Planejamento Estratégico em Ambiente de Incerteza

1.872 visualizações

Publicada em

Portuguese-only.

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.872
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Planejamento Estratégico em Ambiente de Incerteza

  1. 1. Planejamento estratégico em ambiente de incertezaGladstone Barbosa Alves01º/12/2010
  2. 2. Planejamento e estratégiaO que NÃO É planejamento?Não é pensar no futuroNão é “controlar” o futuroNão é tomada de decisãoNão é tomada de decisão integradaPlanejamento é um procedimento formal para produzir um resultadoarticulado, na forma de um sistema integrado de decisões (i.e., é a formalizaçãodo processo de elaboração da estratégia)O que é estratégia?É um plano (para o futuro): estratégia pretendida ou intencionalÉ um padrão de comportamento ao longo do tempo (observável): estratégiarealizadaEstratégias emergentes: as estratégias realizadas devem ser sempre aspretendidas?
  3. 3. Formas de estratégia e controle estratégico Estratégia B A Estratégia não realizada realizada DControle estratégico tradicional CA. Controle do desempenho planejadoB. Controle de “implementação”Controle estratégico estendidoC. Controle de realização EstratégiaD. Controle de desempenho estratégico emergente
  4. 4. Especificidades do setor elétrico (relevantes do ponto de vista do planejamento estratégico)
  5. 5. Principais participantes nos setores elétricos reestruturadosGeração Transmissão Distribuição Consumo TransCos DisCos Monopólio Operador Tarifas T/D Regulação do sistema T/D Serviços ancilares Contratos bilaterais Usuários finais GenCos Operador do mercado ComercializadoresCompetição Mercado atacadista Regulação G/C Preços no atacado Preços no varejo
  6. 6. Equilíbrio entre competição e regulação no setor elétrico Regulação -Decisões centralizadas - Tarifas reguladas - Minimização do custo Competição - Informação completa - Baixo nível de incerteza-Decisões descentralizadas - Preços via competição - Maximização do lucro - Informação limitada - Alto nível de incerteza Eficiência em custos Baixo nível de emissão Segurança de suprimento
  7. 7. Métodos de auxílio ao planejamentoestratégico em setores elétricosreestruturados
  8. 8. 3 formas de representar a tomada de decisão nos modelos de apoio aoplanejamento estratégico no setor elétrico Centralizado Descentralizado (multi) Descentralizado (único) DM1 DM2 DM1 Mercado DM Mercado Outros DMs DM... DMn Entradas exógenas Entradas exógenas Entradas exógenas
  9. 9. Entrada de Nível de incerteza nas principais Mudanças no ambiente deplanejamento entradas de planejamento incertezas no setor elétrico: Mercado Mercado principais impactos sobre o monopolístico competitivo planejamento estratégico Preço Baixo Médio/Alto Informação Baixo Alto Demanda Médio Alto Escolha do Baixo Médio/Alto consumidor Regulação Baixo Alto Recursos Ambiente Indicações de metodologias para Baixa incerteza Grande auxílio ao planejamento estratégico incerteza no setor elétrico Baixo risco Otimização Simulação Predição Otimização Alto risco Otimização Simulação Modelagem Modelagem financeira financeira Predição Otimização Cenários
  10. 10. Metodologias de auxílio ao planejamento e formulação de estratégia, de acordo com o nível de tomada de decisão Estratégico (longo prazo) Tático (médio prazo) Operacional (curto prazo) Monopólio Modelagem técnica Modelagem técnica Modelagem técnica Mercados competitivos Modelagem técnica, Modelagem técnica, Modelagem técnica, simulação estratégica, simulação estratégica jogos cenários Ferramentas de auxílio à formulação de estratégias em empresas do setor elétrico Método Nível de planejamento Aplicação típica Modelagem de agentes Operacional Estratégias em leilões do mercado à vista Dinâmica de sistemas Estratégico/Tático Estratégica de investimento, análise competitiva Análise competitiva Estratégico/Tático Análise industrial, análise competitiva Modelagem do risco Tático/Operacional Portfolio de contratos financeiro Modelagem financeira Tático/Operacional Precificação, lucratividade Teoria de jogos Operacional Leilões do mercado à vista Opções reais Estratégico Decisões de investimento Cenários Estratégico Avaliação de estratégias de investimento
  11. 11. EXEMPLO:Simulação da dinâmica subjacente aoprocesso de investimento em capacidade degeração
  12. 12. Representação comportamental das decisões de investimento em capacidade de geração: um exemplo de diagrama causal Subsídios Desenvolvimento Impostos tecnológico Custo de combustíveis Custos de Custos investimento operacionais Custo de +/0manutenção Custo total Capacidade L2 de geração L1 Preço Expectativa Decisão de de preço investimento futuro
  13. 13. Diagrama causal para a dinâmica no lado da demanda Referência para Referência de Elasticidade da o crescimento preço demanda (longo da demanda prazo) DemandaImpostos indicada L1 Demanda total Preço ao usuário final Demanda fixaTarifas T/D Demanda flexível
  14. 14. Representação da oferta, demanda e mercado
  15. 15. Resultados da simulação
  16. 16. EXEMPLO:Análise competitiva/estratégica/SWOT(escola do design) para as distribuidorasbrasileiras
  17. 17. Grupos estratégicos na indústria de comercialização Concessionária Concessionária de gás natural de gás naturalClientes Clientes Clientescativos cativos potencialmen te livre Comercializ adoras dependente s Comercializado ras Concessionária Concessionária independentes de distribuição de distribuição PIE Conservação Autoproduto Conservação Autoproduto de energia res de energia res Antes da reforma Depois da reforma
  18. 18. Grupos estratégicos na indústria de distribuição Concessionária Concessionária de gás natural de gás naturalClientes Clientes Clientescativos cativos potencialmen te livre Concessionária Concessionária de distribuição de distribuição Grandes clientes Conservação Conservação ligados de energia diretamente ao de energia SIN Antes da reforma Depois da reforma
  19. 19. Forças competitivas dos grupos estratégicos do segmento de clientes potencialmente livres na indústria de comercialização Entrantes potenciais Ameaça de novos entrantes Poder de negociação Concorrentes na indústria de dos clientes comercialização Fornecedores Clientes Rivalidade internaConcessionária de distribuição Clientes potencialmente livres Geradora Autoprodutores Concessionária de distribuição Comercializadoras dependentes Comercializadoras independentes Poder de negociação PIE dos fornecedores Ameaça de produtos ou serviços substitutos Substitutos Conservação de energia elétrica Concessionária de gás natural
  20. 20. Cadeia de valores das distribuidoras brasileiras Infraestrutura da empresa 3%Atividades de apoioAtividades de apoio Margem 6% Gerência de Recursos Humanos 6% Desenvolvimento de tecnologia 1% Tributos e Aquisição 34% encargos 40% Marketing, vendas Operações e logística 9% e serviços 2% Atividades primárias
  21. 21. Consolidação das avaliações estratégicas dos ambientes externo e interno Ambiente externo Ambiente interno Intensidade Oportunida Cadeia de Forças e valores da das forças des e competitivas ameaças Estratégia fraquezas EMPRESA e da vetores de das INDÚSTRIAS das competitiva EMPRESA valor dos INDÚSTRIAS stakeholder Análise das Análise da INDÚSTRIAS EMPRESA
  22. 22. S W O T Strengths Weaknesses Opportunities Threats FORÇAS FRAQUEZAS OPORTUNIDADES AMEAÇAS Controle dos custos Incapacidade de Posição privilegiada de Grande rivalidade interna gerenciáveis controlar os custos não comercializadora com as comercializadoras gerenciáveis leva a um monopolista permite e PIEs no segmento de aumenta das tarifas ao estreitar laços com clientes potencialmente consumidor final clientes cativos que a livres da indústria de médio-longo prazo comercialização possam ganhar liberdade de escolha Melhores práticas de Investimentos em Posição de atual Redução da oferta degovernança corporativa marketing, vendas, comercializadora de energia por grupos de serviços e tecnologia clientes potencialmente geração nos leilões ainda são tímidos livres deve ser organizados no Ambiente aproveitada para de Contratação Regulada fidelizá-los Qualidade da energia Incentivo á saída de elétrica distribuída clientes potencialmente livres problemáticos para o mercado livre Uso dos serviços de consultoria em eficiência energética e conservação de energia para agregar valor aos seus clientes
  23. 23. Papel da estratégia competitiva na melhoria da estrutura industrial Indústrias das quais a empresa faz parte são o foco da análise Estrutura Estratégia Estrutura setorial industrial atual competitiva mais favorável Oportunidades e Posicionamento Vantagem competitiva: ameaças identificadas competitivo aproveitamento das oportunidades e proteção das ameaçasPapel da estratégia competitiva na melhoria das atividades internas Atividades da empresa são o foco da análise Cadeia de valores Estratégia Vetores de valor atual competitiva dos stakeholders Forças e fraquezas Posicionamento Vantagem competitiva: aumento de identificadas competitivo forças e redução das fraquezas
  24. 24. Um mapa estratégico para as distribuidoras brasileiras F1 - Aumentar o EVA Perspectiva financeira F3 - Reduzir o F2 – Aumentar custo de a rentabilidade capital dos ativosPerspectiva dos 1 stakeholders S2 – Fidelizar os S1 – Aumentar a S4 - Fidelizar os clientes S3 – Fidelizar satisfação dos desenvolvedores clientes potencialmente as geradoras de tecnologia residenciais livres 2 Perspectiva dosprocessos internos P2 – Melhorar a P3 – Melhorar a P4 – Aumentar P1 – Reduzir as qualidade da eficiência e a perdas energia eficácia a economia comerciais e operacional distribuída operacional técnicas 3 Perspectiva de aprendizado e A2 – Aumentar a A1 – Modernizar capacitação e o crescimento os sistemas de compromisso informação estratégico do corpo funcional

×