Resumo da Arte Grega

1.737 visualizações

Publicada em

Slide feito pela professora Lilian.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.737
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
39
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Resumo da Arte Grega

  1. 1. A ARTE GREGA Os deuses inspiram a Arte
  2. 2. Os deuses inspiram a Arte A Grega destacou-se pela beleza e equilíbrio das formas e até hoje serve de modelo para artistas de todos o mundo
  3. 3. Os deuses inspiram a Arte
  4. 4. O templo grego Os templos gregos tinham três características: 1. Proporções exatas e harmonia; 2. Os edifícios não eram colossais. Todas as partes dependiam de uma unidade; 3. Os templos eram construídos com pedra e, os mais bonitos revestidos com mármore.
  5. 5. O templo grego
  6. 6. Partenom • A figura anterior mostra um templo grego do estilo antigo, batizado com o nome da tribo dórica- à qual pertenciam os espartanos, notórios por sua austeridade. Com efeito, não se encontra nenhum detalhe supérfluo.
  7. 7. A pintura A pintura de vasos de cerâmica foi muito praticada em toda a Grécia. Pintava-se desde personagens míticos até cenas de batalha ou da vida cotidiana. Duas técnicas eram utilizadas:
  8. 8. A pintura A figura negra: eram pintadas de verniz negro e os detalhes eram feitos com um estilete. A figura vermelha: a cor negra era usada como fundo e as figuras eram deixadas no vermelho
  9. 9. A escultura grega As esculturas gregas em geral decoravam o interior das residências e, principalmente, os templos. Infelizmente, poucas estátuas gregas originais sobreviveram. Muitas obras que hoje são vistas em museus são cópias feitas pelos romanos. Normalmente a escultura grega é dividida em três fases
  10. 10. A escultura grega- fase arcaica A partir de c. 700ª.s., os artistas gregos aprenderam a esculpir figuras humanas e a trabalhar como o mármore. As esculturas masculinas mostravam rapazes nus e as femininas representavam moças vestidas.
  11. 11. A escultura grega- fase clássica No século V a. c., os artistas passaram a utilizar o bronze, material mais resistente e que facilitava o trabalho de modelar as formas curvas. As obras desse período expressam uma preocupação naturalista: as figuras dos homens e deuses esculpidas em diferentes posições, os atletas aparecem em pleno movimento, as mulheres ganham vestes esvoaçantes e são representadas nuas.
  12. 12. A escultura grega- fase clássica As figuras humanas revelam ainda o ideal de beleza dos gregos corpos atléticos, expressões tranquilas e movimentos suaves.
  13. 13. A escultura grega- a fase helenística A partir da conquista da Macedônica em fins do século IV a.c., os artistas gregos procuraram criar obras cada vez mais realistas. Eles pretendiam não apenas representar o corpo humano, mas também suas emoções, suas dores e angustias. Por isso muitas vezes, as expressões humanas parecem exageradas e caricaturais.
  14. 14. A escultura grega- a fase helenística
  15. 15. A escultura grega- a fase helenística Os artistas passaram a esculpir não apenas uma figura, mas também grupos de figuras humanas. Muitos artistas, porém, continuaram esculpindo figuras idealizadas, próprias do estilo clássico.
  16. 16. O corpo na Grécia Para os gregos, a beleza do corpo não era apenas estética, aparente. A beleza expressava um modo de vida do cidadão. O grego belo era aquele que praticava exercícios físicos, aprendia música, discutia política e tinha gosto pelo conhecimento e pela arte
  17. 17. O corpo na Grécia- a beleza dos heróis Para os gregos, os heróis podiam ser personagens de histórias épicas ou,na maior parte dos casos, semideuses, nascidos da união de um deus com uma mortal
  18. 18. Mobiliário Grego
  19. 19. O Grego a utilizava para comer e descansar, e dispunha de uma parte horizontal para reclinar-se à altura da mesa, no lugar de estar à altura do solo. O apoio para a cabeça era, geralmente, curvo e não se utilizavam apoios para os pés.
  20. 20. Móveis funcionais e simples conviviam com outros mais elaborados. A inovação mais significativa dos projetistas gregos foi a cadeira conhecida como “klismos”. Confortável e muito popular, ela foi bastante utilizada principalmente nos períodos arcaico e clássico.
  21. 21. Os thronos gregos eram conhecidos como "apoio dos céus", ou seja, termo que ficou conhecido quando Zeus se tornou um Deus antropomórfico. Esse foi imaginado como o "assento de Zeus". Thronos era um tipo de objeto de status elevado, mas não necessariamente com qualquer conotação de poder.
  22. 22. Olhe para o desenho da cadeira, principalmente nas pernas que se assemelham a de um animal. A chamada "diphros okladias estilo" X-frame.
  23. 23. Trapeza
  24. 24. O mobiliário romano deriva do móvel grego, mas distingue-se pela suntuosidade e pelo emprego de materiais nobres, como o bronze e o mármore, tinha a aparência pesada, maciça e luxuosa. Pés com forma de pata de leão
  25. 25. Mesa de jardim, de bronze niquelado e tampo de mármore
  26. 26. Entre os móveis de assento, o lectus era um dos mais importantes, utilizado como assento e repouso, sobretudo em cerimônias e banquetes.
  27. 27. Já a cattedra era uma cadeira com encosto, geralmente usada pelas mulheres e idosos.
  28. 28. Outro móvel de assento utilizado pelos romanos era a sella curulle, um modelo sem encosto, derivado dos bancos, com dimensões generosas.

×