseguidos em nome da ordem, taxados como guerrilheiros.
  15. 15. Modernização Conservadora • Os militares colocaram em prática um projeto de modernização e crescimento econômico apoiado pelo estado, que contava com empréstimos estrangeiros. • Transportes, setores de energia, siderurgia e comunicações receberam apoio especial tanto do governo quanto de empresários brasileiros. • No setor industrial o governo incentivou a contenção salarial, como os sindicatos eram mantidos sob controle e repressão os trabalhadores não tinham a quem recorrer, fazendo este “sacrifício” pelo bem do país. • Atraídos pela mão de obra barata e ajuda fiscal muitas empresas internacionais instalaram-se no país no governo Médici: período conhecido como Milagre Econômico.
  16. 16. • Acompanhados com a propaganda de governo e slogans como: Pra frente Brasil, Este é um país que vai pra frente, Brasil ame-o ou deixe-o e o futuro chegou. • CONSEQUÊNCIAS NEGATIVAS • Concentração de renda e estagnação do mercado interno • Salários estagnados • Aumento da divida externa • Crise do petróleo • Atividade 1 – págs. 148 e 149
  17. 17. A crise do regime militar • Com o agravamento dos problemas sociais e econômicos e sem a ameaça comunista o regime perde forças para se legitimar. • O presidente Ernesto Geisel assume em 1974 propondo um projeto de abertura lenta e gradual, seu objetivo era devolver o poder aos civis com ideais militares. • Suas medidas ora liberais ora autoritárias impedia o crescimento da oposição e a volta da chamada “linha dura”. Assassinato de Herzog no Doi-Codi Em 1978 o AI 5 foi extinto e a censura diminuiu e em 1979 o congresso aprova a Lei da Anistia.
  18. 18. Lei da Anistia • Todos os exilados seriam perdoados, mas os torturadores do regime também... • Atentado preparado para os manifestantes no dia do trabalhador atingiu os próprios organiza- dores e o presidente Figueiredo viu-se obrigado a seguir com a abertura.
  19. 19. A economia: Tempos ruins... • As greves de 1978 eram politicas e econômicas. • A situação dos trabalhadores piorou. Líder sindical : LULA Atividade 2 – pág. 152 e o Em Casa pág. 153 à 156

×