29110 rioinfo painel_i v1

497 visualizações

Publicada em

Rioinfo - Painel I – ISO 29110
As normas, os grandes compradores e a qualidade da indústria de TI

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
497
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

29110 rioinfo painel_i v1

  1. 1. Qualidade de Software nas MPE ISO/IEC 29110 Certificação para MPE
  2. 2. Indústria de SoftwareIBSS Mercado de SW 97,3% são classificadas como MPE com até 19 pessoas em sua força de > 8.500 empresas trabalho > U$ 21 bilhões > 94% de MPE
  3. 3. MercadoComprador Fonte: Abes, 2010
  4. 4. Qualidade: Alguns Conceitos• Adequação ao uso através da percepção das necessidades dos clientes“ Juran (1974)• Perseguição às necessidades dos clientes e homogeneidade dos resultados do processo“ Deming (1982)• Conformidade do produto às suas especificações“ Crosby (1984)• Conjunto de características incorporadas ao produto através do projeto e manufatura que determinam o grau de satisfação do cliente“ Feigenbaum (1986)• Rápida percepção e satisfação das necessidades do mercado, adequação ao uso dos produtos e homogeneidade dos resultados do processo“ Ishikawa (1986)
  5. 5. E para ISO?Grau no qual um conjunto de característicasinerentes, satisfaz a requisitos. ABNT NBR ISO 9000:2005
  6. 6. ...A indústria de SW
  7. 7. "Engenharia de Software é a criação e autilização de sólidos princípios de engenharia afim de obter software de maneira econômica,que seja confiável e que trabalhe eficientementeem máquinas reais". Friedrich Ludwig Bauer
  8. 8. A indústria de Software
  9. 9. 1 ano de atraso / Denver U$ 360 M + U$ 86 M ? U$ Milhões / 3 mortos Pepsi (Filipinas)Ariane 5 (Ag. Espacial Europeia) / U$ 500 M
  10. 10. “A maior causa da crise do software é que as máquinastornaram-se várias ordens de magnitude maispotentes! (...) enquanto não havia máquinas,programar não era um problema; quando tivemoscomputadores fracos, isso se tornou um problemapequeno e agora que temos computadores gigantescos,programar tornou-se um problema gigantesco.” Edsger Dijkstra, apresentação feita em 1972 na Association for Computing Machinery Turing Award, intitulada "The Humble Programmer"
  11. 11. BaixaAs causas da crise do Qualidade e software estavam Requisitos Estouro de não Orçamento ligadas à atendidos e Prazo complexidade doprocesso de software Dificuldade e a relativa na Gerência e imaturidade da Manutenção engenharia de dos projetos software como profissão. Crise do Software
  12. 12. Modelos Gestão da Estatísticos Qualidade Qualidade Total CMMIModelos deMaturidade ISO 9000 Metodologias CEP PDCA
  13. 13. 2011...• “Nós estouramos prazos e custos, não entregamos o que foi acordado e os clientes aceitam!”• “Nosso fornecedor tinha sido certificado nos modelos de maturidade, mas não conseguimos estabelecer uma gestão de requisitos aceitável nos nossos diferentes sites”
  14. 14. Baixa Qualidade e Requisitos Estouro de não Orçamento atendidos e Prazo Dificuldade na Gerência e Manutenção dos projetosCrise do Software Crônica
  15. 15. Hipótese em 2004...Uso da ES nas PME
  16. 16. Por que VSEs não usam normas? 10% 15% 24%JTC1/SC7 Não é requerido 9% Falta de apoio Falta de recursos 14% Demanda muito tempo Normas(s) * * 28% Outros * Difícil, Burocrático, orientação insuficiente
  17. 17. Normas desenvolvidas por grandes organizações para grandes organizaçõesJTC1/SC7  Proposta: criação de um WG para o desenvolvimento de normas adaptadas ao tamanho e maturidade de pequenas empresas
  18. 18. Série ISO/IEC 29110Para Very Small Entities
  19. 19. ISO/IEC 29110  Organizações com menos de 25 pessoas (empresas, projetos e departamentos); VSE  Promover credencial de certificação  Desenvolvimento de normas e guias agrupados por perfisVery Small Entities
  20. 20. Very Small Entities JTC 1/ SC 7 / WG24 ISO/IEC 29110 Engenharia de Software Perfis de Ciclo de Vida para Micro-organizaçõesISO/IEC 29110 - Life Cycle Profiles for Very Small Entities (VSEs)Diretoria de Normalização 16ª RO CBN19/09/2006 20
  21. 21. Ações Importantes Aspectos Diferenciados Normas disponíveis gratuitamente às VSEs Pacotes de Implementação Network Center
  22. 22. Life Cycle Profiles for Very Small EntitiesNetwork Center
  23. 23. • Belgium (Cetic)• Brazil (RIOSOFT)• Canada (ÉTS)• China (in discussion)• Colombia (Parquesoft)• Finland (Tampere University of Technology)• France (UBO)• Haiti (in discussion)• Ireland (LERO)• Japan (in discussion)• Luxembourg (Tudor Research Center)• Mexico (UNAM)• Peru (in discussion)• Thailand (Institute of Software Promotion for Industries)
  24. 24. PERFIS As normas e guias são baseados emsubconjuntos apropriados das normas, denominados VSE Profiles – Perfis de Micro Organizações
  25. 25. Grupos de Perfis O Perfil BásicoProfile Group Profile Entry Generic Basic (software) Intermediate Advanced
  26. 26. Life Cycle Profiles for Very Small EntitiesPerfil Básico
  27. 27. O Perfil Básico compõe-se de dois processos  Gerência de Projetos e Implementação de Software
  28. 28. PERFISpropiciar ao contexto específico das VSE apossibilidade de serem reconhecidas como produtoras de software de alta qualidade em seus domínios, tanto em seus mercados internos quanto no mercado internacional
  29. 29. Ciclo de Desenvolvimento de SW Planejamento Iniciação e Análise Projeto e Entrega Arquitetura Encerramento Execução Integração Construção e Testes Avaliação e Controle
  30. 30. Life Cycle Profiles for Very Small EntitiesParticipação do Brasil
  31. 31. Início das Atividades Instalação da CE 21:007.24 – Outubro/2010 Participação no NetCenter – Maio/2011  Acordo de Cooperação - RIOSOFT (Brasil) x ETS (Canadá)
  32. 32. .. .
  33. 33. O que estamos fazendo no Brasil?• Novembro/2010 – Participação na Interim Meeting – Washington DC• Maio/2011: Projeto SEBRAE/ABNT – Normalização nas MPEs – Reuniões Itinerantes – Participação na Reunião Plenária JTC1/SC7 – França• Novembro/2011 – Participação na Interim Meeting – Dublin/Irlanda• Maio/2012 – Participação na Plenary Meeting – Jeju/Coreia
  34. 34. Primeiros Resultados... ABNT NBR ISO/IEC 29110-2:2012Parte 2: Estrutura e taxonomia ABNT NBR ISO/IEC 29110-4-1:2012Parte 4-1: Especificações de perfil: Grupo PerfilGenérico ABNT ISO/IEC TR 29110-5-1-2:2012Parte 5-1-2: Guia de engenharia e gestão: Grupoperfil genérico: Perfil básico
  35. 35. Primeiros Resultados Liderança de grupo de trabalho internacional  Perfil ágil  Desenvolvimento do método de Avaliação Participação nos grupos de trabalho Internacional  ISO 20000 – Serviços para VSEs  Perfil para Engenharia de SW e Sistemas  Alinhamento com a ISO/9001
  36. 36. Primeiros Resultados Parcerias para implementação e certificação  NetCenter x Inmetro x ABNT  NetCenter x Microsoft Piloto de Certificação  2012
  37. 37. Microsoft ProcessTemplate
  38. 38. Um futuro bem próximo...• Ações de divulgação e mobilização• Capacitação de Consultores e Auditores• Ações específicas para start up• Apoio para implementação e certificação das empresas (Qualificação para o mercado)• Ações para estímulo à participação no mercado externo
  39. 39. O Sebrae como parceiro• Divulgação e Mobilização (Oficinas, workshops)• Formação de grupos de empresas para implementação e certificação• Integração com diversos programas (Sebraetec, ALI, Encadeamento Produtivo de Grandes Compradores)• ...
  40. 40. Parceiros no (do) Brasil
  41. 41. Obrigada!giselevb@riosoft.softex.br giselevb@gmail.com

×