O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

GEOBOX

1.353 visualizações

Publicada em

Apresentação realizada no Hipertexto 2009 sobre GEOBOX, um projeto de arte digital móvel com GPS.

Publicada em: Turismo, Tecnologia
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

GEOBOX

  1. 1. GEOBOX: Uma proposta de cibernarrativas no atravessamentos dos fluxos urbanos HIPERTEXTO 2009 Gabriela Jardim Rocha Maria Luiza R. R. C. Tavares
  2. 2. GEOBOX -Desafio: trabalhar o conceito de cibernarrativa no ambiente urbano -Fios condutores: - A ideia de cibernarrativa como processo, ocorrido em rede, mediante participação colaborativa (Falci e Jardim, 2007) -Mídias locativas como “dispositivos informacionais digitais cujo conteúdo da informação está diretamente ligado a uma localidade. Trata-se de processos de emissão e recepção de informação a partir de um determinado local” (LEMOS, 2007, p.1) -Noção de co-autoria / autoria compartilhada (Alckmar Santos, 2003) -Viabilização: telefones celulares e aparelhos GPS -Propósito: trabalhar os fluxos urbanos, costumeiramente invisiveis a nós, e o espaço de dados existente nas grandes cidades, através da construção de algum tipo de memória desses fluxos
  3. 3. GEOBOX ABRA-ME! (Alusão ao DECIFRA-ME de Alice no País das Maravilhas) “Olá! Esse presente foi deixado pra você! Agora, você deve dar a oportunidade para outras pessoas o receberem. Tire uma foto sua ou do lugar onde você está e envie para XXXX (SMS), com seu nome seguido do endereço em que você encontrou o presente e o número escrito na tampa da caixa. Por exemplo: ana_ruaSergipe345_2. Assim, quem receber o presente poderá te conhecer ou saber por onde esta caixinha andou. Escolha um lugar para deixar a caixinha para que outras pessoas possam participar desse projeto de intervenção urbana, chamado GEOBOX. Para visualizar o trajeto desse presente e as pessoas que o encontraram antes de você, acesse: www.projetogeobox.com.br” -Texto como ponto mais estável do projeto. Elemento pré-configurado pelos idealizadores
  4. 4. GEOBOX Narrativas: - do GPS (mais autônomas, embora passíveis de interferência) - das imagens – geotags nos mapas - da articulação entre as duas anteriores, acrescida da possibilidade de se atribuir tags aos conteúdos Ricoeur (1994) – Para explicar a lógica de Tríplice Presente (Santo Agostinho), que une tempo e ação no processo de elaboração de uma narrativa Mimese I: tempo pré-figurado, tempo real Narrativa do GPS Mimese II: configuração da ação a partir da narrativa. Onde se dá o contato. Leitura do texto da caixa Mimese III: estágio interpretativo e em que o interator gera algum tipo de interferência Envio de conteúdo Atribuição de tags FOCO PROCESSUAL – O projeto só acontece mediante o desejo de participação daqueles que entrarem em contato com as caixas.
  5. 5. REFERÊNCIAS FALCI, Carlos Henrique & JARDIM, Gabriela. Configuração das cibernarrativas a partir do conceito de imersão. Vol.1 nº2 , Dezembro 2007. Disponível: . Acessado em: 03/10/2009. LEMOS, André. Mídia Locativa e Territórios Informacionais. In: (Orgs.) ARANTES, Priscila e SANTAELLA, Lúcia.“Estéticas Tecnológicas”, Ed. PUC/SP, 2007. SANTOS, Alckmar Luiz dos. Leituras de nós: ciberespaço e literatura. São Paulo: Itaú Cultural, 2003. RICOEUR, Paul. Tempo e narrativa. Tomo 1. Campinas: Papirus, 1994.

×